Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A barra de ferro de Phineas Gage

por Olympus Mons, em 01.10.13

           Primeiro a motivação. Um facto que amiúde me arrelia: Nos media muitas vezes se coloca a questão se ainda faz algum sentido falar de esquerda/direita. Tendo em conta que por norma a questão não se coloca quando se fala exclusivamente de esquerda, porque não escasseiam as vezes em que se fala da esquerda, da nova esquerda, da esquerda unida, da terceira via, isso só pode querer significar que não faz sentido porque por esta altura já devemos (deveríamos) ser todos de esquerda. Deve ser o tal caminho progressista.

Contudo deixem-me deixar claro: Você nasce de esquerda ou de direita... bem, algo como 60%.

Está nos genes (ou na epigenética, o modo como os genes se expressam) e isso pode não implicar que somos espécies diferentes (óbvio) mas pelo menos implica que somos de géneros diferentes. Toda esta conversa presumivelmente terá começado com as os gémeos siameses separados à nascença e que mantinham elevada correlação ideológica um com o outro e com os progenitores. Se os pais eram de direita, podia ter sido criado pelo líder do partido Democrata lá do burgo que na idade adulta virava republicano. Jonathan Haidt terá clarificado as águas ao descobrir que as pessoas de esquerda regem, essencialmente, os seus postulares morais por unicamente dois dos cinco pilares que se encontra nos humanos em todas as sociedades. Começaram verdadeiramente a tocar as campainhas com ryota Kanai e Darren Schreiber. O primeiro descobriu que as pessoas de esquerda possuem uma Anterior Cingulate maior  e as pessoas de direita uma Amygdala e Right Entorhinal Cortex  maior e o segundo, Schreiber, fez a descoberta que faz toda a diferença: Com uma correlação de 0.80 consegue-se saber se alguém é de esquerda ou de direita meramente visualizando por imagiologia de ressonância magnética o cérebro em funcionamento durante processos (jogos) de decisão -  Se é de esquerda activa a Insula, se é de direita activa a Amygdala. E se tem alguma ilusão do impacto que tem o sistema límbico (emocional) nos seus processos de decisão então comece um longo caminho por António Damásio, Haidt, Joshua Green, etc.  Antes de sequer você ter noção o seu sistema limbico decide e posteriormente as partes mais evoluídas do cérebro tornam-se excelentes advogados dessa decisão.   Mas para perceber mesmo, mesmo, as diferenças no género existe outro axioma. Quem é de direita vê, sente, percepciona o mundo pela AOV (Amygdala- Orbifrontal córtexventromedial prefrontal cortex)  Quem é de esquerda pela IAD (Insula-Anterior Cingulate Cortex- Dorsolateral prefrontal cortex) . Descobrir o que cada uma destes componentes ou áreas do cérebro fazem é descobrir que todos os estereótipos sobre a esquerda e a direita são verdadeiros. Siga o AOV e terá a descrição de alguém de direita, siga o IAD e terá o comprovativo de todos as características de alguém de esquerda. E este blog é sobre os estereótipos não sobre as pessoas - Sim, se é de direita é egoísta, xenófobo e até racista. Se é de esquerda é um invejoso e hipócrita de todo o tamanho.

Tal como a barra de ferro que em 1848, em Vermont, atravessou o cérebro de Phineas Gage destruindo-lhe o VMPFC (ventromedial prefrontal cortex)  e mudando a sua personalidade, siga este blog e talvez, meramente talvez...!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D


Links

Blogs