Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Quando dá jeito...

por Olympus Mons, em 31.03.21

Capture black health.PNG

https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMms2031080

Este também é um estudo interessante.  Primeiro pelas cambalhotas que os autores do estudo têm que dar para justificar escrever este artigo. Depois porque só é possível porque eles se autoidentificam como médicos de cor.  … Ao que isto chegou.

Uma das coisas que casais mix-race descobrem se o infortúnio lhes bater à porta e um dos filhos precisar de um transplante de órgão,  é como é quase impossível encontrar um doador.
Depois, há muito que se avisa que muitas das terapias e medicamentos que são produzidos não tem em conta as diferenças raciais. Logo, se raças não existem porque diabo se deveria ter esse cuidado, não é? – Pois. No mundo real, como a esmagadora maioria dos medicamentos são testados em Europeus a sua eficácia e efeitos secundários depois não são exatamente iguais em pessoas de outras raças. 

As raças são feitas de pequenas diferenças genéticas. Mas as pessoas esquecem que as pessoas têm 1,60m ou 1,90m por pequenas diferenças em SNPs. A expressão de dois ou três genes definem se és um gigante ou um pequenote.  A Cor branca nos caucasoides, que veio com os agricultores do neolítico que vieram da Anatólia é dada por dois genes. O gene que faz com que sejas tolerante à lactose é novamente 1 gene (!). E mais curioso é que ainda o início da idade do Bronze não se encontrava esse gene em ninguém e agora é prevalecente em todos os europeus (um grupo pequeno de homens teve os filhos todos).

Já aqui escrevi dos problemas de pessoas como David Reich de Harvard porque num dos seus livros ele escreveu que se identifica movimentos de pessoas e culturas inteiras por aparecimento de SNPS (snips) em determinado sítio e que será normal que se estude essas diferenças e o que significam pese embora ele não tenha interesse nenhum no assunto. Escreveu e quase se tramou.  O que como também expliquei na altura, é bem feito porque ele foi uma das pessoas que ajudou a enterrar James Watson, um dos descobridores do ADN, que viu toda a sua vida e carreira destruída. Prémios retirados, memberships canceladas… tudo. Tornou-se um dos primeiros e mais proeminentes casos de cancel culture e vive fechado em casa. No caso de David reich, tudo porque um dia Watson lhe perguntou quando é que vocês judeus Askanazim vão assumir que são mais inteligentes que os outros todos? – Por isto? David Reich queimou-o?

Seja como for e voltando a este artigo, já era óbvio que em muitas circunstancias as mesmas pessoas que se mostravam horrorizadas por se falar em diferenças genéticas entre raças no segundo depois estavam a vociferar porque os testes de medicamentos não tinham em conta essas diferenças entre raças.  O mundo é mesmo dos maluquinhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

De Jihadistas e Capitalistas

por Olympus Mons, em 30.03.21

Primeiro a curiosidade, só isso, de percorrer os jornais online, como o Expresso online, ou o observador, público etc. e é curioso o total desprezo dado em Portugal a esta questão dos ataques Jihadista no Norte de Moçambique.
Mas também não tenho opinião sobre se deveríamos ter uma intervenção maior naquele problema. 
A razão pela qual escrevo sobre o assunto é porque me parece estranho tendo em conta o Projeto de Gás Natural da TOTAL (ou melhor da ANANARKO) na região que não se tenha conseguido dominar completamente os grupos jihadistas. 

Primeiro também convém dizer que me parece óbvio que não é coisa simples porque usando o princípio occam razor e ao ver quem tem a ganhar com isto, os países produtores de energia no médio oriente, que o grupo jihadista deve estar bem financiado. Ok, entendo isso. Mas mesmo assim... Mas diabos, tendo em conta que se trata da ANANARKO do Texas e com a participação da TOTAL, não acredito que deixados estes colossos empresariais aos seus “mecanismos” que os grupos jihadista tivessem qualquer hipóteses. Entre Mercenários Europeus, Americanos e Sul Africanos, com participação dos Israelitas na segurança, não conseguem dominar a região?
Pois, mas temos que contar com políticos. E o que eu vejo é Almirantes moçambicanos a passear para aqui, Generais a participar para ali e pedidos a todos e por todo os lado. – Se interpreto bem o que tenho lido e visto essencialmente pela mão do Nuno Rogeiro (que não o diz assim), que verdade seja dita é o único em Portugal que alerta para o que ali vai há bem mais de um ano, o governo moçambicano quer, quer, quer. -  Quer helicópteros, quer carros blindados, dinheiro, etc só não parece querer mesmo é resolver o problema (interpretação minha).
Nem sei se estou a ser injusto, mas é a perceção que me fica.  Só registo esta nota mental porque se amanhã a TOTAL decidir mudar a base de operações para a cômoros ou Mayotte, visto que o gás é off-shore e para ser extraído do mar tenho a certeza que vai haver mais noticias nos Media Portugueses sobre a maldade dos capitalistas do que há notícias sobre a atual situação na região onde se decapita crianças e se mata indiscriminadamente.
Eu tenho pena daquela gente, já não tenho é pachorra para esta gente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

E agora?

por Olympus Mons, em 29.03.21

Não é uma forma muito correta para um post colocar um vídeo e este ser o tema todo e nada há verdadeiramente a opinar. Mas este é importante.
Também não sei quanto tempo até o Youtube eliminar este vídeo... Sim, é este o mundo em que vivemos.

Capture floyd.PNG

https://www.youtube.com/watch?v=ZRtPGEdpbZI

Não conheço outro sítio onde se consiga ver o vídeo todo, todos os quase 20 minutos, na perspetiva dos polícias que executavam a detenção do senhor George Floyd.

Nos primeiros 20 deste programa de Steven Crowder está o vídeo todo.

Vejam. E agora digam-me como se vai acusar estes polícias de assassinato em segundo grau! Ou seja do que for!

Ficam as duas questões. Como se acusa e que júri vai ter coragem de os inocentar!?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Consomes?

por Olympus Mons, em 29.03.21

Capture guterres.PNG

Lamento não ter escrito antes sobre isto mas já me tinha ocorrido.
Porque seria que não ouvia os consumidores habituais de drogas endógenas (produzida no cérebro) a verborreiar sobre a injustiça da distribuição da vacina no planeta?

A razão é muito simples. -  Eles, os pais ou avós, ainda não tinham sido vacinados. E enquanto isso não aconteceu, pessoas como António Guterres e todos, muitos que vão agora começar a opinar à frente de camaras, que vão começar a escrever artigos e até a comentar em blogs, estavam caladinhos que nem um rato. Sabemos pelos imensos estudos que ser de esquerda, ser esquerdoide, é ter um impairment nos pathways autorreferenciais ou, se preferir ser menos agressivo, uma preferência por pathways neurológicos que não são autorreferenciais por default. Contudo isso, como sabemos observando a realidade, não se aplica quando eles, os esquerdoides, estão em questao. Para isso teriam que ter sofrido um acidente ou doença que destruísse esses canais, esses caminhos, como o VMPFC ou o OFC.

 

Não sendo esse o caso, assim que levaram a sua dosezita da vacina, como Guterres e a velhada toda da ONU, agora vão começar a consumir a sua droga favorita, que é o postering , o virtue signalling, a superioridade moral.

E vamos todos observar como isto vai ser uma realidade. O importante é que até terem livrado o seu real traseiro do risco provocado pelo COVID-19 isso não foi conversa para ninguém. Mas agora que já estão a ficar livres de perigo vai vir em catadupa esta conversa que resulta tão bem nos media.

E resulta bem, como já expliquei, porque as pessoas em casa, quem vê, ouve ou lê, também recebe a sua dose da droguita pelo efeito dessa imitação dos mirror neurons. -  Sempre que ouvirem alguém na televisão a falar com virtue signalling não se esqueçam que é tudo consumo. Tudo Consumo.
Muito mais honesto era consumirem linhas de pó branco. Muito mais honesto e não tínhamos que gramar essa conversa da treta!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Inato!

por Olympus Mons, em 27.03.21

Capture simas.PNG

Tento não comentar muito a questão da pandemia. Muito do que oiço ou leio pode claramente enquadrar-se num perfil de “falo para não estar calado”. Eu acho que na pandemia foi usado uma reação humana a eventos similares, logo não tenho muito a reclamar. É calar a boca e continuar a andar.

Uma coisa é notar que a observação do fenómeno, que é novo, e como está cravejado de inconsistência como a Suécia versus os outros, ou estados como a Flórida e a Califórnia em que abordagens algo (não tanto como as pessoas pensam) levaram a resultados similares. Contudo muito do que oiço depois não me parece enriquecido com o thought process de se fosse eu a decidir teria feito assim. É mais notar inconsistências na abordagem a um evento, que sendo inusitado no modo como nos surpreendeu, não me espanta algumas incoerências.

 Por outro lado, tenho a perfeita noção que o que trouxe os humanos até este ponto, em vias de se transformar numa espécie multi-planetaria, tem muito a ver com alguma overreaction que a nossa espécie tem para reagir aos eventos, juntamente com uma inação na concretização e de alguma forma o paradoxo parece resultar em algum equilíbrio que é funcional.

No entanto uma coisa diferente são as decisões efetivas no terreno como esta que o Pedro Simas aqui faz.
Não consigo perceber como o filho do meu amigo, de 22 anos, já foi vacinado porque está nas AEC numa Escola.  Nunca ninguém me disse, que eu me lembre, que os professores eram super-spreaders do vírus.  E se não são, como se justifica que se gaste vacinas tao preciosas para salvar pessoas acima dos 65 anos, num miúdo de 22 anos?

Por mim, está tudo bem, exceto quando deparo com pessoas como o Pedro Simas que nos dizem que aquilo que é um mero raciocínio lógico, que professores abaixo dos 60 anos não deveriam ser prioritários na vacinação, afinal faz sentido até para um Virologista.

Será que estas coisas, esta estupidez inata, ocorre também nos outros países?  Quais?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Da senda...entretanto no mundo real!

por Olympus Mons, em 26.03.21

"Make no mistake. The tragedy unfolding in Australia is climate change-based,"  - Russel Crowe

O céu está a cair, o céu está a cair!

Muitas pessoas não tem bem noção da realidade alternativa que a esquerdalhada conseguiu construir. Não sendo de estranhar, visto bastar olhar para a realidade alternativa que são sítios como a Coreia do Norte ou era a china ou União Soviética. A realidade deixa de existir.

Capture burn australia.PNG

Em Janeiro de 2020, Russle Crowe um Actor premiado nos Golden Globes faz um discurso, daqueles que só artista encharcado em o que quer que faça deles artistas, a falar na catástrofe e fim do mundo concretizado nos incêndios florestais da Austrália e que as alterações climáticas são obviamente responsáveis.  – “Australia ablaze” foi o cognome da época 2019/2020. -  Obviamente.

Se reparem nesta imagem, podem ver aquela bolinha vermelha. Pois. 2019/2020 foi dos anos com menos área ardida na Austrália.
Já aqui escrevi que por norma começa tudo a gritar fim do mundo pelas alterações climáticas sempre que a área ardida na Austrália ultrapassa certa valor, 20 milhões, mas que o record de área ardida na austrália até é no ano de 1974 com 120 milhões!

Mas o que este gráfico nos mostra é que no século passado por norma era 10% da australia que ardia, este século baixou para 6% e no ano em tudo ardeu (as casas de férias deles) na verdade foi…4%!

You can’t make this shit up!

E se por acaso acha que isso é lá na austrália… delicie-se com o Sul da Europa onde o nosso governo quando lhes dá jeito também vem com a lenga-lenga das alterações climáticas.

Capture burn less.PNG

No Sul da europa passou, de 1980 até 2019, de 600 m HA para 300 m HA! Para metade!

E se repararem na Europa toda, também o número tem vindo a descer. 

Mas isto é no mundo real. No mundo lala land que a esquerdalhada nos atirou... podes dizer o que quiseres, afirmar a realidade alternativa que quiseres. O pessoal papa qualquer tanga.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Mister feis

por Olympus Mons, em 25.03.21

Capture mister feis.PNG

Mister Feis... Quem conhece o nome? Ninguém.
No entanto o assassino da escola de Parkland, Nikolas Cruz  é uma celebridade cujos detalhes mais intimos são públicos e alvo de todo o tipo de reportagem e marketing.

Aaron Feis é o treinador da escola que salvou incontáveis vidas de miúdos naquele dia. Ninguém quis ou quer saber. Ninguém gives a shit. - Já nao vende!

Mas já nao vende o quê? - Notícias! que mais seria. 

 

Capture shooter.PNG

e no entanto deste shooter vamos saber tudo. Dentro de uma semana, se não já amanhã, já ninguém se lembrará o nome do polícia que morreu ao tentar salvar pessoas que estavam a ser alvejadas, mas deste pulha vamos dar-lhe tudo, tudo o que ele sempre quis.

Estão a ver, é que assassinos em série destes já houve muitos e já sabemos muito, muito sobre o que os motiva. - Todos eles sabem que a imprensa lhes vai dar aquilo que eles procuram. Celebridade. 

Sabemos que são Narcissistas cheios de frustrações e que ao fazer o que fazem os media vão dar-lhe toda a atenção do mundo e as elites que eles observam, desde o presidente dos EUA até comentadores de televisão, estrelas de cinema e a sua comunidade irão falar sobre ele. - Que mais poderá querer alguém com NPD (narcissistic personality disorder).
Sabemos que bastaria nunca dizer o nome deles, nunca falar sobre as motivações e quem eram no mundo real para que a motivação para estes ataques terminassem. Pelo menos assim nos garante quem estuda estes personagens há décadas. Por isso, divirtam-se a dar notícias porque se houver copycats será responsabilidade dos media. TODA!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Onde estão as carpideiras

por Olympus Mons, em 24.03.21

According to CBS report, non-profit lawyers who conduct oversight of these migrant detention facilities have been impeded by CBP from going inside or even seeing photos of the conditions.

Donna1 (1).jpg

Chega?
Destesto repetir temas. Mas estas manchas de prata, são crianças amontoadas a tentar ficar quentes nas noites frias do texas. Onde estão as carpideiras?!
Nem acesso de Jornalistas, nem ONGs, nem ninguém que possa reportar. Estas são as fotos de um dos centros de “asilo” dos convidados do Biden à América tirada à socapa por alguém ligado ao DHS americano. -  Não dizia Joe Biden que um país com 300 milhões claro que aguentava mais uns milhões de imigrantes ilegais. – Eles ouviram e vão a caminho.
Onde está o "outrage"? onde estão carpideiras como a AOC ou a nossa Catarina? 

Mas escrevo este post porque se por vezes me assola dúvidas, nestas alturas não tenho nenhuma sobre em quem votar. O rolar de olhos do Bernardo ajuda.
A minha pequena revolta e grande desprezo vai muito especificamente para jacobinos de meia leca dos nossos media.

Ao Ricardo Costa, aos Bernados, Jose Gomes Ferreiras e Martas,
Aos Anselmos, Lurdes e Pedros, mas a tantos outros. Chiça, Mas também David Diniz, e Marias, Franciscos ou Migueis Pinheiros e filhos de quem e aquém que queriam ser.

Donna3 (2).jpg

Pois é. Detesto ter que repetir o mesmo tema em dois posts seguidos, mas aqui fica. Um mar de jornalistas no planeta. Pessoas hipersensíveis ao seu papel nas sociedades e a qualquer ofensa, que não restrição, à sua atividade. – Quando lhes dá jeito.

No mundo real, pouca diferença existe hoje em dia entre um jornalista da televisão estatal venezuelana e um jornalista português. Nos dois sítios todos sabem que melodia cantar e em que circunstâncias.

Por isso, da próxima vez que os Bernados rolarem os olhos à mencão de André Ventura, do Orban ou do Salvini, convém que alguém lhes lembre do Fascismo Cultural de Esquerda de que fazem parte.

Além que lhes lembre que existe realidade para além daquilo que o Brookings Institute ou o Center for American Progress diz que é OK reportar.  Que existe realidade para além do crivo do NYtimes e Waspos, que passa para a Associated Press e Reuters e horas depois está nos telepontos das BBCs e dos noticiários portugueses e nas caixas dos jornais online.

Na televisão internacional do regime russo, a RT news, estas imagens passam repetidamente. Tal como eu foi simples apanhar estas imagens bastando ir ao Project Veritas e lá está o dump. 
E, no entanto, até ao final do dia qualquer sweap pelos media do fascismo Cultural de esquerda tinha zero, zero sobre este assunto: Já para não falar aqui no burgo, pelo menos lá do burgo deles como BBC América, ABC, NBC, Associated Press, Reuters, todos, todos.  
- Não têm autorização do Center for American Progress? é isso?

E nós, quando dizemos CHEGA?!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nada a conversar

por Olympus Mons, em 23.03.21

Capture Imigrantes.PNG

Como chegámos aqui?  Que leva um sociedade inteira, se calhar uma civilização inteira a deixar de “pensar correctamente”? Como se consegue criar isto? existe receita?
É tão óbvio a hipocrisia que nem devo ir por aí. O que é esmagador é já nem se finge que existe alguma estrutura cognitiva a justificar isto. Isto não pode ser só pensamento politicamente motivado por parte dos jornalistas, mas tem que ser algo mais, tem que ser pobre discernimento de conhecimento e realidade.

Obama criou os campos de menores, Trump foi vilipendiado por eles existirem e acabou com eles, Biden volta a abrir estes campos e …Nada. Não se passa nada!
Estes campos com milhares, milhares milhares de menores não podem ser visitados por ninguem. Nem Jornalistas. E os Jornalistas ficam chateados? – Não. E todos conseguimos imaginar o que se passaria nos EUA e nas nossos medias se Trump fizesse algo do género.

Um Congressista democrata, porque é democrata, foi-lhe dado acesso a um destes centros e ele divulgou as fotos como a que vemos acima.  Só no centro de congressos de Dallas estão 3000 destes menores amontoados (qual COVID qual carapuça, quais 2 metros ou máscaras).
Que leva a que media como NYT, Waspo, Times, CNN, MSNBC, NBCnews, ABCnews, todos, todos os que se esganiçavam nos tempos de Trump, agora encarem isto tudo com uma naturalidade abismal?

Imagens como esta no tempo de Obama suscitavam pouca cobertura noticiosa, imagens como aquela no ínicio não existem nos media sequer neste tempo do Biden. Isto não pode ser só politicamente motivado como numa Venezuela qualquer, isto tem que ser um desejo, uma ânsia, de destruição do status quo e da vida como a conhecem. E parece-me que foi algo trabalhado. As pessoas deixaram de conseguir ter proporcionalidade na razão.

 

Já não temos mesmo nada  a conversar, pois não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ninguém gives a shit

por Olympus Mons, em 22.03.21

Capture irreveribel damage.PNG

Aqui há tempos escrevi sobre a filha de Angelina Jolie e Brad Pitt e como após todos os sinais dados às sociedades, americana e não só, como estavam a contemplar transgenderismo para a filha, a verdade é que nas fotos ela aparece cada vez mais feminina ao passar os 14 anos. Não é preciso dizer que tudo o que se deseja é felicidade à Jovem e que viva a vida o melhor que conseguir.
Ora, ainda não tive oportunidade de ler este livro (na verdade sou mais fã de papers do que de livros) mas já li o suficiente sobre as suas premissas.

E é assustador que tantas, mas tantas crianças, e com a ajuda de tantos profissionais, esteja a sujeitar-se a esta experiência social do século XXI.
também li que é “good business” para os profissionais da área mas que fazem os pais e até as próprias crianças assinar todo o tipo de assunção de responsabilidades de forma a tentar proteger-se de ações judiciais no futuro. – Quem observa estes fenómenos com mais atenção muitas vezes afirma que: quando estas crianças em adultos começarem a colocar ações em tribunal isto vai ser uma avalanche. Porque muitos dos efeitos desses puberty blockers ficam para a vida, resultando em infertilidade e outros efeitos secundários graves. veja-se o caso de Keira Bell no reino Unido e como tanta gente vai pagar caro.

Uma coisa que também convém dizer, é que : Nobody gives a shit!    

E num mundo em que cada Z e millennials acha que é uma criação única, uma singularidade do universo, não consigo antever claramente os efeitos que haverá ao descobrirem que na verdade nobody gives a shit.  E existem estudos nos estados unidos que nos dizem que o número de juvenis que se identificam como de género indefinido já é maior que o número de pessoas que se identificam como bissexuais.

Quem siga, por exemplo, os eventos após a morte de George Floyd e o escalar de assassinatos que se seguiu à revolta desse evento percebe que das cerca de mil pessoas a mais mortas até ao final de 2020 ninguém gives a shit.  -  Por isso se fores vítima de fraqueza, ou da loucura dos teus pais, ao final do dia ninguém quer verdadeiramente saber. Não verdadeiramente.

Mas se a situação acima é perfeitamente, na minha opinião, atestável como criminosa, outras é mais … difuso.

Como já aqui escrevi, 95% das pessoas é indubitavelmente heterossexual da mesma forma que 1% é sem hesitações homossexual, assim existe estes 3-4% que começam a sua identidade indefinidos mas que na esmagadora maioria acaba como essencialmente heterossexual. -  Olhando para identidade sexual após os 35 anos será algo como 97%-98% heterossexual.  também, para ser preciso, já nos estudos realizados há 30 anos se notava alguma diferença entre homens e mulheres em que estas começam a vida mais confusas ou indefinidas, mas também que têm uma trajetória para a heterossexualidade mais acentuada. Mas sabemos por exemplo que o sexo feminino se sente mais atraída por pessoas do mesmo sexo que as pessoas do sexo masculino. Mulheres que acham outras mulheres atraentes é bem mais comum que homens que acham o mesmo.

Não encontrei ainda estudos (estou à procura) que nos informem se estas pessoas são mais ou menos felizes, mais ou menos alvo de patologias, etc. Considero que a conversa da homossexualidade é uma seca  e que estas pessoas que começam a vida indefinidas e que são 3 vezes mais que os homossexuais terão que ser estudas e faladas de forma mais séria. – E porquê?

Porque tudo leva a crer que o número nesta nova, novíssima, geração que agora anda no tik-tok, vai ter números de gente não definida como Homo ou Hetero enorme, ENORME. Esta geração Z mas mais a Alpha, vai ser uma experiência de identidades, que vai negociar com o resto do mundo. Vão experimentar o mundo como as crianças pequenas que saltam de uma personagem para outra e os adultos deixam. Assim vai acontecer (está a acontecer). Não há dúvidas que com esta geração de teenagers que agora chegou e que vai ser permitido, como nas crianças até aos 5 anos, que salte duma identidade sexual para outra, experimental e fantasy play, serão uma moda nova. E todos sabemos que modas são modas.  Ao final do dia uma coisa é certo. - A percentagem incrivelmente pequena de Homossexuais terá muito mais mercado do que aconteceu até hoje. E se esse conjunto de identidades sexuais nos que vão acabar como Hetero tiver impacto psicológico, que deverá ter, Azar. – Ao final do dia, Fuck you, NOBODY GIVES A SHIT.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Robespierre_zinhos…

por Olympus Mons, em 20.03.21

Capture poetiza.PNG

Pois é. Haveria de chegar. Havíamos de chegar aqui. Nem sei se esse é o tom do artigo que faz capa, e que grande capa, mas só o facto de o ser e de levantar a questão indica que estamos a chegar aquele momento.
E qual o momento?  - Aquele em que a esquerdalhada acaba sempre por chegar. São peritos em atear fogos, mas é inevitável que alguns desses fogos, e são muitos, acabem para, nas suas perspetivas, ficar demasiado grandes.  E nessa altura, viram-se para a audiência e perguntam, “mas os fogos não é uma coisa má”?

Achar que só uma pessoa de determinada cor pode traduzir a poesia de determinada pessoa de determinada cor faz soar alarmes.  Começa a queimar muito perto das suas casas. - A seguir vai-se exigir que só pessoas de determinada cor poderá tocar determinados géneros de música porque de outra forma será apropriação cultural.  Que história é essa de bandas de Jazz sem ser de negros a atuar? Quem permite tal apropriação?
Para quem não sente fundamentações morais que são descritivas, que são supostas unir-nos a todos sem estar na lei ou sequer escritas a não ser nas representações que nos identificam como por exemplo a literatura ou folclore, o fogo só é mau quando sentem o calor na pele. E mais curioso agora que poderá chegar a profissões que lhes estão perto, como literatura, música e cinema, vão ver a velocidade com que até a nova legislação vão começar a apelar. Esperem só mais um bocado…

Isto tudo lembra-me que para muitas pessoas cancel culture é algo recente. Mas eu sigo cancel culture desde o início do século aplicado aquilo que eu acho foi a primeira vitima. Questionar as alterações climáticas.  Pielke (pai e fiho), Judith Curry, Richard Lidzen, Christy, só para mencionar alguns que questionaram não a formulação mas meramente os métodos. Estas pessoas perderam empregos, sofreram perdas de reputação tremendas e muito acabaram por se afastar e desligar completamente do assunto – E estamos a falar de pessoas que eram os pilares, eram os faróis, do estudo não da climatologia (porque era nova) mas por exemplo da meteorologia. Lindzen, no MIT, era considerado o decano dos decanos, o professor de professores, até ao dia em que abriu a boca contra as ofensas que estavam a fazer à ciência. E muita gente que hoje se horroriza com a cancel Culture, achou muito bem que se fizesse deplatform aos maldosos climate deniers, não foi?  Pois é. Era nessa altura que tinhas que ter aberto a boca porque o problema são os precedentes que é nessa altura que tem que se levantar a voz em defesa dos que até podemos discordar, mas cujo direito a ter e verbalizar a sua dita opinião é sagrado.  Qual o quinto pilar da moralidade de Haidt? – Sagrado e puro. Sim, como o direito a liberdade - De ser, interiorizar e de expressão.

Contudo com o passar do tempo, e o sucesso acima descrito a esquerdalhada foi ateando mais fogos, cada vez mais fogos e com a permeabilidade de professores nas universidades foram começando não a contestar mas a negar mesmo totalmente alguns tenets que nós tínhamos como sagrados. Tu não mudas os axiomas sem ter a certeza! E estes miudos das faculdades começaram a entrar no mercado de trabalho e não têm medo de nada. Vão ter medo do quê? - Em qualquer altura voltam para casa dos pais de classe média alta com o quartinho deles ainda todo arranjado e dinheiro para passarem weekends onde quiserem.

Pois Maximilien Robespierre, o pai do terror da revolução francesa acabou na guilhotina por não ser revolucionário suficiente não foi?

Autoria e outros dados (tags, etc)

As pontas das lanças

por Olympus Mons, em 19.03.21

Esta imagem é curiosa. Entre os muitos desvaneios que tiger woods teve na vida, aparentemente houve uma altura em que terá desenvolvido uma fixação enorme por Navy Seal, a força de elite dos marines nos EUA, e eventualmente conseguiu tirar uma foto na Virginia Beach com Seal teams, que foi esta foto acima.

Se repararem esta imagem, da elite dos guerreiros americanos, o topo do topo, o créme de la créme… é todo white males.
a percentagem de elementos que não são militares de raça branca é muito baixo. Num pais em que a população branca é de 60% é estranho que nas forças de elite, nesta e nas outras, o número de elementos que não é de raça caucasoide é muito, muito baixo.
Ser Seal ou Delta não está nas mãos de policy makers … militares. Nem de políticos.  Os elementos têm que se voluntariar, têm que aguentar o treino e depois ficam nessas forças de elite.  

Quem como eu segue várias ethnogenesis, como a africana, asiáticas e claro europeia, fica com essa perfeita sensação, e com a certeza na história, de uma qualidade guerreira nos europeus que não é muito comum nas outras partes do globo. Por alguma razão, apesar do inegável atrativo e de variadas tentativas nunca ninguém verdadeiramente conquistou a Europa após essa formulação genética que saiu da idade do bronze e se tornou homogénea nos europeus. E, sendo homogénea, não faltou claro guerras entre os primos todos. Parece ser algo que resulta muito natural no Europeu. Não que seja 100% provado nesta altura, ou até que não tenha sido uma coincidência, mas aquela componente genética Yamnaya que se juntou ao então prevalecente admix genético mais neolítico e WHG dos Europeus na idade do Bronze trouxe uma  eficácia na violência que não é muito comum noutras admix. 

Sobra, portanto, e no fim a observação, e olhando para aquela imagem acima, que este malhar incessante no Homem-Branco-Europeu é capaz de não ser a ideia mais brilhante para toda a gente que não é Homem-branco-Europeu e que vive no mesmo espaço que estes Homem-branco-Europeu, não é? Porque será que pessoas de todas as raças e culturas consideram natural, até desejável, atribuir todo o tipo de estereótipo negativo aos homens de uma raça? – Quanto tempo mais até se zangarem?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vítima duas vezes

por Olympus Mons, em 18.03.21

Sarah Everard.

Coitada da senhora. E ela não terá pedido para ser tema de nada, mas o que é facto é que é. - Ligo a televisão e tenho que levar com a narrativa do seu infortúnio gerado pelos narrative makers do momento. E estou a ficar um bocado farto de mártires on demand gerados pela esquerdalhada. Seja George Floyd ou Sarah Everard
Morrem 200 mulheres por ano assassinadas no Reino Unido das quais 20% é em lugares públicos, por isso devo assumir que toda a gente se esteve a marimbar para as 40 mulheres mortas antes da Sarah?. E que subitamente quando o suposto assassino até acaba por se um polícia desatam todos em histerismo.  Segue o kayfabe do defund the police mas como é num dos sítios do mundo onde a polícia é menos mortífera estas circunstâncias vieram a calhar. -  Aliás, estas duzentas mortes que mencionam são 1/3 das mortes, visto que as outras 600 são homens assassinados. Com estes ninguém propriamente se indigna, pois não?

Aliás, convém dizer que o número de mulheres assassinadas em locais públicos é muito raro e por estranhos ainda mais raro. A esmagadora maioria é assassinada em casa e por companheiros ou ex-companheiros. Já os homens metade são assassinados fora da residência e por ou desconhecidos ou outras pessoas que não companheiras ou ex. Só algo como 5% é morto dessa forma. Pelo menos no Reino Unido. Nos outros sítios pouca diferença fará. 

A nota fica. Toda a celeuma deve-se ao facto de o assassino ser polícia. A ausência de celeuma das outras mortes talvez se prenda com o número enorme de vezes em que o assassino é um imigrante no reino unido, ou uma minoria étnica. Esse é o outro lado de história. Aquela que não interessa. 

Esta história já interessa e os nossos telejornais aí estão no festim, porque assim mandam lá nos think tanks americanos, sem dó nem piedade.

Capture atlanta.PNG

Quaisquer que fossem as motivações deste cavalheiro, que ninguém ainda sabe, aliás nem sabem se foi ele, mas a narrativa, como devem ter visto nos nossos telejornais, é o homem branco que matou por motivos racistas. Aliás esta violência contra a comunidade asiática nos EUA é devido ao Trump dizer China virus.

Como já aqui escrevi, mais de 98% destes ataques à comunidade asiática são perpetrados por Jovens negros que são cerca de 4% da população americana e que neste grupo etário/étnico nem 1% votou em Trump.  E como também já escrevi, sigo este fenómeno desde pelo menos 2010 quando o presidente era Barak Obama.

Por exemplo na TVI24 em algo como 40 minutos vi a mesma reportagem 3 vezes.  Porque como é óbvio alguém influenciado por Trump (ninguém está iludido sobre a notícia, certo?) contra os Chineses escolhe atacar massage parlors asiáticas,  não é? Tem tudo a ver. Óbvio Óbvio... até que já ao final da noite o assassino confessou que a sua motivação é o facto de sofrer de adição sexual e considerar aqueles sítios tentações irresistíveis.

Enfim. qualquer que seja o resultado das averiguações ao ocorrido em Atlanta, Isto tudo parece um teste a la 1984, para ir verificando nas sociedades ocidentais em que ponto está a nossa capacidade de engolir todo o tipo de bullshit. Devem estar bem satisfeitos. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estupidez Pública

por Olympus Mons, em 17.03.21

 

Capture lula.PNG

tirei esta imagem ontem do jornal público e reparem que  nos "destaques" de seguida estão 3 noticias, alinhadas, numa temática perfeitamente representante do esquerdalhismo sonante, quase como uma reza, deste Diário em Portugal. Tudo no Público é esqueroide bairro alto (antes de serem corridos pelos turistas) e é marcado por aqueles ódios de estimação tão típicos enquanto envergam alternadamente t-shirts do Che (o assassino) ou de Marielle Franco a vítima (que não sei de quem).

Mas, dizia eu, com isto tudo e que dura há anos, não é que o diabo, o Bolsonaro que resta após a saida de outro, continua a bater nas sondagens tudo e todos? É só ver aqui abaixo.

Capture brasil bolsonaro.PNG

A verdadeira avalanche jornalística contra ele, tanto no estrangeiro como nacional, no meio de uma pandemia, em que aos nossos não é imputado nada que não seja laudas à competência e brilhantismo no modo como lidaram com a situação e aos outros, e outros é sempre os que os jornalistas não gostam, é imputado toda a responsabilidade por tudo o que é consequência da pandemia chinesa, e mesmo assim estes políticos mantêm ao longo dos anos uma eficácia política considerável.

Ora, o que isto nos indica é que as pessoas são mais eficientes a topar fake news do que aquilo que se possa à primeira vista considerar. Fica-me a dúvida (na verdade já existem estudos a indicar isso), se as pessoas não papam fake news por motivação política, mas sim e antes só quando enfermam de estupidez natural.  Lembro-me de ter lido um estudo que falava de wrong thinking ou algo do género.

Autoria e outros dados (tags, etc)

The roof, the roof, the roof

por Olympus Mons, em 16.03.21

Feios, porcos e … feios, mesmo feios!

Capture antifa.PNG

Esta imagem é do último libro de Andy ngo o jornalista de Portland que seguiu o grupo ANTIFA durante muito tempo até que estes o descobriram e atacaram violentamente na rua.
Desde essa altura Andy Ngo tem a cabeça a prémio e bem notou, penso que Douglas Murray, que é peculiar chegar a um país do primeiro mundo e encontrar murais nas ruas a pedir a morte de um jornalista. Pensava ele que isto só seria aceitável em ditaduras e totalitarismos mas afinal também é verdade em Portland, estado do Oregan, US of A.  – tragam as pipocas que aquilo vai ser épico.

Mas escrevo sobre isto, porque olhando para estas carinhas todas só me ocorre que  são no essencial, Millennials brancos, brancos branquelas, gente feia como podem ver, reforçando a ideia de ressabiados e frustrados, gente que se cruzarem com eles numa rua vocês não darão two fucks e um segundo da vossa vida. Esta é a gente que enferma de NFC (need for Chaos) inveja e complexos de inferioridade. Esta é a gente que quando ouvirem um debate sobre a justeza da interrupção voluntária de gravidez se devem consolar ao lembrar que se já os avós destes vermes tivessem abortado os pais deles teria sido uma bênção para a humanidade.
Mas não se iludam também – Se lá chegar, são destas carinhas asquerosas que estarão a guardar as portas das futuras Auschwitz que o mundo lamentavelmente poderá produzir. - E na entrada dirá “fascismo jamais!”  

Mas também por outro lado e se Deus quiser, chegará primeiro ou em alternativa o dia em que do lado de lá apelarão à compreensão pelos air du temps de onde esta gente está a vir, se apelará à unificação em nome do que agora abjetam e se dirá que olhar para o futuro é tudo o que interessa. – Por mim, se cá estiver, podem contar com um sonoro, The roof, the roof, the roof is on fire!  We don't need no water—Let the motherfucker burn! Burn, motherfucker, burn!   

Autoria e outros dados (tags, etc)

OOhh. Que peninha!

por Olympus Mons, em 15.03.21

https://twitter.com/i/status/1370500096761106432

Esta conversa acima vem de quem vem e por isso é de bradar aos céus.

Lembrar que com esta senhora estava tudo bem. No problemo. Republicanos e Trump, demónios e belzebu… Após o dia em que foi cancelled passou a professar a fé dos woke. Durante algum tempo serviu-a bem.  
A piada dos chinks até era bem funny… mas ela levou com o woke na fuça e passou a ser uma das vozes mais ativas de tudo o que desse jeito ao partido democrático e fosse instrumental para atacar Trump e republicanos como o asqueroso discurso contra a nomeação do Juiz Kavanough. - Agora, já  não gosta de partido democrata, nem acha que está tudo a progredir bem. Também nem uma palavra sobre a situação do seu amigo Nova Iorquino governador Andrew Cuomo. Não agora já não tem piada…ehehehe. Só dá para adorar. 

Sara Silverman tinha um humor que era caustico, mordaz e corajoso. Ela tomava riscos. Quando o partido democrático americano se tornou porta-voz do politicamente correcto e depois do woke, ela deixou de fazer piadas que ofendessem. Lembrem-se que Silverman foi a pessoa que viu uma palestra no TED interrompida porque disse uma piada sobre pessoas com síndroma de Down.

Durante os últimos anos foram inúmeras as vezes que ela mais do que uma voz foi a porta-voz do partido democrata na conquista do pateta woke. Lembro-me inúmeras vezes em que olhei com desprezo para ela com um sentimento inundante de quem te viu e quem te vê.

Ontem disse que já não tem piada.  Que já está farta.  Que já não quer ser associada ao Partido Democrata. OK.

Agora… se daqui adiante houver noticias que estás no Texas ou Florida porque “precisas de espaço”, porque precisas de “te reinventar” ou qualquer coisa do género, espero que te cuspam em cima todos os dias. É imperioso que esta gente seja obrigada a ficar na porcaria da cama que ajudaram a construir.
E isto tem que ser válido para toda a gente. Esta coisa do move along, do “o passado que fique no passado”  e temos que prosseguir em unidade...tem que acabar.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ao destino chegará.

por Olympus Mons, em 15.03.21

Não me considero racista. Claro que considerar-se e ser são duas coisas muito diferentes, mas espero cumprir com as minhas expectativas de não ser. Sendo fascinado por arqueogenética não resta muito espaço para ser racista. O que não implica não ver à frente dos olhos que diferentes SNPs nas populações humanas significam diferenças entre populações humanas. Duh!
Contudo entrámos na era dos identitários e das identidades logo não prevejo conseguir fugir deste assunto das raças e do racismo. Infelizmente.
Aliás, acho que esta conversa do racismo promovidas pelos Mamadu Ba, dos woke e das Critical race theory… muito pouco ou nada terá a ver com pessoas de raça negra e mais com desvaneios de pessoas com casos psiquiátricos sérios de NFC (need for Chaos) e perturbações de silly people, de gente que vive numa bolha de privilégios bastante especifica que muito pouco terá a ver com o resto do mundo real.   

O meu problema será outro. Tal como nos países que mais promoveram a igualdade de oportunidades entre sexos acabaram com diferenças de temperamento, sociais e profissionais muito diferenciadas entre sexos, assim irá acontecer com esta conversa do racismo sistémico.  
Lembrei-me disso, porque apanhei um voo de regresso na semana passada e quando estava no aeroporto à espera reparei na equipa de basket amadora que regressava a lisboa. Não deixei de reparar que na espera no aeroporto os elementos de raça negra da equipa se isolavam à volta de uma mesa, todos juntos. Os elementos de raça caucasiana jogavam às cartas e entre eles um ou dois eram também de raça negra. Mas ficou-me a sensação que quem se estava a segregar eram os tais elementos de raça negra e não os de raça branca a segregar seja quem for. Foi… peculiar observar.

Quem procura este assunto facilmente encontra estudos que referenciam coisas como “Self-segregation in roommate selection and at cafeteria tables is unfortunately common…”  indicando o modo como se deixados aos seus próprios mecanismos existe essa tendência para as pessoas se agruparem com base em raça. -  E também se sabe que tentar corrigir isso não é recebido por nenhuma das partes de forma pacífica.

Outro reparo é que isto não era verdade para os elementos femininos do clube que observei no aeroporto. As meninas estavam e moviam-se no aeroporto em bloco sem qualquer distinção de raça. O facto de isto ser algo muito masculino também não é irrelevante. Os humanos são desconfiados uns dos outros, nomeadamente relativo a raças, porque todos os problemas foram sempre gerados por grupos de homens a moverem-se e nunca propriamente por movimentações femininas.  Sabemos disso por exemplo pelos europeus. Seja qual terá sido o modo porque ocorreu (além das naturais alterações climáticas aqui mostradas noutros posts) a verdade é que o surgimento em massa de povoados fortificados mostra-nos que esses movimentos eram violentos, por exemplo no momento em  que os europeus ganharam a sua última componente genética (yamnaya) que terá vindo para a europa para provocar exogamia mas com homens vindos das estepes da Ucrânia e não mulheres.

Pergunto-me por fim se o resultado desta “luta esclarecida” contra o racismo que existe primeiramente nas suas, dos anti-racistas, cabeças, não irá resultar em sociedades altamente segregadas por raça, tal como aconteceu na “luta esclarecida” pela igualdade de género que resultou em sociedades socioprofissionais bem mais segregadas por género  nos países em que levaram a sua àvante. Curioso não é, que deixando as oportunidades igualem-se as pessoas vão escolher a liberdade de ser… felizes a ser o que são.

Ora, desde que toda a gente seja feliz assim e as sociedades e relacionamento entre pessoas se mantenha funcional que seja. Mas não é de todo o resultado que esta gente antecipa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Woke Boomerangs

por Olympus Mons, em 14.03.21

https://twitter.com/hahmad1996/status/1369786323293310985

Capture georgetown.PNG

Sim, acontece mesmo. Esta senhora era professora de direito da universidade de Georgetown e numa conversa privada, ou pelo menos mano a mano com outro professor, diz que todos os semestres sente uma angustia enorme, sente uma angústia, porque quando olha para o a parte inferior das sua avaliação em geral só lá estarão pessoas de raça negra.  Quem oiça no vídeo percebe que é sincera a angústia. A senhora sente-se triste por aquilo acontecer…
Por ter dito isso, numa conversa privada, foi despedida. Assim, despedida.
Mais curioso ainda, o outro professor está suspenso a aguardar decisão sobre o seu futuro, nem sequer por ter concordado, mas por ter respondido “mmmmmhhh”. Não desatou aos gritos contra ela, por isso está suspenso.

Houve alturas em que achamos que era uma brincadeira, depois que era meramente imaturidade das universidades americanas e, como ninguém estagnou isto, entrou no mundo real e agora singra. Convém também dizer que “isto” nasceu com a permissividade, nasceu com o whynot da desconstrução de algo que tinha sido construído durante séculos e em alguns pontos transportado por milénios. Destruir é sempre, sempre, muito mais fácil que contruir.

Também devo dizer que, e obviamente podendo estar errado porque não conheço a senhora, essa permissividade que mencionei, esse fingir que tudo é permitido e que não existe um natural preservar do passado porque estavam todos errados e agora é que as pessoas são mesmo inteligentes e boas (estudos provam o contrário),  terá começado com pessoas como esta professora de Direito, nas universidade americanas. E se assim foi, pois que se deite na cama. Se assim foi nem pensar em tornar esta senhora em qualquer tipo de símbolo e vitimização porque na vida devemos deitar nas camas que fazemos. Se ela a fez, há 15 anos, pois que seja. – Deitar e calar a boca.
Compreendo que a maioria das pessoas que encontro não serão punishers na sua psicologia, mas sim collaborators.  Com essas pessoas, ao falar nestes casos irão procurar qualquer argumentação (que não estou neste caso a ver qual) para normalizar o ocorrido, que terá sido um mal-entendido, ou que será exagero por parte de uma instituição especifica, etc. – Se tenho uma visão muito precisa sobre o destino que daria a estes enablers como a referida professora (se o foi) já não sei muito bem como agir contra esses collaborators que fingem sempre não estar a ver e que o que interessa mesmo é que a bola role porque o jogo até está bom para eles. 

Por último, muito destes acontecimentos referem-se a situações ligadas a racismos inventados. Deve-se alertar que, grosso modo, estes movimentos não são impulsionados por pessoas de raça negra, mas sim, e como quase sempre, por esquerdoides betinhos brancos burgueses, gordinhos e feios. Infelizes que se sentem a viver vidas miseráveis. - Lembrar que pessoas de raça negra por norma estão-se a marimbar para estas tretas. Não são eles o inimigo!

E se acha que é coisa de americanada, mesmo depois da questão do presidente do tribunal constitucional:

Capture Nova.PNG

gostava de saber algumas das outras opiniões deste senhor, professor da Nova, nos últimos 20 anos...!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nha Terra Nha Cretcheu!

por Olympus Mons, em 10.03.21

Num mundo cheio de racistas de esquerda que lutam diariamente para lidar com o racismo que processam emocionalmente  no seu cérebro, na Anterior Cingulate Cortex e passam depois o resto do dia a projectar os seus racismos nos outros, racismo sistémico, racismo inconsciente, racismo, racismo... quando ele existe é primeiramente nas suas mentes, mas dizia eu, nem sei até que ponto este post é inteligível.

Capture cabo verde (1).PNG

Há alguns anos num táxi na ilha do Sal em cabo verde o miúdo (para aí 20 anos) que conduzia diz-me que não percebia porque cabo verde não era Portugal. Fê-lo sem receio e quase desafiador para mim.  Confesso que não soube o que dizer. Mas depois fiquei a pensar no assunto durante um bocado, até ter conseguido um Whiskey decente no hotel.

Anos depois aterro na Praia de noite, saio de manhã, apanho o táxi para o local onde ia, parei no planalto da cidade da Praia e vejo-me sentado no cafezito do Coreto no parque junto ao BCA (banco) e lembro-me de ter pensado que já não respirava tanto Portugal há algum tempo.  Algo semelhante a quando vou para o interior de Portugal ou entro em algumas ruas escondidas de cidades do país… e nem se fala quando se chega à ilha Brava, aquela ilha pequena para lá do Fogo e se vai passear por Nova Sintra, parando para beber um café do fogo…

Não tenho uma posição firme sobre as pretensões políticas dos cabo-verdianos e claro que respeito perfeitamente as opções dos que são nacionalistas, até porque um território tão longe de Portugal traria grandes obstáculos… mas tenho dificuldade em que não seja reconhecido o portuguesismo de cabo verde. Mesmo.
Se tirarmos a ilha de Santiago, onde está a Capital Praia, onde o Africanismo genético (sim, eu iria sempre aqui) é muito maior do que o ADN Português, todo o resto das ilhas, com particular ênfase no Fogo ou São Vicente, as pessoas são geneticamente a rondar 50% ADN Português no seu genoma (!). Junte isso ao portuguesismo socio-cultural que referi e fica um mar de oportunidades em aberto para se questionar o resultado do marxsismo soviético e seus amigos do partido comunista português.

Capture cabo verde Y dna.PNG

Vale o que vale, mas  o que esta imagem nos diz é que 70% das pessoas em Cabo Verde descendem paternalmente de um português (ou pelo menos europeu). Sítios como São Nicolau acima de 90% ou São vicente e Fogo 75%... Não está muito distante de dizermos que são mais filhos de Portugueses do que filhos de Africanas. Ou pelo menos tanto quanto.
Para mim fica um sentimento de irmandade que torna difícil não pensar que talvez um dia, quando, ou se, conseguirmos ver-nos livres da doença do Esquerdismo Marxista, de perguntar aos cabo-verdianos que tipo de relação querem mesmo ter com Portugal. Num contexto saudável talvez nos surpreenda a resposta.  

Eu por mim, abolia já vistos e restrições à movimentação de pessoas e perguntava aos cabo-verdianos se havia algo mais em que poderia ajudar. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Deixem as mulheres em paz

por Olympus Mons, em 09.03.21

Capture dia mulheres.PNG

Dia Mundial da mulher.

Acho muito bem.  Também acho muito bem que se coloquem neste dia questões relacionadas com situações que sejam relevantes para as mulheres.
Por exemplo as disparidades salariais entre homens e mulheres.  Só me espanta que não tenha ouvido falar uma vez, uma vez que seja, algo próximo daquilo que seria uma discussão com a mais elementar aderência à verdade.
Sabem , é que todos os estudos que eu conheço, dos bons, aqueles que como já expliquei são longitudinais, meta-data ou neste caso das disparidades nos ordenados são que são multivariáveis nos demonstram que o género não é um fator particularmente relevante. Muitas pessoas nem a capacidade de perceber isto têm. Mas explicando: Existem determinadas características que as pessoas que recebem mais, e que são promovidas mais rapidamente, têm. E se fores do sexo feminino e tiveres essas características recebes mais. Mais do que os homens que não possuem essas característica. Por exemplo, pessoas que são low em agreeableness (um dos big five) por norma ganham mais do que as pessoas que são high em agreeableness. Acontece que existem mais homens com essa característica do que mulheres. Mas, mulheres com essa características ( e não são tão poucas assim) ganham mais do que os homens que são high em agreeableness. Simples. Simples. Outro exemplo desses multivariables nos estudos, de caracteristicas para o sucesso, será a assertividade e até agressividade também corelacionam muito bem com rendimentos mais altos. Inclusive, para cargos de topo, como CEO, tem um elevado índice de psicopatia é essencial.  Existem muito mais homens com ele índice elevado do que mulheres. 

Pessoalmente conheci mulheres cujo nível de agressividade as levou ao topo da sua área e, num dos casos, os outros chamavam-lhe cowboy.  No entanto, fora do contexto profissional tinha um humor tramado e ainda me lembro do espanto de todos ao conhecer o marido que era assim tipo modelo (ela não). No entanto, no local de trabalho tinha todas os traits que leva as pessoas ao topo. Posso garantir, uma reunião com ela era tudo menos agreable!
Esta conversa da psicopatia também é muito curiosa. Eu quando trabalho com pessoas e é para longa duração procuro perceber se essa pessoa tem pendor para psicopatia, narcisismo ou maquiavelismo.  O maquiavelismo é cansativo e a médio prazo corrói e a psicopatia é de longe, longe as pessoas preferíveis para atingires um objetivo. Este pessoal não se ofende, tem um código moral (falso mas funcional) muito bem definido no seu cérebro que os autocontrola e ao final do dia está-se a marimbar seja para o que for que não seja o objetivo que está em cima da mesa. Um sossego. Não temos que aturar nem o dedo no umbigo do narcisista nem as longas pausas do maquiavélico. São focados, focados...! – No entanto, o número de mulheres com elevado índice de psicopatia é muito baixo. Porque raio alguém desejaria às mulheres competir com psicopatas para cargos de topo?! Só quem lhes queira mal.

Voltando ao tema, é de considerar que não abordar a questão, a verdadeira, pela qual existe essa disparidade é como dizer que vamos legislar que pessoas com o mesmo nome não podem ganhar mais do que pessoas com outro nome qualquer. O modo como atirar com desigualdade, a tal "inequality" , para a frente e para trás tornou-se num mero artefacto político que ganhou preponderância no mundo esquerdoide. E não se iludam, é tudo sobre poder e política (que são a mesma coisa). Esta ausência de profundidade nas observações vai ser o enterro do Ocidente.

E é só estranho, não tem contexto nem parâmetros pelos quais se aborda a realidade, qualquer realidade.  talvez se possa antes revelar as verdadeiras razões e partir daí para percebermos o que realmente queremos como futuro. Se calhar podemos tentar perceber se existe alternativa sem impactar na performance no local de trabalho. -  Mas mentir não vale e não acaba bem. Sabe, aquela coisa dos esquerdoides do “pretend not to see”?  

Convém lembrar também que países que há muito tempo trataram de disparidades sistémicas de diferenças entre sexos, como a Noruega, Suécia e Islândia, acabaram com uma muito maior clivagem de características entre homens e mulheres.  Nestes países, com todas as liberdade, incentivos e proibições as mulheres acabaram por optar por profissões como enfermeiras e os homens acabaram por optar por todas as formas de engenharia. Estudado o caso, foi revelado que a maior característica que diferencia homens e mulheres é o interesse que as mulheres têm por pessoas e os homens por coisas. Sendo livres é assim que tanto homens como mulheres preferem viver a vida. Se deres liberdade às pessoas elas vão...ser livres para serem o que são. Naqueles países provou-se isso.  E se há coisa que percebi desde a primeira vez que cheguei a reykjavik é que as islandeses são estranhamente senhoras de si próprias e auto confiantes e dizeram-me logo que "aqui" quem manda são as mulheres, não te iludas pelos cargos. point taken

Talvez seja necessário desafiar os papéis mas muito mais importante é garantir a realização pessoal porque essa sim promove a felicidade das pessoas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Great expectations

por Olympus Mons, em 08.03.21

Gostei deste paper porque me ocorreu que representa muito bem o resultado final destas guerras culturais que estão a ser cozinhadas nos EUA e por conseguinte no resto do mundo.  Diz, o estudo, que as pessoas têm a expectativa de ser melhor servidas se quem providenciar esse serviço tiver sido identificado como liberal (esquerdoide) mas acabam por realmente o ser, melhor servidas, por pessoas que foram identificadas como sendo conservadoras, porque pessoas desta natureza são possuidoras de "consciencious" que é uma das marcas para o sucesso. 

Mas primeiro, o paper:

Abstract

"This research documents the counterintuitive effect that consumers actually have better service experiences with politically conservative service providers, but expect to have better experiences with politically liberal service providers. First, we document the effect in actual consumer service experience across three different contexts (Airbnb hosts, Uber drivers, waiters), and demonstrate that conservative (vs. liberal) providers enhance consumer experience (studies 1, 2a, 2b), because conservative providers are higher on trait‐conscientiousness (study 3). Second, in an experiment (study 4), we document expectations about service experience and demonstrate that consumers expect to receive better service from liberals (vs. conservatives). We explain that this effect emerges because consumers do not perceive that conservatives (vs. liberals) are more conscientious, but do perceive that they are less open. Overall, our theoretical framework outlines how conservative providers possess an unknown strength (higher conscientiousness) and a known weakness (lower openness), which leads to different actual and expected consumer service experiences. These novel findings provide valuable contributions to our understanding of how consumers are impacted by the political orientation of marketplace providers."

Por isso escrevi abaixo que em tantas coisas no mundo enquanto as pessoas apostarem nos "serviços a ser prestados", seja politicamente, combate a pobreza, combate a catástrofes, resolução de guerras, problemas de igualdade entre raças diferentes, problemas de resolução de qualquer, qualquer problema, por esquerdoides a esquerdalhar... vão acabar mal servidas. 

Não obstando que a componente esquerdoide no mundo ser importante pelo desequilíbrio útil que trazem,  nomeadamente sendo mais "openess" a coisas novas e com isso promovendo alguma regeneração, a verdade é que a necessidade desta regeneração comparado com a estabilidade conservadora é coisa menor. O preço a pagar pelo fim da estabilidade vem já aí a seguir.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bazuca nos helicópteros

por Olympus Mons, em 07.03.21

Bazuca nos helicópteros,  Aeroportos novos... pelo menos este pessoal é consistente.
Deixei passar alguns dias para perceber se o assunto ganhava alguma tracção, mas o PS não quer é Portugal não dá.

Capture compra heli.PNG

Para comprar, no procurement,  o governo contrata escritórios de advogados. O sistema do dono disto tudo, o Partido Socialista, passa muito por … escritórios de advogados.

Assistiu-se nos últimos anos à introdução, ou tentativa, das Consultoras PS. Mas na minha opinião ainda está todo montado sobre os escritórios de advogados.

Ainda há poucos meses falava com amigo sobre a eventualidade de uma empresa minha se candidatar a fundos europeus da Bazuca para concretizar um projecto sobre Blockchain e Smartcontracts que eu acho traria não só empregos bem pagos em PT como era útilissimo para aquela indústria. Como a verba ainda é considerável ele virou-se logo para mim com um sorriso e diz, já percebi, queres que te ajude a falar com um dos escritórios de advogados do partido correcto, não é?

Ficámos por ali. Ele tinha razão, era perda de tempo a não ser que fosse por aquele caminho. É daquelas coisas, que nos tira a pica toda, não é?  
Optei por outra alternativa. Até por outras razões como tempo. Estamos atrás do Investment Capital no estrangeiro. Se resultar obviamente a maioria da equity será desse capital estrangeiro, mas vivendo em portugal não dá verdadeiramente qualquer hipótese, não é?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jovens trumpistas!

por Olympus Mons, em 07.03.21

Nos EUA existe na última década um fenómeno de ataques a pessoas de origem asiática.  Cada vez mais surgem imagens de agressões brutais a pessoas, por norma já idosas, nas  Chinatown.

Só escrevo isto porque acabei de ver uma notícia em noticiário prime-time na televisão portuguesa sobre estes casos e metade do segmento foi com imagens de Trump, porque ele dizia que o vírus da pandemia era o China Virus. - Nem me vou alongar nisto porque sinceramente acho que já nem vale a pena e este esfregar de pura estupidez nas nossas cara vai ter, um dia, um preço a pagar por esta gente… mas não nos deixa de fazer pensar:

A reparar: Estes patetas estão a dizer que ataques de Jovens negros (que esta parte não dizem, pese embora mais de 98% desses ataques terem tido essa característica) a idosos asiáticos dentro de Chinatown tem a ver com o que Trump dizer que o virus é o china virus?   --  A sério?

Que nojeira… aliás eu sigo este fenómeno desde o ano de 2010 quando, curiosamente o presidente americano era Barak Obama e surgiram, lo and behold, na cidade menos Conservadora e mais Liberal dos EUA, São Francisco. - Na altura a explicação pareceu-me razoável: Jovens negros desempregados viviam em bairros colados às Chinatowns onde pessoas idosas passeavam o dia inteiro com dinheiro nos bolsos. – Pareceu-me razoável a explicação. Mas isso era antes  do Trump Derangement syndrome.  

Não me canso de dizer: Maralha que promove isto, e isto é uma deriva opioide da realidade, vai ser a primeira a fugir para os sítios onde menos se manifestará as consequências destas suas maluqueiras.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

"Neanderthal politics" é isto.

por Olympus Mons, em 06.03.21

Eu já aqui escrevi sobre a reabertura por Biden dos campos de concentração de crianças desacompanhadas do Trump. Perdão, para ser correto, do Obama que o Trump mandou fechar. Assim está correto.

Também já escrevi vezes sem conta que a mentira da esquerda, porque processada na ACC (anterior Cingulate) é a mentira do pretend not to (see).  Um truque inacreditável do cérebro de um esquerdoide que faz com que eles não estejam mesmo a ver qual o problema do Biden reabrir os campos de crianças. Não é fingimento, é o cérebro esquerdoide resolveu a dissonância e seguiu em frente a vociferar contra outra coisa qualquer e nós, direitoides, ficamos de boca aberta a pensar como é possivel!

Agora temos aquele mar de gente na fronteira USA/MÉXICO com t-shirts de “Biden Please let us in”, e com 6 mil crianças desacompanhadas detidas, tendo sido um aumento de 20%.  E já se reporta o tal aumento de violações e maus-tratos que o maldoso do Trump tanto dizia que era o resultado prático do tráfego de imigrantes ilegais. -  E em cima disto com documentos internos leaked a recomendar que se preparem para um aumento imediato de 45% de imigrantes e a instalação o mais rápido possível de 20,000 camas extras. Até já se deram ao trabalho de calcular o número previsto de imigrantes nos dois mandatos de Biden (autoconfiança não falta) que deu a módica quantia de 37 milhões de pessoas nos EUA que seria um aumento da população de 10%.  Que gente disparatada.

Mas aquilo que se passa na fronteira sul dos EUA não é uma crise … é um desafio. Diz o novo head of homeland security o sr Alejandro Mayorkas.
Pois os emigrantes do mediterrâneo também não são uma crise… são um desafio. Adoramos a conversa de esquerdoide, não é?

Esta gente moralmente superior é sempre a carpir o shot de anfetaminas endógenas que o cavalgar os desgraçados do mundo lhes dá. Que gente ignóbil. É como aquele estudo que demonstra que quem compra a liberals tem uma expectativa de ser melhor servido quando a realidade depois demonstra que é quando compra a conservadores é que é melhor servido. Isto aqui é exatamente igual! – Enquanto os pobres do mundo comprarem o produto a esquerdoides vão acabar mal servidos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Nem D. Sebastião...

por Olympus Mons, em 05.03.21

Capture lacerda machado.PNG

E lá continua a senda da TAP.
E do nosso dinheiro. Contudo não deixa de ser curioso o facto de quando a TAP era 2% do PIB, tinha um superavit da Balança Comercial superior a 1.2 mil milhões de euros e recebia 0 (zero) euros, dos nossos impostos (até era proibido por lei)… era uma choradeira contra o raio da companhia. E isto foi até fevereiro de 2020! 

Mas agora que vamos despejar algo como 3.5 mil milhões para manter a companhia a operar, que não é salvar que isso é outra coisa diferente, estamos todos grosso modo caladinhos ou ganir baixinho.  - Eu acho que se deve ao fascínio do Tuga em geral com o PS no governo. Os donos disto tudo trazem uma serenidade ao povo Tuga ímpar, muito se devendo ao controlo que também possuem sobre a imprensa mas não só. Sócrates sabia-a toda e nós somos assim.

Uma das coisas que não deixa de ser curioso é que pessoas como o Diogo Lacerda ou Esmeralda Dourado nunca tiveram nada a ver com a TAP. Não percebem do assunto, nunca mandaram em nada nem tem nada a dizer sobre o modo como a TAP verdadeiramente operava ou tomava decisões. Eram os Boys. – Já o Trey, não fora a paranoia de ser só ver as coisas pelo ponto de vista do volume era um airliner puro. Aliás o Neeleman lá o espera na Breeze Airways no Utah e nem se vão lembrar da TAP dentro de um mês.  Devem dar graças a Deus todos os dias (porque são mórmons) terem-se livrado da embrulhada assim tão bem. 

Entretanto tenho tido algumas conversas com pessoas envolvidas em algumas da potenciais novas companhias aéreas (que ainda não operam) , como a Flyr, ou Northern airways ou Canarian airways e todos manifestam uma preocupação. - Que é o facto das grandes empresas aéreas como a Lufthansa, British ou KLM/Air France terem apressado os seus novos modelos de distribuição, vendas digitais, etc. – A preocupação é, mesmo para essas companhias novas, cheias de gente inovadora sem passivos e lastros financeiros, é que já perceberam que vão ter dificuldade em conseguir competir com os novos esquemas muito e-retail que essas companhias de referência irão usar agora na retoma e que para dizer a verdade levaram os últimos 10 anos a preparar e a colocar em produção (NDC, offer Management, dinamic pricing real, etc, etc), quando por outro lado a concorrência das low cost se intensificará também. O ambiente pós COVID-19 na indústria do transporte aéreo será ainda mais brutalmente concorrêncial para que empresas aleijadas como a TAP tenham futuro.

A TAP, com uma perca de recursos humanos muito grande (quadros bons brasileiros foram embora, alguns dos melhores quadros portugueses já saíram ou estão a preparar-se para sair), todos os projetos inovadores parados (para se aproximar dos tais grandes), com um constrangimento à rede ditada pela UE e com todos os players a cheirar sangue na água e prontos a atacar (muito simplesmente aumentam as suas frequências para cá)…. Que hipótese terá a TAP?

Percebo o medo do Governo. A TAP é um anacronismo que sobreviveu por causa de algum desleixo das outras companhias aéreas e quando acordaram já a TAP dominava o mercado Brasileiro. Com 50% do tráfego de conexão e 80% dos 3 mil milhões de euros em vendas sendo exportação é tentador para o governo. Se fechasse a TAP o mercado, o espaço, não seria ocupado por outra empresa portuguesa... num minuto, um minuto!, os algoritmos dessas outras companhias aéreas estrangeiras que fazem Desenvolvimento de rede apercebem-se da oportunidade e cospem novas frequências (voos) e rotas que dantes eram da TAP. Hipótese dessa atividade ficar cá... zero!

No entanto, a premissa do investimento do governo parte, na minha opinião, de um erro da equação. O governo pensou, se eu salvar a companhia ela vai devolver o dinheiro investido pelo impacto que terá na economia (e que sempre foi grande)… mas não me parece que seja esse o caso no futuro:  O estado, investidor, vai perceber que mesmo cortando os custos como está a fazer, a capacidade de gerar receitas da empresa será bem menor e sempre a reduzir com o passar dos anos. Com isso irá acabar por ter emagrecer ainda mais para poder vender a empresa outra vez. Toda a expectativa de retorno irá esfumar-se.
No momento da venda, quando for, a TAP terá qualquer coisa como 50 aviões (empresa irrelevante), sem muitos serviços, gestão e administração em Portugal, com impacto muito (mais) reduzido na economia portuguesa.

Lembrar as pessoas que houve uma altura, e até a TAP era mais pequenina e o estudo já não foi reproduzido, em que a companhia aérea era a quarta cidade portuguesa em consumo de vinhos. Esse será a TAP que já não voltará.

Aguardo no entanto um milagre, porque 3.5 mil milhões de euros é muito dinheiro, mesmo muito. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

'merica is back.

por Olympus Mons, em 04.03.21

Capture rt news 1.PNG

Só uma breve,

Como já disse, passo algum tempo na RT news. E aquilo tem a curiosidade de me fazer rir vezes a fio. - A última é o segmento, ou anúncio, em que passa o Joe Biden a dizer “AMERICA IS BACK” depois mostram imagens da vasta destruição do ultimo bombardeamento na Síria ordenado por Biden. Depois fica escuro e mostra letras a branco…. “Coming to a Near Eastern country near you”… Como se fosse um filme.

O que é curioso, é que este tipo de sketch irónico, nunca se veria nem na FOX, NewsMax, ou no Washington examinar ou National review, não é?
Mas a RT news, e aquilo é tudo feito por norte-americanos que se percebe que muitos deles serão até trumpianos, no que se refere aos EUA divertem-se e abusam do humor a literalmente  desmascarar a hipocrisia da sociedade Americana relativo a Joe Biden versus o que se passava no tempo do Trump.

Nesta altura de falta de conteúdos, que 90% do Netflix, HBO ou Amazon prime é positivamente intragável, ficar por ali vai dando bom divertimento. – Pelo menos até cansar o outro lado em que lavam o rabo a Putin e aos aliados da Russia. Mas pelo menos vai dando para desenjoar do fascismo cultural de esquerda (FCE) que nos asfixia…

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não , não é!

por Olympus Mons, em 04.03.21

Capture Debate mamadu.PNG

 

“Negação do racismo onde se encurralou a sociedade e as instituições…”

Ouvi o Mamadu Ba, com particular atenção, no programa “É Não É?”  da RTP de ontem. E ouvi mesmo com toda a atenção. E aquilo que sinceramente me choca é que não lhe reconheci inteligência. E eu esperava reconhecer porque criamos essa expectativa quando algo se torna fenómeno pese embora a experiência me vá ensinando que até muito pelo contrário a inteligência costuma vir acompanhada de algum recato.

Ouvindo Mamadu Ba nada passou mais do que não seja um homem que repete estruturas conceptuais obvias que aprendeu e vai repetindo vida fora. Não era de todo o que esperava. -  Conseguires colocar palavras ordenadas a cantar conceitos, ainda por cima aprendidos não é nada de especial. – Já não me lembro quem, mas alguém dizia há alguns anos que quando ouves com atenção as pessoas de esquerda e as ouves repetidamente percebes a insalubridade daquilo que dizem e o escolho do que te estão a transmitir.
No momento em que a Helena Matos o confrontou com a escravatura milenar ele não tem capacidade de contra-argumentar para além das coisas parvas que ouviu sobre a escala da escravatura transatlântica ou da desumanização das pessoas em contraponto com servidão como se todas as outras miríades de escravos durante a história não fossem também tratadas como propriedade e só os Africanos no mercado transatlântico o fosse. – É pouco, muito pouco.

Enfim, quem explica aos Mamadu Bas desta vida que na verdade a escravatura transatlântica até terá sido das mais humanas da história.  Não tenho que dizer que mau foram todas as escravaturas porque será óbvio. Mas má era a vida de praticamente toda a gente nessa altura e a alternativa aquele destino, atroz, era provavelmente a morte ou locais de escravidão bem piores como do Norte de africa ou a do império Otomano.
Só para que fique claro. Aos escravos nas Américas era possível acasalarem e reproduzir que até era desejável e fomentado e havia inclusive coisas como a referência nos EUA que as escravas casadas deviam ser respeitadas (embora duvido que fossem) ou por exemplo no Brasil os escravos no seu dia de folga ao domingo tinham um terreno onde tratavam da sua plantação pessoal…
Agora, se fosses para o norte de Africa, se sobrevivesses à castração (acreditavam mesmo que os capados se tornavam mais competentes) não tinhas sequer essa opção de ter um terrenozito de subsistência, já para não falar na parte da procriação por razões óbvias. certo?

Um dos factos que nunca nos lembram é que os escravos eram comprados a estruturas já existentes. Assim era no comércio de escravos islâmico que durou mil anos. As tribos Africanas dos Yao, Makua e Maravas lutavam entre si e com outras tribos por Africa adentro… e não tinham prisões ou prisioneiros. Todos os capturados eram para ser vendidos e na verdade também se sabe que muitos morriam porque tinham que andar, malnutridas, distâncias inimagináveis durante mais de 3 meses a caminho dos mercados onde eram vendidos. Não se sabe bem o número de escravos desta rota dos escravos mas N’diaye calculou em 17 milhões de pessoas durante os séculos todos em que este comércio se realizou. Sabe-se lá.

Não existem registros históricos, nem marcas arqueológicas para se desvendar, logo teríamos que nos socorrer de outras ferramentas… e não é que?
Uma coisa é certo, esta imagem abaixo diz-nos que a transformação com o mercado negroide no norte de África foi enorme:

Capture mtdna egypt.PNG

 

Esta imagem, acompanha os mitogenomes (Mt dna) em algumas fases do antigo Egipto até aos dias de hoje.
Período pre- ptolemaico (penso que o DNA é de 2000BC), período ptolemaico (antes de cristo) e o período romano até 600 AD. Assim podem ver após o inicio da islamização e o começo da escravatura dos Africanos por estes, todo o mitogenoma (passado pelas mulheres aos filhos) dos egípcios alterou, sendo agora repleto de haplogrupos subsaarianos  (as partes avermelhadas). – pois, dos tais homens capados é que nada, não é? porque haplogrupos do cromossoma Y, dos homens, no norte de africa são quase inexistentes. Os homens não contribuíram para aquele avermelhar na barra do atual Egito. Pois, existiram destinos e destinos para o pobres desgraçados, dos melhorzitos ainda teria sido terem ido para as Américas.
Uma das outras curiosidades é que a maior parte do impacto genético deste comércio no norte de África é provindo de populaçoes negras do centro e oeste Africano, enquanto no golfo Pérsico é de populações do noroeste Africano o que representa as rotas bem definidas do mercado de escravos. 

As pessoas podem investigar e ler. Nada disto é segredo. Temos é que estar agradecidos ao facto de se ter terminado com este flagelo…quer dizer, se não fores Africano, onde a ONU diz que estão a esmagadora maioria 40 milhões dos ESCRAVOS HOJE EM DIA!!! … Pois, buá, buá para a escravatura dos século XVII! Buá, Buá.
BLM, BLM BLM! , sim, sim, é já a seguir.

Para terminar, o que eu não escrevi, ainda o farei é o que politicamente isto tudo quer dize. Este “…Negação do racismo onde se encurralou a sociedade e as instituições…”  é todo ele político e tem muito que se lhe diga.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

O próximo rato

por Olympus Mons, em 03.03.21

Bill Maher deverá o próximo a abandonar a fabulosa Califórnia esquerdoide.
https://www.youtube.com/watch?v=4JcJyYMOrgE

Capture Maher 2.PNG

Aos 30 segundos ele dá a entender que poderá voltar ao Texas e eu tenho a certeza que lhe passa pela cabeça seguir o exemplo de outras figuras públicas da califórnia que já migrou para o estado do Texas como Joe Rogan. Vejam como ele, Maher, vai falar do Texas e diz e repete que não é nada contra os texanos que ele adora bla, bla bla… Pois, parece-me a mim que será o próximo a migrar – Não o deviam deixar porque a cancel culture quando nasce é para os dois lados! Sinceramente.

E também sinceramente também não sei como caracterizar ou perfeitamente escrever e descrever qual a correto comportamento que se devia seguir. Uma coisa é certa, tudo o que se esteja a passar neste sítios, nestes Estados mais liberal  em desagregação social uma grande parte, mesmo muito grande, deve-se a pessoas como Joe Rogan, Bill Maher ou em geral um número esmagador das figuras populares da cultura norte americana que deram projeção e apoio a políticos mais radicais e de esquerda e como tal estes acabaram por ganhar o direito de  ser opção das populações que ainda em número considerável segue esta gente e a pop culture como referência. O facto de já não estar a "resultar para eles", ou não é algo "que se sintam confortáveis", ou esta coisa do cancel Culture ou do woke "já foi longe demais" ... Pois, agora?
E agora, existe esta movimentação humana para os estados ainda mais à direita, mas barely, porque mesmo no Texas ou na Florida as vitórias não são retumbantes como o são no Idaho ou South Dakota. Esta gente está a migrar para estes estados que ainda são faróis do conservadorismo americano meramente porque consistentemente(embora por margens pequenas) os republicanos ganham consistentemente há muitos anos, mas não me é claro que se continuar esta migração irão permanecer republicanos por muito mais tempo. Como já aqui referi imensas vezes e fazendo jus a estudos como os de Eric Kaufmann no Reino Unido, este pessoal burguês de extrema esquerda são sempre, sempre os primeiros a fugir assim que os efeitos daquilo que apregoam lhes chega aos calcanhares. nem deixam morder.  – tem que se desenvolver uma formula de os chamar à pedra para que não repitam os desastres deixados para traz.


Recentemente também vi um dos programas de Dave Rubin, o Rubin Report e ele descrevia esta migração para estados percecionados como mais conservadores e mais amigos fiscalmente dos negócios em oposição a estados como o estado de Nova Iorque ou da Califórnia e como as pessoas de estados como a Florida os recebiam de braços abertos mais dizendo, deixa lá as tuas políticas malucas da Califórnia para trás. …  Errado, pessoal, errado. Este pessoal não muda. Só ateia o fogo e foge.

Se os quisermos perceber de forma mais crua é ver por exemplo este vídeo sobre a elite na Venezuela, atrizes, estilistas, tudo o que encontra nos blocos de esquerda no ocidente a viver na bolha de luxo… nem falta depois as visitas e os voluntariados uma vez ao mês nas sopas dos pobres. Está lá tudo.
É só ver: https://www.youtube.com/watch?v=PYQIq7zW5L8

Este pessoal é o inimigo. E eu não tenho uma solução que eu próprio aceite sobre como lidar com esta gente. Este é um dos maiores problemas filosóficos da era moderna porque ao final do dia… não fomos iguais a eles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O green new deal que interessa!

por Olympus Mons, em 02.03.21

Verde por todo o lado senhores, é o verdadeiro green new deal!
Vegetação, só nos últimos 20 anos, aumentou 10%!

Capture vegetation.PNG

Alguns de nós se não somos do tempo, pelo menos lembramo-nos dos ecos do tempo dos tree huggers, do fim do mundo pela destruiçao das florestas, do fim da botânica e da diminuição da vegetaçao que iria ser uma catástrofe para o mundo… depois foram comidos pela mais sexy narrativa das alterações climáticas e não se ouviu falar mais.
Mas AGW não conta a história toda. Porque foi nessa mesma década do fim do século passado que se começou a reportar em largar escala a evolução anual da vegetação e se começou a reportar dados de satélite sobre as grandes florestas e…. algo estava errado no que se via. Foi um processo similar na globalização: Quem não se lembra dos protestos, muitas vezes violentos e sempre aparicados pela imprensa, durante os anos 90 contra a globalização? – E como acabou num ápice quando se começou a reportar que a globalizaçao tinha retirado da pobreza extrema 2 mil milhões de pessoas numa década  - Onde anda essa gente agora? A organizar BLM, a organizar movimentos de extrema esquerda e a endoutrinar nas universidades os alunos. - Esta gente está sempre do lado errado!

Voltando à vegetação, agora temos uma ferramenta da NASA que nos dá inclusivé acesso ao raw data da evoluçao da vegetaçao no PLANETA TODO!

Ora, aquilo que se se vê neste gráfico acima é que só no século XX, só nos ultimos 20 anos a vegetaçao no planeta aumentou 10%! --- UUpps!

Já nos tinham reportado que o deserto do Sahara tinha reduzido em 8% nas ultimas décadas. Isto é uma área de 700.000Km2! é assim uma área do tamanho da França ou da Turquia.
 E, como sabemos também, em 70% esse crescimento deve-se ao aumento de CO2 na Atmosfera.  Sim, lembrar sempre que o CO2 é tão poluição como oxigénio é poluição.  CO2 é acima de tudo alimento de plantas e desde o aumento de output na produçao alimentar que matou outras das tangas do século XX a tanga o Malthusian trap em que iamos todos morrer à fome até ao aumento das florestas.  A botânica do planeta está profundamente agradecida aos humanos porque 280ppm é, para as plantas, morrer à fome e rezam as plantinhas que se atinga um valor perto dos 700ppm onde elas nas estufas iniciam o seu potencial .
Não sei de quem é mas isto aqui em baixo, apesar de escondido, ainda anda por stanford.edu!

"

 Even at today's concentration of 400 ppm plants are relatively starved for nutrition. The optimum level of CO2 for plant growth is about 5 times higher. CO2 is the giver of life ... The amount of CO2 in the atmosphere was reduced by about 90% during the last 150 million years. If this trend continues CO2 will inevitably fall to levels that threaten the survival of plants, which require a minimum of 150 ppm to survive. If plants die all the animals, insects, and other invertebrates that depend on plants for their survival will also die."

Autoria e outros dados (tags, etc)

Double jeopardy?

por Olympus Mons, em 01.03.21

Escrevi há dias que era difícil que o tribunal considerasse Derek Chavin o polícia envolvido na morte de George Floyd culpado de murder in the second degree – Assassinato intencional sem premeditação? Intencional? -  Como se explica isso no caso de um polícia a cumprir com os procedimentos da polícia?


Sabe-se agora que a acusação também quer introduzir nos autos ao senhor assassinato em 3 grau… Isto porque estão já com medo de não conseguir provar a tal primeira acusação e se isso acontecer quando muito o senhor pode ser acusado de manslaughter que dá uma pena muito reduzida.
Mas mais estranho ainda é que departamento de justiça lança uma investigação sobre o caso para, se ele for absolvido pelo tribunal do Minesota o possa acusar federalmente de violar os direitos civis de George Floyd e continuar o processo contra o polícia.

talvez se descubra algo sobre o caso e se calhar até sabem mais e algo que não seja nesta altura público. Mas seja como for isto parece aquela coisa do double jeopardy  em que a o documento da constituição dos países nos protegem de ser acusado duas vezes pelo mesmo crime, não é?
Já no caso do Major Flynn tudo o que o sistema judicial fez ao senhor me pareceu uma aberração num sistema judicial numa democracia com separação de poderes, mas agora isto ainda parece mais estranho. Será? Será que estamos mesmo perante o fim das democracias que foram uma mera experiência de um século? Será que vamos deixar-nos de treta e considerar que democracia é coisa para temperamentos anglo-saxónicos e parem de os imitar no resto do mundo?  O mundo só saberá mesmo viver sob modelos altamente hierarquizantes? 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs