Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



No trono da neura-anatomia da esquerda (ryota Kanai et al) destaca-se a Anterior Cingulate Cortex (ACC), que realmente as pessoas de esquerda possuem maior. Esta história da ACC já foi o menino bonito da psicologia social: Quando David Amodio descobriu que as pessoas de esquerda eram de forma mesurável melhores nos processos de detecção de erro e isso porque faziam um uso melhor da ACC foi uma altura excitante na imprensa. Felizmente temos os asiáticos que também sabem fazer máquinas de ressonância magnética e também gostam de investigar e estes trouxeram-nos as associações da ACC à inveja e schadenfreude  (Takahashi  et al) e à hipocrisia, etc  e aí o entusiasmo esmoreceu.  Temos pena.

Para as pessoas de esquerda a realidade inicia-se na Insula (o I do IAD) como forma interoceptiva (um dia lá vamos) e o contacto com o mundo exterior é feito pela ACC (anterior cingulate cortex).  E a ACC vai comparar, detectar erro, monitorizar performance… e vai doer. A inveja para a esquerda é intensa e muito parecido com dor fisica. A Inveja é codificada na ACC.  Na ACC vai decorrer a avaliação do eu em relação ao "outro" por comparação social. E sente-se inveja quando o objecto contra o qual nos comparamos é mais dotado de características que consideramos relevantes.  Por norma a inveja é sempre estudada em conjunção com o Schadenfreude, que é aquela alegria que sentimos (eu não) quando vemos alguém que nos é superior  (o que quer que isso signifique para nós) ter um infortúnio ou deixar de estar em estado de graça. Quanto maior for a activação da ACC na inveja maior será a activação do stradium que está associado à recompensa quando ocorre o schadenfreude.

 

Este mecanismo base da esquerda tem uma razão de ser.  A ACC computa fictive rewards, fictive outcomes, ou seja o raciocínio contra factual que é o resultado de uma opção que o próprio não tomou. Este fictive outcome torna-se “real” na ACC. Existe uma diferença notável com o arrependimento. Arrependimento é a comparação entre duas opções que eu poderia ter tomado mas não tomei , mas a inveja adiciona à equação o resultado das escolhas dos outros(!) E o pior é que tem uma forte componente social, porque atribui uma diferença social com base na diferença de resultados, que é penoso, penoso, para alguém de esquerda porque qualquer detecção de exclusão social é codificado na ACC.  

Só a intervenção da RVPFC (right ventral prefrontal cortex) consegue acalmar esta situação (Eisenberger et al) ao interromper a actividade da ACC.  Os predicados das pessoas que mais detêm no contexto da esquerda e dos seus processos cognitivos não vêm com uma história, não tem passado. Existe meramente e é computado como algo que também devia/poderia (fictive outcomes = ser) ser seu.

 

Para os meus amigos de esquerda.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Links

Blogs