Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Sah Quah, o escravo índio

por Olympus Mons, em 30.06.21

Capture indian slave.PNG

São destas coisas que convém ir criando conteúdos digitais porque não tarda muito, pouco ou nada restará da realidade para podermos aceder nos googles e youtubes desta vida.

Sim, este imagem é de uma ação levada a tribunal em 1886, 20 anos após o fim da guerra civil americana que acabou com a escravatura nos EUA. … acabou com a escravatura branca sobre população negra, porque na verdade a escravatura dos outros todos continuou por muito e bom tempo.

Sah Quah, 20 anos após o fim da referida guerra ainda era escravo e seu caso foi levado a tribunal em 1886 porque os seus donos índios do Alasca defendiam o direito a mantê-lo como escravo porque essas eram as práticas ancestrais do seu povo.
E por isso em tribunal defendiam:

by their own rules and customs ; that the buying, selling, and holding of slaves is one of the rules and customs of their race and tribe; that the civil authorities have no jurisdiction over them; and impliedly asserting that Alaska is Indian country, and that they as inhabitants are subject to no law, save the usages and customs of Indians.

Num mundo que nos vai tentar convencer que a escravatura, apesar de vir do calcolitico, foi invenção maléfica dos Europeus convém manter alguma memória do que verdadeiramente aconteceu no mundo real.
A maior batalha das próximas décadas será contra a aversão natural que esta nova esquerda dominadora tem em ouvir o que não se enquadra na sua narrativa que não é kayfabe porque não tem a noção que é falso (ao contrário do kayfabe).  Esta esquerda que acaba com amizades por razões políticas, que persegue e despede, que denigre e destrói reputações só poderá ser vencida por uma incessante e aleolian erosão abrasiva da narrativa deles pelos factos.  Pelos tais factos que dont care about your feelings.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Allez Opi Omi

por Olympus Mons, em 29.06.21

Capture tour.PNG

Esta é a mesma gente que adere ao Antifah! Que manifesta com cartazes do BLM e que enfrenta a polícia nas ruas. É a geração sem consequências. A geração que acha que pode atirar coisas á polícia, que pode partir coisas e provocar a queda de atletas em cadeia porque nada tem consequências. A única coisa que existe para aquela jovem ali é ela própria e tudo aquilo não passava de uma oportunidade de mandar uma mensagem aos avós. O mundo é um palco desta crianças, seja qual a idade que ela tiver.

Esta maralha não reconhece instituições! Tudo o que sustenta o mundo, os alicerces, para esta gente é irrelevante porque vivem numa bolha inacreditavelmente ampla. Eles nem  tem que olhar para o lado de fora das bolhas porque esta é tão vasta, tão vasta, que está para além do horizonte... E o Tour-de-France, e o espaço dedicado aos atletas, é uma instituição.

Quem mais se está a cansar?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por falar em acidentes.

por Olympus Mons, em 28.06.21

Esta coisas são fascinantes.  O início dos protestos pela morte de George Floyd levou a uma explosão de acidentes de viação com fatalidades de pessoas de raça negra. A peculiaridade de uma explosão de manifestações urbanas no essencial organizadas por jovens mulheres de raça branca leva ao um aumento tremendo de mortes de negros. – Isto só visto assim em números para acreditar.  

 

 

Nota: Nos EUA, o numero de assassinatos também saltou de 35/dia para 50/dia e mantém esse número em 2021 mas com a agravante que agora todos os dias há vídeos de verdadeiros shot-outs entre jovens de minorias (essencialmente negros) nas maiores cidades dos EUA. 

Capture diblasio.PNG

 

Em Nova York aquilo parece o Old Wild West por estes dias com o Mayor, o grande Mayor Bill Di Blasio, o Mayor amigo das minorias e casado com uma senhora de raça negra, a curti-la assim em férias e ainda a fazer comentários sobre o histerismo que há com esse aumento de assassinatos no meio da rua na sua cidade.

Temos que concordar e há que admirar essa parte do esquerdismo e dos esquerdalhoides - Desde que não lhes toque a eles, a realidade será sempre aquela que lhes convir no momento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Urheimat

por Olympus Mons, em 28.06.21

Convém, porque ao longo do tempo isto vai ser importante para perceber o epílogo da velha América.
E, se calhar, o fim da velha América vai ser uma coisa boa significando o nascimento de uma América nova que vai ensinar algo de novo ao mundo.
Pelo meu lado espero sentado, com um balde de pipocas e atribuindo uma probabilidade de  5% disso se transformar realidade. - 
Os 95% atribuo à realização, à consumação, dos capítulos uns atrás dos outros desse grande livro How to fuck up…” por Olympus Mons.

Este mapa demonstra bem aquilo que já referi em diversos posts anteriores que é que a América foi construída por alemães. A América era germânica. Este azul clarinho, essa mancha dominadora no mapa, representa a América onde a ancestralidade germânica ainda é dominante. E para dizer a verdade chegou a ser a América praticamente toda.
Ainda nos dias de hoje 17% da população americana tem ancestralidade Germânica. Isto comparado com 8% inglesa e 9% irlandesa.
Quando junta os Svensk-amerikaner Suecos e Noruegueses que se juntam aos Evangelical Lutheran Church in America percebemos melhor esse substrato que construiu a américa do “honest days work” acima de tudo. É daqui que vem a religiosidade, a rule of law e o protestantismo laboral, a moralidade como responsabilidade pessoal e austeridade como forma de viver a vida. Isto é a ‘merica!

Como os irlandeses se concentraram para os lados da Califórnia acabaram por dominar o mediatismo de Hollywood e por isso ficámos todos com essa imagem dos cowboys de ancestralidade inglesa e irlandesa quando na verdade eram os alemães que dominaram e acima de tudo construíram a superpotência EUA.

Foi a multiculturalidade, a perca da homogeneidade dos 90% que levou os EUA ao sítio a que chegou agora. Estava nos livros e foi opção tomada. Por isso paga o preço. -  100 milhões de pessoas em 30 anos, acrescentar 1/3 de outro stock de pessoas à sua população, tem este efeito. 40% da população também quer o seu naco de carne, também quer a sua identidade representada no estado, na cultura e na nação. Dois corpos sólidos não podem ocupar o mesmo espaço. -Só partindo tudo.

A nova américa será construída agora, após ser arruinada e quebrada em pedaços pequeninos nesta segunda vaga do hippieism sob a forma bem mais nefária do Wokism.  Uma américa contra tudo o que aquela América de cima foi, uma América que rejeita de vez e totalmente o seu europeísmo branco, uma américa cheia de ódio aos criadores disto tudo: um Homem Velho Branco Europeu.

Curioso como foram estes HVBE que criaram uma geração em que não há adultos em casa, um mundo em que cada vez que cada um deles abre a boca, e eles estão agora a chegar a todo lado, só dá vontade de perguntar e “…e onde está a tua mamã? Está algum adulto em casa?”. 

E não tem que ser assim em todo o lado. Europa não é os EUA. Mantém ainda a sua identidade e homogeneidade. Não tem que imitar os EUA! 
 Resta-me a esperança que pelo menos a Europa consiga manter intacta a sua identidade dentro do possível apesar da tentativa de um esquerdismo cheio de “Need fo chaos” que, tal como na américa, anseia pelo seu suicídio.

Autoria e outros dados (tags, etc)

RAP ou C_RAP?

por Olympus Mons, em 27.06.21

O "Ó RAP cut the cRAP!" 

Não ia falar mais do assunto, mas aterrei em Lisboa ontem e quando chego a casa estava a dar o programa Governo sombra com Ricardo Araujo Pereira e na altura o tema era esse.

Capture RAP2.PNG

 RAP, o conhecido multimilionário COMUNISTA filho de um piloto da TAP (>12 mil euros mês) e de uma assistente de bordo (>5 mil euros mês) da TAP que como a maioria desta esquerda burguesa bebedora de Château Latours  ao copo está na cara que seriam as pessoas ideais para representar ideologias defensoras dos trabalhadores desfavorecidos.  Sim, as pessoas são estúpidas por natureza mas acima de tudo por opção.

Mas, dizia eu, ao ver o programa RAP ao falar da questão da nova legislação húngara dizia, a gozar, que “todos já fomos ao supermercado e não queríamos determinado produto mas como estava em promoção acabámos por trazer…” , a ideia seria que obviamente no caso dos homossexuais ao contrário das marcas nos supermercados, ninguém é convencido a tornar-se homossexual … o que é verdade. Mas esta gente olimpicamente ignora qual o segmento da população que esta legislação quer proteger, não é?
Podemos todos concordar ou discordar mas acima de tudo o que fica é estas tangas tipo cortinas de fumo que meramente alimentam as pessoas que as ouvem ou vêm com longas linhas de pura cocaina moral.  - Ninguém discute sequer qual o substrato pois não?

Como explico nos meus posts sobre o assunto, realmente ninguém 100% homossexual se deixa convencer a deixar de o ser, mas 4 vezes mais pessoa são “confusas” ou “indefinidas” na adolescência e estas no essencial acabam por crescer e tornar-se Heterossexual para o resto da vida. Destas pessoas as que não se tornam hétero são incrivelmente mais infelizes e doentes, com maior consumos, depressões, etc. E como pode voltar a ver aqui em baixo, não tem nada a ver com descriminação! Que descriminação é que existe realmente hoje em dia?Capture happy 3.PNG

Por isso sim! Sim! – pode-se fazer o argumento que promover conteúdos homossexuais ou bissexuais na infância ou adolescência é detrimental para a saúde psicológica dessas crianças e jovens, se não até dolosa, porque é comprovado que pessoas homossexuais ou “sexualmente confusas” são mais infelizes e com mais doenças psiquiátricas. – Assim, como não? Como não se pode fazer o argumento que promover em conteúdos essas circunstâncias é quiçá até criminoso? 

Também já fiz este argumento no passado. Promover estes comportamentos irá, como já está a acontecer, o número de pessoas que irão experimentar comportamentos homo e bissexuais resultando, portanto, por um lado num mercado sexual com maior oferta para os homossexuais mas por outro também num explodir de pessoas com dificuldades psiquiátricas.  E se com a primeira não tenho problemas, pois acredito que o que não falta é idiotas á procura da sua infelicidade e como tal deve ser providenciado o produto seja em que forma for, já com a segunda tenho problemas porque tenho zero paciência para maluquinhos e, como parece ser o caso, especialmente para o mar de maluquinhas miseravelmente infelizes que por aí vem.

Pois, nesta conversa que entusiasma as ordes , que viesse de lá os argumentos em contrário e veríamos ao fim quem está mais perto da realidade! Mas vou esperar sentado porque o que oiço é só tangas, kayfabes e choros e soluços morais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cut the Crap!

por Olympus Mons, em 25.06.21

Capture Orban.PNG

Tenho tentado manter-me longe desta polémica da nova legislação húngara relativo à comunidade LGTBQ.  Sendo que muito antes dos novos profetas woke já eu defendia que estas variantes comportamentais eram comuns no espaço e no tempo, em todas as eras, logo cut the crap e aceitem.

Mas o cut the crap funciona para os dois lados!

Recapitulando:  Nas populações humanas (pelo menos no ocidente) tal como existe 95% de Heterossexuais também existe 1% da população que é persistentemente no tempo homossexual. Aos 15, aos 20 , aos 25 e aos 35 anos.  1% - cut the crap!

Savin-WilliamsJoynerRieger2012  - Entre 1% e 95 que sobra? - Sobra 4% da população que aos 15 anos de idade está confusa.
 Existe 4 vezes mais de “confusos” do que homossexuais.  Se considerar unicamente o sexo feminino este valor é ainda maior (6% a 8%).

Basta verificar os posts abaixo que tenho sobre o assunto e sobre os estudos de referência que existe.

Mas confusos porquê? - Porque este grupo de 4% da população ocidental (mundial?), se é verdade que na wave1 (jovens aos 15 anos) assumem-se não como hétero, mas sim como essencialmente Hétero e Bissexuais quando crescem e chegam à wave4 (30 anos de idade) a esmagadora maioria assume-se como Heterossexual.  No sexo feminino é menos vincado, mas mesmo assim como essencialmente heterossexual e 100% heterossexual.

Capture happy.PNG

O segundo vetor desta conversa tem a ver com o facto de os estudos sobre estas pessoas ou sobre os homossexuais demonstra que essa confusão sobre a sexualidade não é conducente a mais felicidade. Na verdade, estas pessoas são manifestamente mais infelizes do que a norma. Assim o demonstra por exemplo esta imagem de Verbakel et al. Certo? – bem mais infelizes com ou sem discriminação!  - 

Ou que estas pessoas estão em maior risco de doenças psiquiátricas.  De T G Sandfort et al "Conclusion: The findings support the assumption that people with same-sex sexual behavior are at greater risk for psychiatric disorders...."

Então, cut the crap

O cut the crap, então, é porque se um país como a Hungria decide criar uma lei que proíbe a promoção de LGBTQ nas escolas e em conteúdos para menores de 18 anos não é uma aberração! É uma aferição do melhor para a saúde publica do seu país com a qual eu posso discordar não tenho forma de considerar, irracional, mal intencionada ou maliciosa! – Fuck you!  No mínimo tenham a decência de discutir com eles nos méritos dos argumentos deles e não fazer esta porcaria emocional e fascistoide que eu, pessoalmente já não consigo tolerar.

Nota: Estando fora a trabalhar sobra pouco tempo para escrever textos. Gostaria de elaborar e refinar um pouco mais, mas profissionalmente nesta altura não consigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quem diria

por Olympus Mons, em 24.06.21

Capture 25graus.PNG

 

O climate change, as alterações climáticas é muito isto. - Governo suíço vai começar a fazer heat warnings quando a temperatura excede os 25 graus.
Como nem dentro de 300 anos você vai (iria, iria) ver qualquer impacto na temperatura que seja verificável na sua perceção sequer da temperatura ambiente, tal como é feito em tantas coisas hoje em dia, passa-se para a criação da perceção fazendo gaslighting, fazendo truques orwellianos do 1984 que, para grande consternação da minha parte, as pessoas papam, adoram e ainda pedem por mais.
Quem diria, quem diria que seria assim tão fácil.

Nota mental para mim: Como cada vez nascem mais atrasados mentais, perceber porque raio não és milionário.  Eles estão a pedir a toda a hora para serem papados. Aliás nascem para isso.

Como esta imagem acima.
Por muito que algumas, poucas, pessoas tentem pedir para que não se chame ao
RCP8.5 de Business as usual porque na verdade é um cenário praticamente impossível de reproduzir na realidade e acima de tudo um pathway que está impossivelmente longe de ser o caminho que a humanidade tem, os maluquinhos ganharam a batalha e como tal a verdade é o que os ministérios da verdade dizem ser a realidade. Não interessa a física, a biologia, a química… nada bate qualquer tanga que esta gente decida colocar aí para você consumir. Nada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Chega com 10%

por Olympus Mons, em 23.06.21

Capture sondagem.PNG

No comment!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Whites-Only club

por Olympus Mons, em 22.06.21

Estas coisas nem inventado.
Tenho alguma aversão a este senador norte-americano.

Detesto-o porque assisti às suas perguntas nas audições tanto do Juiz kavanaugh como da Juíza Amy Coney barret. Sei que o detesto porque o ouvi nas audições do impeach de Donald Trump. Há sempre algo de sibilino no modo como fala.
também tinha assistido já há a alguns anos a audições relativo às alterações climáticas e a teatralidade, o dramatismo, com que aborda estes temas é no mínimo irritante.
O Senador Sheldon whitehouse é também daqueles senadores mais progressistas nos EUA. Daqueles que nesta altura vota a obrigatoriedade das pessoas terem que ter lições de Critical Race theory (CRT) para ter qualquer relação com a administração publica, etc.  daqueles que pamper Alexandra Ocacio Cortez ou Ilhan Abdullahi Omar. Do piorio.

Piada, piada para alguém que fala tanto de sistemic racism é alguém ter notado que para quem fala tanto de diversidade, fala tanto de racismo pertença a um daqueles Clubs de só brancos, onde se juntam a pessoas só brancas e gozar os privilégios do white privilege. Club só de brancos e o senhor responde – “Senador Whitehouse replied, “It’s a long tradition in Rhode Island, and there are many of them.”

Esquerdoides… se não existissem tinham que ser inventados. É mesmo aquela coisa do, "o que quer que seja" não é "para ser aplicado a mim, certo?"
vale a pena ver  - https://twitter.com/NewGranada1979/status/1406966971598471171

Este mundo é de doidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Crianças e adultos

por Olympus Mons, em 21.06.21

Capture brett vacine.PNG

Para finalizar o conteúdo do meu post anterior aqui está um dos vídeos, se não o vídeo, que é bastante instrutivo.

Malone é nada mais nada menos que o inventor das vacinas MRNA como a Pfizer e astrazenaca. É só o inventor da tecnologia.
Brett Weinstein, para ser honesto foi a pessoa que primeiro me alertou para a parvoíce que era dizer que os cientistas tinham descartado a hipótese do vírus ter vindo de um laboratório mas que teriam afirmado que não teria sido criado num laboratório porque, porque carga água, haveriam de ter criado um coronavírus com tanto disponíveis na natureza e que sim o que se fazia nos laboratórios era pesquisa gain-of-function a vírus já existentes.  Essas pesquisas eram feitas em todo o mundo e obviamente no Coronavirus respiratory laboratory of Wuhan. E explicava isto desde o início, numa altura em que teve contas de social media suspensas e strikes e warnings por todo o lado.
Há muito tempo que sigo Brett e acima de tudo o irmão Eric que conto como uma das pessoas mais inteligentemente disruptivas do planeta (foi ele que criou o conceito de Kayfabe aplicado ao mundo de hoje que eu tanto uso).

Caveat lector -  Que fique claro, não advogo nada em relação a vacinas para o leitor ou qualquer outra pessoa no meu dia a dia. Eu vou tomar e para ser sincero aconselho a minha filha adolescente a não tomar. Mas a decisão terá que ser dela. E que fique também claro o que ela pesa é o risco de eventuais impactos da vacina na saúde contra os problemas sociais que poderá ter no futuro próximo, como ser impedida de viajar ou de entrar em espetáculos. Ah pois. Por isso, é que avisei no post anterior que a haver (que não faço ideia se….) esses efeitos muito maus das spike protein destas vacinas não se venham fazer de parvos nem arranjar desculpas de circunstancias. Os pulhas treinadores que andavam a mexer no pipi das adolescentes foram para  cadeia para o restante das suas vidas, e muito bem, também quero penas semelhantes para os CEOs, para os C levels, investigadores, políticos e responsáveis administrativos que foram avisados e nos asseguraram que não havia problemas nenhuns.  Eles lá sabem e nós temos que acreditar ou pelo menos ser informados e tranquilizados por eles. É assim que funciona o mundo. Mas se eles falharam…. Quero sangue!

Seja como for, os 15 minutos deste vídeo são bem empregues na sua vida. -

https://www.youtube.com/watch?v=Du2wm5nhTXY

   

Autoria e outros dados (tags, etc)

Spike Protein...oh shit.

por Olympus Mons, em 20.06.21

O mundo hoje em dia parece-se com o big show SIC do João Baião. Ele dançava e cantava “valeu, vale tudo” e lá se abanava em frenesim conforme e ao ritmo da música que na altura passava.
Qualquer que seja a música a que te mandem dançar, no frenesim que se segue, não tens hipótese de qualquer pausa para pensar. Alguém decide qual a música a seguir e é expectável que dances com o mesmo entusiasmo qualquer que seja a melodia. - Em resumo, uma nova forma de fascismo.

Capture vacine.PNG

Existe vacinas contra a COVID. As pessoas estão a tomar a vacina sendo de especial importância para as pessoas mais idosas ou vulneráveis.  

No entanto levantar qualquer questão relativo aos efeitos das vacinas é imediatamente reprimido. Reprimido quer dizer que o teu registo digital corre o risco de ser completamente eliminado. De dezenas a centena de milhares de pessoas viram a sua pegada digital suprimida ou reduzida meramente por levantar duvidas sobre a sua intenção de serem vacinadas. - Ou seja, fascismo!
Aliás semelhante ao que se passou, essencialmente nos EUA, com pessoas que aventavam a teoria Donald trumpiana de que a origem do novo coronavírus tinha sido um acidente no laboratório de Wuhan.  Após a saída do senhor de cena os serviços de informação norte-americanos nos briefings à casa branca de Biden informaram o que já tinham dito a trump, que terá sido que tinham grandes indícios que efetivamente poderia ter ocorrido um acidente no laboratório de wuhan… e subitamente toda a gente fala nisso e os ban e strikes e warnings do social media cessaram – Mudou a música no big show sic e todos agora dançam ao som da nova música. Veja-se a prestação de Jon Stewart no programa de Colbert.

Ora este post é sobre as vacinas.
Quem fizer as perguntas “erradas” é imediatamente rotulado de “denier”, de negacionista das vacinas, e que se prepare porque cada vez mais isso terá consequências para si, especialmente se for uma figura pública. 
Ok, que seja. Mas então, tal como no exemplo da teoria do laboratório de Wuhan se se confirmar, também deveria haver consequências similares para quem não ouviu os alertas. Mas  verdade é que não é assim. A musica muda e todos dançam alegremente ao som da nova faixa.

Quero ser claro - Não sei o suficiente sobre vacinas para andar a professar ou sequer a lecture seja quem for sobre o assunto. Mas sei que spike proteins é do camandro. Sei que devias ter medo de spike protein.
Ainda me lembro do medicamento há umas largas décadas que provocava spike proteins e levou a deformações em massa de nados e que por isso foi banido. Era spike proteins, igualzinhas às da vacina COVID.

As técnicas de vacina das Pfizer, astrazeneca, etc são vacinas de MRNA que criam… Spike proteins.  
Por isso se alguém disser (que não sou eu) que não devemos vacinar jovens e pessoas em idade de reprodução, não é um negacionista nem um denier. Com base no que li até agora é alguém avisado que nos avisa no que deveria ficar como uma forma de aviso para avisados ou desavisados intencionais no futuro.
Esta infografia ali acima e nada mais que um resumo do que nesta altura é o keyfabe oficial. Leia. Garantem que é seguro, testado e que as spike não se deslocam para além do ombro onde levou a vacina. OK. Que seja.
Contudo, se no futuro se vier a verificar que não é verdade e que as spike afinal se deslocam no corpo, e especialmente a mania que tem em deslocar-se para o aparelho reprodutivo e especialmente para os ovários… não venham com a merda da desculpa que era a pandemia, que era para salvar o mundo ou que era o melhor do conhecimento na altura.
Não, não era. Os avisos estão feitos. Os avisos estão feitos por quem sabe!
Não haverá inocentes. Não, não. Eu vou querer culpados... E que nao seja o porteiro, o segurança ou a senhora de limpeza, que esta merda não pode ser sempre o mundo dos António Costas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fucking A

por Olympus Mons, em 17.06.21

Update ao post anterior (17/06/2021:

Ouvi novamente o senhor em questão e alvo do meu post anterior, Albano Almeida, repetir a entrevista de ontem à noite, repetir a mantra que mandaram repetir. Porque o mandaram, não tenham dúvidas.

Capture biden expresso.PNG


A mantra se tiver dúvidas é esta aqui em cima, como não podia deixar de ser, repetida ipsis verbis no outro órgão do kayfabe o Expresso.   Sim, tal como Albano, o expresso alega e dá destaque “à comparação ridícula”, que é a comparação que Putin fez com os eventos de 6 de janeiro no capitólio relativo ao tratamento que ele deu a Navalny era semelhante ao que os EUA fizeram às pessoas que entraram no capitólio. -  Mais de 100 pessoas foram presas e, por exemplo, Jon schaffer o guitarrista da banda Heavy Metal está em vias de apanhar 30 anos de cadeia (o psicopata Pedro Dias apanhou 25 anos em Portugal).  
Nem vou perder tempo em argumentar se a comparação é ridícula ou não, se efectivamente é até pertinente tendo em conta que pessoas que entraram num edifício publico e não feriram ou mataram ninguém são chamadas de insurgentes e terroristas e estão em vias de apanhar penas de prisão de 30 anos.  Cada um que decida.

Ponto incomensuravelmente muito mais pertinente é aquele que está a ser feito nos EUA, mesmo por jornalistas conectados com a esquerda e os liberals. Um desses Jornalistas escreveu no TheHill que para quem conheça sabe é um dos emergentes media outlooks nos EUA e que de direita tem nada.
Eu li hoje de manhã mas agora pode procurar à vontade que já lá não está. Sim li porque ficou durante a noite. Quando os editores chegaram de manhã trataram de corrigir o erro.

Mas eu li o tal ponto que referi bem mais interessante e que o jornalista tinha feito era. – Não se entende como é que o Putin é o autoritário, proto-fascista mas esteve 55 minutos a receber perguntas sem script e sem teleponto de jornalistas ocidentais mas Biden o líder do free world e da free press, leu do teleponto durante 11 minutos, aceitou perguntas de 7 Jornalistas pre-selecionados pelo seu staff (que são sempre os mesmos) e quando questionado por um fora dessa lista, desata aos gritos com o repórter.

Sim, ainda existem desses. Pese embora alguém acima dele o tenha calado, para esse jornalista do TheHill que não sei o nome -- Fucking A!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os operários.

por Olympus Mons, em 17.06.21

capture SIC2.png

Não sei quem é este comentador da SIC noticias, para dizer a verdade nem sei o nome dele. Contudo oiço-o sempre com renovado… esgar.

A grande aptidão do senhor é que ele é um recitador perfeito do Kayfabe do partido democrático americano, do Schreibschrift saído do think tanks que determinam qual o angulo que a imprensa americana e por arrasto a mundial deve ter, a mando do establisment do Partido democrático em Washington.
Este senhor da imagem cita, recita sem quase para respirar o papel que ele assume que lhe está destinado repetindo frase atrás de frase, meme atrás de meme, como instruído.

Nunca o ouvi num debate, nunca o ouvi com contraditório. Porque não é esse o trabalho dele. O trabalho dele é aquele. Recitar de forma concisa, precisa e em bom solfejar a mantra.

Cada vez mais este será o modo como vamos ser arrebanhados. A eficácia desta técnica é elevada, não se iludam. Como é repetido dentro de pouco tempo qualquer pessoa que tente contra-argumentar vai soar dissonante e, nesse dia, já ganharam. Pelo menos aquela versão do que for passa a ser a versão.  

Ainda agora o ouvi na TV a dizer … do ataque ao capitólio onde resultou 5 mortos.
Ora o partido democrático decidiu que a invasão do capitólio devido à incompetência das forças responsáveis por o proteger por parte de uma data de yahoos no dia 6 de Janeiro era um ataque terrorista. -  Como tal, tem que ter mortos. Logo mortos passa a 5.

Nem interessa tentar dizer que estranha insurreição, que estranho ataque terrorista em que a população mais armada do mundo, os conservadores nos EUA, vai fazer uma insurreição, um ataque terrorista e não há registo de ter sido encontrado uma arma. Uma arma que fosse na mão daquela gente que entrou no capitólio.

Uma senhora foi morta. Uma senhora foi morta pelo polícia que protegia a sala.
causas de morte, oficiais, das 5 pessoas que o partido democrático quer que sejam as vitimas da insurreição, do ato terrorista:

Dr. Francisco Diaz, the district's chief medical examiner, announced the causes of deaths as:

  • Ashli Babbitt, 35,  was shot by a Capitol police officer.
  • Kevin Greeson, 55, died of natural causes from cardiovascular disease.
  • Benjamin Phillips, 50, died of natural causes from cardiovascular disease.
  • Roseanne Boyland, 34, died by accident from acute amphetamine intoxication (overdose).
  • Capitol Police Officer Brian Sicknick. – Nao divulgado ainda. Ou seja, deixem-se de tretas que o senhor morreu, 6 horas depois de ter chegado a casa de…. cardiovascular disease

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vá, ajoelhe-se

por Olympus Mons, em 16.06.21

Com o inico das manifestações do BLM em Maio de 2020 o número de assassinatos nos EUA passou de 35 por dia para 50 por dia. A morte de 1 homem, que representa uma circunstância de 9-12 por ano nos EUA (negros desarmados mortos por polícia) leva a um aumento de 15 mortes por dia.
 E este ano o número mantém-se e parece ser a nova norma nos EUA. Cidades como Portland orgulhosamente nas suas bolhas liberals começam agora a perceber que esse novo normal é muito complicado. Enfim, se piorar saltarão para o estado ao lado, deixando o sitio onde iniciaram o fogo, a arder.

Capture ratio murder.PNG

Penso já ter sobejamente deixado claro que o meu problema é essencialmente com a aferição no mundo atual do que é real, do que é realidade.

Sei que levaria muito tempo a explicar como verdadeiramente interpreto esta dificuldade que o mundo parece ter em ter um grip on reality ao invés de viver fantasias. Uma das coisas que nós muitas vezes nos esquecemos é que como não podemos saber tudo, ou sequer muito, aquilo que achamos que sabemos não é mais do que em quem confiamos nós que saiba.  Na verdade atuamos como se soubéssemos porque temos uma coisa chamada de “the illusion of explanatory depth” que é com base no que achamos que o outro que é “como nós” sabe.  Aliás para que não me esqueça do verdadeiro resultado da informação do social media, há muito tempo que guardo isto, assim, para mim:

Someone may believe they understand something about an issue simply because the people around them think they understand it, because the people around them think they understand it, and so on. An entire community can end up with a strong sense of understanding even though no one has any real understanding at all.

Estamos a viver num mundo assim, em que achamos que a rede em que estamos inseridos sabe e esta acha que sabe porque acha que o outro sabe. - Mas que tem isto a ver com a figura acima?

Aquelas estatísticas são coisas que ao pouco vamos tendo cada vez mais dificuldades em aceder, com esta nova censura do social media no seu inventado conluio com a esquerda do “Cancel Culture” e dos novos ministérios da verdade que aí vem. Este tipo de estatística está a ser eliminado e a sua formulação não tarda será proibida. Contudo, enquanto não o é...  

Faz muitas décadas que os EUA tentam resolver o seu problema com a população negra, nomeadamente nas grandes cidades. Esta estatística, penso que 2018, mostra o ratio entre assassinatos por negros, latinos e brancos. Assim, temos que numa cidade como Nova Iorque, em que 45% é branca e 25% é negra o ratio de assassinatos por negros é de 18 para cada assassinato por 1 branco.  Basta olhar por ali abaixo para entender que o problema está por todo o lado.
Estas coisas são uteis para perceber a realidade. O ratio de murderer nos EUA são de cerca de 4 por cada 100.000 habitantes ao passo que na europa está em cerca de 1. Ora nos EUA se deixasse ficar só os assassinatos por europeus ficaria estranhamente com um ratio equivalente entre a Europa e os EUA.  Não teria que proibir e/ou destruir armas. Basta resolver o problema dos assassinatos por pessoas de etnia negra para que os EUA passem a ser “europeus”. 
E saber estas coisas é útil porque nos fazem ter um "grip on reality".

Qualquer que seja o problema cultural nos EUA com a sua população negra posso garantir que não se vai resolver com wokeness e BLM que querem transformar as populações negras em vacas sagradas como se não fizessem parte da espécie humana. Esse racismo da esquerda começa a ser nauseante e por isso cada vez se ouve mais vozes de pessoas de etnia negra que recusam ser tratadas, ou destratadas, com tamanha falta de respeito.
Como tudo na vida, deverá ter solução. -  Como tudo na vida, fingir que não se vê, fingir ou fantasiar em geral NÃO RESULTA.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lafayette Park

por Olympus Mons, em 14.06.21

Quem não se lembra das notícias atrás de notícias durante meses, de Junho até às eleições de Novembro, quando Donald Trump e restante staff da casa branca atravessaram Lafayette Park para rezar em St. John's Church.
O escândalo que foi os manifestantes serem afastado a gás lacrimogéneo. O escândalo durante meses, após meses, após meses…
Acontece que agora que saiu o resultado da investigação ao incidente, a mesma imprensa que teria levado 10 minutos a perceber a verdade, porque estava lá,  e deliberadamente mentiu…mentiu!... durante este tempo todo agora mostra-se muito chocada por ninguém lhes ter dito a verdade.
A verdade? – Os manifestantes foram afastados porque a empresa que ia instalar o novo sistema de segurança na vedação que circunda a casa branca tinha chegado!

A classe mais desonesta do século XXI é sem dúvida os jornalistas.

E como o mundo se enrola em estupidez e quando já não é preciso se desenrola em surpresa, como aconteceu com a hipótese de que o início da pandemia poderia ter tido origem num acidente do laboratório de virologia onde se faz gain-of-function research. Temos todos que nos lembrar que até há um par de meses atrás aventar essa possibilidade levaria a avisos por parte do Youtube, Facebook e Twitter de suspensão ou até banir da conta ou canal da pessoa e agora já não é problema nenhum.

Para mim cereja no topo do bolo é ter ido ao Bioarx e encontrar papers que nos dizem que tomar hidroxicloroquina com zinco efetivamente evita efeitos graves do Coronavírus. – Não faço ideia da validade desses estudos, mas que era só o que faltava ter sido a desonestidade de jornalistas, entidades e instituições, por causa do seu ódio a um político, a provocar um acréscimo de mortes que teria sido desnecessário. -  Que consequências seria justo impingir a esta canalhada?

Autoria e outros dados (tags, etc)

11 pandemias por ano

por Olympus Mons, em 13.06.21

Uma coisa é pela prudência ir procurando alternativas energéticas. E uma coisa também é ir tentando reduzir as nossas emissões de CO2 na medida das capacidades das economias mundiais. E sim, pode-se fazer um esforço - Ao final do dia não significa nada. 
Já a outra coisa, é aquela coisa da tanga, da narrativa e do kayfabe para idiota, útil ou não, comer noite e dia!

Numa altura em que o G7, as Nações Unidas, os governos e a totalidade da imprensa nos massacra com a história do céu que está a cair…

Numa altura em que seria tão fácil explicar que o ECS pela duplicação do conteúdo de CO2 na atmosfera não parece de todo ir para além de uma sensibilidade de 1.7C-2.0C e que tudo, tudo, o que chega à cultura geral é com base em estudos baseado no cenários RCP8.5 que é um truque, uma técnica de hipérbole usada para realçar coisas impossíveis mas que podem ser importantes perceber … Enfim, ficamos no mundo de hoje, no mundo dos maluquinhos.

Ir lembrando os maluquinhos do mundo -  No período representado no gráfico o conteúdo de Co2 na atmosfera aumentou de 280ppm para 400ppm, a temperatura (por causas antropogénicas e variabilidade natural do clima) aumentou 1 grau e as pessoas do planeta literalmente deixaram de morrer por razões ligadas ao clima.

Sempre que ouvir o António, o Guterres, o Costa ou outro zé qualquer pateta a gritar sobre alterações climáticas lembre-se que na verdade não estão a fazer nada em relação ao assunto a não ser fazer aquele ar sofrido e preocupado que você aí em casa aprecia. Postering, virtue signaling … enquanto batem palmas a carrascos que preparam o cadafalso onde os vão querer levar num futuro próximo, e nós todos por arrasto.
conseguem perceber isto aqui em baixo?

 

Sim, Ao final do dia, a pandemia até agora conseguiu reduzir as emissões de CO2 em 6.5%. Nem com uma pandemia atingimos os 7.5% necessário.
Mas necessário mesmo para os objectivos que aqueles lideres passam a vida a apregoar, é fazer isso anualmente! Ou seja, no próximo anos teríamos que ter 2 pandemias, em 2023 com 3 pandemias e em 2030 com 11 pandemias nesse ano!  e por aí adiante.

Quem tem pachorra ainda para aturar estes maluquinhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Porquinhos são os outros...

por Olympus Mons, em 13.06.21

Seja Robles ou qualquer outro esquerdoide, ao final do dia são no essencial assim:

Esta senhora, Patrisse Cullors é co-fundadora do movimento BLM.
Patrisse, que sempre se apresentou como Marxista de formação e coração, acabou de comprar a sua ultima casa pela módica quantia de 1.4 milhões de euros em Los Angeles. Pelo que se sabe é a quarta casa. Comprada depois de ter abandonado a liderança do movimento.
De onde vem o dinheiro? Das doações para o movimento Black Lives Matter. Aliás não se conhece outra fonte de rendimentos da senhora.

Curioso como pelo mundo ocidental fora se ajoelha em nome dos direitos das populações negras. Que direitos nunca nos é verdadeiramente explicado mas como a vida dos negros tem importância Patrisse tratou da vidinha de uma pessoa negra em particular e foi viver numa casa de 1.4 milhões de euros numa zona totalmente habitada por brancos, os tais brancos que ela odeia e considera como opressores da sua raça. -  Excelente rebutal da Candice Owen aqui (https://www.youtube.com/watch?v=i4zRnO_jcC0)

Toda esta gente merece. Serve, contudo, estes episódios, que convém dizer que a imprensa nem lhes pega, para usarmos naqueles momentos em até sentimos tentação de dar atenção aos esquerdoides.

E já agora, lembram-se todos do histerismo com os impostos do Trump não se lembram? Lembram-se de todos os candidatos democráticos nas primárias e Joe Biden na corrida berrarem a toda a hora…”its time for a wealth tax in the USA!

Se no exemplo acima temos a desculpa do “quem raio é patrisse” no caso dos rendimentos de Jeff Bezos, warren buffet, Bill Gates e até Elon Musk não se consegue perceber como não existe barulho.
Estes bilionários acima (com exceção de Elon) pertencem a um grupo de pessoas que souberam comprar toda a imprensa mundial, isto claro tendo em conta que basta ter na mão o topo da cadeia noticiosa para se controlar toda a hierarquia.
 Mas este é assim o mundo em que vivemos. Tudo é postering, tudo é virtue signaling
E esse signaling a par com a esquerda mais esquerda dos EUA tem uma retribuição. Não se iludam, no caso dos multibilionários acima mencionados dão guarida, recursos financeiros e emprego a toda uma rede de progressives que em retribuição deixam-nos em paz.

Saber que Bezos, Buffet, Dorsey e a outra mão cheia de bilionários pagou 0,3% em impostos sobre os seus rendimentos e não há uma onda esquerdoide e histérica é prova que eles sabem muito bem o que estão a fazer. Devo imaginar (porque me custa que não seja assim) que na verdade estão a contar com stock e stock options que eles nem podem vender enquanto quiserem mandar nas suas empresas e como tal não são verdadeiramente rendimento (só no momento da venda). Imagino eu.

Contudo não é esse o focalpoint do post mas sim que perante narrativas, tanto esta como a da fundadora do BLM, a camaras de eco e os megafones céleres da esquerdalhada estão caladinhos.

Eles não andam a calar as vozes conservadoras nos EUA sem algo em troca. Deve ser aquela coisa dos animais que são todos iguais mas..

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Números pequenos

por Olympus Mons, em 13.06.21

Realidades alternativas.

Todos os discursos de referência e de estado por exemplo de Marcelo Rebelo de Sousa , veja-se o do 10 de Junho, não deixa de falar da imigração e da multiculturalidade.  O que nunca se encontra é toda a discussão coletiva sobre o que as pessoas desse país realmente querem.

Muitas pessoas não tem a noção que um dos fenómenos mais relevantes para o nosso tempo é exatamente a facilidade com que as pessoas operam como se a realidade fosse algo que de todo se conseguiria provar como observável no mundo. A facilidade com que as pessoas criam uma realidade alternativa e depois dizem ser a sua verdade e como tal a verdade sob a qual dialogam consigo. Como se houvesse a verdade deles e, por conseguinte, até se enervam com a nossa verdade. No entanto só existirá mesmo a verdade.

Nesse sentido vivemos num mundo em que a informação é trabalhada para a aceitação do que eles decidem ser a realidade e nós temos todos que fingir que concordamos e que o aceitamos sob o risco de ser chamados de racistas, xenófobos, preconceituosos, quadrados e toda a espécie de impropérios.
Olhe com atenção para o mundo comunicacional que o rodeia e percebe que mudou de universo.

Vivemos sob a ditadura dos números pequenos e do enfastio criativo, do exaurir das vezes em que se consegue recriar as histórias com imaginação. Isto é válido tanto para a ficção como para o marketing.

Já aqui falei como o nosso mundo sensorial é rodeado de homossexualidade, e por muito correto que tenha sido a sua aceitação nas sociedades modernas a verdade é que são 1% da população. 4% são confusos no início da sua sexualidade e depois estranhamente caminham com a idade para a heterossexualidade. Contudo não se consegue hoje em dia assistir a narrativas visualmente sem homossexuais.
Com audiovisuais provindos de algumas sociedades ocidentais não se consegue ver uma série ou um filme sem deparar com uma realidade de casais e relações multirracial. No entanto, por exemplo numa sociedade com grande variedade racial e cultural como Reino Unido 0.2% da sua população asiática são casados ou vivem com alguém de etnicidade diferente. Cristo, 0.2%. Já analisando casais Brancos/negros são 0,9% dos casais do país!  

Curiosamente seria de esperar que nos EUA, devido á maior pressão da multiculturalidade que seriam um número dramaticamente diferente, mas na verdade só é ligeiramente maior, 1.5%, porque existe um 3% de casais de marido caucasiano e esposa de raça negra e mesmo assim o que é considerado alguém de raça negra nos EUA será considerado como branca em algumas partes do planeta. 0.8% de esposo negro e esposa branca ou 0.3% em que o marido é Asiático e a esposa negra ou 0.4% em que a esposa é branca. – Num mundo em que se alerta para o racismo dos caucasianos é extraordinário como as outras etnicidades conseguem ter níveis de casais multirraciais ainda menores.

A possibilidade de alguém se apaixonar por uma outra pessoa de cor diferente da sua e viver esse fenómeno sem qualquer tipo de Constrição e sem atos rogatórios é uma coisa imprescindível a um mundo em que se vai de Londres a Nairobi em 8 horas de voo.

Oh,  e não tenho dúvidas que esta alteração cultural em curso irá ter impacto nestes países onde existe essa promoção. Não tenho dúvidas que o nível de casais interétnicos irá subir em flecha durante os próximos anos. E não sei dizer se é bom ou mau. Não faço a mínima ideia dos impactos para essas sociedades nesta altura e também ainda não formei Ideia sobre o sucesso ou insucesso dessas relações. Mas não é a realidade atual nas sociedades que esses media tentam criar Verossimilhança, certo?

Porque esperam que as pessoas ancoradas num mundo real e não virtual se sintam confortáveis com tal situação?
Uma realidade hipotética não é a realidade. É uma versão possivel do tempo a decorrer no espaço. Nada mais.
 E, reparem, o meu post não é com o evento em curso em si. Mas sim com o facto de nesta realidade das sociedades atuais sermos alimentados nas nossas atividades lúdicas com uma alteração á realidade observável no nosso dia a dia. É como se a realidade tenha efetivamente desaparecido dos meios audiovisuais.

Pode ser que o futuro seja assim. Mas também pode ser que seja o oposto. Estas coisas costumam ter reações opostas num futuro breve.
Da mesma forma, nesta atual alteração cultural, será uma realidade observável o facto de que essa miscigenação não será observável de todo na Asia nem será observável em África. Os Asiáticos ficarão de forma homogénea como estão tal como os Africanos. Mas definitivamente será observável em valores muito relevantes, se calhar a maioria em algumas regiões do continente americano, onde efetivamente se assistirá a essa maior miscigenação. Com uma curiosidade que é os perdedores deste fenómeno, como já é observável por exemplo no aumento da miscigenação no Brasil, serem as mulheres negras que parecem ficar relegadas para um grupo populacional que não consegue arranjar relações duradoiras.
Sim, como sempre, haverá grupos populacionais ganhadores e perdedores.

Fica pois a curiosidade: Fora de conversas de políticos como Marcelo Rebelo de Sousa, que irá escolher a Europa fazer?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Chá e shots de tequila

por Olympus Mons, em 12.06.21

Pode parecer estranho que só 1/3 dos Portugueses verdadeiramente gostem do sistema democrático. Os restantes 2/3 até percebem que possa haver alguma vantagem em sistemas não democráticos. No entanto também é preciso perceber que o que nos é inato é a ditadura, conforme aqui tenho escrito, porque o nosso cérebro tem que fazer um esforço enorme para entender os interesses dos outros. Ditadura só é mau quando é contra nós, porque sendo a nosso favor é doce e balmy.

Se gostamos de democracia tomamos chá sempre que possível, valorizamos a toma de chá e temos como sagrado os pergaminhos de como se bebe chá. Sim, estique lá o dedinho e ao beber olhe para a chávena e para nada mais. - Porquê? Porque é assim.
Contudo o beber chá com etiqueta só vale a pena se for em polite company  e não no meio de javardos. Se toda a gente à tua volta estiver a javardar e a beber shots de tequila, então não é altura de beber chá é altura de entrar no binge.

Portugal nascido do 25 de Abril, do PREC e do partido Xuxalista a tal charneira de Portugal nunca verdadeiramente bebeu chá. A vantagem do 25 de abril foi os shots de camarão, a sapateira e carne todos os dias. Foi binge de estupidez e ressaca. Pouco mais que isso.
Longo texto para a fotografia do personagem ali em cima, não é? É que não é democracia esta coisa da imprensa on-demand do PS ativar quando quer para fazer o spin que deseja. Esta entrevista do Carneiro Jacinto, claramente mandado por alguém, pedido pelo Carneiro Jacinto e obedientemente aceite pela SIC Noticias onde aquele surge com um discurso desculpabilizante a culpar os ativistas, a acusar toda a gente de aproveitamento político não é espontâneo, isto vem da sebenta de um responsável pelo spin no gabinete ao lado do ministro ou do PM, tal como acontece na Venezuela.

“Embaixada diz não ter enviado dados para moscovo” -  oh meu deus se a embaixada o diz, assunto arrumado. E isto a Sic Noticias o dia todo… tal como na Venezuela se faz.

Já este senhor aos poucos também se vai revelando. Chama-se serviços prestados à nação xuxalista. Tive que o gramar no Socratismo, tive que o gramar na TSF de noite e dia a criar memes contra a troika e Passos Coelho, tive que o gramar na racionalidade regressada quando o partido socialista voltou ao poder. Aliás ele e Constança cunha e Sá ainda vão acabar ao peito com Grã-Cruz da Ordem do Mérito Xuxalista pelos serviços prestados num dos períodos mais difíceis de Portugal -  Não é desconexo do facto de 5 anos depois o partido socialista regressar ao poder após a hecatombe. O trabalho daquela diariamente na TVI e deste por todo o lado no nosso meio mediático foi pivot para dar o bolo aos tolos que o tuga é.

É assim. Ao final do dia como eu entendo o Salvini, o Orban e o André Ventura. Se não é para tomar chá mas é sim para binge de shots…. Pois que venham eles!

Autoria e outros dados (tags, etc)

O mundo de hoje

por Olympus Mons, em 11.06.21

Uma semana sem escrever aqui no blog (que não gosto) mostra que o mundo, pelo menos o meu mundo, começa a voltar a alguma verisimilhança de normalidade e eu não me preparei para esse facto. Uma semana fora e mal tempo tive de dormir quanto mais escrever. 
Tenho que me preparar porque de certeza terei outras semanas assim (felizmente) mas basta preparar-me que deixa de ser um problema.

Mas escrevo este post porque um dos meus sócios não é caucasiano. E enquanto jantamos nestas nossas deslocações vamos falando de vários assuntos. Um dos tópicos que ocorreu foi ele achar que a decadência do ocidente e acima de tudo dos ocidentais vá ocorrer com toda a normalidade e que isso não trará mal ao mundo.
Um dos assuntos que falámos, desta vez, foi sobre a escravatura como uma das perversões dos “brancos”. E quando eu contra-argumento que os brancos não inventaram a escravatura, provavelmente foram as maiores vitimas da escravatura desde a sua criação no calcolítico, que a escravatura negra para o norte de Africa já existia á mil anos quando os brancos lá os foram comprar e acima de tudo que não foram os brancos que criaram a escravatura mas foram definitivamente os brancos que acabaram com a escravatura. E, já agora, que o resto do mundo vivia muito bem e feliz com a escravatura quando o enlightement Europeu decidiu que era imoral e insustentável na modernidade. E muito bem! – Mas o meu sócio que nunca desiste de uma discussão fica sem argumentos (pelo menos válidos) o que é curioso porque implica que ele nunca terá processado essa perspectiva que é meramente factual.

Este espanto por se ventilar argumentos que as pessoas não estão habituadas começa a ser um problema grave devido ao facto de não lhes ter ocorrido antes que esta perspetiva e existe e que é assente em factos, meramente factos e como o outro diz facts dont care about your feelings.

Esta imagem aqui ao lado é Shangai... quem diria.

Mas espanto, espanto, é quando eu argumento que percebo o momento mundial que se vive contra os Brancos (leia-se europeus) porque na verdade esteja você em lisboa, paris ou Roma, mas também em Nairobi Kinshasa ou Lagos,  Mumbai, Seoul o tokyo, Beijing Shangai ou Schenzhen a verdade, verdade é que Deus ou a natureza pode ter criado o substrato mas tudo o resto, tudo, é uma invenção de um homem velho europeu! E se 95% de todas as coisas foram invenções de brancos europeus como raio vai o resto do mundo gerir isso?

 

Esse vai ser o tema de um post muito maior do que o tempo que agora tive depois de aterrar em lisboa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

5 de Junho de 2004

por Olympus Mons, em 05.06.21

Não sei se vocês de lembram do dia ou evento em que perceberam que o mundo estava ao contrário.

Eu lembro-me. Lembro-me do dia 5 de Junho de 2004, faz hoje 17 anos, e esse dia só ficou marcado na minha então jovem personalidade alguns meses depois no dia 11 de Novembro do mesmo ano.

No referido dia 5 de Junho ficou-me na memória a pouca atenção que foi dado em Portugal à morte de Ronald Reagan.  Lembro-me que no telejornal que via nem foi abertura e por uma razão qualquer até deram a noticia lá para o meio-fim. 
Na altura pareceu-me algo profundamente ingrato. Mas depois percebi que era meramente o air du temps que aí vinha.

Para mim o ex presidente norte-americano tinha tido uma importância vital na vida do planeta. Tinha derrotado o comunismo e eu nessa primeira década do século XXI vivia imenso o milagre, o impossível acontecido, aquele que terá sido até hoje a par com a explosão da agricultura o maior fenómeno humano reportado que foi a globalização e a vitória do capitalismo terem retirado da pobreza extrema mais de 2 mil milhões de pessoas na década de 90, na década após Ronald Reagan ter derrotado o império do mal, a influencia da União Soviética no planeta que impedia essa capitalização de um mundo que industrialmente se aproximava, logo algo que se assemelhava a um milagre para os mais pobres e desfavorecidos. – Percebi bem nessa altura como funciona mesmo a esquerda.

Ora, alguns meses depois, a 11 de Novembro, morre Yasser Arafat… e Portugal noticioso explodiu em frenesim. Lembro-me da interrupção das programação durante a tarde, das horas ininterruptas da TSF, do continuo da SIC Noticias com pessoas a entrar em direto uma atrás das outras que se prolongou pelo jornal das 8. Dir-se-ia que tinha morrido a segunda encarnação de Cristo… ou Maomé.

Nesse dia percebi.

E desde esse dia não deixei de o perceber em muitos dos eventos que se seguiram.

Desde esse dia percebi também que é tudo uma questão de tempo. Infelizmente lá chegaremos sem apelo nem agravo.  Não há que antecipar, temer ou lamentar. Infelizmente é meramente o destino.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Abuela...

por Olympus Mons, em 05.06.21

Capture AOC1.PNG

Se quisermos vencer um esquedalhoide basta estar atento à sua hipocrisia. E quando se tem sucesso em demonstrar ao mundo essa hipocrisia doí-lhes como nenhuma outra coisa.
Por muito que se tenha escrito sobre a senhora da foto, a congressista Alexandra Ocacio-Cortez, podem acreditar que nada do que possam ter escrito ou dito sobre ela lhe terá doido tanto quando a pequena demonstração de como deve ser feito ocorrido esta semana nos EUA.
Ela escreve um texto sobre a sua abuela em porto rico, especificamente sobre as suas condições de habitação e culpa Trump pela situação lastimável em que a sua avó tem que viver.

Rapidamente se sucederam as alusões ao facto de a senhora ser SUA AVÓ e ela ganhar 200 mil dólares por ano e ter um tesla de luxo, não se entendo como ela não ajuda a SUA AVÓ.
Pode parecer estranho a quem lê mas a mente de um esquerdoide funciona mesmo assim como já aqui demonstrei com estudos sobre os pathways neurológicos que definem as opções politicas, e por conseguinte a visão do mundo, das pessoas ora de esquerda ora de direita.
À congressista OAC realmente nunca lhe passou pela cabeça usar o dinheiro dela, aquele com que compra tesla e janta em restaurantes de luxo em Nova Iorque para ajudar a sua avó. Não, isso era responsabilidade dos outros, era responsabilidade do Trump.

Capture matt walsh.PNG


Mas cereja no topo do bolo  foi quando algumas figuras ligadas ao Daily Wire depois de terem gozado com ela precisamente sobre a sua incapacidade de ser generosa com a própria avó, decidiram criar um GoFundme e em 10 horas angariaram 100 mil dólares para a avozinha da congressista.

 

É assim que se faz e, pouco a pouco, esta esquerdalhada vai começar a levar o troco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Haverá memória

por Olympus Mons, em 03.06.21

Capture Kamau Bobb.PNG

Curiosa a posição do IL sobre a Carta Digital. A parte que me desagrada no IL desde o início é a propensão para o compromisso e comprometimento em nome do entendimento entre as partes. Por muito que até concorde com posições libertarian do IL em algumas questões ao final do dia também não me iludo que vem revestido de colaboracionismo.
Ocorreu-me isto porque a carta digital advoga algo que eu se puder lutarei com todas as forças que é o direito da internet nos esquecer se pretendermos.
Já aqui expliquei que é comum as pessoas que quebram os status quo ou os pergaminhos e por conseguinte as comunidades e até as totalidade das sociedades onde se integram costumam ser logo depois as primeiras a sair da zona quando as consequências chegam. Que por norma chegam rápido.

Já falei como em londres as pessoas que mais saudaram a diversidade foram as primeiras a abandonar os bairros quando as consequências (destruição do capital social) e foram criar os filhos para junto dos conservadores dos arredores, ou como nos EUA abandonam o caos de zonas de estados onde políticas disruptivas provocaram efeitos perversos e hoje amontoam-se em cidades como Austin Texas, etc. Em resumo o normal white flight que que transformou hoje em dia no liberal flight.

Para as pessoas que hoje em dia se entretêm a cancelar outros por coisas que disseram há 20 anos, gente mestre do WOKE, serão as mesmíssimas pessoas que no futuro vão invocar o sagrado direito digital ao esquecimento. Já aqui escrevi que essa será a maior vergonha e acima de tudo a luta para que não aconteça a maior batalha para as duas próximas décadas.  O meio está a ser usado hoje em dia para destruir o mesmo meio terá que ter memória para os fazer pagar o preço.

Este senhor da fotografia, Kamau Bobb, “former head of global diversity strategy “ da Google acabou de ser despedido por coisas que escreveu há 15 anos atrás sobre judeus.
Havendo o direito ao esquecimento, como já tinha apagado há muito tempo o seu Blog poderia continuar no seu caminho de guerreiro Woke sem quaisquer consequências. Como a internet não esquece, e ainda bem, pagou o preço.
Ou muito me engano ou dentro de duas décadas teremos um mar de meninos hoje em dia woke que quererão que a net esqueça toda a sua peugada digital.
Quererá meramente dizer que depois do que fizeram (e vão fazer) quererão não pagar o preço. Eu sou de direita e punisher por game theory.
Se depender de mim haverá memória.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vão todos ter uma surpresa

por Olympus Mons, em 03.06.21

Capture TVI.PNG

Ontem André Ventura passou pela TVI.

Os editores da TVI prepararam bem a vinda de André Ventura, começando a sua presença no jornal das 8 e passando depois para a TVI24.
André Ventura foi convidado à TVI porque aqueles editores tinham preparado duas boas armadilhas ao líder do CHEGA. O entusiasmo era sentido.
A este pateta aqui ao lado calhou o papel de palhaço de serviço.
Não sei se AV estava avisado, se ele já o espera a todo o momento ou que finalmente aprendeu que é sempre, sempre, sempre armadilha.
Para a história fica aquela entrevista que você pode reparar não tem repercussão nenhuma nem nos segmentos seguintes do generalistas, nem no mundo dos media digitais. - Esta ausência de segmentos da entrevista só significa que deverá ir a correr ver a entrevista. Ou no Youtube ou onde quer que seja, porque o significado é somente que André Ventura limpou o chão com o jornalista enquanto sorria para o editores inteligentíssimos que pensavam que tinham preparado uma armadilha daquelas das boas. Volto a dizer que são estes momentos Santiago Abascal que deixa a esquerda à beira de ataque de nervos.

Curioso também,

Capture sabado.PNG

Pela parte que consegui ler também me surpreende que o CHEGA tenha conseguido que revista SABADO tenha feito uma reportagem sobre André Ventura e CHEGA sem ser o hit piece normal que temos assistido até aqui. Pelo menos diz-me que a limpeza que está a ocorrer no partido também está a passar por limpar os patetas narcisista de calcinha apertada na canela que por vezes pareciam andar sempre ao redor do AV e mortinhos por aparecer em qualquer reportagem ou fotografia desde que alguém ligasse a camara de filmar ou a máquina fotográfica.
Quem quer que tenha controlado esta reportagem até conseguiu que abordasse o Luc Mombito como sendo amigo, secretário e motorista do racista e xenófobo André Ventura e que é por acaso de raça negra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tudo racistas, senhor, tudo racistas...

por Olympus Mons, em 02.06.21

Chateia a facilidade com que hoje se chama racista a alguém ou a alguma instituição. Ouvia o jornalista Paulo Baldaia e reparei na raiva com que dizia que o Chega era RACISTA e XENOFOBO baixando depois o tom de voz.

race is a grouping of humans based on shared physical or social qualities into categories generally viewed as distinct by society. The term was first used to refer to speakers of a common language and then to denote national affiliations. By the 17th century the term began to refer to physical (phenotypical) traits. – Wikipedia…

Curioso como não existe ações em tribunal por parte do CHEGA contra esta gente que com tanta facilidade usa esse anátema em fóruns públicos. – Pode ser que com o dinheiro da Opus Dei que agora vai entrar no CHEGA isto mude de figura.
Quando alguém se refere aos ciganos na verdade está a relatar uma realidade que é identificável. Sim eles são ciganos. 
Enquanto grupo populacional são identificáveis por uma quantidade enorme de características. Os seus marcadores e polimorfismo de nucleotídeo são únicos, Autossomas são diferenciáveis, com DNA mitocondrial do sul da India, culturalmente são um desvio à norma dos países onde vivem, etc. etc. Por isso deve ser normal que eu diga os ciganos para identificar um grupo populacional.
Se os ciganos possuem características diferentes e identificáveis será normal que eu as elenque. Se por um lado tem características como famílias muito numerosas, hierarquias perfeitamente definidas e impostas muitas vezes pela violência, casamentos arranjados, etc, por outro lado para as sociedades onde vivem têm características profundamente problemáticas para essas mesmas sociedades como por exemplo, são 0,3% da população e usufruem de 4% do RSI (12 vezes mais a sua representação na população), são 0,3% da população e representam 7% da população prisional (25 vezes a sua representação populacional), com número muito elevado da abandono escolar, etc., etc.
E ninguém considerou racista quando o governo decidiu que para terem direito a subsídios tinham que colocar os filhos nas escolas publicas, pois não? E eles lá andam. Não morreram nem se rebelaram. Cumpriram!

Por isso se eu não for racista direi que quero que aquele grupo étnico tenha as mesmas constrições ou constrangimentos sociais que o resto da população do meu país, certo?  Não só nos comportamentos como até que paguem imposto como os restantes concidadãos, que tenham níveis de emprego como os outros cidadãos, que cumpram as regras e leis como os outros concidadãos, e até que dentro das suas características próprias respeitem os fatores descritivos que são consensuais no país onde vivem.

Nada que eu tenha ouvido de André Ventura e do CHEGA foge a esta perspetiva não racista.

Fica-me a dúvida das motivações de pessoas que fingem não notar as anomalias psicossociais daquela população. - Fingir que não se passa nada revela que se está mesmo perante a recusa de enfrentar algo que se passa no seu subconsciente.
Será essa emoção racismo?
Fingir é uma negação de emoções que aquela pessoa sente. Não tem nada a ver com a descrição casual e factual que o seu interlocutor verbaliza. Nada. 


Autoria e outros dados (tags, etc)

The Pill

por Olympus Mons, em 01.06.21

Se repararem nunca se consegue verdadeiramente terminar uma discussão sobre imigrações porque existirá uma altura em que alguém levantará a questão da natalidade e do declínio demográfico.  Não atingindo os 2.1 filhos em média não se vai conseguir manter sequer a população de determinado país. Nesta altura a maioria dos países desenvolvidos estão nos 1.5 logo o destino parece traçado. Para garantir a reforma dos que estão vivos hoje em dia só com migração subsaariana onde os níveis populacionais estão bastante elevados.
Não deixa de ser curioso que por essa ordem de ideias, os Africanos ficarão homogeneamente africanos, os Chineses ficarão homogeneamente chineses (China aguenta até alguma redução populacional), no subcontinente indiano serão homogeneamente indianos como hoje …. E deixará de haver Europeus enquanto população homogénea sendo algo parecido com a América do Sul. E toda a gente parece viver bem com esse facto. Proteger, proteger será os índios da Amazónia, já a etnia europeia saída da idade do Bronze, que por acaso criou o mundo em que todos no planeta vivem (um dia destes ainda teremos que olhar para isto em detalhe), que criou a bolha que levou a população mundial de 2 mil milhões para 7 mil milhões poderá desaparecer sem problema nenhum.

Por princípio isso cria-me alguma consternação e parece-me ser necessário ponderar esse facto um bocado antes de tomar decisões. Uma população parece lidar bem com pequenas percentagens de heterogeneidade étnico-cultural, mas como sabemos detona ou implode com percentagens acima de uma percentagem relativamente pequena. 
Mas se a preocupação é manter estável os números de pessoas num país, se toda esta conversa advém da tal matriz de population replacement e rácios trabalhadores vs pensionistas, etc então, parece-me a mim que estamos novamente perante os tais problemas da “grande crise do estrume de 1894”.  

Para mim é claro o que aí vem a nível populacional e muito antes da segunda metade do século XXI. Que é muito simples: Velhice vai ser considerado doença porque vai ser curável.

Sim. Assumo que mesmo os millenials já vão ter uma experiência de envelhecimento muito diferente das gerações anteriores e vão ser saudáveis até aos 110 anos de idade e depois morrem.
E a ser assim, todo a esta conversa da população crasha como crashou a da crise de 1894! Na verdade o problema passa a ser o inverso. Ter um replacement rate populacional de 1.5 poderá ser demasiado.

Importante: Para não parecer maluco convém explicar. Já existem por exemplo suplementos que revertem verdadeiramente a idade genética das pessoas. Quando se toma esses suplementos e se vai medir o Methylation do ADN e medindo isto consegue-se saber a idade real da pessoa e não a cronológica, rapidamente se tem pessoas de 50 anos que voltam a ter 30 pelos marcadores. Isto é enorme.
Explicar neste post ficaria muito longo, mas por exemplo eu tomo NMN (nicotinamide mononucleotide) faz 3 anos (poderia ser NR- Nicotinamide Riboside) e na verdade não tenho duvidas que para o efeito sobre os genes Sirtuans (SIRT1, SIRT2, etc) o meu corpo voltou à capacidade esqueleto-Muscular que tinha aos  30 anos (um dia talvez explique isto tudo em detalhe). Também se sabe os efeitos do Metformin (metformina que se dá a todos os diabéticos) sobre a longetivdade e sobre o gene MTOR ou agora os GLP-1 (também dos diabéticos) sobre a perca de peso (tudo o resto falha a longo prazo!), ou senolytics, etc, etc.

Isto para explicar que nos meios académicos, a questão já não é se consegue a breve prazo fazer as pessoas ter novamente 30 anos ou fazer as pessoas serem saudáveis (fazer sprints!) e no máximo das suas capacidades intelectuais até ao 100 anos logo estarem perfeitamente ativas profissionalmente para além de um século de atividade. A questão é se consegue fazer repetir o processo vezes sem conta. Mas novamente não é o intuito deste post. Disso falarei noutro.

Mas fica a nota. Cuidado com as crises que procuras porque no essencial podem ter consequências irreversíveis e completamente desnecessárias.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs