Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Questão de títulos...

por Olympus Mons, em 28.07.21

Fosse um título ao contrário... 

Capture Why I.PNG

Ao navegar na net, este livro chamou-me a atenção.

Não li o livro mas li várias críticas de historiadores que desmontaram algumas das histórias que ela no livro conta sobre racismo ao longo da história. Algumas da invenções que a autora, uma jovem britânica Reni Eddo-Lodge, reporta no livro são de bradar aos céus. Completar invenções que nem a idade dela, nem a ignorância justificam. 
Que ela crie uma ficção não é a razão pela qual eu faço este post é porque só é possível fazer aquilo porque ela é uma jovem negra a escrever sobre racismo. Fosse qualquer outra pessoa a escrever sobre outra temática e era eviscerado em praça púbica sem dó nem piedade.

Mesmo o facto de escrever este título já é peculiar. Porque se eu escrevesse um livro “porque já não falo com negros sobre racismo” tenho a certeza que nem seria publicado, mesmo que tudo o que ali escrevesse fosse factualmente inatacável.

Sinais dos tempos.

Depois, ela numa entrevista, diz o seguinte:

Capture QA.PNG

Reni Eddo-Lodge está errada. E o seu universo está todo errado porque começa logo ali, nos pressupostos, a estar errado.

E aqui começa o conundrum, não é. Porque se não aceitarmos que efetivamente existe diferenças de temperamento e cognitivas entre grupos populacionais nunca vamos sequer seguir pela estrada correta mais acertada, quanto mais chegar ao destino correto.  Olhar estatisticamente para as diferenças e concluir que é porque existe algo estruturalmente racista é só … estúpido.

Volto sempre ao mesmo exemplo. -  Os judeus Ashkenazi são 0.4% da população mundial e possuem 50% dos prémios Nobel e da ciência em geral e por exemplo são menos de 2% da população americana, mas são 30% das pessoas mais ricas. … E não há nada sistémico ou estrutural a seu favor!  São características deste grupo populacional como um QI médio a rondar os 120 e um Desconto hiperbólico do futuro muito baixo… Quem tem estas características acaba rico e o Judeus Ashkenazi são o grupo populacional em que essas características mais são acentuadas.

Existe um mundo de elites esquerdoides com dificuldade em lidar emocionalmente com o seu próprio racismo e por isso prefere projetar nos outros os sentimentos com que não consegue lidar.  Não que as pessoas os direitoides tenham sentimentos diferentes, é só que lidam muito bem com eles, não lhes ligando nenhuma porque ao final do dia não tem relevância verdadeiramente para o dia a dia na parte que é intencional nessas pessoas. Com intencional quero dizer que temos colegas que são de outras raças, étnicas e proveniências e não ligamos nenhuma a isso nos intentos do dia a dia porque quaisquer juízos tomados não serão relevantes – todos queremos ajuda, queremos rir, queremos sentir bem e estar com gente divertida... queremos conectar com pessoas e especialmente com quem está á nossa frente. Por outro lado, também será verdade que se viver nos EUA e se vir um grupo de jovens negros não é racismo mudar de passeio. É só ter dois dedos de testa (4% da população são responsáveis por mais 60% dos assassinatos).
Todos, observam as dificuldades cognitivas de alguns grupos populacionais em produzir determinados trabalhos. Imagine que pertence a um desses grupos e subitamente toda a gente fala como se tivesse a obrigação de conseguir, mas que é algo externo a si que o impede. Não. Essas pessoas sabem que não tem esse talento peculiar (tem outros) e isso deve criar uma frustração difícil de gerir emocionalmente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Irresponsáveis...

por Olympus Mons, em 25.07.21

Africa do Sul… e ninguém gives a shit porque não há narrativa de esquerda, anti homem branco a fazer logo interessa para nada.

Capture AS.PNG

É aquela coisa que só os cérebros de esquerda têm que é pretend not to, alterar as realidades para aquilo que lhes é relevante e o resto não interessa nada.

 

Durante uma década, após o fim das sanções do apartheid o PIB da África do Sul cresceu até ao 400b mas agora voltou ao normal de 280b e não tarda teremos a África do Sul com valores próximos per capita do resto de África, pois nesta altura com 5,5K continua a cair para se aproximar dos 3,5K típicos do melhor de África.

Continuamos a viver uma realidade, ou melhor realidades, que se repetem vezes sem conta porque a esquerda nunca é chamada à pedra pelos seus erros.  Por isso se repete , repete, repete, por exemplo os falhanços do comunismo. Falhada a experiencia de Venezuela que tantas laudas teve durante uns anos pela esquedalhada europeia (quem não se lembra da entrevista de Mário Soares a Chavez) continuam na procura incessante da próxima. Que vai acabar da mesma forma que as dezenas e dezenas anteriores.

A descolonização foi feita a la esquerdalhada, com narrativas, tangas e manifestos, mas nunca foram chamados à responsabilidade pois não? Países como a África do Sul, ou o Zimbabué, ou o Vietname e Laos ou toda uma Africa e uma América Latina cheia de exemplos. E sim,  se não acha que as ultimas 3 década na África do Sul teve algo a ver com a esquerdalhada vá ver melhor, mesmo que o processo de descolonização ali tenha tido uma forma diferente.

Mas esta conversa porquê?

 

Por falar em pessoas responsáveis, ou irresponsabilizadas, seja pelo que for na vida. Lá está privilégios, não é?

Porque mau mau são as leis na Hungria. Isso é que é do camandro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O céu a cair...

por Olympus Mons, em 23.07.21

 

"Among the worst-hit parts of Germany, the area of the city of Cologne known as Köln-Stammheim saw more than 153mm of rain on 14 July. To put that in context, it is six times higher than the average heaviest rainfall days for the area in July.

O céu a cair, o céu a cair...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu e FISETIN II

por Olympus Mons, em 22.07.21

é powerful vudu.
Quando a própria Mayo Clinic se envolve em testes clínicos sabes que é algo importante. É algo importante porque sabes que os passos intermediários, como a segurança, já foram cumpridos e provaram-se positivos e agora vai entrar na fase em que dá frutos por isso a Mayo Clinic salta para dentro do barco.  Já para não falar dos militares que se aliaram a um dos laboratórios de David Sinclair para criar inibidores de envelhecimento.

 

As células senescence no seu corpo, que com a idade vais acumulando imensas, são como que células cancerígenas mas que felizmente não se dividem e multiplicam matando o seu host. Não matam pelo menos rapidamente. Porque os efeitos sobre o corpo são como se tivesses radiação dentro do corpo que aos poucos te vão envelhecendo e destruindo.

Tudo o que é stress no corpo (sol, stress, álcool ,etc) leva a que as células não se consigam reparar e entrem em senescence. O que é bom porque, volto a dizer que ter senescence, paradoxalmente, também é importante porque informam as outras células á volta que podem ter erros e devem fazer um check-up para saber de devem entrar em senescence (zombie) ou não.

Muitos dos testes clínicos estão a ser feitos com Fisetin e por outro lado com Qercetin & Dasatinib (em conjunção).  Nomeadamente contra a COVID.
Muitas das vantagens destas substâncias é que tem vidas muito curtas. Por norma tomas, elas entram rapidamente no corpo e 10 horas depois já nem tens resíduos. Por isso os cientistas testam com Hit&run durante uns dias e depois param. Por exemplo contra o COVID está a ser administrado durante dois dias e depois param.

Autoria e outros dados (tags, etc)

As marcas que ficam!

por Olympus Mons, em 21.07.21

É mais fácil de perceber olhando para o mapa de cima, central.  As regiões a amarelo/laranja são as regiões que não sentem um attach emocional com o seu país. Lá está a Andaluzia ou a Catalunha do costume. Enfim.  
Lá estão os Bascos que estranhamente não tem attachment a nada. Nem ao país, nem à sua região, nem à Europa.  – Estão fartos de tudo e todos.

Não posso falar das outras pessoas, mas para mim traz-me um sorriso olhar para este mapa do estudo feito pela UE.

Os Corsos são corsos e mais nada. Ao contrário do resto da Europa eles mantiveram muito a sua matriz EEF (Eearly Eastern farmers) do neolítico e não tiveram a última componente das estepes da Ucrânia (Yamnaya) no seu DNA. Aliás tal como os Bascos um computador ao criar um PCA analisys coloco-as distantes dos restantes europeus e no sentido inverso à aproximação ao médio oriente que é um cline natural dos europeus… São mesmo únicos. Fica-me, pois, a sensação de que diferenças genéticas de 4000 anos definem ainda hoje a cultura e o sentir destas populações?

Os Galegos como já sabemos são portugueses e mais nada. O fst (fixation index) entre portugueses e Galelos é tao pequeno que novamente qualquer análise do DNA não nos consegue mesmo destingir e juntar-nos como do mesmo grupo.

Curiosidade da Bretanha ou a Aquitânia também não têm attachment à França. - Dois sítios em que a componente WHG (western Hunter Gatheres) dos caçadores recolectores europeus originais ( os tais escurinhos de olhos azuis) é muito alta, até muito tarde (como notado pelos romanos) tinham um língua própria e tal como Portugal um sitio onde o número de R1b-P312 (sem os filhos L21,S28,DF..) é muito elevado, ou seja, descendentes diretos do avô sem ter as mutações dos filhos.

Vale de Aosta e por ali acima pela Alemanha da Baviera e thuringia. Um dos sítios icónicos dos Bell Beakers (os pais de toda a Europa) terá mantido essa sua identidade e também dos sítios na Alemanha com maior número de homens descendentes dos R1b.

É só uma curiosidade o modo como olho para este mapa, mas suscita uma pergunta a quem acha que diversidade demográfica é uma coisa boa. Será?
Estas regiões tiveram diferenças genéticas e culturais que se iniciaram há mais de 4000 anos e ainda hoje lutam por se identificarem com os países onde estão inseridos.

Não suscita a ninguém perguntas se ao promover a introdução de pessoas de matrix genética-cultural muito dispare não irá criar clivagens brutais nas identidades de um país? – Ou seja o fim do capital social que é outra forma de dizer o fim do país.

Autoria e outros dados (tags, etc)

OMAD

por Olympus Mons, em 20.07.21

Como expliquei faço Jejum Intermitente.  Faço uma refeição por dia.  

toda a nossa fisiologia e biologia foi desenhada por comermos raramente. Por isso o corpo criou a insulina como o super-homem das hormonas. Quando a insulina entra em ação todas as outras são inúteis. Porque comer era um fenómeno não diário. Quando havia comida era para reter o máximo possível no corpo, hence a insulina.

Novamente é necessário entender que muito do que nós acreditamos advém da ciência e da falha desta em adequadamente nos instruir. Não nos instrói, porque não gostamos de coisas complexas como explico no meu post anterior.
Convém no entanto relembrar que os cientistas não são os profissionais que mais vezes estão certos. Não, não , são os profissionais no mundo que mais vezes estão errados. – É aquela coisa do José que pergunta ao João cientistas se está a chover ou a fazer sol. O cientista vira-se e diz que chove a potes, sem levantar os olhos e olhar pela janela onde entra um sol radioso. O José pode rir do cientistas mas uma coisa é certo o josé nunca vai descobrir porque chove e o João cientistas um dia vai! – Por isso os cientistas, no passado e bem, se mantinham longe do policy advisor!  Essa é a razão (mas era um post só dedicado a isto)

Mas, pelo outro lado, durante mais um século (1914) a ciência sabe que dietas de restrição calórica não resultam pela adaptação metabólica que o corpo inicia, mas durante esse século todo, profissional atrás de profissional assim aconselhava a quem passava a porta do seu consultório pelo simples facto de não se ensinar outra alternativa. Ou. Depois, que se mandava as pessoas comer 6 refeições por dia e mesmo verificando que não resultava (a não ser que faças restrição calórica e assim por pouco tempo) lá se mandava as pessoas passar o dia a pensar na comida. Pelo menos Jejum intermitente é a coisa mais fácil e barata do mundo. Comes, ou não comes, um dia mais que uma vez (porque se quiseres comes e isso não quebra a tua rotina) e não tens que preparar nada. E comes o que gostas. Bebes o que gostas (eu é tourigas nacional monocasta)

Mas que tem isto a ver com OMAD? – Somente que ao fazer OMAD a parte mais difícil será sempre a parte social. Colegas, família, etc. Levam algum tempo a perceber e, acima de tudo, a aceitar devido a esse século de ideias erradas sobre a alimentação. Comer várias vezes ao dia é algo que virá do fim da idade média. É meramente uma demonstração social de abundância. Nada a ver com necessidades fisiológica.

Quando comecei a fazer Jejum intermitente saltava uma refeição o que era desconcertante para a minha família. Se fosse almoço era desconcertante para os meus colegas, especialmente quando me sentava ao lado deles e não comia.  – a pressão social é curiosa porque é um aspeto a não descurar para quem comece este tipo de alimentação. Na verdade, foi a parte mais desconcertante para mim e a mais inesperada porque as pessoas até se chateavam comigo (e insistiam). Quando na verdade eu que tinha a alcunha de papa-bolachas achei o não-comer um processo adaptativo muito rápido.

resumindo isto tudo. Hoje em dia, toda a minha família faz alguma forma de jejum intermitente, o meu sócio mais antigo (que gozava comigo) faz fasting e por vezes 2 dias inteiros sem comer e tenta (tem falhado 😊 )  duas vezes ao ano fazer 7 dias. E hoje em dia é bem mais magro do que era.   

Lembro-me sempre que trabalhamos com um inglês que estava 15 dias sem comer. E jantávamos com ele que se limitava a beber água das pedras. Aliás, como eu faço sempre que acompanho pessoas em refeições em que não vou comer. 15 dias! E por recomendação de um nutricionista de topo no reino unido que disse, ou fazes isso ou estás morto em dois anos (profissionalmente ele tem que fazer muitas jantaradas).

Dos pontos mais importantes de reter desta conversa do OMAD é que OMAD significa que não tens fome nunca (quase) mas quando te sentas para comer, é para comer! Venha o porco o faisão e a pipa de vinho.  Eu e o meu sócio, quando em viagens de trabalho optamos por só jantar e trabalhamos ininterruptamente durante o dia. Depois escolhemos o sítio pretendido e vamos fazer não fasting mas feasting! – Há sítios no mundo que nos reconhecem pela forma como pedimos as refeições.

Curiosamente o nosso último sócio é diabético e sempre muito preocupado com a sua doença. Por isso no início estávamos sempre preocupados que ele comesse. Mas a verdade é que até ele já começa a fazer o nosso tipo de alimentação (toma pequeno-almoço e janta… mas não tarda vai começar a saltar o pequeno almoço).

Quem experimenta… sente que é forma correta de comer.

Num post posterior, darei a minha opinião sobre a dieta KETO e porque não pratico esse tipo de dieta... sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Plausible deniability

por Olympus Mons, em 19.07.21

A ver: 

https://odysee.com/@Jadu200:7/Dr.-Robert-Malone,-Inventor-of-mRNA-technology-discusses-the-Spike-Protein-_-Int_Full-HD_60fps:2

Novamente! – Não sei o suficiente sobre vacinas para sugerir ou querer influenciar qualquer pessoa neste planeta. Não é de todo o meu objectivo.

Novamente – O meu problema é que existe pessoas como este senhor do vídeo, que é o inventor do tipo de vacina que todos nós tomámos ou vamos tomar e ele faz avisos sobre as vacinas. 
Novamente –  e mais importante, O meu problema é, no essencial, este: Existe fact-check, atrás de fact-check, atrás de fact-check a este senhor que é nada mais que o inventor do tipo de vacina, levanta questões sobre a segurança especialmente em jovens. Mas… entendam… os fact-checks não está a vir de quem devia vir! Do CEO da Pfizer, do CIO da Moderna, do responsável pela inovação da AstraZeneca! Do cientista chefe da Johnson & Johnson's Janssen!

Tudo isto soa a Plausible deniability.
“Plausible deniability is the ability of people, typically senior officials in a formal or informal chain of command, to deny knowledge of or responsibility for any damnable actions committed by others ...”

Toda uma estrutura, cheia de direitos e privilégios, chamado de imprensa e não há um, um que seja, com autorização de quem manda para ir perseguir estes senhores e obrigá-los a ficar escrito na pedra aquilo que patetas atrás de patetas anda a criar conteúdos sobre! 
No dia em que quisessem obrigar cargos de topo a assumir responsabilidades por qualquer efeito adverso das vacinas, especialmente nos mais jovens, provavelmente acabaria esta tanga, este kayfabe, em que toda a gente parece viver confortável com.  Esperemos todos que não haja, porém fica esta sensação horrivel que tudo isto é ensaiado para nao haver responsáveis na eventualidade.  E não se entende como se chegou aqui, pois não?  O Aqui é esta penumbra em que tudo é negavel caso seja necessário porque nada foi explìcito.
Como é possivel? quando morreu a o jornalismo, quando morreu a responsabilidade? ah, já me lembro, quando a esquerda tomou o controlo. 

Nada mais chocante que espirito amputado.   Isto sim é difícil de sequer observar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

5 minutos

por Olympus Mons, em 18.07.21

Existem 5 minutos que vale a pena gastar. 
Os 5 minutos deste post the Judith Curry é um desses momentos, pela forma sucinta como é holistico.

https://judithcurry.com/2021/07/11/5-minutes/

Eu sigo Judith Curry há várias décadas. Para mim ela a par de Roger Pielke, representam muito bem o modo como chegámos aqui.

Lembro-me dela quando ainda era um deles, ainda pegava com trinta pinças qualquer narrativa que contrariasse os fazedores da tanga das alterações climáticas.  A tanga, não as alterações, claro. Na verdade quando retrospetivamente olho para eles todos, Pielke pai e filho, Spencer,  Christy, Curry, etc não me lembro de um que dissesse que o planeta não está a aquecer e que em parte esse aquecimento deveria ser pelo aumento de CO2 na atmosfera. Não me lembro de um.
Mas Curry foi curioso porque se consegue seguir com precisão o cancel culture, sim o cancel culture começou com as alterações climáticas porque toda uma elite científica não iria deixar que ninguém lhes roubasse a oportunidade. Curry começou por pedir aos colegas que não fossem tao defensivos. Chamou ela na altura de “circuling the Wagon” e que isso era mau. Curry rapidamente passou da amiga para ser inimigo. Quem quiser que investigue: Como tantos outros, ela passou de professora, e professora chair of the School of Earth and Atmospheric Sciences at the Georgia Institute of Technology para uma pariah a quem era negado até a cordialidade.  Ela passou por tudo, desde a traição de pessoas que ela tinha empregado e treinado e que hoje são famosos na área, até as pressões para deixar de ensinar. Como tantos outros hoje em dia já está fora da academia. – Cancel culture começou aqui e muito do que hoje identificamos como cancel culture cumpre com as metodologias usadas para agredir estes cientistas que não aceitaram calar a boca.

E tudo o que ela se insurgiu foi contra a tanga como forma de comunicação errada do problema em mãos. O truque, a tanga, está nisso mesmo. Na tanga. É como se começássemos a falar de pessoas que faltam de penhasco para água em mergulho e de repente toda a gente à nossa volta começa a falar de voar, e super-homem e o thor, e o Hulk… a pessoa fica sem saber o que dizer.

Trago Judith aqui porque este post dela em que transcreve a sua intervenção de 5 minutos num venue qualquer sobre clima. Ela resume muito bem qual o problema de perspetiva que hoje em dia existe sobre esta questão das alterações climáticas.

A ler:
https://judithcurry.com/2021/07/11/5-minutes/

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sem solução

por Olympus Mons, em 16.07.21

Este paper acabadinho de sair não é novidade no seu conteúdo. Mas fica como mais um dos alertas para um futuro que além de incerto vai levar a inúmeros conflitos.

Capture estudo.PNG

No estudo está preto no branco. Pessoas de direita gostam de “diversity” de opinião e perspetivas de vida, pessoas de esquerda tem zero tolerância para essa diversity de opinião e para eles a diversity é demográfica e mais nada!

Assim preto no branco.

Isto torna-se irreconciliável com o fato de se saber que quando a carrinha de mudanças dessa diversity estaciona no bairro onde moram, são os primeiros a sair de lá.

Esta hipocrisia da esquerda tem que ter algures no tempo uma solução. - Alguém tem que inventar uma forma de comunicar a dissonância cognitiva que isso traz.  O praticamente êxodo nos EUA dos Blue states para os Red states está a ser acompanhada de uma alteração nas intenções de voto nas eleições nesses sítios, com os subúrbios das cidades a virarem liberal a uma velocidade estonteante.  Veja-se Austin e outras cidades do Texas.

Como se ganha a guerra contra gente que é inexorável no modo como destrói e depois pode impunemente mover-se para os sítios onde não se manifesta a sua atividade e começa de novo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

MIB

por Olympus Mons, em 16.07.21

Vem ai o Men in BlackNa verdade não é esse, é sim uma nova molécula que é suposto ser um super NAD booster.

Já aqui escrevi que que os militares querem testar coisas como o NMN de David Sinclair e como tal pelo que se sabe aliaram-se ao MIB (Metro Internacional Biotech) do Sinclair e parece, nas palavras do próprio Sinclair, que têm um super-NMN que por hora chamam de MIB-626.  Os militares estão interessados na proteção do NMN, do MIB-626, para soldados que estão sob stress durante períodos muito longos e além disso como aumentar a sua performance física em combate.

Quando falei sobre o NMN que tomo mencionei que noto que a minha capacidade de lidar com stress foi bastante aumentada. A ausência de ansiedade que se instalou em mim desde que comecei a tomar NMN é nos dias de hoje por mim notada, sentida e vivida. 

Talvez entre nos tais efeitos de placebo, mas sinceramente acho que não.  É daqueles efeitos que foi muito notório. Também o notei na minha esposa.  
Existem coisas como o facto de desde que tomo gostar de música latina que escapa qualquer lógica e não faz sentido no meu cérebro associar ao NMN… mas é um facto. Eu que nunca gostei, agora praticamente só oiço esse tipo de música (à exceção de quando treino).  É assim, coisas estranhas, que associo a coincidências.

Imagino que os militares procurem essa ausência de ansiedade nos seus soldados, a sua capacidade de lidar com o stress aumentada e a sua capacidade física amplificada.

Vamos esperar para ver o que isso do MIB-626 é!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estrela a estrela...

por Olympus Mons, em 15.07.21

Capture newsweek (1).PNG

E nesta longa, se calhar nem assim tão longa, caminhada para o fim dos EUA como os conhecemos, as pessoas devem lembrar-se que isto está nos livros, está nos naps  de como os países se balcanizam.
Para que ninguém se esqueça: em 30 anos os EUA importaram 100 milhões de pessoas que eram de uma matriz sociocultural diferente das sua. E fizeram-no conscientemente. Todos. Republicanos e democratas quiseram essa dinamização da sua economia, esse aumento do seu mercado interno e de mão de obra barata.  Agora vão pagar o preço.
Deve ficar a lição para a Europa.

Alguém lembrava que antes da revolução que levou ao nascimento dos EUA só 35% da população queria a revolução e secessão da Inglaterra. 35%.
E só 10% eram loyalists enquanto a maioria, como sempre acontece, só queria ser deixada em paz. E como tal não contam.

Aqueles números em cima devem fazer as pessoas pensar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

IED

por Olympus Mons, em 15.07.21

IED é Improvised Explosive Devises.  Mas existe outro IED que é bem pior que os explosivos acima mencionados. Estes não explodem mas entopem a sua mente. Chama-se illusion of explanatory depth (IED)

"What is illusion of explanatory depthThe illusion of explanatory depth (IED) describes our belief that we understand more about the world than we actually do. It is often not until we are asked to actually explain a concept that we come face to face with our limited understanding of it."

O conceito de IED, ou “no fundo, no fundo não sabes shit” é dos conceitos mais definidores do século XXI.
Nos píncaros do acesso a informação levou à necessidade de criar conteúdos e conteúdos têm que ter uma narrativa associada. Se as pessoas não fossem assim, como são não realidade, isto criaria um problema muito difícil de gerir e rapidamente haveria resoluções definidoras que não interessam a quem manipula. -  O mundo teria muito menos conteúdos mas teria conteúdo. 

Mas alem do IED, os humanos também sofrem de change Blindness e isso é utilíssimo para os manipuladores. Infelizmente, e por mérito próprio, a esquerda domina os mecanismos de disseminação dessas narrativas. Aliás é a combinação destas duas coisas que permite este momento societal que vivemos no ocidente. 

As pessoas acreditam nas coisas porque acreditam que o Manel sabe o que está a falar e como tal é credível… já o Manel diz o que diz com aquela certeza toda porque ouviu do João  que sabe do que está a falar… e assim por diante. E assim se consegue iludir muita gente ou, mais importante, se ilude muita gente a si próprios.

Se alguém pedisse a qualquer um deles que explicasse em detalhe as razões e os porquês ficaria surpreendido com o pouco que eles, eles todos que aparecem como experts, realmente entendem sobre aquele assunto.

Uma rainha do IED é Greta Thunberg. Serve de exemplo, mas IED é ubíquo.

Capture greta.PNG

Literalmente tudo o que esta pateta verborreia é errado, ou no mínimo uma manipulação insidiosa da realidade. É, pois, uma apropriada representante e icon deste século XXI.

Todo este truque implodiria passado algum tempo não fosse o nosso change Blindness. Se alguém te mostra uma bicicleta e depois te mostra outra coisa, quando te volta a mostrar a bicicleta até pode ser diferente que nem notas.  E isso é essencial à manipulação que vivemos. Como o mundo é de conteúdos e não de conteúdo, conseguem mostrar coisas diferentes e quando voltam ao assunto inicial ele pode já ter alterado que o espectador nem nota.

E novamente isto nem teria importância nenhuma, porque na verdade as pessoas nascem idiotas e idiotas a nascer a cada segundo é uma bênção para que os expertos se safem. Ok, o mundo é como é.
O problema é se, como na imagem acima, estamos a caminhar para um penhasco. Tenho para mim que é esse o caso para a segunda metade do século XXI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

really?

por Olympus Mons, em 14.07.21

Do expresso online de hoje.

Capture origem covid.PNG

… Ou será que o vírus saiu de um laboratório?
Pois até no expresso a questão é colocada nestes moldes. - Desde os tempos de Donald Trump em que era uma parvoíce racista e das coisas irracionais do homem até aos dias de hoje passou a imemorável distância de… 6 meses.

Combater a loucura politica dos dias de hoje passa por ir alertando para estas inconsistências do modo como a realidade nos é hoje servida.  Aceitar estas coisas como normais é, também, o sinal da nossa derrota.
Não, nós (não esquerdoides) não processamos as dissonâncias cognitivas à velocidade de luz como eles. Não temos a capacidade de um esquerdoide para bend the reality. A realidade é importante para nós.

Aos poucos vamos aceitando que todos os normativos da esquerda são normais. A ausência de autorreferencial, a resolução de dissonâncias cognitivas, as distorções à realidade conforme se apresenta favorável… chiça, como é possível?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Naude o heroi

por Olympus Mons, em 10.07.21

Capture Naude OCN.PNG

Vivemos num mundo em que as pessoas têm necessidade de se autorrepresentar no mundo sob as mais diversas formas de grandeur como se houvesse um ranking qualquer que só existem mesmo na cabeça deles. Ou seja, é tudo postering, LARPing e role playing. E sem querer enjoar na insistência, é tudo controlado pelo que é permitido ou não pelo conceito mais negligenciado do mundo, o Kayfabe.

Mas nem toda a gente, não é?

Enquanto toda uma geração (e já não é só de ocidentais, o kayfabe é insidioso) se injeta com aquecimentos globais e raramente paga um muon do preço por isso porque vive precisamente na super-bolha de qualidade de vida criada pelo CO2, existem pessoas no mundo que fazem o oposto.

Esta imagem acima é de um canal do Youtube do Ocean Conservation Namibia.  - https://www.youtube.com/channel/UCg8VTeeN4BglqmI1_CBlABg

Sem dar lições ou usufruir de qualquer grandeur moral, sem raivas patetas contra ninguém esta pequena equipa todos os dias salva focas das armadilhas de todo o tipo de lixo humano em que as coitadas das focas se deixam cair.  Desde linhas de pesca até camisas.
Todos os dias vejo o vídeo diário e já doei inclusive. Quando quero desenjoar do mundo da tanga em que nos estão a enfiar, por vezes à força por vezes voluntariamente, passo por aqui, dou um like.  E tudo parece melhorar, mesmo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu e FISETIN

por Olympus Mons, em 08.07.21

2 - FISETIN

Muito antes de tomar Fisetin eu sabia que teria que arranjar um senolitico em que eu acreditasse. O problema era que não encontrava literatura e por isso só mais tarde adicionei ao meu protocolo que chamo “kick ass until you die and go down kicking” ou dito de outra forma o meu protocolo para “envelhecer de forma mais saudável possível com o melhor que consigo fazer ou consumir sem me chatear ou deixar de gozar a vida”. – A parte do fim é importante.

Capture fisetin.PNG

https://www.youtube.com/watch?v=JY5Uuniol_4&t=197s
Depois a dúvida ficou entre Quercetin e Fisetin. Até à pouco tempo Quercetin seria a escolha, mas depois estudos como este da imagem acima começaram a sair e como podem ver na imagem Fisetin kick ass sobre todos os outros. Mas também é verdade que um pode acabar por ser eficaz com algumas senescence e o outro com outras. Por isso ainda é cedo para se largar de todo o Quercetin…

Fisetin é aquilo que os morangos têm muito. São flavonoides que a natureza cria. Mas, como acontece com tudo na natureza terias que comer quantidades astronómicas para combater o declínio da idade, como tal até certo ponto a alimentação ajuda-te, mas a partir de certa idade, e bastante cedo, já não consegue reabastecer o que o corpo não está a processar corretamente. Estes flavonoides são ativadores dos que Sirtuan genes, os SIRT (1,2,3) que falei anteriormente.

Esta é a questão:

Ao envelhecer vamos acumulando células que deixam de ser reproduzir corretamente. Elas células felizmente chegam a uma altura em que notam as suas falhas e param de se reproduzir ficando senescentes, ficando algo como zombies no corpo.  E ter células senescentes é importante porque elas informam as outras células á volta para terem cuidado e olharam para os seus mecanismos e se estão a “operar” corretamente. Por isso é importante ter estas células a alertar as outras para olharem para si próprias e perceber se estão operacionais. De outra forma o cancro seria muito mais frequente.

Mas a parte boa destes senoliticos é que eles não têm efeito nenhum sobre células saudáveis e normais mas atacam as zombies de forma aparentemente muito eficaz. O problema das células zombie é que elas estão o tempo todo, o tempo todo a segregar umas coisas inflamatórias chamadas de SASP (Senescence associated secretor Phenotype) e a sua acumulação leva à inflamação crónica que está associada ao envelhecimento e que consome o corpo o tempo todo a tentar compensar. A lista de maleitas e doenças associadas a esta inflamação é tudo o que as pessoas idosas sofrem, desde alzheimer e Parkinson até perca muscular.
Assim, queremos ter destas células, mas não as devíamos deixar acumular… aí está onde FISETIN parece ser a arma supersecreta e superpoderosa.

Por último, o fator mais importante é que o FISETIN elemina esta células imediatamente, logo o protocolo que está a ser usado e testado nos estudos que por aí vêm é com o protocolo “Hit and run” – Usa durante poucos dias e depois paras.

Eu, como já disse, uso durante 4 dias (pode ser 3 , pode ser 5) mas não mais que isso. Depois deixo o corpo gozar a vida sem esses processos inflamatórios enquanto acumula senescence cells mas também permite as stem células de criar novas que são boas. Depois volto a fazer hit and run.  Outra coisa importante é que esta categoria de flavonoides odeia água. Odeia e não se dissolve por nada do mundo!  Por isso misturo com azeite numa colher e engulo. Já para não falar que a sua bioavailability é imensamente maior assim e o corpo assimila tudo.

Como nota final, deixo que o FISETIN está a entrar em trials até para combater o Coronavírus. Como não podia deixar de ser…

Autoria e outros dados (tags, etc)

DemiSexual

por Olympus Mons, em 08.07.21

Capture Michaela Cuomo.PNG

Só escrevo sobre esta pateta, porque os patetas são sempre bastante ilustrativos e na verdade, para sermos corretos, são bem mais representativos do mundo do que aquilo que gostamos de lhes dar crédito. Na verdade, nasce um a cada segundo por isso não admira.

Mas, dizia eu, escrevo sobre Michaela Kennedy Cuomo filha do Governador do estado de Nova Iorque porque como tenho escrito é precisamente esta casta, esta elite de privilégio e escolas de 50 mil euros de propinas ano que está a liderar a insanidade da identidade, ou promoção de muitas identidades, nos EUA.

 

Eu já aqui escrevi (sim, sim, convém ir repetindo) que o número de homossexuais no planeta é incrivelmente pequeno (1%-2%) especialmente quando comparado com o número de pessoas que numa primeira fase da vida sentem alguma indefinição (~3%) mas que ao longo do tempo se definem como heterossexuais. Mas como vamos descobrir, para a forma de loucura mansa que esta menina representa, e atenção que ela própria o diz na entrevista que no círculo liberal onde ela se move não é bem visto definir-se como heterossexual, ela vai evoluindo ao longo do tempo, tal como reportado nos diversos estudos longitudinais sobre homossexualidade que sao multivariable e seguem as pessoas por décadas.

Nas palavras dela…
When I was in elementary school, I feared that I was lesbian," she told Tramuto. "When I was in middle school, I came out to my family and close friends as bisexual. When I was in high school, I discovered pansexuality and thought, 'That's the flag for me.'"

Ora, agora ela aos 23 anos assume-se mesmo, mesmo é como demisexual! Sim isso é o que ela é.
E o que é isso? -  Um demisexual é alguém que só deseja sexualmente outra pessoa quando tem uma relação emocional ou intelectual com essa pessoa. Ou seja, leia-se… UMA MULHER! - Sim, esta menina aos 23 anos descobre que aquilo que define é algo que estudo atrás de estudo atribui como uma característica das MULHERES que é desejo e satisfação sexual indexado a valor afetivo com o objeto da sua sexualidade.

No shit! Esta menina, aos 23 anos, descobre que é mulher. Ao que isto chegou.

Autoria e outros dados (tags, etc)

in the loop!

por Olympus Mons, em 07.07.21

"In the Loop Sunday night, Chicago police arrested dozens of young people as a huge group began taking over the streets, setting off fireworks and dancing on cop cars."

Capture black youth.PNG

Que fique claro que não culpo primeiramente os jovens negros. Que fique também claro que acho que estão a ser manipulados a cair numa armadilha criada por  privilegiados jovens brancos que possuem dinheiro para pagar propinas de 50 mil euros ano. Mas, porque caem nas esparelas de patetas quase dementes, também são patetas. Não são vítimas, são burros.

Acresce que tudo o que foi tentado nos últimos 50 anos falhou. - Quem tenha passado nos últimos anos por exemplo pelos aeroportos americanos a quase totalidade dos empregados é negro, quase todos os empregos da administração publica em geral são ocupados por minorias e essencialmente pessoas de raça negra, a presença de cargos públicos de topo ocupados por negros nos EUA excede em muito, muito a sua representação na população. Promotores públicos, procuradores-gerais, Mayors e vogais das camaras, chefias da policia , tudo, tudo. E mesmo assim não parece resultar.

Este post não é sobre isso. - O meu post é sobre o fenómeno que grassa nos EUA, quase uma doença cognitiva, em que mesmo a FOX NEWS noticia que Jovens invadiram a baixa de Chicago (que por acaso conheço bem), acionando fogo de artificio e dançando em cima de carros da polícia. Mas em momento nenhum dizem que são todos jovens negros.   Sim, há dias era a dançar sobre a ambulância que estava no local para salvar jovens negros baleados  agora acham que podem, e podem mesmo!, subir em cima de carros da polícia e dançar lá em cima.

Este still acima tirado das imagens mostra mesmo isso. São todos jovens negros, numa cidade em que são 30% da população e em momento algum qualquer entrevistado, jornalista, comentador refere a raça dos jovens.
Eles estavam ali instigados por uma elite que começa a renegar a simbologia da sua nação e ao final do dia isso vai levar … ao que vai levar.
Mas se ler o livro de como as sociedades se destroem é por marcadores assim:

Capture crime surge.PNG

Este increase vs last year é um last year em que pela primeira vez em décadas o número de ocorrências deste tipo de crime aumentou e na verdade aumentou em 40%. O número de mortos nos EUA passou de 35 para 50 por dia. Estes aumentos são sobre esses números do ano passado.  – Go biden, Go Biden, e no neste mesmo fim de semana, só no sul de Chicago, 14 mortos e 74 feridos à bala. Todos negros, claro.

É assim, este aumento de homicídios e tiroteios são todos por minorias. Já não sei onde vi que era algo como 6% brancos e 94% das minorias. Não só são os perpetradores, mas também são as vítimas.  Enfim, como digo no início, patetas (?)

Autoria e outros dados (tags, etc)

NMN ... mais um bocadinho.

por Olympus Mons, em 06.07.21

Talvez elaborando alguns pontos do meu post anterior (https://barradeferro.blogs.sapo.pt/eu-e-nmn-164588) e adicionando alguma informação extra que me parece pertinente.

Para quem tenha interesse em perceber mais sobre este assunto ler o excelente livro de David Sinclair é um regalo para o espírito. 
Mas claro que pode ir á net ou ao Youtube e tem lá tudo.

Enfim, NMN é uma molécula curiosa. Os Human Trial prosseguem e penso que vão atingir o pico dos resultados em finais de 2022.
Hoje em dia percebemos um pouco mais sobre trials de medicamentos ou vacinas e dos passos todos que são tomados devido à vacina do COVID.  Acresce que human trials são caros, caros. Daí que levem muito tempo e custem muito dinheiro.

Contudo estuda-se o NMN há quase uma década. O efeito de NMN sobre ratos é milagroso. Ratos com “80” anos no espaço de um 1 mês voltam a ter “20” anos.  Machos e fêmeas. Voltam a reproduzir, pelagem fica como dos ratos jovens e tal como David Sinclair explica levaram algum tempo a perceber porque as passadeiras dos ratos paravam de funcionar… porque tinham um mecanismo que passados aquele número de horas era suposto desligar devido ao facto de nunca terem considerado possível que os ratos corressem durante tanto tempo. – Pois, mas cuidado, os ratos têm um metabolismo 200 vezes mais rápido do que os humanos. Por isso não é a mesma coisa e não significa que resulte na mesma dimensão ou forma em humanos.

Muitos dos estudos que tem saído sobre NMN ou NR tem dado indicações extremamente positivas. O ultimo (uma semana atrás penso eu) é os chineses a injetar no couro cabeludo e na verdade reduz a calvice, como demonstrado e bem no estudo. Aliás os primeiros estudos era como não poderia deixar de ser sobre a segurança e dosagem. Mas pelos ratos já sabíamos que até se podia dar quilos daquilo aos ratos que a toxidade era perto de zero. Aliás o próprio Sinclair durante anos que toma, a família toda e teve que deixar de dar ao cão velho porque ele tinha ficado muito irrequieto. Por isso podemos considerar que seguro é.

Outra curiosidade é que David Sinclair não regista as patentes e faz questão de tudo o que produz ser livre para ser replicado, logo essa é a razão dos preços serem “tão baixos” (todo o meu protocolo custa €2.80 dia) e produzido em massa na China. E dizem daí a guerra entre ele e Dr. Charles Brenner o inventor de NR (nicotinamide Riboside) – Dr. Charles Brenner is the chair of the new Department of Diabetes & Cancer Metabolism at the Beckman Research Institute of the City of Hope National Medical Center -  que tem tudo patenteado e com certeza não fosse a concorrência do NMN de Sinclair (Nicotinamide Mononucleotide) já teria ganho muito mais dinheiro. – As picardias entre os dois, no Twitter começa a azedar. Especialmente ultimamente.

Que mais…
Harvard está para revelar uma nova molécula, um novo NMN, que aparentemente é ainda mais eficaz.  Cada vez mais estes ativadores e/ou reguladores dos tais genes do envelhecimento SIRT, MTOR etc. são melhores conhecidos logo cada vez serão mais eficazes as próximas gerações de produtos.

Também falei de Metformina que há mais de 50 anos é medicamento básico dos diabéticos é powerfull vudu!  Em alguns países Anglo-saxónicos já é receitado pelos nutricionistas até para controlo do peso. Aliás, já tinha dito que o primeiro medicamento verdadeiramente eficaz contra a obesidade que está para sair no mercado será em parte uma réplica do Metformin. Mas atenção, ao interferir com MTOR, que gere hormonas de crescimento faz com que não devas tomar nos dias em fazes pesos. Se o fizeres o treino vale quase zero. O próprio Sinclair diz que no dia e no dia seguinte a heavy lifting não toma Metformin.

Começa a aparecer muita gene therapy  para os mesmos que parece ser ultra poderoso, mas isso como diz o nosso amigo Jornaleco é para as elites de DAVOS e os probrezinhos não me parece que cheguem lá. 

Para terminar. Novamente pessoal: Não vou justificar, e muito menos advogar, porque o NMN resulta. Don’t give two F*cks, sobre o que os outros decidem fazer. Só a reportar a minha experiência pessoal.

Nota: O post anterior suscitou um pico e views, pese embora eu nem faça tags, por isso irei, moderadamente, adicionar mais desta temática.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu e NMN.

por Olympus Mons, em 05.07.21

Long time on the making.
pergunto quem mais tem um protocolo para viver para sempre? -  Claro que ninguém vive para sempre. Mas sim viver o mais tempo possível saudável.

Algumas das coisas que por aí vem vão ser dramáticas, algo como nos próximos 3 -10 anos. Vai parecer magia. Mas isso ficará para explicar ao longo do tempo. Até porque tem muito a ver com antecipar a forma como a sociedade irá reagir quando as pessoas viverem saudáveis, a trabalhar, até aos 110 anos. Como vai ficar a segurança social e o emprego?

Mas não desviando, conto a minha história e o meu protocolo.
Tudo começou porque sempre treinei de forma muito intensa. E, em determinada altura percebi que já não era uma questão de força de vontade a treinar, era mesmo a incapacidade das mitocôndrias das minhas células em produzir energia.  Envelhecimento!

Capture david sinclair horizontal (1).PNG

Pode parecer que envelhecer seja algo que me preocupa, mas não é. Sempre convivi muito bem com a ideia. – Porém confesso que a quebra na capacidade física me chateou. E acima de tudo, acima de tudo, odeio ser calão e não procurar soluções seja para o que for. - Aos poucos tinha vindo a adaptar o meu treino de forma a fazer LEG_DAY às quartas à noite, porque era o tempo que levava muscularmente a recuperar dos sprints de domingo ou que treino de explosão era cada vez mais dificil...
Mas vamos lá começar. Ready?

O meu protocolo não é o original, como o de David Sinclair o cientista de Harvard da imagem acima e que a ciência aconselharia porque isso implicaria tomar Metformin, dos diabéticos e só com receita médica. Mas fora isso o meu é relativamente completo:
1-Diariamente NMN 500mg (com TMG 1000mg).
2-Mensalmente, divido a fisetin em 4 doses de 800mg por dia que coloco numa colher de azeite gourmet e bebo (aumenta a bioavailability).
3 – Treino físico variado tal como jogging, sprints, boxe (saco) e Hiit (sprints).
4-Após o treino batido de whey Protein, Colagénio e Creatina.
5-Desde 2018 que faço jejum intermitente, OMAD (one meal a day), ou seja, só faço uma refeição por dia.

Mas, nesta série, vamos começar pelo princípio!
1 – NMN ou NR

Não aceitar a quebra física, foi o que me levou a reagir e procurar algo.
Foi nessa altura que decidi investigar um bocado. Não tardei em descobrir NR (Nicotinamide Riboside) que encomendei  dos EUA. Por volta da mesma altura encontrei David Sinclair de Harvard e claro a sua criação NMN (Nicotinamide Mononucleotide) – Ambos são precursores de NAD+. Sem NAD+ você morre em 20 segundos, tal como sem ATP (a energia que o seu corpo cria para ter reação explosiva). Sabemos que um dos efeitos da Idade é a redução de NAD no corpo e que isso tem grande influência na expressão de alguns genes relacionados com o envelhecimento como os SIRT (1, 3,..7). Ou com a expressão de MTOR signaling pathways. Acrescento que também acabei por tomar TMG (1000mg). Uma das provas que o NMN resulta é porque se descobriu que consome Methyls que são essenciais para os genes se expressarem. Logo tomo TMG (Betaine -trimethylglycine) que doa os tais Methyls. Entre NR e NMN, duas moléculas muito parecidas, acabei por escolher NMN. NR deixa-me uma sensaçao estranha, que o NMN de todo.

Existem efeitos que deteto, mas que na verdade não tenho a certeza. Efeito placebo é tramado e suscita em mim um longo..hummm, talvez. Por outro lado, também existe coisas que não faz sentido afirmar ou vangloriar sem alongar em explicações que soariam peculiares. Vou ignorar esses.

Um dos efeitos que é suposto ter o NMN é sobre os genes SIRT 1 e 6 que estão relacionados com a parte esqueleto-Muscular. – Resultado: Nem 3 meses depois fazia Sprints ao domingo e se fosse preciso fazia Leg_day na segunda à noite como os putos. Depois, durante anos, muitos, a minha corrida não incluía a subida do Lidl que eu não era maluco. Aquilo são mais de 600 metros com inclinação para aí de 12 graus. Logo na parte anterior chegava com a pulsação a 178.  Talvez um ano depois, houve um belo dia em que não parei e subi aquele monte Evereste, algo que nunca me tinha passado pela cabeça fazer. Alguns meses depois, quando começou a pandemia corria e fazia o monte Evereste mas com um colete de 5 quilos para ajudar à festa.

Muita gente reporta o efeito psicológico. Eu devo ter enlouquecido porque nem 1 ano depois deixei um emprego que me pagava 100 mil euros ano e lancei-me num outro projeto pessoal. Nem um segundo de hesitação, zero de ansiedade. Aliás, sempre fui algo ansioso e até irrascível. – Não o sou, de todo, hoje em dia.  Quem sabe... 
Não resisto por exemplo a dizer que acho que tomar NMN nos faz ser mais inteligentes (acho mesmo) e em dias daqueles bem duros de trabalho cheguei a abrir uma cápsula e meter debaixo da língua. Podia acrescentar ainda outras coisas. Mas acho que não vale a pena.

Comecei por ter que encomendar dos EUA o NMN e mandava entregar em casa de um amigo em Nova Iorque (aquilo vinha da Califórnia) que como vinha a Portugal de 2 em 2 meses mês me entregava. Mandar vir por correio era um drama. Como era caro tomava só 125 mg e ouve uma altura em que colocava debaixo da língua.  Na altura custava €220 os 60 comprimidos (60 dias) e sabia que 125mg era uma dose muito baixa. Hoje dia tomo 500mg (pese embora ache que 300mg é suficiente) e da marca que me envia na europa já está em 100 euros os mesmos 60 comprimidos, mas com a dose de 500mg cada ao invés de 125mg. Cada vez está mais barato. Mas aviso quem investigar ou for à Amazon que consegue comprar até por 30 euros… mas todo o NMN é manufaturado na China e... pois.

Já vai longo o post, por isso paro por aqui. 
Próximo post que escreverei, quando o fizer, será sobre o FISETIN, que foi na verdade a ultima adição ao protocolo. Sabia que outros dos factores para permitir certos genes de se exprimir como jovens eram livrar-me de células senescente, células zombie, e por isso levei algum tempo a perceber qual o senoliticio que resultaria.

Nota: Não tento convencer ninguém, não vendo nada, nem aconselho sequer qualquer pessoa a fazer seja o que for. Somente relato a minha experiência pessoal, algo que gostaria de ter feito antes porque devo ter sido das primeiras (primeira?) pessoa em Portugal a faze-lo.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Presidente "Cheat Sheet"

por Olympus Mons, em 04.07.21

Por falar no personagem no post anterior, alguém tem a mais pequenas das dúvidas que por uma fração disto Trump era notícia mundo fora? - Ele faz coisas destas todos os dias! Mesmo com teleponto ele todos os dias faz check-out mental e volta 10 segundos depois.
A não ser nos países totalitaristas como a Coreia do Norte ou versões soft do mesmo como a Venezuela onde se vê algo assim? - Uma rede global (Jornalismo) que obedece cegamente aos nódulos centrais da rede e não desvia um milímetro que seja. Inacreditável. Ao que chegou o Jornalismo. Quando terá morrido? Será identificável o momento exato em que aconteceu?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Heat dome...

por Olympus Mons, em 04.07.21

Quem esta semana não viu ou ouviu sobre a onda de calor no oeste norte dos EUA e Canadá. Um fenómeno atmosférico e não climático. O “Heat Dome” é um fenómeno atmosférico que não tem nada de climático e muito menos com global warming pela emissão de CO2, aliás, bem mais tem a ver com processos que levam ao El-nino/La-Nina do que qualquer outra coisa. E malucos, malucos, mas ainda ninguém ligou estes fenómenos de impacto global ao CO2. Ainda, lá chegaremos um dia.

Mas não só ouvindo as notícias em Portugal como ouvindo o novo pateta-Mor Joe Biden:

Capture biden xxx.PNG

““As climate change induces extreme weather events more and more frequently, we need to make investments to build a more resilient grid,” Biden said… In a sarcastic jab at some Republicans who deny that humans have caused climate change, Biden added: “Don’t worry, there’s no global warming. It only exists as a figment of our imagination.””

Já encaro isto com alguma piada o modo este assunto é tratado. Quando os presidentes, mesmo aqueles que já estão para lá do declínio cognitivo e para ser honesto a entrar na demência pura, dizem coisas destas e são imitados por todo o tipo de gente que devia ter mais juízo não deixa de ser uma forma de loucura viral (meme) que atingiu o mundo.

 

E sabemos que pode ser assim porque, como já expliquei inúmeras vezes, tudo isto é o Kayfabe do momento e quando eles, porque existe pessoas na cúpula destas redes, decidirem que este kayfabe das alterações climáticas for para acabar, ele acabará em menos de 1 ano.
Por exemplo esta pandemia mostrou quão fácil é. Usar máscaras é uma patetice e 2 meses depois não usar máscara dá uma multa para não dizer dar prisão.  O mundo está prontinho para todo o tipo de kayfabe a la wrestling.

Entretanto no mundo real… vejam as Heat waves nos últimos 110 anos.

Já percebem porque por norma os records são apresentados como dos últimos 80 anos? - Os anos 30 do século passado foram do camandro.  Sejam vagas de calor, secas, desgelo das calotes,  fogos, áreas ardidas, tanta coisa. - E nada teve a ver com CO2, pois não?

Teve piada ver o perito em alterações climáticas que a TVI convidou a contorcer-se para conseguir associar estes fenómeno da heat dome nos EUA às alterações climáticas… quando ele disse …os peritos não gostam de associar fenómenos atmosféricos às alterações climáticas (ui, ui, já não voltas a ser convidado)…argh, er… mas temos que concordar que já começa a ser muitas coincidências. – Grande perito, muito científico, realmente.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

cidadãos de segunda

por Olympus Mons, em 01.07.21

https://twitter.com/i/status/1409539548762316805

Capture black teacher.PNG

Por vezes há momentos da mais pura candura e clareza. - Estes professores negros a falar sobre educação de jovens negros nos EUA e a razão pela qual eles têm tanta dificuldade em ter sucesso académico, alegando que as pessoas de raça negra têm dificuldades de raciocínio analítico.

Concordo quando ela explica que pessoas de raça negra tem que contextualizar tudo e sentem dificuldade em analisar em segmentados isolados, que por natureza são despidos de tudo o que é considerado supérfluo e acessório para o cerne que está em análise.
Trabalho com pessoas de raça negra e considero isso normal. Na verdade para a esmagadora maioria de atividades não tem problema que assim seja.  Pode não ser a fórmula mais eficaz mas não é no essencial um impedimento a nada.    

Agora imaginem  que aquilo que os professores descrevem como uma realidade observada por eles, uma realidade empírica mas por outro lado, pelo menos nos EUA, estamos  perante uma quantidade de pessoas com problemas psiquiátricos, chamados de jovens brancos liberals, que se juntaram com ubíqua abundância de pessoas de raças, etnicidades e backgrounds cheios de diversity a invadir todos os empregos do estado, todos a trabalharem em conjunto para fingir que aquilo que os professores negros acima descrevem não existe e como alternativa vamos todos fingir que a verdadeira razão é racismo. Ainda por cima sistémico. Não só sistémico como de uma formulação que nunca conseguem dar exemplos nem mostrar por factos, mas que na cabeça deles está lá. Aliás está mesmo lá mas na cabeça deles.

E no século XXI existe espaço, e muito, para ter em conta que traits aplicados a grupo populacionais não se poderá aplicar diretamente aos indivíduos porque, novamente o digo, existe imenso espaço para que as pessoas individualmente tenham todos as aptidões do mundo independente da cor da sua pele, etnicidade ou cultura.  - Tudo isto é uma bell curve  logo nos extremos existem pessoas de raça negra que tem uma mente surpreendente analítica porque estão no extremo da curva de bell da sua raça naquele tópico. Imensas! E o mundo está cheio de mecanismos para permitir que essas pessoas se realizem.
Contudo não esperem ver uma empresa de sucesso cheia de programadores de raça negra. – não vai acontecer. Já aqui escrevi que a google gastou milhões sobre milhões a fazer scouting, treino individual e promoção na universidade para nunca conseguir que esses jovens promissores conseguissem mais que uma nota de 2 na sua escala de 1 a 5 (google só contrata 5). Isto é uma realidade.
Como se sentirá um jovem negro que tem que estar inserido num sistema educacional que considera as suas dificuldades como nada mais nada menos do que racismo do mais puro e dessa forma nem é matéria a ser considerada a perceção que grupos populacionais tem aptidões diferentes? -  Quando esse jovem negro chega ao mundo de trabalho e é tratado mais como um token do que como um par que esperam que aconteça a médio prazo?

Esta “grande experiencia americana” não pode passar para o lado de cá do Atlantico até compreendermos os resultados. Tudo que foi produzido em ciência sobre isso diz-nos que vai resultar no desastre de proporções bíblicas.  Até porque, obviamente, o próximo passo será que os brancos de classe média norte-americana irão acabar por adotar esta identity politics….Ninguém espera que a sua nação os trate como cidadãos de segunda e eles fiquem quietos pois não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sah Quah, o escravo índio

por Olympus Mons, em 30.06.21

Capture indian slave.PNG

São destas coisas que convém ir criando conteúdos digitais porque não tarda muito, pouco ou nada restará da realidade para podermos aceder nos googles e youtubes desta vida.

Sim, este imagem é de uma ação levada a tribunal em 1886, 20 anos após o fim da guerra civil americana que acabou com a escravatura nos EUA. … acabou com a escravatura branca sobre população negra, porque na verdade a escravatura dos outros todos continuou por muito e bom tempo.

Sah Quah, 20 anos após o fim da referida guerra ainda era escravo e seu caso foi levado a tribunal em 1886 porque os seus donos índios do Alasca defendiam o direito a mantê-lo como escravo porque essas eram as práticas ancestrais do seu povo.
E por isso em tribunal defendiam:

by their own rules and customs ; that the buying, selling, and holding of slaves is one of the rules and customs of their race and tribe; that the civil authorities have no jurisdiction over them; and impliedly asserting that Alaska is Indian country, and that they as inhabitants are subject to no law, save the usages and customs of Indians.

Num mundo que nos vai tentar convencer que a escravatura, apesar de vir do calcolitico, foi invenção maléfica dos Europeus convém manter alguma memória do que verdadeiramente aconteceu no mundo real.
A maior batalha das próximas décadas será contra a aversão natural que esta nova esquerda dominadora tem em ouvir o que não se enquadra na sua narrativa que não é kayfabe porque não tem a noção que é falso (ao contrário do kayfabe).  Esta esquerda que acaba com amizades por razões políticas, que persegue e despede, que denigre e destrói reputações só poderá ser vencida por uma incessante e aleolian erosão abrasiva da narrativa deles pelos factos.  Pelos tais factos que dont care about your feelings.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Allez Opi Omi

por Olympus Mons, em 29.06.21

Capture tour.PNG

Esta é a mesma gente que adere ao Antifah! Que manifesta com cartazes do BLM e que enfrenta a polícia nas ruas. É a geração sem consequências. A geração que acha que pode atirar coisas á polícia, que pode partir coisas e provocar a queda de atletas em cadeia porque nada tem consequências. A única coisa que existe para aquela jovem ali é ela própria e tudo aquilo não passava de uma oportunidade de mandar uma mensagem aos avós. O mundo é um palco desta crianças, seja qual a idade que ela tiver.

Esta maralha não reconhece instituições! Tudo o que sustenta o mundo, os alicerces, para esta gente é irrelevante porque vivem numa bolha inacreditavelmente ampla. Eles nem  tem que olhar para o lado de fora das bolhas porque esta é tão vasta, tão vasta, que está para além do horizonte... E o Tour-de-France, e o espaço dedicado aos atletas, é uma instituição.

Quem mais se está a cansar?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por falar em acidentes.

por Olympus Mons, em 28.06.21

Esta coisas são fascinantes.  O início dos protestos pela morte de George Floyd levou a uma explosão de acidentes de viação com fatalidades de pessoas de raça negra. A peculiaridade de uma explosão de manifestações urbanas no essencial organizadas por jovens mulheres de raça branca leva ao um aumento tremendo de mortes de negros. – Isto só visto assim em números para acreditar.  

 

 

Nota: Nos EUA, o numero de assassinatos também saltou de 35/dia para 50/dia e mantém esse número em 2021 mas com a agravante que agora todos os dias há vídeos de verdadeiros shot-outs entre jovens de minorias (essencialmente negros) nas maiores cidades dos EUA. 

Capture diblasio.PNG

 

Em Nova York aquilo parece o Old Wild West por estes dias com o Mayor, o grande Mayor Bill Di Blasio, o Mayor amigo das minorias e casado com uma senhora de raça negra, a curti-la assim em férias e ainda a fazer comentários sobre o histerismo que há com esse aumento de assassinatos no meio da rua na sua cidade.

Temos que concordar e há que admirar essa parte do esquerdismo e dos esquerdalhoides - Desde que não lhes toque a eles, a realidade será sempre aquela que lhes convir no momento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Urheimat

por Olympus Mons, em 28.06.21

Convém, porque ao longo do tempo isto vai ser importante para perceber o epílogo da velha América.
E, se calhar, o fim da velha América vai ser uma coisa boa significando o nascimento de uma América nova que vai ensinar algo de novo ao mundo.
Pelo meu lado espero sentado, com um balde de pipocas e atribuindo uma probabilidade de  5% disso se transformar realidade. - 
Os 95% atribuo à realização, à consumação, dos capítulos uns atrás dos outros desse grande livro How to fuck up…” por Olympus Mons.

Este mapa demonstra bem aquilo que já referi em diversos posts anteriores que é que a América foi construída por alemães. A América era germânica. Este azul clarinho, essa mancha dominadora no mapa, representa a América onde a ancestralidade germânica ainda é dominante. E para dizer a verdade chegou a ser a América praticamente toda.
Ainda nos dias de hoje 17% da população americana tem ancestralidade Germânica. Isto comparado com 8% inglesa e 9% irlandesa.
Quando junta os Svensk-amerikaner Suecos e Noruegueses que se juntam aos Evangelical Lutheran Church in America percebemos melhor esse substrato que construiu a américa do “honest days work” acima de tudo. É daqui que vem a religiosidade, a rule of law e o protestantismo laboral, a moralidade como responsabilidade pessoal e austeridade como forma de viver a vida. Isto é a ‘merica!

Como os irlandeses se concentraram para os lados da Califórnia acabaram por dominar o mediatismo de Hollywood e por isso ficámos todos com essa imagem dos cowboys de ancestralidade inglesa e irlandesa quando na verdade eram os alemães que dominaram e acima de tudo construíram a superpotência EUA.

Foi a multiculturalidade, a perca da homogeneidade dos 90% que levou os EUA ao sítio a que chegou agora. Estava nos livros e foi opção tomada. Por isso paga o preço. -  100 milhões de pessoas em 30 anos, acrescentar 1/3 de outro stock de pessoas à sua população, tem este efeito. 40% da população também quer o seu naco de carne, também quer a sua identidade representada no estado, na cultura e na nação. Dois corpos sólidos não podem ocupar o mesmo espaço. -Só partindo tudo.

A nova américa será construída agora, após ser arruinada e quebrada em pedaços pequeninos nesta segunda vaga do hippieism sob a forma bem mais nefária do Wokism.  Uma américa contra tudo o que aquela América de cima foi, uma América que rejeita de vez e totalmente o seu europeísmo branco, uma américa cheia de ódio aos criadores disto tudo: um Homem Velho Branco Europeu.

Curioso como foram estes HVBE que criaram uma geração em que não há adultos em casa, um mundo em que cada vez que cada um deles abre a boca, e eles estão agora a chegar a todo lado, só dá vontade de perguntar e “…e onde está a tua mamã? Está algum adulto em casa?”. 

E não tem que ser assim em todo o lado. Europa não é os EUA. Mantém ainda a sua identidade e homogeneidade. Não tem que imitar os EUA! 
 Resta-me a esperança que pelo menos a Europa consiga manter intacta a sua identidade dentro do possível apesar da tentativa de um esquerdismo cheio de “Need fo chaos” que, tal como na américa, anseia pelo seu suicídio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

RAP ou C_RAP?

por Olympus Mons, em 27.06.21

O "Ó RAP cut the cRAP!" 

Não ia falar mais do assunto, mas aterrei em Lisboa ontem e quando chego a casa estava a dar o programa Governo sombra com Ricardo Araujo Pereira e na altura o tema era esse.

Capture RAP2.PNG

 RAP, o conhecido multimilionário COMUNISTA filho de um piloto da TAP (>12 mil euros mês) e de uma assistente de bordo (>5 mil euros mês) da TAP que como a maioria desta esquerda burguesa bebedora de Château Latours  ao copo está na cara que seriam as pessoas ideais para representar ideologias defensoras dos trabalhadores desfavorecidos.  Sim, as pessoas são estúpidas por natureza mas acima de tudo por opção.

Mas, dizia eu, ao ver o programa RAP ao falar da questão da nova legislação húngara dizia, a gozar, que “todos já fomos ao supermercado e não queríamos determinado produto mas como estava em promoção acabámos por trazer…” , a ideia seria que obviamente no caso dos homossexuais ao contrário das marcas nos supermercados, ninguém é convencido a tornar-se homossexual … o que é verdade. Mas esta gente olimpicamente ignora qual o segmento da população que esta legislação quer proteger, não é?
Podemos todos concordar ou discordar mas acima de tudo o que fica é estas tangas tipo cortinas de fumo que meramente alimentam as pessoas que as ouvem ou vêm com longas linhas de pura cocaina moral.  - Ninguém discute sequer qual o substrato pois não?

Como explico nos meus posts sobre o assunto, realmente ninguém 100% homossexual se deixa convencer a deixar de o ser, mas 4 vezes mais pessoa são “confusas” ou “indefinidas” na adolescência e estas no essencial acabam por crescer e tornar-se Heterossexual para o resto da vida. Destas pessoas as que não se tornam hétero são incrivelmente mais infelizes e doentes, com maior consumos, depressões, etc. E como pode voltar a ver aqui em baixo, não tem nada a ver com descriminação! Que descriminação é que existe realmente hoje em dia?Capture happy 3.PNG

Por isso sim! Sim! – pode-se fazer o argumento que promover conteúdos homossexuais ou bissexuais na infância ou adolescência é detrimental para a saúde psicológica dessas crianças e jovens, se não até dolosa, porque é comprovado que pessoas homossexuais ou “sexualmente confusas” são mais infelizes e com mais doenças psiquiátricas. – Assim, como não? Como não se pode fazer o argumento que promover em conteúdos essas circunstâncias é quiçá até criminoso? 

Também já fiz este argumento no passado. Promover estes comportamentos irá, como já está a acontecer, o número de pessoas que irão experimentar comportamentos homo e bissexuais resultando, portanto, por um lado num mercado sexual com maior oferta para os homossexuais mas por outro também num explodir de pessoas com dificuldades psiquiátricas.  E se com a primeira não tenho problemas, pois acredito que o que não falta é idiotas á procura da sua infelicidade e como tal deve ser providenciado o produto seja em que forma for, já com a segunda tenho problemas porque tenho zero paciência para maluquinhos e, como parece ser o caso, especialmente para o mar de maluquinhas miseravelmente infelizes que por aí vem.

Pois, nesta conversa que entusiasma as ordes , que viesse de lá os argumentos em contrário e veríamos ao fim quem está mais perto da realidade! Mas vou esperar sentado porque o que oiço é só tangas, kayfabes e choros e soluços morais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cut the Crap!

por Olympus Mons, em 25.06.21

Capture Orban.PNG

Tenho tentado manter-me longe desta polémica da nova legislação húngara relativo à comunidade LGTBQ.  Sendo que muito antes dos novos profetas woke já eu defendia que estas variantes comportamentais eram comuns no espaço e no tempo, em todas as eras, logo cut the crap e aceitem.

Mas o cut the crap funciona para os dois lados!

Recapitulando:  Nas populações humanas (pelo menos no ocidente) tal como existe 95% de Heterossexuais também existe 1% da população que é persistentemente no tempo homossexual. Aos 15, aos 20 , aos 25 e aos 35 anos.  1% - cut the crap!

Savin-WilliamsJoynerRieger2012  - Entre 1% e 95 que sobra? - Sobra 4% da população que aos 15 anos de idade está confusa.
 Existe 4 vezes mais de “confusos” do que homossexuais.  Se considerar unicamente o sexo feminino este valor é ainda maior (6% a 8%).

Basta verificar os posts abaixo que tenho sobre o assunto e sobre os estudos de referência que existe.

Mas confusos porquê? - Porque este grupo de 4% da população ocidental (mundial?), se é verdade que na wave1 (jovens aos 15 anos) assumem-se não como hétero, mas sim como essencialmente Hétero e Bissexuais quando crescem e chegam à wave4 (30 anos de idade) a esmagadora maioria assume-se como Heterossexual.  No sexo feminino é menos vincado, mas mesmo assim como essencialmente heterossexual e 100% heterossexual.

Capture happy.PNG

O segundo vetor desta conversa tem a ver com o facto de os estudos sobre estas pessoas ou sobre os homossexuais demonstra que essa confusão sobre a sexualidade não é conducente a mais felicidade. Na verdade, estas pessoas são manifestamente mais infelizes do que a norma. Assim o demonstra por exemplo esta imagem de Verbakel et al. Certo? – bem mais infelizes com ou sem discriminação!  - 

Ou que estas pessoas estão em maior risco de doenças psiquiátricas.  De T G Sandfort et al "Conclusion: The findings support the assumption that people with same-sex sexual behavior are at greater risk for psychiatric disorders...."

Então, cut the crap

O cut the crap, então, é porque se um país como a Hungria decide criar uma lei que proíbe a promoção de LGBTQ nas escolas e em conteúdos para menores de 18 anos não é uma aberração! É uma aferição do melhor para a saúde publica do seu país com a qual eu posso discordar não tenho forma de considerar, irracional, mal intencionada ou maliciosa! – Fuck you!  No mínimo tenham a decência de discutir com eles nos méritos dos argumentos deles e não fazer esta porcaria emocional e fascistoide que eu, pessoalmente já não consigo tolerar.

Nota: Estando fora a trabalhar sobra pouco tempo para escrever textos. Gostaria de elaborar e refinar um pouco mais, mas profissionalmente nesta altura não consigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem diria

por Olympus Mons, em 24.06.21

Capture 25graus.PNG

 

O climate change, as alterações climáticas é muito isto. - Governo suíço vai começar a fazer heat warnings quando a temperatura excede os 25 graus.
Como nem dentro de 300 anos você vai (iria, iria) ver qualquer impacto na temperatura que seja verificável na sua perceção sequer da temperatura ambiente, tal como é feito em tantas coisas hoje em dia, passa-se para a criação da perceção fazendo gaslighting, fazendo truques orwellianos do 1984 que, para grande consternação da minha parte, as pessoas papam, adoram e ainda pedem por mais.
Quem diria, quem diria que seria assim tão fácil.

Nota mental para mim: Como cada vez nascem mais atrasados mentais, perceber porque raio não és milionário.  Eles estão a pedir a toda a hora para serem papados. Aliás nascem para isso.

Como esta imagem acima.
Por muito que algumas, poucas, pessoas tentem pedir para que não se chame ao
RCP8.5 de Business as usual porque na verdade é um cenário praticamente impossível de reproduzir na realidade e acima de tudo um pathway que está impossivelmente longe de ser o caminho que a humanidade tem, os maluquinhos ganharam a batalha e como tal a verdade é o que os ministérios da verdade dizem ser a realidade. Não interessa a física, a biologia, a química… nada bate qualquer tanga que esta gente decida colocar aí para você consumir. Nada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Chega com 10%

por Olympus Mons, em 23.06.21

Capture sondagem.PNG

No comment!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs