Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Não é inocente…

por Olympus Mons, em 30.11.20

Este senhor é o Director do Observador. E temo que este jornal vá pelo mesmo caminho que o semanário SOL.  Outra das tentativas do clube PSD de criar uma imprensa que rivalize com a imprensa do clube PS. Ao Final do dia, tudo socialistas por aí abaixo e, também por norma, acaba mal para que tenta. O clube PS é, ao fim e ao cabo, o Dono disto tudo. - Espero ser a última vez que uso a cara do senhor seja para o que for, e mais uma vez, novamente devido a mais um o Bom, o Mau e o Vilão.

 

O que nos traz a ele (outra vez):
O Partido extremista do André Ventura, o CHEGA, propõe coisas estranhíssimas para esta gente, que são lei há muitos anos em países como Espanha ou Bélgica, que estão em proposta de lei em países como a França e na verdade prática em sítios como, entre outros, o País de Gales ou mesmo em pelo menos 7 estados dos Estados Unidos. Para não falar em 90% do resto do planeta. Experimente lá filmar a polícia em ação por esse mundo fora a ver o que lhe acontece.

Mas para Miguel Pinheiro, o problema é que a proposta de lei, que pelo que percebi ele não leu (nem eu) diz especialmente “se grupos étnicos ou raciais minoritários”. Não sabendo se isso está na proposta de lei ou não (mas tenho dúvidas que esteja lá nessa formulação!), na proposta de lei francesa também está claramente no espírito da lei essa prevenção de utilização para instigar tensões sociais e raciais no país.  Foi isso que André ventura terá deixado claro e ninguém precisa de ser um génio para perceber que isso é o que está no espírito de todas as leis do género.

É que a lei francesa não proíbe filmar policias, mas sim fazê-lo com a “Intenção de fazer mal”.  – Em Portugal a quase totalidade de utilização de imagens de intervenção policial tem essa intenção de promover uma narrativa da extrema esquerda em as forças policiais surgem como forças de opressão intencional de minorias étnicas. - E sim, devemos condenar a utilização de imagens de intervenções policiais para promover agendas políticas que consideram útil instigar a tensões raciais. Isto devia ser óbvio para toda a gente.

Aparentemente terá sido exatamente o que deputado do Chega terá dito que está na proposta de lei. Agora é esperar pela proposta de lei.  

Já agora e para que fique claro. O que preocupa os franceses (a imprensa, claro) é que a nova lei francesa pode ser usada pela polícia para promover a instauração de processos criminais a jornalistas que façam uma edição de imagens com o intuito de fazer as forças policiais parecer algo… (Escolha o que quiser). -  E nisto, também me parece bem a nova lei!

E lembrar toda a gente que o estado tem o monopólio da violência. E por uma boa razão. Quando não a tem, a violência generalizada é uma das moedas do dia… Suspeito que quem promove o denegrir incessante da policia sabe disto. Porque não se fala antes do tal Mamadu Bá?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A culpa da coisa.

por Olympus Mons, em 29.11.20

Convém ir lembrando...

Este senhor não tem culpa da situação do CDS.
(intenção de voto de 1-2%). 

 

A ASSUNÇÃO CRISTAS sim. Quis construir um PSD v.2.00 porque achou que era caminho para o poder, ao invés de cumprir com o seu papel que era representar no espectro político humano o conservadorismo tradicional.

 

Quando pessoas como NUNO MELO tentaram no CDS assumir o papel mais popular (populista é o BE) na defesa desses valores foram mandados calar. Ilustrativo terá sido aquele momento em que NM ensaiou uma defesa do VOX de Espanha e claramente foi mandado moderar o tom pela senhora acima mencionada.

 

E isso deu uma grande oportunidade a ANDRÉ VENTURA que a soube aproveitar.

 

 

Tudo o resto é conversa da treta.
Um sistema político é tão mais saudável quanto mais abrangente for no seu espectro. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

É daquelas coisas que me irrita.

por Olympus Mons, em 28.11.20

Glenn Greenwald: Trump's hint of peaceful White House exit negates media's 'false hysteria'

Já aqui falei de Glenn Greenwald.  Aqueles que subitamente "become of age" e reparam no que sempre foi óbvio...

Lá tal como cá, quando já ganharam (ou acham) subitamente tudo é claro.
Já em tempos falei da capacidade dos esquerdoides para dizer, verde, verde, verde, azul como sempre dissemos, o Azul...

 

Isto vindo do senhor, é de cair o queixo, tal como a referência de Andrew Cuomo ao desrespeito que a imprensa demonstra ao falar com Trump que é o presidente dos EUA.

para saborear:

"It's astonishing that the media people who tried scaring the s--- out of everyone by saying there'd be coups & civil wars are now claiming this didn't happen only because they stopped it with their tweets & columns -- instead of admitting they -- again -- spread false hysteria," the journalist reacted to Trump's remarks.

"Same way they spent 3 years screeching Mueller was coming to expose and arrest the criminal Trump/Russia ring. Then -- after Mueller closed his investigation saying he found *no evidence* to prove it & charged *nobody* with conspiring with Russia -- insisted they were right."

 

Cá, no burgo I am done. Estou pronto para o CHEGA.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um político falhado

por Olympus Mons, em 27.11.20

Capture MP1.PNG

 

Ele e o André Ventura…
Na vida ou és free rider, ou Collaborator ou Punisher nas lógicas da game theory ou social dilemmas.

A representação de um Socialista é a psicologia/atitude collaborator. - Não interessa qual o clube político (PSD) do sr. Miguel Pinheiro. Ele é um Socialista frustrado. É a pior parte da vida política portuguesa é nao percebermos que só há esquerda, porque qualquer tentativa de Direita é esmagado por esta gente acima de tudo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os "espertos" é que sabem

por Olympus Mons, em 27.11.20

tirado do Expresso online.

Capture Expresso.PNG

Por isso os experts, os cientistas é que sabem. Follow the science....correr com o Trump e "follow the science again".... Quando dá jeito!


Vamos lembrar que destas coisas estranhas, nem sempre compreensíveis, nem sempre fazendo sentido como curso de ação, nem sempre apropriadas como “informated policy” saiem frequentemente da cabeça dos espertos e cientistas?


Ora, vamos lembrar de todas as vezes que falarmos, por exemplo, de alterações climáticas, que só porque o vosso conhecimento do assunto não vos permitir contra-argumentar não quer dizer que aquilo que vocês percebem ou percecionam que os cientistas vos estão a dizer não passa de um disparate pegado.
Nomeadamente, sempre que for alguma coisa que na sua base mencione RCP8.5, ou mesmo RCP6.0 (que é algo como 80% dos estudos científicos) devíamos correr á paulada os gajos.

Ou dar um bocadinho, só um bocadinho, de tempo de antena aos que tentam contrair a mantra, a tanga, o Kayfabe?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mamadu Ba e o Mein kampf

por Olympus Mons, em 26.11.20

 

Claro que era uma metáfora. Mamadu Ba diz que “é preciso matar o homem branco, assassino, colonial e racista”

 

Um dos problemas (o outro é que aquilo é intragável em certas partes) de não se incentivar a leitura do Mein kempt é exactamente esta falta de pontos de referência: - O Hitler também tinha a “minha Luta” pela identidade germânica, tal como Mamadu Ba tem a luta pela identidade política negra. A luta do Hitler, tal como a luta do Mamadu, era para salvar a identidade, os valores, era pela declaração de sobrevivência de algo que estava a ser ameaçado, destruído, denegrido, bla, bla, bla. -  Acabou com 6 milhões de Judeus mortos fora as outras consequências com muitos mais mortos.

Para terminar, que tanto teria para escrever sobre toda esta temática: Acrescento um… cautionary tale para os Mamadu Ba deste mundo:Se os Judeus fossem 20% da população mundial como são o “homem Branco”, ao invés de 0,8% que são, nesta altura já não havia Alemanha ou alemães. Nem os primos de alemães, nem os primos dos primos, nem os primos dos primos dos primos… Por isso cuidado.

Que aquele tipo de metáfora tem tendência para acabar mal e muitas vezes para quem as faz.

Dito isto, e já agora que falamos de contexto, bardamerda para os fact checks e polígrafos que por aí grassa. Seus… Nazis?
https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/mamadou-ba-disse-que-nos-temos-e-que-matar-o-homem-branco

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

E agora?

por Olympus Mons, em 26.11.20

Trump dá perdão presidencial ao general Michael Flynn”
Escrevi sobre o caso do General Flynn aqui... (https://barradeferro.blogs.sapo.pt/o-primeiro-caso-general-michael-flynn-37690?tc=56334075162)

Ao dar o perdão presidencial Trump impediu-me de verificar se estava certo nos próximos passos que a esquerda nos EUA iria dar para fechar esta mancha na vida institucional e constitucional dos EUA.

Este assunto teria que ser fechado: ou por o Juiz arquivar o caso; ou pela ida ao supremo onde ficaria garantido que uma coisa destas não se repetirá.

Tump ao perdoar Flynn fez com que no futuro um juiz republicano se sinta no direito de fazer exactamente o mesmo:
Procurador: senhor Juiz queremos retirar a acusação e arquivar o caso.
Juiz: Mas eu acho que não e vou pedir a um amigo, em amicus curiae, que faça a acusação por vocês, ok?

WTF?!?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ainda nem um mês passou...

por Olympus Mons, em 25.11.20

A verdadeira medida da tua submissão é a forma como te enganas a ti próprio.
Ainda na senda do agora que somos poder outra vez “can’t we all get along?”

 

Andrew Cuomo o governador de Nova Iorque disse isto. Não, disse mesmo!

““The way they question President Trump at some of these press conferences is just – I’ve never heard that tone with the president,” Cuomo said.

 

 

Para acrescentar:
“Cuomo said during an interview with WAMC radio Monday that the press has taken on a “nastier tone,” which he has noticed at his press conferences and all across the nation, describing a “disrespect that never existed.”

O ponto é: Que não haja ilusões, ele estava a verdadeiramente a dizer que nem pensem em usar o tom que usaram com Trump agora com Biden. E acima de tudo nem pensem em usar esse tom comigo!

Aliás, bastou um jornalista fazer um pergunta mais direta sobre o fecho de escolas no estado para Andrew Cuomo desta forma!  Ao final do dia, os pais estavam mesmo confusos com o que ele dizia.
https://www.youtube.com/watch?v=8iwo-J-48Zo

(vejam a partir do minuto 1.01, pese embora a explicação desde o inicio seja útil.)

Se me perguntarem a mim a resposta para os republicanos será sempre : CHEGA! Give them hell!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fazem de propósito?

por Olympus Mons, em 24.11.20

Obama ganhou prémio Nobel da paz no momento em que a HRW (human rights watch) reportava aumento de 30% no número de crianças mortas por ataques de drone. Lembrar que assassinatos (por drone ou outros) só por ordem executiva direta do Presidente dos EUA.

 

Sim, esquerdoides, vocês são assim....

 

 

…. Andrew Cuomo, Governador do Estado de Nova Iorque, ganha emmy (?!?!?) por melhor performance comunicacional no Combate à COVID. No estado nos EUA com mais mortes, no estado onde responsáveis até mais tarde disseram que o Covid era como a gripe e aconselhavam pessoas a andar de metro sem medo, o Estado onde existe um problema ético-legal a ser resolvido com o modo como mandaram infetados com covid para lares de idosos para libertar camas nos hospitais (quem se lembra duma coisa dessas) ….

Nota: Video do Washington post  a dize que Covid era gripe já não se encontra no google e no site do Governo do estado de nova iorque o vídeo em questão corta exactamente antes dessa parte.   - Lindo, o fascismo é coisa linda quando é para o lado da esquerda.

Na luta pelo poder no neorrealismo é essencial que as pessoas deixem de ter proporcionalidade na razão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Onde anda o Bolsonaro do COVID?

por Olympus Mons, em 22.11.20

CaptureBrazil.PNG

 

O rácio de mortes por milhão de habitante no Brasil no último mês ronda os 2.5/3 mortos.
Em Portugal anda nos 7/8!!!

Já repararam? Já não há noticia diária do Bolsonaro? - As televisões, e a imprensa em geral, já não fala do COVID no Brasil? - As noticias eram diárias. Não havia telejornal em Portugal que não tivesse a noticia Bolsonaro assassino.

É que no momento em que Portugal saia do seu inverno e o Brasil entrava no seu inverno, Os casos no Brasil naturalmente dispararam. Seguiu-se o foró esquerdoide do Bolsonaro assassino do costume a par do Trump.

Subitamente, quando o Brasil entrou no seu Verão e a segunda vaga atingiu Portugal subitamente o Kayfabe já não joga. - Neste fascismo cultural de esquerda, já não há notícias do Bolsonaro facínora porque alguém ainda se lembraria de revelar esta rácio de 2 para 7 mortes por milhão de habitante e alguém ainda se lembraria de dizer que António Costa = Assassino.
Meramente mais um exemplo do fascismo Cultural de Esquerda.
Depois admiram-se das pessoas (pouca é verdade) dizerem CHEGA!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A Quarta

por Olympus Mons, em 21.11.20

José Manuel Fernandes (observador) escreveu….

Diz-se que a França tem a direita mais estúpida do mundo. É mentira. A direita portuguesa é pior. A começar por não perceber o essencial: convém sair da bolha e escutar o que os eleitores têm a dizer.

Eu não concordo.  Portugal não tem direita!

A ironia matou. A ironia de uma Direita que só tem sucesso se falar esquerdalhês  (logo não existe verdadeiramente) devia fazer toda a gente pensar.

Não vou escrever banalidades sobre os cânones da direita, ou catálogos de autores de referencia que uns mais outros menos já lemos. Mas meramente lembrar que direita é gostar de nós pelo que fomos, pelo que somos e pelo que queremos ser. – Os três tempos são indissociáveis. – Acreditam que alguma destas coisas é relevante para os tugas?

 

Muito devido ao 25 de Abril, com a tomada de poder pela esquerda, toda a linguagem permitida, todas a narrativas, histórias, perspetivas não fogem do Care/harm/fainess/JusticeCare/harm/fainess/JusticeCare/harm/fainess/Justice.

Nem é permitido outro tipo de língua, expressão, de qualquer pilar moral que não seja estes dois. Basta ler a linguagem jornalística, a linguagem da opinião escrita e televisiva. Quando é que ouviu, mesmo opinion makers atribuídos à direita, a falar na TV sem ser através do encapsular numa narrativa daqueles pilares morais acima mencionados e que são os únicos que a esquerda possui?  Nunca. Curiosamente nem soa bem em televisão hoje em dia.
Marques Mendes, Marcelo, Paulo Portas, etc, etc.  Falam direitês à mesa de casa mas o seu sucesso televisivo deve-se ao facto de ser fluentes em Esquerdalhês.

Mas passemos aos descritivos, aqueles que não resultam de uma prescrição universalista (não matarás, não roubarás, etc) e que só as pessoas da direita possuem (Jonathan Haidt).

Mas que resta em Portugal do que é descritivo, que bind and blind, e que nós portugueses valorizamos?  Nada! Por isso só falamos de futebol e do hedonismo do momento: Festivais de música, festivais de comida… festivais, festivais.

O Ponto é: Loyalty/betrayal , Authority/subversion,  Sanctity/degradation são coisas que cada povo à sua maneira cria, desenha e convenciona. Passa a ser o “é assim porque sim”. Sem isto não tens verdadeiramente um país, não por muito tempo.
E ao contrário dos prescritivos e universalistas estas convenções, convénios descritivos, não devem ser lavrados, tanto quanto possível, em a lei. Deve ser a lei da terra, de preferência não escrita!  - Quanto mais leis escreves mais estás a enterrar o futuro do teu país. Estranho, não é?
A direita é suposta ser a representante desse continuum passado-presente-futuro. Pelo menos deveria ser a cola. Em Portugal não é. Em Portugal não existe.

JMF escreve, “convém sair da bolha e escutar o que os eleitores têm a dizer” ? ...Em Portugal? Não o podes fazer porque passas imediatamente a populista de extrema direita. Deves é fazer leis a dizer aos eleitores o que podem dizer, o que devem pensar, o que devem ser, naturalmente desde que em esquerdalhês.

FCE - Fascismo Cultural de Esquerda.  
Este é o antigo regime que tem que acabar. Quarta república? Porque não?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O Bom o Mau e o Vilão

por Olympus Mons, em 20.11.20

O Bom

Sobre André Ventura?

....Hush Children! Hush.

 

... O Mau

Explicar a este fulano que não há pachorra para o aturar, a eles e aos idiotas do costume, provavelmente amigos dele (como Agir) …

Tão chocado que ele está com a campanha da Dodot? …. Como se tudo o que ele fizesse na vida não fosse promover a marca “eu”.  Sim, mesmo que dê um concerto gratuito está a promover e a fazer marketing da marca “eu” , se der percentagem da venda dos temas da sua autoria não o faz em segredo e sem ninguém saber o que significa que está a promover o “eu”, etc, etc.   Já, por outro lado, não vejo me lembro de nenhuma indignação quando marcas como a EDP ou BP se promovem como se fossem arautos de uma economia sem pegada de carbono… O que interessa é se está dentro do kayfabe. E a equipa de Marketing da Procter & Gamble Portugal não foi “woke enough”. 

Kayfabe:

“In professional wrestling, kayfabe /ˈkeɪfeɪb/ (also called work or worked), as a noun, is the portrayal of staged events within the industry as "real" or "true", specifically the portrayal of competition, rivalries, and relationships between participants as being genuine and not staged. The term kayfabe has evolved to also become a code word of sorts for maintaining this "reality" within the direct or indirect presence of the general public.[1]

                                              Diogo Piçarra…  estás só a aproveitar o kayfabe, és um fake.

...E o Vilão 

Já este, padece de outra doença.
Este mais a sua obsessão com o André Ventura já chateia.

Miguel Pinheiro é um Jotinha típico, embrulhado na paixão pelo PSD que encara tudo à direita e que retira votos ao PSD como uma ofensa lesa pátria… eh pá. Arranja outro hobby e assume de vez a tua vontade de ser deputado do PSD.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lembrar...

por Olympus Mons, em 20.11.20

Porque já lá está, há muito perdido no tempo, lembrar que este blog barradeferro se refere á barra de ferro que furou o cérebro do trabalhador ferroviário Phineas Cage.

Simplesmente para lembrar o caso original -  Ao destruir o VMPFC (Ventromedial prefrontal cortex) a barra de ferro que atravessou o cérebro dele transformou-o de um nice guy, trabalhador, respeitador e consciencioso em um pulha execrável. Tudo o resto estava igual. A não utilização do VMPD nos pathways preferências pelas pessoas de esquerda faz-lhes, não querendo gratuitamente ofender, globalmente exatamente o mesmo.

Convém ler as descrições das alterações da personalidade do homem para perceber que passou, fosse hoje, de um votante de direita para um votante do BE.

Autoria e outros dados (tags, etc)

COMMING OF AGE para o raio que os carregue!

por Olympus Mons, em 19.11.20

 

 

Já aqui falei do Glenn Greenwald, fundador do Intercept que representa aqueles Liberals que subitamente dá-lhes o “coming of age” e de repente já não gostam que os monstrinhos editorais e as práticas editoriais afinal também podem ter consequências para eles próprios.

https://barradeferro.blogs.sapo.pt/mil-vezes-a-culpa-que-uma-vez-vergonha-40352

 

Este tweet dele ainda há dias não deixa de ser revelador.

“None of what the press whined about regarding Trump -- mean tweets about Chuck Todd and Acosta, etc. -- were actual threats to press freedom. Obama's Espionage Act use was way worse.”

Lembrar que Obama, o belo, utilizou esta lei  para ir atrás de jornalistas da Fox, que Dinesh de souza foi preso político colocado na prisão durante um ano ( A única pessoa nos EUA a ir para a prisão por dar mais dinheiro a uma campanha do que é permitido. Ao invés de 12K deu 20K), Pessoas que doavam ao tea party passavama ter os negocios auditados pelo IRS várias vezes ao ano, etc, etc…Eu sei que vivemos no mundo do kayfabe e nesse mundo de idiotas de wrestling moral e politico, nada mais tem proporcionalidade da razão.  Nem me estou a queixar, nem é esse o meu ponto.

O meu ponto é: Não! pessoas como Greenwald não vão ter o privilégio de “ver a luz” e calmamente ir viver “ao nosso lado” para os colorado, Texas ou Alentejos desta vida.  O único arrependido que eu tolero é Dave Rubin do Rubin report e porque saltou fora muito antes dos outros e já levou porrada suficiente para 10 vidas esquerdoides.

A par com a premente necessidade de evidenciar a hipocrisia endógena da esquerda, a outra coisa que temos que deixar claro é que entendemos a mensagem de ódio e repulsa da esquerda e queremos distância sanitária destes guerreiros Esquerdoides. - Não, não podem passar a reforma junto a nós!

Já aqui escrevi sobre Eric Kaufmann, que na altura fui duro com ele, mas nos últimos 10 anos ele seguiu os factos da descoberta daquela altura e acabou a escrever livros importantíssimos como o whiteShift.

Na altura, ao trabalhar nos sensos do Reino Unido, ele descobriu que curiosamente eram as pessoas mais à esquerda as primeiras a fugir da tal diversidade que diziam gostar e a ir viver para os subúrbios brancos. Assim que a tal carrinha das mudanças com a multiculturalidade chega ao bairro onde vivem, rapidamente já não “feel it”, já estavam a precisar de alguma coisa diferente…. Era altura de fazer white flight.

Assim estão a ser estes senhores que na verdade foram os instigadores da nova onda de extrema esquerda americana que já estão a gostar das restrições impostas pelos seus modelos porque na verdade está a chegar á pele deles. No que me concerne. – Given them hell!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

o Socialista acidental

por Olympus Mons, em 18.11.20

Sérgio Sousa Pinto, o Socialista acidental.

Desde Shreiber et al que sabemos que a esquerda activa a Insula instintivamente, que a Insula dispara para a ACC (anterior Cingulate Cortext) etc, etc.
E Cameron Carter (UC Davis Imaging Research Center) mostrou como a hipocrisia segue este caminho. Carter explica que ao atuar de forma em que a bota não bata com a perdigota, ou seja gera-se dissonâncias cognitivas, a esquerda com a sua hiperatividade da insula e ACC resolve essa dissonância e segue em frente com uma pinta de deixar-nos de queixo caído. Vulgo Hipocrisia.

Isto para falar de Sérgio Sousa Pinto (esse socialista anómalo) que tenho visto ser um verdadeiro terminator por esquerdoides armados em damas da virtude. Primeiro ao Daniel Oliveira num programa da SIC há umas semanas e ontem na RTP1.

Enquanto a direita, aprendendo com este socialista, não perceber que a única, a única, forma de luta contra a esquerda que interessa, e resulta, é chamar á pedra a sua hipocrisia sempre que ela for minimamente demonstrável, vai ser sempre inefetiva. Toda a outra linha argumentativa não tem qualquer impacto.

Aqui, nesta foto, cá temos o governador da Califórnia, Gavin Newson, o estado mais Liberal dos estados Unidos, o homem que impôs das medidas mais draconinas, fechando todo o tipo de negócios e mandou toda a gente para casa, no pico desse confinamento, aqui o vemos no aniversário de um amigo num restaurante de luxo em Napa.

 

Ver o pedido de desculpa dele é importante para perceber que esta gente quando confrontada com a sua hipocrisia não sabe mesmo como reagir. 

 

O cérebro de um esquerdoide ao ser confrontado com o auto-referencial, sente verdadeiro desconforto físico. Vamos aprender esta liçao?

Autoria e outros dados (tags, etc)

O segundo caso: O Jim Acosta do futuro

por Olympus Mons, em 18.11.20

a.Consegui ver partes da conferência de imprensa de Joe Biden.
b.E voltei a ver a primeira conferência de Trump como presidente-Elect.
c.E voltei a ver algumas das conferências de imprensa de Obama.

 

A velocidade com que a imprensa voltou ao registo Obama é de abismar. A velocidade com que voltou a era das perguntas que possuem a resposta incorporada (os republicanos maus…) após a era das perguntas a Trump, desde essa primeira conferencia de imprensa,  perguntas carregadas, loaded questions, cheias de insinuações…. É de a pessoa ficar de boca aberta sem comentários.

A questão deste meu post é só esta– As regras impostas pela Casa Branca em certa altura (2019) que os jornalistas só podiam fazer uma pergunta ao presidente, que tinham a obrigação de imediatamente devolver o microfone e que o “hard pass” dado a determinado jornalistas podia ser revogado e dado depois caso a caso, foi recebido com violenta reação desses mesmos meios de comunicação.  Contudo, só ao Jornalista da Playboy/CNN foi retirado a credencial e rapidamente devolvido. Mesmo Jim Acosta não cumprindo com as regras (muitas vezes recusando-se a calar ou devolver o microfone) não foi retirado o acesso. Durante os anos seguintes os jornalistas fizeram as perguntas mais inacreditáveis a Trump, chegando a coisas como “não se arrepende de ter mentido estes anos todos”, e mesmo assim foi mantido o acesso.

 Eu prevejo que na administração Biden a remoção de “hard pass” vai acontecer, e com uma frequência, não levando a qualquer tipo de indignação pela comunidade Jornalística nos EUA.  E muitas dessas perguntas incómodas vai vir de jornalistas da extrema esquerda, tanto quando de órgãos de comunicação mais próximos dos republicanos, no entando os "main stream media" irão considerar essas ocorrências de banir jornalistas da Casa Branca  como meros detalhes do dia a dia.

Querem uma apostinha?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Political Belief

por Olympus Mons, em 16.11.20

Não é segredo que eu considero, aliás é o leitmotiv desde blog, que ser de esquerda ou de direita é essencialmente uma condição biológica.

Como tão bem demonstrado pelo estudo de Darren Schreiber et al 2013, se no nanossegundo de tomada de consciência o que dispara primeiro no teu cérebro é a INSULA és de esquerda, se for a AMYGDALA és de direita. Não há volta a dar. É assim nu e cru.

E tanto a Insula como a Amygdala possuem pathways neurológicos definidos, logo por exemplo o que define um esquerdoide é que a Insula passa a bola imediatamente para a ACC (Anterior Cingulate Cortex) e daí para o DLPFC. Os de Direita vai para o VMPFC... o resto está por aqui, algures, nos posts anteriores.

 E isso leva a este facto irrefutável de que as preferências politicas são algo que te são inatas, que tens como um sentir, um sentido, uma razão, uma forma de ver e vivenciar o mundo. Nada a fazer. É assim, nu e cru:

"Não há, na esmagadora maioria das pessoas, quaisquer ponderação elaborada, qualquer análise profunda ás politicas propostas ou evoluída conceptualização politica. O que há sim, é um sentir que o “meu tipo de pessoa” pertence àquele partido, O modo como eles daquele partido globalmente falam e descrevem o mundo é o apropriado à “minha espécie”.  - The Point of Political Belief (https://philarchive.org/archive/HANTPO-54)

Tendo em conta que isto é assim, nu e cru, convém lembrar que :

"Encouraging individuals to attribute political ideology to biology leads to decreased political prejudice, decreased political intolerance, and a perception of less political polarization. (https://psyarxiv.com/pkjh7/)

 É assim, nu e cru!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

US of balcãs

por Olympus Mons, em 14.11.20

Ainda na senda do “can’t we all get along?”

Imaginem coisas destas saídas da academia Americana, o martelanço dado aos dados.  Mas mesmo assim para quem leia o estudo está cheio de coisas destas:
Acabado de sair da prensa, publicado a 4 de Novembro.

Tribalism in America: Behavioral Experiments on Affective Polarization in the Trump Era Department of Political Science, High Point University , Cambridge University Press. (https://t.co/svRQLHmjqh?amp=1)

“…Next, we report the results of the trust and public goods experiments labeled TG and PG as shown in Figure 1. As with the dictator games, we find that Democrats and Republicans, in comparison to Independents, are more likely to trust and expect trustworthiness from a co-partisan than an opposing partisan (TG 6, 7). In the public good experiment, DEMOCRATS are less willing to invest in a public good when the group is majority Republican (PG 8A, 9A). REPUBLICANS, in contrast, appear less concerned about the partisan composition of the group when investing in public goods, and their behavior mirrors Independents more than Democrats (PG 8B, 9B). Overall, we find strong support for H1 in the dictator and trust games, and mixed support in public good contribution.”

Termina com

In our study, REPUBLICANS ARE LESS SENSITIVE TO GROUP PARTISAN DYNAMICS than Democrats, and these asymmetries should be explored further in future research.”

O nível de polarização aqui revelado aproxima os Estados Unidos do nível registrado na Bósnia e do Kosovo.
E não me venham dizer que a culpa é do Trump. A fúria, criticismo e malicia atirado contra Trump e os seus apoiantes foi fora de qualquer padrão aceitável. As coisas feitas e ditas por entidades oficiais contra a administração Trump foi algo nunca visto. O que foi feito contra pessoas ligadas a Trump foi vergonhoso.

A culpa obviamente nunca pertence só a um dos lados. Mas não há dúvidas que aqueles que fazem com que as pessoas que pensem diferente de si não possam demonstrar livremente as suas opiniões e visão do mundo são os culpados.... 80% das pessoas que votam em Trump, nem a amigos e familiares se sentem á vontade para dizer. -  Eh pá, Não me lixem - Só isto deveria dizer tudo!

“cant we all get along? “  Sim, morde aqui a ver se eu deixo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mil vezes a CULPA que uma vez VERGONHA.

por Olympus Mons, em 14.11.20

 

O último foi Mathew Yglesias (vox),

Segindo os passos de Glenn Greenwald (the Intercept), Bari Weiss (NYT), and Andrew Sullivan (new york magazine).

 

Foram estes senhores que, com as publicações que criaram (vox ou Intercept) ou ajudaram a normalizar (como Bari Weiss) a extrema esquerda Norte Americana. Como sempre acontece com a esquerda não demora muito a começar a faceta da autofagia. A esquerda não tem lealdade, a esquerda come sempre os seus porque não possui os pilares morais descritivos só os normativos, acabando por ser inevitável as noites das facas longas.

No essencial estes senhores criaram os media outlets em questão e surpreende que tão pouco depois, pela posição que ocupavam na hierarquia (tudo evolui para hierarquias), não tardou muito a serem atacados pelas suas próprias crias e criaturas e o ambiente se tornar demasiado tóxico até para eles.

Geenwald abandonou o seu próprio “intercept” porque não o deixaram sequer abordar o tema do Hunter Diden e as ligações á China e Ucrânia.

Este tema não tem novidade ou particular relevância -  O que é relevante sim é a FACILIDADE com que a Direita rapidamente estende o mão a esta gente, rapidamente os convida às suas casas, rapidamente enaltece as suas virtudes.
Esta é a diferença entre as duas partes: A esquerda não perdoa, não aceita desculpas, não aceita regeneração ou arrependimento. Porque para a esquerda não há CULPA há VERGONHA. 

 A Culpa é algo bom. A culpa é algo que se expia, é um erro cometido. A vergonha é por algo que se é, da própria natureza, e que está para alem de redenção ou salvação. A civilização ocidental e cristã criou o enfoco na culpa precisamente porque a alternativa á a vergonha que é infinitamente mais nefasta.  A esquerda regressista está aí para nos trazer ás trevas da vergonha.
80% dos votantes de Trump não se sentem( sentiam) á vontade para dizer a familiares, amigos ou em público que iriam votar em Donald Trump. Já em Biden é a percentagem oposta.
Se pedir desculpa não adianta, qual a alternativa que te resta? - “ be brave, Mf*ker”.

https://www.youtube.com/watch?v=mav2kkvakGY

Autoria e outros dados (tags, etc)

Oestriminis

por Olympus Mons, em 13.11.20

 

Não resisto a um pequeno “ranting” em homenagem ao arquiteto e ao movimento monárquico.


De um território essencialmente desabitado (Ibéria) nasceu há 5,300 anos nas margens do Guadiana, devido ao movimento de pessoas perante as alterações climáticas chamado de 5.9 Kiloyear event. Os berços de Portugal têm nomes como Mercador, Porto da carretas e Moinho de Valadares.  Assim como estes pontos arqueológicos, repletos de setas e laminas, controlavam os locais onde se passava o rio guadiana entre margens, também sítios como Paraíso e S. Pedro controlavam a passagem pelas planícies junto a redondo e Olivença impedindo o influxo de pessoas.

Há 4,000 anos (inicio da idade do Bronze), com o fim da era das fortificações, com o fim de Zambujal e Porto Torrão, vemos a chegada desta nova vaga de Bell Beakers (campaniforme) que era composto por homens com genética diferente. Seja como for estes homens (BB) que chegaram a Portugal (e na verdade na altura a dominar toda a europa) traziam a anterior genética europeia e portuguesa (neolítica e WHG) mas com a adição da componente Yamnaya, ou como hoje se prefere das estepes (Ucrania). Como em toda o resto da Europa esta gente eram filhos de um único homem L51 (R1b-M269-l23-l51) e mantiveram parte substancial da genética local (só eles procriavam praticamente com as mulheres locais) mas pela sua dominância somos todos (75% de todos os europeus) filhos deste homem que tinha nascido mil anos antes… mas que ainda não se descobriu onde (eu acho que estava na cultura Krivodol-Salcuta, desdente da Boian culture nas Balcãs).

O ponto mais relevante para a nossa identidade é simplesmente isto: A chegada destes homens à península veio na forma da mutação que nos define na ibéria. Somos por isso o neto dos senhor L51, os DF27.  DF27 nasceu há 4400 anos e conheceu os seu “filho” Z195 que tem mais ou menos o mesmo TMRCA (Time common ancestor). Ora, e este é o ponto, "todos" os espanhois são Z195, mas é quase inexistente em Portugal - Em 4000 anos as pessoas de espanha não vinham procriar em terras portuguesa. Aquela estrutura que nasceu em Mercador há 5300 anos manteve-se intacta. Não passavam para o lado de cá.

 

 

 Passado o "nevoeiro" da idade do Ferro (periodos de arrefecimento climático global são sempre sombrios para a humanidade) os registos mostram que há pouco mais de 2000 anos éramos a terra dos Túrdulos. Sim nós somos descendentes dos Lusitanos mas na verdade a melhor representação seria Turduli. Turdulli (Alentejo) Turduli bardili (setúbal)  turduli Oppidani (Lisboa), Turduli veteres (Gaia). E claro também os Lusitanos nas serras e Bracari (Braga), para lá do Douro, etc. Mas uma gente específica que até o pai de Hannibal avisou que seria melhor deixar aquelas gentes em paz e seguir para Roma e os romanos sabiam que por aqui vivia umas gentes de identidade diferente.

A criação do condado portucalense e Portugal não foi um evento alicerçado naquele momento, no espaço e tempo, como uma circunstância perante uma realidade nova, mas sim a constatação dos 4 mil anos anteriores. Foi só o reconhecimento no recrudescer de identidades políticas da identidade daqueles que viviam para lá do tempo, que ali viviam há muito, muito tempo e que eram os descendentes dos Oestremini.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Spins e memes

por Olympus Mons, em 12.11.20

 

O MUNDO DOS PATETAS

 

 


-Reagan ganhou a presidência porque tinha feito um acordo com os Iranianos para que os reféns não fossem libertados antes das eleições, que ganhou.

-George W Bush para muitos democratas não ganhou as eleições foi nomeado pelo supremo Tribunal (SCOTUS)  “selected, not elected”.

-Trump ganhou as eleições porque a América Masculina, Branca e acima de tudo Racista se uniu contra a progressista mulher Hillary Clinton. Racismo não passará!

Quer isto dizer que pelo menos há 40 anos que os democratas nos EUA não aceitam o resultado das eleições.  Daí que todos os presidentes Republicanos tenham sido alvo de caricatura que é imediatamente transformada em meme e disseminada pelo planeta.

Toda a estrutura de poder comunicacional que chega a Portugal, para dizer a verdade a toda a europa, começa nos think thanks em Washington (Brookings Institution, Center for American Progress, etc) que são de extrema esquerda (ou Liberals).  Estas organizações definem o spin e passam estas narrativas minutos depois para as redações do New York Times, Washington post, Associated Press and Reuters que por sua vez passam os memes/Spin para as BBC deste mundo que por sua vez definem na precisão os textos que são escritos nos media portugueses e são lidos pelos pivot nas TV portuguesas de forma no essencial acéfala e sem qualquer substrato crítico horas depois das instruções dos tais think Tanks.

No mundo de hoje, este processo está tão bem oleado que se concretiza em horas, não em dias!

A imprensa era uma “rede” horizontalizada no seu início e como todas as redes deixadas aos seus próprios mecanismos, como necessariamente é imposto pelas proteções todas que goza na liberdade de imprensa, vai aos poucos hierarquizando, cada vez mais, ficando com hierarquias cristalizadas e solidificadas (NYT, WasPos, AP, BBC, etc) até ao ponto de maturação. O Ponto de maturação de uma rede é o ponto em que os seus “nodes” (NYT, AP, etc) estão tão solidificados que qualquer ameaça, qualquer tentativa de criar novos nodes, é recebida com excessiva reação e até violência verbal. – Porque a verdade das redes é que têm toda a razão em ser paranoicas porque, estranhamente, basta a criação de um punhado de novos nodes para perderem imediatamente o seu poder e desmoronar.  

Dúvidam? Veja-se o poder do Twitter de um único homem-  Donald Trump.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um dos factores a observar na polarização nos EUA será a dimensão das deserções de influenciadores Republicanos e Conservadores cedendo à pressão social que se vai seguir e que já se sente.

Um dos pontos relevante é que os Democratas e esquerdoides em geral nos EUA, procuram, melhor dizendo afligem-se, pelo silêncio de algumas das personalidades republicanas que, do ponto de vista deles, já deveriam estar a secundar o “can´t we get along now?”  

 Durante dias aproveitaram uma frase de James Baker para apontar que ele, que tinha liderado a equipa de Bush na contestação de Al Gore, não achava que as situações fossem iguais (óbvio que não: um era recontagem outra é averiguação de fraude).  É importante para a esquerda que 70% dos votantes em Trump considerem que as eleições não foram livres e justas. Chateia-os que nem toda a gente alinhe pelo Kayfabe deles...

Contudo mesmo Baker, seguindo as peugadas do mitch mcconnell, Lindsey Graham, Ted Cruz, etc – vem clarificar qual a posição dele. Na entrevista de hoje deixa claro coisas como:

“Sadly, Americans too often don’t get straight information from pollsters. When this is done knowingly or intentionally, it could be considered a form of voter suppression. For weeks this fall, Americans received a daily dispatch telling them that Donald Trump was facing a loss of near-historic proportions. At the same time, we were confidently assured that Democrats would take control of the Senate and add to their lead in the House. We were also assured that the pollsters had corrected their well-noted mistakes of 2016, when they predicted that Hillary Clinton would become the 45th president.”

James A. Baker III was U.S. secretary of state (1989-92) and treasury secretary (1985-88) led presidential campaigns for Gerald Ford, Ronald Reagan and George H.W. Bush.

Ah pois é. --  The roof is on fire, the Roof is on fire, Burn Mf....!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Passado o tempo mínimo de nojo… A indústria farmacêutica anuncia todos os sucessos do mundo na produção de uma vacina contra o Sars-covid19.

President Donald Trump has signed four executive orders aimed at cutting prescription drug prices in the US.”

  Uma coincidência, de certeza. Mas como dizia o outro, não acredito em conspirações, mas também não acredito em coincidências.

 

Mas nada disto é novo.  As coisas são como são e muito pouco se pode fazer em relação a isso. O que se pode fazer é garantir que funciona para os dois lados.
As pessoas de esquerda (liberals and democrats) acham que, “prontos, agora que chegámos ao poder vamos lá voltar ao respeitinho e calar a boca”. Mas não me parece que voluntariamente isso vá acontecer nos EUA com os republicanos. Biden não é Obama com toda a simbologia que isso tinha. E isso está a enganar os Democratas nos EUA. Basta ver como a imprensa está a “prop up” Biden como fez com Obama. Não é a mesma coisa e não vai resultar.

Daí que, mais do que a eleição do Trump ou Biden nesta altura tudo se prende com as eleições dos senadores da Georgia que vão decidir quem controla o senado. Os apoiantes de Trump não vao “ver a luz esquerdoide”  e anuir à  bondade e virtude da administração Biden.  Vao sim construir os seus próprios mecanismos de resistência.

E Uma das coisas que provavelmente irá acontecer se os Republicanos continuarem a controlar o Senado será uma comissão de inquérito às farmacêuticas relativo á divulgação de informação sobre uma vacina. Nem interessa se foi intencional ou material o timing, mas vão surgir “whistle blower” a dizer que propositadamente as farmacêuticas não revelaram a informação antes do dia das eleições como vingança por Donald Trump ter tornado os preços dos medicamentos nos EUA acessíveis a toda a gente e essencialmente aos mais pobres. Sim, que a esquerdalhada ignorou.

Penso que vai haver uma resistência real e efetiva nos EUA, calma, passiva mas viciosa, que vai culminar com a reeleição de um presidente Republicano, quiçá Donald Trump, dentro de 4 anos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O primeiro caso: General Michael Flynn

por Olympus Mons, em 08.11.20

Ainda na senda do …oh, agora que estamos de volta ao poder: can’t we all get along?

Para memória futura. Tenho que tentar fazer vários posts antes das “clarificações”. É que ou muito me engano ou vai começar as exigências da “normalização” da vida politica e social Norte-Americana.

 Como tudo o que é de esquerda, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Não há princípios, há causas. Essa é a génese dos seus fascismos e totalitarismo.

Quero registrar (para poder ver depois se estava certo ou errado) antes das ocorrências. Como sabemos o nosso cérebro é muito enganador em hindsight.

O caso do Julgamento do General Flynn :
Nunca vi algo tao perto de um golpe institucional nos EUA como o caso do julgamento do quase conselheiro de Trump, General Flynn. A questão neste post não é o caso em si. - A questão é o comportamento dos democratas. Nas democracias, O poder executivo acusa, o poder Judicial julga. Não se pode ter o poder judicial a fazer as duas coisas. Algo que toda a gente concordará.

Ora, no dia em que o poder executivo decidiu que não iria acusar mais o General Flynn e pedia ao Juiz para o absolver e soltar, o Juiz em questão, Juiz Sullivan faz uma coisa inacreditável. – Recusa-se a deixar cair a acusação.  Deu-se ao luxo de fazer com que o Sistema judicial além de julgar também acusa(!).

Imediatamente a defesa do general recorre em urgência, e incrédula, para o tribunal de apelação e obviamente a decisão dos 3 juízes de serviço é dar ordem ao juiz  para cumprir de imediato com o pedido da defesa (levando o juiz uma descasca).
Como o Juiz sabe que na totalidade de juízes daquele tribunal (en bank) a maioria é democrata, pede uma decisão “en bank” (todos).  - Este tribunal en bank ao invés de manter a decisão dos 3 juízes anteriores e acabar com esta aberração refugia-se numa pequena “technicality” para não tomar a decisão antes das eleições americanas porque seria visto como a dar razão às queixas de Trump que o general tinha sido alvo de "entrapment” e mau comportamento do FBI.

A questão deste meu post é só esta: O Juiz Sullivan e os democratas ou não vão deixar sequer que este caso, este verdadeiro golpe de estado na democracia americana, suba ao Supremo tribunal porque no supremo os juízes, mesmo os juízes democratas, iriam dar uma sentença agressiva e cilindrar o Juiz Sullivan e os Juízes do tribunal de Apelação ou, por outro lado, aceitam o espancamento para que seja lavrada a decisão. -  É que, era só o que faltava agora que controlam o departamento de Justiça haja a veleidade de juizes republicanos (sim, há ferrenhos democrátas e ferrenhos Republicanos) recusar fechar casos pendentes que sejam altamente politicos e contra os Democratas. É aquela coisa da esquerda que eles podem, já os outros... Daí que o caso tenha que morrer rápido, rápido.

Eu prevejo que o caso voltará rapidamente ao tribunal do juiz Sullivan e, com um sorriso nos lábios, irá ditar a libertação do general Flynn.  

A imprensa não falou sobre o assunto, não houve gritos de revolta nem estados de alma ,pela saúde da democracia americana.

Agora que estão de volta ao poder: Oh, can’t we all get along?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aquilo que fingem não entender mesmo!

por Olympus Mons, em 07.11.20

Muito do que está errado, aquilo que faz valas comuns futuras, passa por coisas como esta capa do expresso.

<== sim, aqui mesmo, começa a bolha, a tanga, a narrativa... O keyfabe dos próximos 4 anos.

Diz alí. "O centrista que perdeu a mulher, a filha, o filho, teve um aneurisma e não desisitiu" .... oh, tão fofinho. Devemos começar a idolatrar já ou é para esperar um pouco mais? 

 

 

Joe biden, não é o homem que cheira meninas de 14 anos, que agarra inapropriadamente mulheres, que tem acusações de assédio sexual, cheio de bagagem racista, que votou todas as coisas que no essencial a esquerda hoje em dia tem como anátemas da história recente dos EUA, que diz mentiras como que foi preso a caminho de ver Mandela, que lutou ao lado do civil rights movement e ninguém o viu lá… Não.  Joe Biden é o menino de coro que singrou apesar das agruras da vida. Oh, tão fofinho.

O kayfabe inicia-se assim, como aconteceu com Clinton ou Obama.

Acabámos (e quando escrevo isto Biden ainda não é presidente) de sair de 4 anos da mais inacreditável resistência a um presidente dos EUA. Foram os 4 anos em que os democratas rasgaram discursos do estado da nação do presidente, gabavam-se de mesmo sendo liders do congresso não falar com o presidente durante mais de um ano, assim que adquiriram a maioria e controlo do congresso começaram imediatamente o processo de impeach mesmo sem provas de nada (primeiro era a Rússia, depois a Ucrânia), governadores democratas estavam á vontade para dizer que o presidente só devia visitar o seu estado com um exercito de guarda-costas, que o presidente não era bem-vindo ao seu estado, democratas eleitos chamaram todo o tipo de nomes e adjetivos ao presidente em pleno mandato .

Jornalistas,  que desde o inicio escreveram editoriais a dizer nunca permitir a normalização de Donald Trump, escreveram as maiores barbaridades sobre o presidente e quando na sua presença deram-se ao luxo de fazer todo o tipo de perguntas “loaded” e carregadas de insidiosas sugestões e até se deram ao luxo de o afrontar e chamar todo o tipo de adjetivos.

Contudo, assim que uma aproximação à sua ideologia chega ao poder passam a exigir imediatamente a normalização da vida política e social.

Cant we all get along?! – Desta vez acho que vão ter uma surpresa.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs