Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Assim já não tem problema...

por Olympus Mons, em 29.07.22

Capture.PNG expat.PNG

E ao final do dia até podiam fazer isto tudo com mestria, arte e engenho. Ou, alternativamente, usando  a perfeita arte de ilusão que é a politica… Mas não.  - É uma manifestação de poder!
E como manifestação de poder que é ,  como a esquerda tanto gosta, é feito na sua cara e à descarada para ver se te atreves a discordar. 

Este artigo do muito liberal LA times é disso mesmo representativo. Tudo nesta história é Liberal! No sentido de extrema esquerda americana, desde as pessoas, os jornalistas, o jornal, o estado referido.

Já sabem com certeza que todos aqueles muito esquerdoides liberals da califórnia estão de armas e bagagens para o Texas, fazendo com que uma cidade como Austin tenha passado de 700K para 1.4 milhões de habitantes num ápice. A última parece que foi aquela atriz a Emma Stone que se junta a tantos outros que nos últimos anos a precederam. – E reparem, não mudam de ideologia. Austin passou de Red a blue num ápice e ali o partido democrata vai ser sempre rei e senhor durante os próximos tempos. Esta gente é assim. Estraga, dejeta no sítio onde vive e quando começa a cheirar mal não limpa mas sim agarra na sua tralha e vai estragar outro sitio qualquer. - Sempre foi assim.

Mas o que talvez você não soubesse é que existe uma grande migração deste pessoal de São Francisco, de Silicon valley e Los Angeles e outras áreas de Califórnia para a cidade do México.
E, dai este post, leia o modo como o muito liberal LA times descreve a situação. Imagine você que um jornal descrevia os imigrantes mexicanos para os EUA desta forma. E não estou a falar dos pés rapados. Estou a falar de imigrantes mexicanos com dinheiro e capacidade económica de fazer diferença.

Note as palavras que se usa.
Gente que não fala  a língua…”, “somos os únicos mais escuros neste café…”, …”Inundação de gente”, “cheiro de novo colonialismo…”, “estragam os bairros icónicos da cidade do México...” - Imagine você que alguém fazia um espelho de palavras e revertia esta descrição. Era o fim da picada.

E fica o reparo. O número de digital nómadas (leia-se gente de extrema esquerda que ganham bom dinheiro e vão viver para cidades europeias ao invés de paises mais diverse deles como a nigéria) que vem para Portugal está a aumentar exponencialmente … “O número de americanos que vivem em Lisboa triplicou desde 2010. Agora os americanos são o maior grupo de estrangeiros a comprar casas na Área ...

Estes merdas, são os mesmos que adoram a diversity mas que à primeiro oportunidade vem viver para lisboa.  -  Estive  a treinar num ginásio junto á Avenida da Republica e vi como esta gente gosta de diversity. Nem os personal trainers eram diversity
Lá dentro eu era dos únicos portugueses.
Fale com eles, como já me ocorreu no passado, e vêm de sítios muito liberal e votam liberal e continuam com a mesma conversa de esquerda. A pessoa tem que morder a língua para não lhes perguntar porque raio vieram viver para representações icónicas do Europeismo e não para sítios onde as pessoas são muito diferentes de si.

E quem quiser que leia o artigo todo no LA times. - 

https://therationalpessimist.files.wordpress.com/2013/02/kaya-identity-jpg.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

E os Nazis são os outros

por Olympus Mons, em 28.07.22

Parecia eu que estava a adivinhar esta conversa do Racismo e da genética com o que o Orban disse.

Capture orban again.PNG

O problema do Orban é o problema que muita gente de diversas áreas científicas estão a ter por esse mundo fora, visto não ser aceite que postulem aquilo que hoje dia são evidências, mas que contradizem ideologicamente o vigente fascismo. Cada vez é mais aparente que o fascismo está de volta, mas na versão século XXI. Mas é a mesma coisa.

Aquilo que o Orban esclareceu foi um ponto técnico e o alerta para um truque, uma manobra insidiosa da esquerdalhada ao fazer querer que os europeus não são raça são sim uma mistura de raças.
Sim, somos uma espécie… mas temos várias raças. Apesar da carga negativa que ganhou o termo devido ao racismo e genocídios, não deve isso significar que não existe. Os cães são canis familiaris e depois existe raças. E ninguém discorda que uma coisa é um pitbull outra é um caniche, certo?

Para que fique claro, aquilo que Orban esclareceu foi que a formação da admixture genética dos europeus ocorreu entre a idade do cobre (ou do calcolítico) e o fim da idade do bronze e que assim, todas movimentações históricas ocorrem dentro da mesma matriz de admixture. Não era mistura de raças. – Isto devia ser tão óbvio que afirmar isto devia ser bizarro de tão evidente.
nas pontas de contacto, seja português com pequena percentagem de adn do norte-africa (bérber) seja no finlandês com ADN Sami, ao longo do tempo existem pessoas que vão tendo essas pequenas percentagens de ADN adjacente ao seu. Mas não muda essencialmente o admix daquela população enquanto definição do seu grupo populacional.

Já Cabo Verde é uma país cuja população é uma mistura de raças. 30%-40% do ADN é europeu, 50% da Africa Ocidental e um bocado de ADN do norte de africa. Isto com variações entre as ilhas. Fora a ilha da capital, até 70% dos haplogrupos do cromossoma Y (filhos de) são de Portugueses.   – Cabo verde é uma mistura de raças.

Num mundo em que se vai de Nairobi a londres em 8 horas, ou que se consegue chegar à Europa por meios terrestres vindo do resto do planeta num mês de migração, estamos perante paradigma novo.

Esse paradigma tem mesmo o poder de acabar com a homogeneidade que caracterizava um grupo populacional. Parecer ser passar os 20% de heterogeneidade numa sociedade, uma aldeia ou um país, para ela deixar de existir a médio prazo. O capital social que une as pessoas parece ter que ter valores acima de 90%.
E se esse é o resultado, podemos falar um bocado sobre o fim da Europa? Ou de qualquer país do Ocidente? Alguém perguntou ás pessoas aos povos o que acham disso? 

E o racismo realmente tem que ali estar presente nesta conversa toda! - De que outra forma, gente fanática do igualdade, consegue justificar a sua obsessão com a genética europeia a não ser por a considerar superior? E como eles, os esquerdoides, tem dificuldade em lidar com o seu racismo de imposição neurológica, criam estas conversas que não lembram ao menino Jesus.  -  Fica-me, pois, a impressão que aquilo que eles acham é que a admixture Europeia é superior e por isso se deve misturar com as outras, quase como se fosse uma conversa do melhorar a raça dos outros, ou alternativamente que como é superior tem que desaparecer como aconteceu em séculos passados com a admixture dos judeus Ashkenazim, desta vez pela miscigenação.

A grande novidade e até me atrevo a dizer beleza do século XXI é que as opções românticas de qualquer individuo estão já muito acima de qualquer convenção de grupo ou de identificação e vivência de grupo populacional. A beleza que alguém de raça negra se apaixonar por alguém de etnia asiática é, e bem muito bem, considerado como um valor que se sobrepõe a qualquer inferência, aferição de significado ou ofensa ao grupo. Tínhamos chegado a este ponto, mas este pessoal, estes esquerdoides dos wokismos e CRT, vão conseguir estragar também isto, como estragam tudo o que tocam. – Todos os abusos tem uma reação.

O mais incrível é que das admixtures genéticas todas do planeta, parece que somente a admixture europeia é que é deve ser alvo de incentivos ao desaparecimento. Não é como se o resto do mundo adorasse miscigenar e os europeus não.  Não se vê um movimento de pessoas negras a miscigenar com indianos, ou pessoas de etnias Han a miscigenar sequer com os indianos que ali estão ao lado, ou os negros norte-americanos a miscigenar com os ameríndios... Nada. Até parece que anda o planeta inteiro a miscigenar e os malandros dos Europeus é que se recusam… quando a verdade é que se tem um planeta inteiro onde 80% mantém as suas características genéticas como estabelecidas pelo identificação do seu grupo populacional, enquanto se grita que a ancestralidade Europeia, os 20%, tem que se miscigenar com os outras raças e etnias?
Ao final do dia fica aquela coisa do Franz Fanon, não é? O mundo só sossega com a morte do homem branco. É isso?

E não se surpreenda, que se for, não passa de working as designed, pelo que conheço de toda a história, mesmo a genética, da humanidade.  Por norma sempre funcionou assim, até ao ponto em que essa população é absorvida … quase sempre por via mitocondrial ou seja pelas mulheres que os homens acabaram em valas comuns ou escravos que não reproduzem.

Mas fica a pergunta -  O mundo só parece sossegar com a morte do homem branco como a europa nazi só sossegava com a morte do Judeus askenazim… E os nazis são os outros???

Autoria e outros dados (tags, etc)

Dos que guincham e dos que sabem.

por Olympus Mons, em 26.07.22

Encontrei esta notícia hoje de manhã, no the Hill, para rapidamente esta mesma descer de destaque e até ter dificuldades em encontrá-lo na parte da tarde.

Viktor Orbán sparks outrage with attack on ‘race mixing’ in Europe

Encontra-se ainda vários órgãos de comunicação que o referem, como o The Guardian ou Politico mas não transcrevem o que Orban disse, mas fazem extensos artigos sobre o a revolta dos outros dirigentes (2 ou 3) Europeus às palavras de Orban.

Eu não gosto ou desgosto de Orban. Da Hungria pouco mais percebo do que as suas especificidades e acima de tudo a cultura que tem alguma desconfiança de uma Europa que os abandonou sempre e durante longos períodos históricos aos vizinhos diferentes, fossem estes o império otomano ou até incursões dos Mongóis. Eles nunca nos perdoaram e faz parte da cultura deles.
Já para não falar do que passam as suas minorias pelos países todos ali à volta.
Fora este parco contexto, pouco sei ou ligo a Orban e à Hungria.

No entanto em alturas, como no tema das alterações climáticas, já tinha reparado que ele quando falava era muito mais conhecedor do que aquilo que seria de esperar e milhares de vezes mais perto da realidade nas suas palavras do que os restantes líderes europeus.

Mas voltando ao que ele disse agora:

“In such a multi-ethnic context, there is an ideological feint here that is worth talking about and focusing on. The internationalist left employs a feint, an ideological ruse: the claim — their claim — that Europe by its very nature is populated by peoples of mixed race. This is a historical and semantic sleight of hand, because it conflates two different things,” Orbán said in his speech. 

“There is a world in which European peoples are mixed together with those arriving from outside Europe. Now that is a mixed-race world. And there is our world, where people from within Europe mix with one another, move around, work, and relocate,” he added. 

Eh pá… Na mosca, no bullswye!

Eu Já nem falo de políticos, até falo de comendadores com carteira intelectual, pessoas ditas eruditas, fazem aquilo que Orban tão bem (para politico) ali descreve!

A diferença que ele, Orban, ali faz sobre o que é história genética é essencial para se perceber minimamente o mundo.

Os Europeus são do mesmo stock de pessoas há mais de 5 mil anos, são uma especificidade nascida das tais componentes que aqui tantas vezes falei de WHG+EEF+Yamnaya, sendo que Yamnaya são uma combinação do EHG (Eastern Hunter gatherer)  e do CHG (Caucasus Hunter..). Sendo que esta componente CHG também entrou, em barda e bem antes dos Yamnaya pela Europa a dentro na idade do Cobre, Vindo pela Grécia, Itália, etc para pouco depois o CHG também chegar pelas estepes da Ucrânia. – Complexo, não é? mas a partir de determinada altura, foi isto e mais nada. E com propriedade se volta a dever, não é poder é dever, chamar aos Europeus Caucasianos (pese embora faze-lo seja uma simplificação).


Depois foi chocalhar, misturar, misturar e deixar cozinhar esta massa genética durante milénios. Na idade do Ferro já estava perfeitamente centrifugado e isso é um europeu.

E peça a um programa de computador que crie um PCA com todos esses SNP, alelos e polimorfismos que representam os europeus e o programa de algoritmo não hesita em fazer uma bola com todos os Europeus no vértice das heterozygosity e heterogeneidade genética dos humanos do planeta. Coloque os admixes genéticos do planeta todo e o europeu é aquela bola “compacta”.

Um japonês tem 1.500 anos, um indiano menos de 2.000 anos e aquilo que você considera um africano não terá mais do que 3000 anos (pelo menos habitando nas diversas regiões de africa e talvez o espante saber que um negro sul africano completou a sua genética há 1000 anos (1300AD)… e quem se tramou foram os Khoe-San. Mas isso é outra história. Mas um Europeu está aqui há 5000 anos!

Quando alguém diz que os Europeus já são uma mistura de raças está a usar um truque, como Orban diz, um ruse, para enganar as pessoas. E esta farsa suicida está em curso.

Mudar o admix genético de uma região terá consequências para além do antecipável. Faze-lo deliberadamente é bom que se saiba de antemão no que resultará. Não se pode arriscar porque o cemitério da história está cheio destes incautos.  E algo de diferente vai resultar e não me é claro que a Europa, com toda a envolvência da palavra, na sua essência milenar, tenha que desaparecer para haver um mundo melhor. Muito pelo contrário. O mundo, o planeta, é a Europa! Tudo foi criado e construído por estes. E se o mundo mudou e temos que reajustar os paradigmas vamos fazê-lo com sensatez e cautela, porque o abismo está sempre ali ao lado.

Também por isso cadeiras ou áreas como a genética comportamental estão em cerrado ataque por parte da esquerda, por isso qualquer alusão por parte de pessoas da Arqueo-genética de que é inevitável que se use as mesmas ferramentas que eles hoje em dia usam para desvendar o passado para se determinar diferenças comportamentais das populações humanas é recebido com o mais ameaçador aviso de cancelamento da vida dessa pessoa, por isso a psicometria passou a ser palavra suja.
Prefere-se viver na mentira! Como a esquerda sempre gostou!

Podem guinchar o que quiserem contra Orban, que na realidade dos factos e da verdade ele dá de cátedra aos patetas idiotas que nos governam a todos na Europa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Darwinismos...

por Olympus Mons, em 24.07.22

Tenho estado para escrever sobre estes assuntos com mais assiduidade.
Aliás, confesso que ainda estou a recuperar do facto de um deputado do CHEGA ter dito que os portugueses são caucasianos e nos instantes seguintes, não é ter caído o carmo e a trindade, é saltam para derivadas completamente estapafúrdias à luz do conhecimento e ciência, com fact-checks e intervenções até de geneticistas, dizendo coisas que envergonham um pescador quanto mais pessoas que deviam saber melhor.

O problema aqui é o estado de total insanidade a que se chegou em que é permitido reverter toda e qualquer resultado da realidade observada em favor de qualquer coisa, por mais estapafúrdia que seja, que sirva aquela agenda.
Mas agenda de quê, e mais importante agenda para ser servida a quem?

Tenho estado para escrever sobre o modo como por exemplo a Wikipédia tem estado a sanitizar, a eliminar sem vergonha e todo o descaramento à maneira mais estalinista todas as referências à psicometria. Reparem nada no mundo dos dados é tão sólido quanto a ciência resultante dos testes psicométricos, por região, por pais, por raça (e aqui surge o problema). Os dados são tao sólidos quanto afirmar que a terra anda á volta do sol. Mas muitas das referências estão a desaparecer “da net”.
Ou, por outro lado, referencias a dysgenics ou a “dysgenic effects” ou a flynn effects, ou seja o que for.

Dysgenics é problemático porque -  “tending to promote survival of or reproduction by less well-adapted individuals (such as the weak or diseased) especially at the expense of well-adapted individuals (such as the strong or healthy) the dysgenic effect of war. 2 : biologically defective or deficient.”

Contudo e mesmo assim vão saindo estudos com assiduidade, mesmo que depois os algoritmos do FCE atuem, especialmente quando metem a meio coisas como “igualdade”…

Este paper é de há dias. 
Human capital mediates natural selection in contemporary humans" is published in the journal Behavior Genetics on July 6, 2022.

Aliás, estudo com a chancela UEA's School of Economics, até porque East Anglia é intocável porque é das mecas do Esquerdalhismo.

natural-selection-may.jpgO que esta imagem nos diz é simples. Que estamos a selecionar a espécie, ou pelo menos o ocidente, para polygenics traits como ADHD, consumos, depressões, Cannabis e doenças coronárias e a perder coisas como conscienciouness, capacidade cognitiva e sucesso académico.

Este é o mundo que estamos a construir. Especialmente nos sítios onde estes estudos são realizados que é no ocidente e para ser mais preciso ou nos EUA ou no Reino Unido.

A velocidade com que todas estas áreas científicas estão a ser atacadas é impressionante. A última, sobre a qual escreverei, é a genética comportamental. Coisas interessantes, com ciência muito robusta, que nos dá perspetivas sobre o comportamento humano que em toda a sua operacionalidade nos ajudaria a navegar um mundo melhor, mais elucidado e clarividente… Mas por outro lado, olhem lá para a imagem… Nesse mundo acima, quem quer mesmo estas coisas?

 

Mas leiam aqui.  https://phys.org/news/2022-07-natural-society-unequal.html

Autoria e outros dados (tags, etc)

Máquina do tempo

por Olympus Mons, em 23.07.22

Não gosto particularmente de insistir neste assuntos da alterações climática. Até porque é inútil.
Mas num dos posts anteriores mencionei que os records de temperaturas nos países nórdicos tem mais de 50 e que nos EUA a maioria dos record de temperatura são antiguíssimos.

Especialmente nos EUA que possuem há muito tempo muitas estações meteorológicas, em volume de tal forma elevada que mesmo que exista Urban heat  a influenciar uma ou outra os datasets são bastante consistentes.  Não é como na maioria dos países onde bastará construir um parque de estacionamento ao lado de um deles e a temperatura do país inteiro dá um salto.

Por isso é que é importante ir colocando estes dados abaixo, não é?

Estes são os records de temperatura nos EUA por estado… Parece mentira, não é?

https://en.wikipedia.org/wiki/U.S._state_and_territory_temperature_extremes

State, Record high Date
federal district, temperature  
or territory    
 New Hampshire 106 °F (41 °C) 7/4/1911
 Vermont 105 °F (41 °C) 7/4/1911
 Maine 105 °F (41 °C) 7/10/1911
 California 134 °F (57 °C) 7/10/1913
 Alaska 100 °F (38 °C) 6/27/1915
 Minnesota 115 °F (46 °C) 7/29/1917
 Alabama 112 °F (44 °C) 9/6/1925
New York (state) New York 108 °F (42 °C) 7/22/1926
 District of Columbia[5][6] 106 °F (41 °C) 7/20/1930
 Delaware 110 °F (43 °C) 7/21/1930
 Kentucky 114 °F (46 °C) 7/28/1930
 Mississippi 115 °F (46 °C) 7/29/1930
 Tennessee 113 °F (45 °C) 8/9/1930
 Hawaii 100 °F (38 °C) 4/27/1931
 Florida 108 °F (42 °C) 6/29/1931
 Iowa 118 °F (48 °C) 7/20/1934
 Ohio 113 °F (45 °C) 7/21/1934
 Idaho 118 °F (48 °C) 7/28/1934
 North Dakota 121 °F (49 °C) 7/6/1936
 Maryland 109 °F (43 °C) 7/10/1936
 New Jersey 110 °F (43 °C) 7/10/1936
 Pennsylvania 111 °F (44 °C) 7/10/1936
 West Virginia 112 °F (44 °C) 7/10/1936
 Michigan 112 °F (44 °C) 7/13/1936
 Wisconsin 114 °F (46 °C) 7/13/1936
 Indiana 116 °F (47 °C) 7/14/1936
 Kansas 121 °F (49 °C) 7/24/1936
 Nebraska 118 °F (48 °C) 7/24/1936
 Arkansas 120 °F (49 °C) 8/10/1936
 Louisiana 114 °F (46 °C) 8/10/1936
 Oklahoma 120 °F (49 °C) 8/12/1936
 Montana 117 °F (47 °C) 7/5/1937
 Guam[2] 100 °F (38 °C) 9/10/1945
 Illinois 117 °F (47 °C) 7/14/1954
 Missouri 118 °F (48 °C) 7/14/1954
 Virginia 110 °F (43 °C) 7/15/1954
 American Samoa [note 1][2] 99 °F (37 °C) 4/27/1972
 Massachusetts 107 °F (42 °C) 8/2/1975
 Rhode Island 104 °F (40 °C) 8/2/1975
 Wyoming 115 °F (46 °C) 8/8/1983
Georgia (U.S. state) Georgia 112 °F (44 °C) 8/20/1983
 North Carolina 110 °F (43 °C) 8/21/1983
 New Mexico 122 °F (50 °C) 6/27/1994
 Texas 120 °F (49 °C) 6/28/1994
 Arizona 128 °F (53 °C) 6/29/1994
 Nevada 125 °F (52 °C) 6/29/1994
 Connecticut 106 °F (41 °C) 7/15/1995
Virgin Islands Virgin Island 99 °F (37 °C) 6/23/1996
 Puerto Rico [10] 104 °F (40 °C) 7/2/1996
 South Dakota 120 °F (49 °C) 7/15/2006
 Utah 118 °F (48 °C) 7/4/2007
 Northern Mariana Islands 99 °F (37 °C) 7/8/2010
 South Carolina 113 °F (45 °C) 6/29/2012
 Colorado 115 °F (46 °C) 7/20/2019
 Oregon 119 °F (48 °C) 6/29/2021
Washington (state) Washington 120 °F (49 °C) 6/29/2021

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ass...

por Olympus Mons, em 23.07.22

Augusto Santos Silva...ASS.

Uma das coisa espantosas na forma como o mundo funciona é que o prémio dado ao enforcer de meta-normas só resulta se… houver esse prémio.

Augusto Santos Silva tem tido as intervenções que tem tido contra o partido CHEGA debaixo de aplausos de todas as bancadas.  - É assim que funciona mesmo. Esse é o prémio dado aos enforcers de meta-normas.  Acumula os tais social reward  e o ASS está claramente nao só atrás destes como pretende montar-se nos mesmos da Assembleia da República até Belém!

Desta vez com a sua última intervenção e com o CHEGA a abandonar o plenário ficou um alerta para ASS. Muita gente começa a considerar que ASS e um ASShole ao serviço do partido Socialista, como aliás ele tem feito um esforço durante toda a sua carreira política por demonstrar abundantemente que se sente mais confortável no papel de trauliteiro do PS do que em qualquer outro papel. Houve demasiadas pessoas, mesmo nos meios de comunicação, a condenar o papel estranho do presidente da Assembleia nas suas intervenções especialmente esta última.
 

Quando se ouve que escândalo, chincalheira e barulho, é o que o CHEGA quer, pese embora por vezes até possa ser verdade, aquilo que verdadeiramente significa é que o CHEGA fez algo que se desvia das meta-normas. – Quando no dia a dia político de um país já não existe gente que se desviem das meta-normas estamos democraticamente numa situação pouco saudável.

E perigosa.-  Porque como os estudos demonstram, a existências dessas meta-normas também pune comportamentos atípicos que não prejudicam propriamente a sociedade, mas que quem pune infere que é o que a sociedade em geral quer.

Aquilo que restará ao país será decidir a breve trecho se o CHEGA tem um comportamento desviante que prejudica o país ou se meramente tem um comportamento atípico relativo ao que a sociedade portuguesa está habituada e como tal leva por tabela com o tratamento destinado a quem quebra meta-normas (e não meramente quem as desafia), algo muito diferente sociológicamente.  

E as pessoas em Portugal devem entender este ponto muito rápido. – Chamar de racista ou xenófobo ao partido coloca-o numa categoria de quebra insanável de meta-normas vigente, mesmo que aquilo que o partido faça é sim ter um comportamento politico atípico (que é uma categoria sociológica à parte), o que leva a que as pessoas, personagens e players em determinada sociedade aceitem o tratamento excessivo para com aquele partido como se fosse um quebrador de meta-normas (por exemplo se fosse nazi) onde tudo ou praticamente tudo é permitido. – O que o CHEGA não é!

O CHEGA desafia as meta-normas, mas não as quebra. Não é por falar da comunidade cigana em moldes consentâneos com papers de organismos ligados ao próprio estado português, que passa a ser racista. Não é por se mostrar cauteloso para com processos de migração que se é xenófobo! Requerer mais controlo e critério nos processos de imigração (e passar legislação nesse sentido) é a norma desde a Suécia até à França.

Um país que não percebe a diferença entre um partido que quebra meta-normas e um partido que meramente tem um comportamento atípico relativo a essas ditas meta-normas descritivas é um país muito mais perto do Portugal do Salazarismo que tanto abomina do que das tais Democracias Liberais com que enchem a boca a toda a hora

E já agora, Sim, fosse eu deputado do CHEGA e me chamassem racista e xenófobo a toda a hora, começa a justificar uma cabeçada nos dentes, mesmo que seja nas escadarias da assembleia da república.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Abanar as orelhas.

por Olympus Mons, em 21.07.22

Este assunto das … novas expressões sexuais é bem mais importante do que aquilo que as pessoas lhe dão crédito. E eu já fiz um post abaixo sobre os valores que o próprio Jose Manuel Fernandes do Observador deu no programa contra-corrente. 6% dizia ele, mas de fumo dizia eu, até porque muitos desses estudos são com miúdos ainda na faculdade  e na fase da experimentação ou se quiser da parvoíce.

E não é negar a sexualidade, ou identidade sexual de ninguém. – Ontem passei pelo canal law&Crime e uma das testemunhas era uma das estudantes sobreviventes do massacre de Parkland School e achei imensa piada ao estilo dela, vestida de preto, gingão, tatuagens e piercings. Tudo em giro. – Não tive dúvida que a miúda seria lésbica. E quando se levantou agarrou na mão da namorada e lá saiu do tribunal como um verdadeiro Gary Cooper de mão dada com a namorada e, aquilo que me foi saliente, e até chocante, foi os pais atrás dela como uns cachorrinhos, velhos, dominados, até me surgiu imagem de alguém com PTSD! Foi, bizarro.


Este quadro é do último census do Canadá. E não vamos acusar o Canadá de ser algo que não dos países mais liberais nos costumes do mundo com casamento de pessoas do mesmo sexo desde 2004. -  Lá, como sabemos pelo caso do Jordan Peterson, até não chamar a pessoa pelos pronomes que ela quer dá prisão. E não podemos acusar dos census não serem bem feitos.

 

O que este census nos diz é que todo o espectro LGBT, todo (!), em casais LGBT é de 1,5%!  
98.5% são casais Heterossexuais. - Passado a fase dos estudos nas universidades e a população académica que é muito jovem, quando se passa para a população em geral, estes são os valores.

Já agora, 1% da população, consegue rodar a cabeça 180 graus, consegue colocar o punho inteiro dentro da boca, levantar o dedo do meio com o anelar dobrado ou abanar as orelhas ou até tem os olhos fora das orbitas!  - Don’t give a fuck!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ignition… Abort abort!

por Olympus Mons, em 21.07.22

Abortado.

Capture prolife (1).PNG

Estava a ver umas sugestões dos shorts do Youtube e vi este vídeo da imagem.

Não foi o primeiro, mas sim o último de uma série de muitos que já vi criando em mim a intenção de fazer este post.

Nos EUA existe e existiu desde sempre uma divisão de 50% entre as pessoas que suportam o aborto e aqueles que acham que devia ser banido.
A curiosidade é até quando, até que estágio da gravidez, as pessoas suportam o direito ao aborto, vi imensos vídeos de pessoas a quem era perguntado se eram a favor do aborto e a resposta imediata era de fuck yeah… mas quando a pergunta era até quando, a esmagadora maioria das pessoas dizia 10 semanas ou primeiro trimestre! Quase todas. E quando era mostrado uma imagem de um bebé de 25 semanas as pessoas, mesmo os mais fervorosos fuck yeah reagiram com verdadeira repulsa. “Dude thats a baby!

Ao debater tudo isto sob a égide da Roe vs Wade, pelo modo como foi sustentada a decisão do supremo (direito a privacidade) em 1972, os limites da permissão do aborto eram dificeis de definir. A cegueira idiológica levou a que quanto mais desconfortável a direita norte-americana ficava com as leis que iam sendo promulgadas estado a estado, mais a esquerda aumentava os prazos. No Colorado penso que já vai nas 35 Semanas e debatia-se na Califórnia até ao nascimento do bebé.

Que fique claro, a esmagadora maioria das pessoas ao ver a imagem concorda que na maioria dos estados norte-americanos se pratica infanticídio, é só que a questão é sempre debatida com um sulco vincadamente ideológicos e portanto completamente abstrato. Este é o mundo em que vivemos em que tudo pode ser manipulado de forma descarada que nem com acesso a um google as pessoas são capazes de raciocinar a realidade na suas nuances.

Mas o que teve piada neste vídeo da imagem é que o jovem ao aparecer na manifestação para debater a questão foi recebido com uma agressividade inusitada, aos gritos à volta dele, vários a gritar coisas como “small dick vibe, small dick vibe”.

Este grupo de jovens que vê na imagem gritava que ele era nojento e coisas do género mas ele calmamente e com um sorriso insistiu até que elas decidiram falar com ele.

Resumindo esta conversa, quando ele mostrou fotos dos vários estágios dos fetos para que elas pudessem decidir até quando é que devia ser permitido o aborto, elas foram unânimes em dizer que era 10 semanas altura em que se começava a formar os órgão e se ouvia o coração…

O jovem diz: Mas vocês estavam aos gritos comigo porque eu tenho uma placa a dizer só no 1 trimestre e o primeiro trimestre vai até às 13 semanas…. E vocês todas agora dizem que devia ser 10 semanas!

A cara delas a ligar o cérebro e aquilo tudo a chocalhar é uma delícia.

Ignition… Abort abort!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Valeu, vale tudo

por Olympus Mons, em 20.07.22

Eu não consigo stressar o suficiente que isto é tudo espuma dos tempos em que vivemos. É tudo Jajão. - Quem diria que na “idade da informação” afinal era tudo reduzido à capacidade das pessoas de serem enganadas?

Continuo perdido a procurar paper científicos que me mostrem que as ondas de calor estão a mais intensas e frequentes, fora dos datasets dos EUA, para o melhor que consegui foi encontrar um que nos mostra isso … desde os anos 50 de século passado.

E quando leio com atenção vai dar ao final dos anos 50, logo 1960 (outra vez!).
Mas porque raio se reporta desde 1960 se esse foi o ano/década em que as ondas de calor foram menores, menos frequentes, uma anomalia nos datasets?

Se existem datasets de temperaturas desde o fim do século XIX, porque raio me reportam isto a partir de 1960!?
E nos papers publicados afirmam coisas como “We further reveal that the 1972 heatwave in Finland had a comparable spatial extent and magnitude as the European heatwave of 2003, considered the second strongest heatwave of the observational era” mas mesmo assim a mantra se mantém!

Passando por cima disto…
Escrevo este post pelo primeiro paragrafo que nos indica que vivemos na era das narrativas que nem se esforçam para ser complexas ou evoluídas, bastando para ter sucesso terem verossimilhança de verdade.

Estes 3 gráficos são simples, não é? primeiro foi publicado com pompa e circunstância como prova que as ondas de calor estão a matar gente (assassinas!). O segundo gráfico é ajustando para a quantidade de idosos (se há mais, mais morrem, duh!) e o último gráfico é quando se junta à equação as ondas de frio que como se pode ver matam mmmmuuiiiiitttttooooo mais!

Enfim, está o mundo inteiro num programa do Joao baião a abanar as ancas em frenesim infantil-o-histérico, ao som do “Valeu, vale tudo”!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os 6% de fumo

por Olympus Mons, em 19.07.22

Ontem ouvi um dos programas contra-corrente, da rádio Observador e fiquei agradavelmente surpreendido porque… somos muitos!

Primeiro faria uma correção a uma das coisas que o Jose Manuel Fernandes disse que em si próprio é uma concessão já à extrema esquerda. Disse o JMF que as pessoas que são LGBT são cerca de 6% da população mundial.
Ele não qualificou aquilo que sabemos sobre esses 6%. -  Eu tenho-vos dito que, grosso modo e arredondando os números 95% das pessoas identificam-se como totalmente Hetero, 1.5% como homossexual e algo como 2% bissexual e os restantes 1,5% como não totalmente Heterosexuais. - O que não foi explicado às pessoas pelo JMF é que destes 6% quantos é que nos últimos 5 anos tiveram relações sexuais com pessoas do mesmo sexo, o número desce para 3%.
Não estamos perante uma revolução sexual, estamos perante outra coisa, que o programa bem descreveu.

Mesmo destes 3% as pessoas que manterão relações sexuais com pessoas do mesmo sexo durante o resto da vida será ainda muito mais reduzido, chegando mais perto dos tais 1,5% de homossexuais!  -E muito destes estudos centram-se em jovens até os 30 anos e muitos outros em jovens estudantes que todos sabemos que depois não são uma amostra totalmente representativa da sociedade em geral.

É importante perceber isto para o futuro. Os homossexuais, tal como os heterossexuais, são altamente estáveis ao longo da vida nas suas características sexuais mas os tais 3%-4% de confusos acaba por migrar para uma vida heterossexual e por lá fica feliz da vida.
promover a confusão de identidade sexual ou de género destas pessoas é crime moral. É maldade! porque estas pessoas tem mais fragilidades psicológicas que vão desde a depressão, consumos e até tentativas de suicídio.
Estas pessoas deviam ser protegidas na sua fragilidade emocional e deixadas em paz para crescer e criar âncoras sexuais que suportem uma vida emocionalmente estáveis. Tal como 85% dos jovens transsexuais nos seus late twenties acabam por se identificar como homossexuais também estas pessoas mais confusas como mostram os estudos acabam por se identificar como Heterossexuais.

Mais duas coisas relevantes naquele programa: Primeiro o facto do psicólogo Eduardo Sá, pessoa que não gosto particularmente de ouvir e que também faz um programa no Observador ter abordado, pese embora tenha sido interrompido pelas circunstâncias do programa em si, colocou na sua intervenção possível a questão de forma perfeitamente cristalina, elucidada a avisada, tendo feito uma tentativa para explicar que esta conversa do LGBT não é sexual e que eles separam na perfeição a parte emocional da sexual (algo que ele considera vir a criar problemas), confirmando aquilo que vos tenho dito.

Muitos deste miúdos identificam-se como bissexuais porque gostam muito da amiga, gostam mesmo dela, mas não vão em ponto algum ter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo! Muito rapidamente estas miúdas percebem que sexualmente aquilo que lhes mexe com os cordelinhos são jovens do sexo oposto, mas identificam-se como LGBT porque gostam intensamente ou admiram mesmo a amiga! – E este é um fenómeno feminino que começou agora a ser estudado dessa forma e sem desculpas pelos investigadores. É uma característica das Jovens e não dos Jovens do sexo masculino. Quando em 2021 60% das jovens que se identificam como bissexuais não tiveram nenhum contacto sexual com pessoas do mesmo sexo nos últimos 5 anos… está tudo dito. Excepto que se esqueceram de perguntar se alguma vez tinham tido!- Suspeito que um número enorme responderá que nunca!

E apesar de não lhe terem dado oportunidade de explicar isto na completude ele conseguiu abordar esta questão indicando que no campo da psicologia é perfeitamente assente. É que durante algum tempo pensei que mesma a disciplina da psicologia já estaria minada para lá da redenção… ele mostrou que não, ele sabia exatamente o que se está a passar.  – Gostei.

O outro facto do programa foi que a quantidade de gente que percebe na perfeição que o movimento LGBT é um movimento da extrema-esquerda, um movimento que assenta nas mesmas premissas dos Marxistas nos processos de vitimização e destruição e ruína moral da sociedade ocidental é avassaladora… Por um momento tive dúvidas, mas após aquele programa não tenho nenhuma.

Pelo menos esta guerra devemos ganhar a seu tempo!
Só temos que deixar claro desde já que desta vez eles terão que pagar o preço!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu pago…

por Olympus Mons, em 19.07.22

40,2C

Primeiro um pequeno update. - Parece que o Met Office ganhou a aposta comigo.

As temperaturas passaram os 40C no Reino Unido. Aliás já ontem tinha sido 39.1C por isso ultrapassado. Porém!

Primeiro não gosto da insistência do “provisoriamente” com que as televisões britânicas estão a passar nos rodapés. Qual provisório? Ou está lá marcado 40,2C ou não está? – Pois, já não é a primeira vez que passados dias sai a informação que “afinal” foi só… Aí já ninguém liga.
Depois também me chateia um bocado que já ontem o record tenha sido no aeroporto de Gatwick e hoje seja junto ao aeroporto de heathrow. - Really? Junto a aeroportos!

Fico logo com os cabelos em pé por causa do tal efeito de “Urban heat Island” que é sempre maior junto aos aeroportos. Mas enfim, é bem possível que seja.

Este assunto só é divertido porque eu quis arriscar dizer que não ia acontecer. Ao final do dia é como dizer que espantosamente o meu filho está mais alto hoje do que quando tinha 15 anos. E espantem-se todos já quando tinha 15 estava mais alto do que quando tinha 10 anos… Ora, se o clima está a aquecer há 300 anos é normal que esteja mais quente do que há 30 anos atrás. É aquela conversa do se nos 100 anos até 1930 tinha aquecido 0,8C e nos anos seguintes 1,2C então … o planeta estará a aquecer sem participação do CO2, pese embora o CO2 deva estar a contribuir para aquecer mais… mas esse mais é 0,4C em 100 anos e não o facto per se de estar a aquecer. Enfim, é continuar a fazer derivadas daqui que se torna divertido.

Importante:

Sobre isto dos records! – todos os records de temperatura dos países nórdicos, com a exceção não me lembro se da Finlândia ou da Islândia, tem mais de 50 anos! --  O record de temperatura da suécia 38C, foi em 1933 e depois em 1947!

Mas OK, na guerra da comunicação a maralha do “céu está a cair” ganhou esta batalha porque ninguém se vai lembrar que se Lisboa em 1784 podia viver bem com 41,1C então os londrinos em 2022 também podem vir com 40,2C ou que pelo aquecimento natural lá iriamos chegar aos 40,2C londrinos a seu tempo sem qualquer intervenção do CO2, ou até que estas ondas de calor vem também em simultâneo com uma redução nas ondas de frio que matam incomensuravelmente mais gente que as ondas de calor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por onde andam as pessoas sã do planeta?

por Olympus Mons, em 18.07.22

Existem pérolas. Existem ainda menos em Portugal, mas esta é, na minha opinião, uma delas.

O CLIMA DO SUL DE PORTUGAL NO SÉCULO XVIII - Reconstituição a partir de fontes descritivas e instrumentais, de Taborda, Alcoforado e Garcia, do centro de estudos geográficos de Lisboa e publicado em 2004.

Capture. capa seculo.PNG

Fosse hoje e não seria publicado. Mas em 2004 o fascismo cultural e esquerda ainda não era tão prevalecente em Portugal como é hoje em dia.

Primeiro e sem conseguir resistir a referir isso, foi uma excelente lembrança que houve uma altura em que a língua portuguesa fazia sentido, porque era escrita como se falava. Depois, provavelmente no século XIX, os maluquinhos ganharam a guerra civilizacional e complicaram a língua portuguesa ao nível a que ela é hoje em dia. Mas é refrescante ler que mês era mez, e que presencial era prezencial, etc.

Lembrar que os termómetros chegaram a Portugal ainda no século XVII (nos últimos anos).

Este trabalho, que é uma delícia de ler, não seria publicado hoje.  Escrever coisas como esta:

“Trigo et al. (2002), que estudaram o impacto da Oscilação do Atlântico Norte sobre as temperaturas extremas no continente europeu (período Dezembro-Março de 1958-1997), concluem que durante a fase positiva da NAO, grande parte da Europa ocidental e central regista anomalias térmicas positivas, chegando mesmo o aquecimento à Península Ibérica, no caso das temperaturas máximas. Na realidade, os valores elevados de temperatura registados, por exemplo, no mês de Março de 1734 e de 1781 (tal como no de 1997), verificaram-se no contexto de uma fase positiva da NAO, cujo índice apresentou valores de, respectivamente, +1.16, +0.4 e +1.35 (Luterbacher et al., 2002c”

Lembrem-se que está previsto dentro de 10 anos tanto o NAO como o PDO e o AO após 50 anos com sinal positivo irão entrar à fase negativa (por exemplo La ninas muito mais frequentes e poderosas que El nino que conseguem aquecer o planeta todo) e logo se verá com os "botões do clima" todos off o que se vai passar mesmo.

Também falam abertamente do Maunder Minimum, do LIA (little Ice Age) referindo que em Portugal estes estavam terminados no início de 1700 e tinha começado o aquecimento global…

Isto já não é, não deixam ser,  escrito ou dito na loucura do fascismo das alterações climáticas já está num estágio político muito mais avançado. Logo a verdade morreu à léguas.

Oiçam. Este trabalho publicado tem delicias como estas:

Capture 1784.PNG

Verão de 1784!? – KIDYOUNOT!

Isto seguiu-se a uma década de 1750 em que o problema era o frio. 

“Na dácada de cinquenta, caracterizada por um mÇximo relativo de alusÑes a situaÉÑes de “frio” e em que não foram encontradas referÅncias a “calor”. Na História Universal dos Terramotos (Mendonça, 1758, citado por Carvalho, 1996a, p.55), é referido que 1753 e 1754 foram anos com “excessivos frios que gelaram as aguas, não só as estagnadas como as correntes”. Existem também referências a frios “summamente excessivos” 104 e “a estaçam fria” 105 em Lisboa (Janeiro e Abril de 1753) e a “Nordeste rigissimo” e a ”excessivo frio” 106 em Salvaterra (Janeiro de 1754).”

Estão a ver que o clima era muito estável não era? Foi o CO2 de veio destabilizar o clima não foi? Aliás uma das consequências das alterações climáticas são os extremos não não? Pois no século XVIII era exatamente igual! -  E a seguir ao céu vai cair devido ao calor vem anos muito frios de seguida, logo…

“O mez de Janeiro [...] nos tem feito experimentar hum tempo extremamente frio, notavel entre muitos annos passados pela continuaçaõ do gelo por sinco dias, de sorte que o termometro desceo 3 degráos abaixo do ponto de Congelaçaõ do que naõ há muitos exemplos neste Clima.”115

Depois noutros anos, assiste-se a anos quentes e:

Também a Gazeta de Lisboa, certamente conhecedora das observações meteorológicas de Pretorius, se refere, no nº 33, de 17 de Agosto de 1784 (p.n.n.), a esta temperatura nos seguintes termos: “[…] se sentio aqui o calor mais excessivo de que se conserva lembrança, chegando a obsevar-se às 3 horas da tarde o thermometro de farenheit no gráo 106. O Hygrometro mostrou hum gráo de seccura muito extraordinário [“

E, no século XVIII em Portugal assiste-se ao Aquecimento Global e estes gráficos mostram essas alterações climáticas no modo como são reportados na “imprensa”, nos registos eclesiásticos e outros:

Capture calor_frio 1700.PNG

Como mostram os gráficos, durante o século XVIII falava-se muito do frio no início (1700-1720) mas depois, devido às alterações climáticas, deixou-se de falar de frio e começou-se a falar de calor!  Mas se for à década de 50 volta-se a falar de frio, para depois continuar o aquecimento global!

Mas se pensam que esta coisa de falar do clima e culpar tudo no clima é loucura moderna? Não, não, é tudo a mesma choldra. No século XVIII as alterações climáticas eram responsáveis pelos terramotos! – Sim, verdade!

Mas não só, tal como hoje em dia.

“A este propósito, atente-se nas observações que faz Joaquim da Assumpção Velho, um dos pioneiros da meteorologia instrumental em Portugal, no final dos registos meteorológicos de 1785 e 1786, na relação que, implicitamente, estabelece entre, por um lado, as características climáticas daqueles anos e, por outro, a qualidade da produção agrícola e as enfermidades que então grassaram entre a população de Mafra (Velho, 1799a, 1799b).

E claro, ainda mais após o de 1755, os terramotos estavam relacionados com as alteraçoes climáticas...

"...megasismo de Novembro de 1755 não terá também contribuído, em Portugal, para o incremento das investigações em meteorologia? É sabido que certos estados da atmosfera eram, então, considerados como prognósticos da ocorrência de um  terramoto (Carvalho, 1996a). Sendo assim, melhores e mais detalhados conhecimentos das condições atmosféricas poderiam, em certa medida, permitir progressos no sentido de mais eficientemente se prever um eventual sismo, minorando, desse modo, o número de vítimas.

Era mesmo assim nessa altura,

"..Jacob Crysostomo Pretorius, outro dos pioneiros da meteorologia instrumental em Portugal, estabelecia assim a ligação entre as condições atmosféricas e os tremores de terra de 27 de Novembro de 1791 e de 22 de Novembro de 1793: “[dum e doutro] saõ identicamente as circunstancias as mesmas; depois de huma Seccura de varios mezes, vem de repente huma taõ copiosa chuva, que naturalmente tapa a vaporaçaõ, destes vapores subterraneos elasticos”. E continuando: “Acho tambem notavel, que no mesmo dia 22 de Nov. da manhã sedo se vio huma grande coroa da Lua, dalli a chéa do Rio, dalli hum vento furioso do sul; o Azogue no Barometro desceo logo depois do Abalo 2 Linhas” (Pretorius, 1793, fl.169vº-170).

 

Uma nota final:  
vivemos no apogeu de uma geração que acha que o mundo começou quando as mãezinhas os pariram e que vivem num mundo de lala land. As pessoas do século passado,  ou de há dois séculos ou mil anos não eram estúpidas ou, em boa verdade, em nada diferentes. Não as pessoas de agora não são os reis da cocada são sim só uma versão mais burrinha, naive e manipulável.

Um dia gostaria de assistir a um debate entre adultos sobre qual é a melhor estimativa do ECS (estimated Climate Sensivity) com a duplicação do CO2 na atmosfera. Uma conversa séria. Será 1.4-1.8C? será 2C a 2.5C? qual será mesmo a realidade?
Ou conversas recorrentes de qual o valor mais correto, ou aproximado, de RCP que estamos nesta altura? Devia haver um relatório anual que nos dissesse a este ritmo estaremos num cenário de 3.9RCP ou 4.6RCP, ou o que fosse e que  por isso devíamos então usar como conversa o cenário 4.2 (ou outro) e não como hoje se faz o 8.5 que é só uma coisa estapafúrdia!

Este desejo de voltar a viver num mundo real e não num mundo de gente com desarranjos mentais que são presidentes, cientistas, primeiros-ministros, milionário e bilionários. -  Onde andam as pessoas sã do planeta?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tontos são eles....

por Olympus Mons, em 17.07.22

 

Em resposta ao comentário do Zé Manuel Tonto, este tipo de imagem que são agora a norma são publicados a toda a hora, por organismos oficiais como a Comissão Europeia e os seus organismos!  - Isto não são maluquinhos a alterar imagens como fake news. Isto tem a chancela da União europeia e seus organismos e assim é divulgado, twittado e retweeted oficialmente.

No caso desta imagem é a temperatura medida no solo!  -  Mas quem é que mede a temperatura medida no solo ao sol??? Mas esta gente é mesmo assim estúpida e doida?

Todos nós ouvimos na fórmula 1 a temperatura está a 25 graus e na pista chega aos 40C. Ou que no terraço de uma casa a temperatura está a 75C, no solo a 60C e a temperatura medida está a 35C…
Mas esta gente não percebe que a temperatura é medida na sombra! Não pode ser medida ao sol???

O meu próximo post que estou a escrever agora e ponho amanhã, “Onde andam as pessoas sã do planeta?” é sobre o clima em Portugal do Século XVIII e é um show.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Aos poucos vai saindo...

por Olympus Mons, em 17.07.22

Numa altura em que até a guerra na Ucrânia já não passa nas notícias sendo substituída pelos fogos e ondas de calor nunca vistas desde a criação do universo, leia-se desde que eles se lembram nas suas vidinhas.
No entanto os papers sobre a covid, sobre as vacinas e sobre a proteção que foi e é providenciada pelas mesmas só agora é que começa a ser publicada.

Lembram-se quando nos anunciaram as vacinas e a proteção era de 90%?  Nunca existiu. As vacinas dão uma proteção de 50% na melhor das hipóteses e estas da COVID não são naturalmente diferentes.

Mas, mais importante que imagem é esta?
Pois bem, esta imagem é de um estudo que está publicado (não é sequer pre-print é publicado após peer-review) que só é publicado porque agora já não interessa para nada não é?

Capture. mobeen.PNG

O estudo diz o seguinte:

Proteção por infeção - tem uma efetividade de 85% no inicio, vai subindo e atinge um pico de proteção passado 6 meses de mais de 90%, após 15 meses ainda tem uma proteção de 70% e só 3 anos depois baixa dos 10%.

Proteção pela Pfizer (na segunda dose) -  tem uma efetividade de 46.6%, 3 meses depois está em 8.8% (!), após 6 meses é -17% (até faz mal teres tomado).  Tomada booster sobre para 59.9% mas 1 mês depois já está em 40% e 2 meses depois está de volta aos 10%(!).

Proteção da Moderna – 35%, 3 meses depois está a zero!

Cuidado. Este estudo é sobre protecçao para voltares a apanhar COVID, mas existe protecção pelas vacinas para sintomas severos!
Mas não protege de re-infecçao e de infectares os outros, excepto se tiveres previamente apanhado COVID por infecção. E a verdade é que agora vamos apanhando as infecções naturalmente  e vamos criando a tal imunidade de grupo que protege a humanidade há milénios. Qualquer pessoa abaixo dos 60 anos (sem comorbidades) nao tinha nada que tomar a vacina. Isso já se sabia e ao longo dos próximos anos iremos ver isto escrito, reescrito e talhado me pedra!

E agora, que vão as pessoas fazer após lhes terem mentido de forma tão descarada? – Nada! Pessoal adorou a cenaça das vacinas, a Tanga do xarope salvador…

Aliás. Eu vi isto porque vou seguindo o Dr Mobeen, que ainda não foi cancelado pelo Youtube porque ele é extremamente cuidadoso, extremamente, e por isso tem conseguido não ser canceled. Ele tem muito cuidado com o que diz e até em ocasiões fez com que não dissesse o óbvio com medo de ser cancelado o seu canal que tem bastante sucesso.

Obviamente chegou a ter a sua conta suspensa em tempos porque alguém (há sempre alguém) alegou com a Youtube que ele nem médico era. Mas ele tinha toda a documentação preparada e rapidamente esclareceu o Youtube e o seu canal foi colocado online novamente.

Podem ver o vídeo do Mobeen
https://www.youtube.com/watch?v=zyYq93YtScE

Autoria e outros dados (tags, etc)

Em perspectiva

por Olympus Mons, em 16.07.22

Se há pais no mundo que tem os seus dados meteorológicos normalizados e com abundância são os EUA.

Não há mais nenhum país no mundo com quantidade de estações meteorológicas suficientes para se poder inferir seja o que for até talvez os anos 40 do século passado. Mas isso era outra conversa. Talvez o Reino Unido seja o outro país com dados minimamente relevantes pela quantidade, mas inferências para o planeta todo são interpolações algumas entre vastas regiões.
Seja como for, agora que se grita sobre Heatwaves, heatwaves, vejam os dados do NOAA nos EUA! -  Esta imagem chega?

Reparem na desonestidade desta gente. Eu, dando como certo o que lia, disse-vos desde sempre que em média as ondas de calor estão 1 dia mais longas do que…. Mas do que o quê?
Lembrei-me que nos resumos que li, dizem sempre que desde os anos 60! – Olhem para este gráfico e reparem o que se passa nos anos 60?  - É o ponto mais baixo de todo o dataset!
Estão a ver estes pulhas, estes mentirosos e enganadores … cientistas (?)

Relativo ao passado anterior aos anos 60 não há aumento nenhum, ou se olhar com atenção até há uma redução!

Autoria e outros dados (tags, etc)

37.15C ...UK...Julho 2022

por Olympus Mons, em 16.07.22

Não gosto de jogar. Mas gosto de arriscar.
Falar depois dos eventos leva a que me fique sempre a sensação que estou no hindsight is 20/20.

Capture unprecedented.PNG

Unprecedented! Unprecedented!!

Estava a ver os media no Reino Unido e o histerismo está em níveis estratosférico.
Capture cobra.PNG

Alerta Cobra!  Cobra, não, alerta Anaconda! -  40 graus, 40C!!!  O céu a cair!
Mas a verdade é que me parece tudo muito teatro, tudo muito daquilo que nos foi servido a quando do COVID e novamente tudo se assemelha aos sinais do tempo das tangas e narrativas à escala.

Ora, eu que não sou climatologista, nem meteorologista, nem tenho modelos climáticos, nem dados de sondas em satélites, vou fazer uma previsão:  A temperatura no Reino Unido irá atingir um máximo de 37.15C!

E como sei? Fiz uma média entre o record do verao de 1976 (!) 35.6C e o record de 2019 de 38.7, logo a realidade irá estar no average destes dois valores tendo em conta a variabilidade natural do clima, o tal aquecimento natural do planeta que se regista há 200 anos e o efeito do CO2.

É um modelo como outro qualquer! - A diferença é que este meu modelo custou zero... e levou-me 1 minuto a criar.

A ver vamos. Quem vai ficar mais perto da realidade. Eu ou os modelos que dizem 40C.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O mundo a arder... de alergia!

por Olympus Mons, em 15.07.22

Ainda à volta desta questão das alterações climáticas e … os fogos.

Eu irrito-me. E irrito-me porque durante uns segundos fico sem perceber se o gajo é parvo ou se pensa que toda a gente é parva.

Oiçam, eu sempre vos disse que dos cerca de 15 fenómenos climáticos ou relacionados com o clima que são estudados e com papers publicados (em barda), seja Furações, cheias, secas, tornados, etc, o único que o próprio AR (6) do IPCC nos diz que a ciência publicada detetou uma tendência e que eles fazem atribuição (que isso até seria outra guerra) e mesmo assim com uma probabilidade de 50%, ou seja moeda atirada ao ar , o único dos 15 … foi que as ondas de calor estão com uma frequência maior e com uma duração maior (penso que a média é um dia maiores).  – Por outro lado até eles dizem que as ondas de frio, que matam muito mais gente, estão muito menos frequentes e como sabemos pelo estudo publicado na lancet, feitas as contas para grande choque deles chegaram à conclusão que aí, o aquecimento global teria salvado a vida a 300 mil pessoas - mais do que as mortes nas ondas de calor.

Esta imagem mostra como o mundo endoidou.
Se repararem são as mesmas temperaturas, de um lado e de outro da imagem. mas ainda há 15 anos atrás era noticiado como um radioso dia de sol no reino unido e agora, no lado direito, é reportado com o mundo a arder.

As mesmas temperaturas! tudo é jajão, tudo é narrativa para idiotas!

 

Ora, mas estou a escrever este post porque me irritou mais um daqueles cientistas, espertalhaços a dizer que as cinco maiores vagas de calor em Portugal foram já neste século e ele dizia aquilo como se qualquer pessoa que o contradissesse era maluco.

Mas ninguém lhe pergunta: - “Olha super-cientista, vamos bater as palmas mágicas e viajar no tempo até 1930. Nesta data de 13 de Julho de 1930, você estaria a dizer exatamente a mesma coisa que agora acaba de dizer. Ora, se não havia mais CO2 na atmosfera que raio provocava aquelas ondas de calor a mais do que as de 1900?”

Lembrem-se do post abaixo. -  Se não fosse o Co2 a mais na atmosfera… estaríamos a atingir este estágio nas ondas de calor quando? Em 2025? 2035?  E isso que diferença faria?!

Pois… falando de fogos convém ir mostrando às pessoas a realidade.


Este gráfico, é reportado pelas autoridades europeias. Seja a azul que representa a Europa do Sul, seja no resto da europa a laranja em baixo, quanto mais se grita sobre fogos e alterações climáticas menos área ardida tens na europa! Simples.            

 

... e estão a ver nos EUA?

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eles, eles...

por Olympus Mons, em 12.07.22

Mesmo que nunca se tivesse conjugado Alterações com climáticas ou Aquecimento com Global, a reconversão energética para outras formas que energia não fosseis seria obrigatório porque todos vivemos dentro de uma bolha de privilégio maior do que aquela usufruida por todos os Imperadores, reis e príncipes juntos,  criada no século XX pelo capitalismo, globalização e … Combustíveis fosseis!  - A construção de pirâmides do século XXI será conseguir manter a bolha e até amplia-la para os restantes mil milhões de pessoas que ainda estão fora da bolha, fazendo com que essa mesma bolha seja suportada por outras formas de energia que não as fosseis que irão mais tarde ou mais cedo terminar.

Não é esse o problema, pelo menos para mim. O problema é esta coisa da esquerda que tudo tem que ser feito com treta, com petas e narrativas falsas.

É penoso ouvir alguém que aparece na TV como cientista dizer “eles sabem”, “eles dizem”, os mágicos gurus das alterações climáticas quase como um padre a falar dos profetas que sabem… penoso. 

Esta gente é maluca.   Esta gente é …. Ignorante? Estúpida?

Enfim, não teria escrito este post não fosse o ele mencionar a seca e os registos comparativos, desde os anos 30desde os anos 30…. E mais desde os anos 30
Vocês podem observar que a mantra nos “últimos 80 anos” está a passar para os “últimos 90 anos”… porque se recuar esses número de anos irá dar aos anos 30 do século passado. – A última vez que o planeta esteve neste “estágio” foi realmente nos anos 20/30 do século passado.  Por isso você ouve tanto a lenga-lenga dos últimos “80” anos mas ninguém se pergunta porque 80 anos e não 100 anos??? Mas que se passou nesses anos para se marcar essa a data “dos últimos anos”?...  Porque este pessoal pega nas datas que quer e…

 

Os anos 30 do século passado, por exemplo sabemos que foram os anos do Dust Bowl com a terríveis secas nos EUA, que as temperaturas foram altíssimas e que ouve um enorme degelo que levava aos relatórios da guarda costeira a dizer que as focas iam desaparecer (agora é os ursos)…depois nas décadas seguintes parou esse aquecimento repentino que vinha desde 1890.  Nomeadamente as secas que foram brutais nessa altura e ninguém se pergunta se não foi por causa do CO2 então porque raio tivemos secas nos anos 30 do século passado mais graves do que as de agora?

Novamente no final dos anos 70 as temperaturas voltaram a aumentar e continuamos a coçar a cabeça para saber qual a percentagem do aquecimento que é pelo aumento do CO2 e qual é pela variabilidade do clima. 40%? 60%? … ninguém verdadeiramente sabe.  Dos 1.2 graus que a temperatura já subiu desde a revolução industrial qual a percentagem que é variabilidade natural do clima. Quantas pessoas processam esta informação assim e não achar que todo o aumento da temperatura é devido ao CO2?

Olhem, até quando querem dizer o oposto, acabam por ir lá dar:

Capture DN temperatura.PNG

Esta noticia do DN é muito esclarecedora para nos ajudar a perceber. Pela lógica deles se tinha aumentado 0.8 no século anterior e agora aumentou 1.2 então o CO2 é responsável só por 0,4C desse aumento de temperatura sendo o resto pela variabilidade natural do clima, não é?

Aliás, continuamos com todos os botões do clima no “on”, e vamos ver com as projeções de passar a “off” o que vai mesmo acontecer. Quando o El nino/La nina inverter, quando o PDO inverter quando o AO, AMO inverter como se prevê para os próximos 10/15 anos… quando todos passarem e negativo quanto desse aquecimento irá ser revertido? – Penso que não muito, mas algum será. -Ou se calhar até mais do que se espera… Não faço ideia.

Só não suporto as tretas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maldade pura !

por Olympus Mons, em 09.07.22

Tenho andado intrigado com a confusão que parece ser prevalecente nas sociedades (ocidentais, porque o resto do mundo não give a shit) entre o movimento LGBT e a homossexualidade/indefinição sexual.

Para que fique claro:  O movimento LGBTQ é em tudo semelhante aos movimentos mais radicais da história da humanidade, desde o Anarquismo aos terroristas comunistas das última metade do século XX.  -   Vivemos em 2022 e não em 1962, por isso não se espere que as coisas tomem a mesma forma, pese embora os mecanismos, os percursores e acima de tudo os construtores (constructors) são EXACTAMENTE os mesmos! – Mesma gente, mesma merda.

O maior truque do diabo é convencer toda a gente que não existe, o maior truque destes movimentos é convencer toda a gente que são só a última manifestação da bondade das Democracias Liberais.  – Não são! São a manifestação da “Modernidade” suicida das democracias Liberais.  Não é a mesma coisa.
E se a Modernidade é um drive aceitável para todas as sociedades é preciso que seja sempre cingida, enquadrada, à máxima que a probabilidade de melhorares um sistema orgânico milenar é de 0,01% e a probabilidade de a tornares em algo pior é de 99,99%.
É muito mais fácil estragar do que melhorar, especialmente se medires em escala de décadas ou até séculos.

Se os movimentos civilizacionais fossem contínuos e sem implosões nós nesta altura estaríamos a ler noticias de Alpha Centauri do primeiro grande prémio de naves espaciais de Rigil Kentaurus.  Mas não estamos e não me é claro que não estejamos a caminho da 3 (ou quarta) implosão!
Por norma é preciso lembrar que estas coisas seguem ciclos de pendulo que depois tendem a equilibrar caindo para o outro lado…. Até ao dia em que o pendulo já não volta. E, como tenho dito inúmeras vezes aqui, ninguém me explicou ainda porque contra todos os tell signs à frente dos nossos olhos de que estamos no tal ponto em que a "civilização acaba”, tal como aconteceu na idade do Bronze ou na queda do império Romano.

Óbvio que não escrevo este post para dizer algo que já aqui o disse no passado.
Dizia eu que me espanta que as pessoas façam uma equivalência entre direitos de minorias sexuais e o movimento LGBTQ. Nada a ver, ou o que tiver é pura coincidência.

O movimento LGBT é um movimento de destruição dos papeis tradicionais nas sociedades humanas, das hierarquias naturais que surgem nas interações entre “redes”, das orgânicas criadas ao longo de milénios para organizar as nossas vidas sociais. Não vou fazer a história destes movimentos, das escola de Frankfurt até sei lá mais o quê. Quem sabe, sabe quem não sabe vá procurar.

Nós sabemos que é um movimento politico, porque quando procuramos saber como se identificam as pessoas com esta nova proto- religião, desta ideologia que coloca na mira especialmente os mais jovens e ainda por cima procura agora açambarcar até os miúdos nas escolas primárias, não resta dúvida de quem são e como se colocam politicamente.

Tal como o ser asqueroso acima (na minha opinião) tudo isto corresponde a uma quinta coluna da extrema esquerda liderada inequivocamente por very liberal white female students. Veja o White ali metido no meio, porque quando se avalia as pessoas de minorias étnicas rapidamente se percebe que não estão a papar esta conversa, de todo. Nada…! isto é esta esquerda, racista e privilegiada, que do alto da super, mega bolha de privilégio em que vivem descobriram a liberdade de destruir o mundo acusando tudo e todos do que eles próprios sentem. Existe uma correlaçao estatística perfeita entre identificar-se com LGBT, com querer acabar com coisas como a "liberdade de expressão" dos outros, cancelar e despedir pessoas que se atrevem a discordar deles. A S M E S M A S P E S S O A S!

Este gráfico é revelador.

Pese embora eu goste do GSS (global Social Survey), que não se centra tanto em estudantes, os números do FIRE (direitos dos estudantes) e o CCES (suportado pelo congresso) baseiam-se em dezenas de milhar por isso também serão relevantes.

E olhando para este gráfico não deixa margens para dúvidas:

Isto, centrem-se nisto:   49% dos very Liberal e 25% dos Liberal com idades inferiores a 30 anos, nos últimos 2 anos, identificam-se como LGBT.  Mas (veja-se o gráfico abaixo) a consistência dos 3% como o número de pessoas do sexo feminino que nos últimos 5 anos que tiveram um parceiro do mesmo sexo mostra que isto não é uma revolução sexual, é uma endoutrinação.
49% identificam-se, mas quanto toca a ter relações sexuais escolhem o modo heterossexual? Que dizemos nós sobre a esquerda? Não são aqueles hipócritas que defendem uma coisa e praticam outra? Ora, aqui estamos, não é?

Aliás os estudos mais citados, mais bem feitos porque Longitudinais, meta-data ou multivariable são claros quando aos números:  No mundo real 1% é gay, 2% são bissexuais e o outros 2% são pessoas confusas. – Fora os gay, os verdadeiros, que tem uma consistência ao longo dos anos iguais aos heterossexuais e que muitos dos que conheço fogem do movimento LGBT como do diabo da cruz, os outros ao longo da sua vida migram para a heterossexualidade e por lá ficam os resto da sua vida (como também já mostrei os números no passado). 

Aliás, os mesmos estudos sobre a sexualidade nos últimos anos, 2020-2021, não deixam dúvidas: À pergunta a jovens do sexo feminino com idades inferiores a 30 anos que se identificam como Bissexuais, nos últimos 5 anos quantas só tiveram parceiros sexuais do sexo oposto….57% respondeu que era o seu caso! 

Por isso, mães e pais deste mundo. Os vossos filhos não estão a virar homossexuais ou bissexuais, estão sim a aderir a uma ideologia que procura minar a formação psicológica dos vossos filhos destruindo os mecanismos de formação de personalidade que é conducente a maior estabilidade e felicidade! -  Porque não se iludam – Como aqui escrevi: mesmo nos últimos anos em que se glorifica a vida LGBT, e que os miúdos se identificam assim em barda, o numero deles que se tenta suicidar varia entre 12% a 25% (com os mais confusos em relação à sua sexualidade os que mais se tentam suicidar) quando na restante população será 0,4% ! 

Por isso, não nos deixemos cair no truque asqueroso desta gente que diz que luta pelos direitos das minorias sexuais porque não é o caso de todo. É uma ideologia de extrema-esquerda mascarada o suficiente para enganar e convencer muita gente que devia ser mais ajuizada.

Que fique claro! – o Movimento LGBT é um movimento de extrema esquerda, criado pela extrema esquerda como se pode verificar pela preferência ideológica das pessoas que se identificam como LGBT, ficando claro que é a ideologia de esquerda que cria a identidade LGBT e não esta que atira as pessoas para os braços da esquerda, porque a identidade de esquerda tem-se mantido a mesma ao longo da década. Percebeu? Percebeu? – É uma manifestação da Esquerda e como tal deve ser combatida e não o facto de as pessoas serem gays, ou bissexuais ou o que quiserem.
Como vos disse, o maior truque do diabo é…?

Esta é a gente, privilegiada como sempre, que destrói mundos porque descobrem desde cedo que estão destinadas a ser não contribuidores mas meros observadores da felicidade no mundo, condenados à infelicidade, ao desarranjo, depressão e todo o tipo de perturbação psicológica ou psiquiátrica.  -  Porque o mundo interoceptivo deles arde, assim deve arder o mundo todo.

Tenho dito!

Autoria e outros dados (tags, etc)

A irritação dos betinhos...

por Olympus Mons, em 07.07.22

O debate da moção de censura do partido CHEGA ao Governo foi revelador.

A irritação do Sebastião Bugalho contra o modo como o debate tinha decorrido foi provavelmente a melhor confirmação de que aquilo tinha corrido muito bem ao partido de André Ventura.  - Sebastião não conseguia esconder a irritação com o facto de o PSD ter sido uma nódoa durante o debate, obviamente atirando-se ao partido CHEGA por ter feito tal desfeita.

Nunca até este momento tinha tido a noção que o PSD está mesmo em risco de perder ainda mais eleitorado correndo mesmo o risco de baixar a barreira dos 20% e ter um CHEGA a 5% de distância de si um destes dias.  – Muito irá depender da atuação de Montenegro, porque a ver por aquela bancada do PSD era só cheiro a mofo, a pequininês, a has-been! Incrível. Aquilo foi verdadeiramente patético.

Das intervenções do CHEGA chegou e sobrou para durante aquele bocado, aquelas 3 horas, o CHEGA ser o rei e senhor do palco político Português. E todas as tentativas de esconder o CHEGA do povo português (fascistas, racista, xenófobo!) não vai resultar se o partido continuar a ter aquele tipo de Palco. O problema do Gossip, da maldicÊncia, é que quando se conhece o "bicho" fica mais dificil impedir a deserção das pessoas à meta-norma e alistarem-se no CHEGA  – Grandes fatias do povo Português revêm-se nos discursos dos deputados do CHEGA e da eloquência controlada do André Ventura.

Fico com mixed feelings relativo às linhas vermelhas do PSD.  Se por um lado afasta o tal centro politico que define quem ganha mais para a Direita quando hoje em dia está ridiculamente muito à esquerda, por outro lado só por o afirmar essas linhas pode estar a restringir todas as suas opções de futuro não é? – Ter o deputado do CHEGA a perguntar-lhes se nos Açores estão aliados a um partido racista e xenófobo é devastador para quem acabou de lhes chamar isso. Aquele ar de perdidos dos deputados da Bancada do PSD, um partido com mais de 70 deputados, foi assustador.  Os deputados que falaram pelo partido foram de um atavismo verbal do PSD de Rui Rio de todo o tamanho. -  Percebi a irritação do Sebastião Bugalho… Melhores dias virão puto, melhores dias.

Já em relação à IL…

Há dias o Alberto Gonçalves, que é um cronista do Observador dizia que pessoas que conhecia junto do partido Iniciativa Liberal, lhe diziam que havia preocupação no partido porque cada vez mais uma facão obcecada com causas fraturantes tal como o Bloco de esquerda ganhava protagonismo no partido.

Eu bem vos disse que eles se encontram todos à porta dos colégios privados de Lisboa, Porto ou Braga. Todos eles.

Nesta imagem de um estudo de 21 países, que muita coisa poderia ser dita, só quero alertar para o último quadro que é HE-HI – High Education e Hi Income. Podem ver que ao longo das décadas as pessoas de High Education e High Income (HE-HI) foram passando para a esquerda, sendo que em quase 50% são de esquerda (é o que mostra o último quadro).
Que o Socialismo como sempre seja alimentado por pessoas e High Education e Low Income (que é o quadro anterior -HE-LI) dava um post por si só.
Neste caso quero só usar esta imagem para demonstrar que é mesmo verdade que eles se encontram todos á porta do valsassina, do S Joao de brito, dos Salesianos, D. Diogo de Sousa em Braga ou o Nossa Senhora do Rosário do Porto, etc… ou até betinhos da Católica como o Sebastião.

O facto de pessoas de HE-HI serem nesta altura quase em 50% de esquerda (ui, e ninguem lhes pergunta onde está o spread the health) faz com que haja destas coisas e se encontram todos amenamente naqueles sítios. Volto a dizer especialmente os do IL.Tudo a mesma gente cuja pirâmide de Maslow sempre esteve, desde a infância, completamente preenchida.

Especialmente nos sítios onde o IL teve melhor performance, não é? - toda esta gente de High Education e High Income, da IL, do BE, do PS e do PSD se encontram ao nascer do dia nessas bolsas de privilégios onde a inflação a 8% e o aumento dos combustíveis não vai mesmo, mesmo, ter impacto, certo?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Capo dei capi

por Olympus Mons, em 07.07.22

Ontem ouvi o José Gomes Ferreira dizer, como já noutras circunstâncias o ouvi fazer similar, o impensável em Portugal.

Ele disse ontem que parece que António Costa conseguiu em 2020 através de empresários amigos do Partido Socialista aquilo que José Sócrates não conseguiu em 2008. – Controlar um canal televisivo de referência em Portugal, a TVI.

No caso seria o Mário Ferreira e o controlo da TVI.

Mário Ferreira é um dos tais empresários próximos do Partido Xuxalista. Nesta imagem cá está o Diogo Lacerda Machado, o tal Capo dei capi do António Costa no iate do Mario Ferreira.:

Eu, já aqui escrevi (e muito mais em comentários no blasfémias ou oInsurgente quando ainda estavam vivos) que Diogo Lacerda Machado é para António Costa o que Carlos Santos Silva era para José Sócrates.  - Posso (podia) estar errado mas apelei sempre a que então se investigasse.

Confesso que sempre que se diz que Portugal é um país corrupto eu emocionalmente sinto-me confuso porque não fui ou vi corrupção. Sinceramente. Não consigo lembrar-me de uma vez que que o tenha assistido pessoalmente e no meu dia a dia.

Mas depois sei de casos mediáticos e não me resta dúvidas da prevalência destas situações.
E  lembro-me de (e vou ser enigmático) para aí me 2010, numa circunstância mágica com Lacerda Machado numa sala cheia e ele passou pelo tema do negócio da compra da VEM brasil com a falência da VARIG (sim ele anda por aí há muuuiiitttto tempo) e quando ele já começava a falar demasiado sobre o negócio soa de lá a voz autorizada do **** que diz: “Diogo, cala a boca!”. E ele mudou de assunto.  Circunstância bizarra que me ficou na memória e que tanto quanto sei só existe na minha memória. Enfim.

Lembrar que quem trouxe Fernando Pinto para a TAP foi um governo em que António Costa era Ministro e tinha como secretários de estado o Diogo Lacerda Machado e Eduardo Cabrita, não é?  E que quando se comprou a VEM (e Varilog) quem era o Primeiro Ministro era José Sócrates e o Ministro da Defesa era …. António Costa. E lá estava o amigalhaço (Diogo Lacerda Machado) a liderar a cenaça conjuntamente com a equipa de Fernando Pinto…

E não vou perder nem mais um segundo com esta história porque não sou jornalista, nem é esse o meu foco. Aliás, estou só a relatar algo a que assisti e me pareceu dissonante e que sim dizer que os jornalistas que de certeza sabem estas coisas todas fizeram nada!

O xuxalismo manda mesmo nisto de forma tão global quando qualquer deriva peronista e a culpa é de toda uma elite que finge perpetuamente fechar os olhos porque de uma forma qualquer bizarra sente que também está a comer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Moamba de galinha

por Olympus Mons, em 04.07.22

Capture.PNG MLhill.PNG

E para toda a gente que se excita em repulsa quando alguém menciona o great replacement que ocorre nos EUA coisas como estas são muito reveladoras. 
O great replacement nos EUA são um facto. São estatisticamente facto e probabilísticamente em curso para a conclusão do processo.

E, quando deixa de haver homogeneidade dentro de determinada sociedade e a “sociedade dos brancos americanos” deixou de o ser e passou a ser diversa, porque já o é  tanto nas manifestações politicas, como vida interna das empresas e nas corporações ou media, podemos então, objetivamente,  observar que fenómenos decorrem, logo à partida, desse facto nos EUA. Porque serão basicamente os mesmos que chegariam à Europa se seguir o mesmo caminho.

E neste post também não vou falar nem do entrevistador, Marc Lamond Hill nem da inteligência com que o entrevistado, Chris Rufo, domina o modo como responde. Mas com este domina, não deixa de ser o modo como foge à pergunta porque a percebe na forma como ela foi desenhada.  Num país onde se pode em 2022 ser racista q.b. relativo a brancos mas Já se você disser algo como  “…diga lá qualquer coisa positiva sobre ser negro?” a sua carreira e vida social acaba".

Ainda, e para que não reste dúvidas, nos EUA pessoas como Marc Lamont Hill espicaçam o conceito de “withness” sem qualquer pejo ou respeito pela aversão conceptual ao conceito que o racismo deveria provocar em todas as direções. Ele não ataca pela nacionalidade, ancestralidade ou outro construtor de identidade …. e isto tem uma razão de ser. Esta gente tem muito tempo para pensar nisto e sabe bem como atrair as pessoas para os frameworks que quer e que construiu.

Este meu post é sobre a incapacidade do brilhante Rufo de entrar por aquele caminho onde estava a ser atraído porque esse tal caminho é na verdade a tal realidade que nunca é endereçada e que constitui o tal problema que teremos enquanto humanos a habitar este planeta resolver.  No ponto onde estamos hoje, é quase impossível de responder à pergunta, e ela foi desenhada para assim o ser, sem estoirar com todas as mais profundas das meta-normas nas sociedades ocidentais.

Raramente encontro razões para dar os parabéns ao fascismo cultural de esquerda mas neste caso faço-o, porque o truque está muito bem montado, e prepara-se que nesta década vai ser usado vezes sem conta.
Qual a resposta correta à pergunta de Lamont Hill? - A pergunta é:

“...diga lá qualquer coisa sobre o ser branco que considera positivo ou que gosta?

Eis a resposta que não pode ser dada:  Deus (ou a natureza) criou a estrutura natural onde todo a humanidade vive.  -  O resto foi criado e foi-lhe dado a si pelo “whtiness”.  Retire pois o whitness da equação e os 90% das pessoas, dos 10% do planeta que sobreviver, voltaria à idade da Pedra!

Está a ver? Como é que se consegue articular isto no nosso novo mundo?  Por detrás de qualquer resposta que der está a afirmação de superioridade desse whitness que não é de todo aceitável num planeta em que estamos todos, devido ao capitalismo e globalização, debaixo de um milagre que nos permite ir a qualquer ponto do planeta em horas, que nos permite entrar num avião em qualquer ponto do planeta e sentar ao lado de pessoas de todas as etnias, que encetamos relações comerciais e pessoais com toda a gente do mundo?

Como resolver este conundrum?  - Este é um problema real. É concreto e deve ser endereçado. Só não o poderá ser mentindo! Não mintam, não inventem, não deturpem porque se 50% dos cérebros do planeta conseguem resolver dissonâncias cognitivas instantaneamente, os outros 50% das pessoas do planeta não o conseguem – Para estes últimos, peta é peta, tanga é tanga, mentira é mentira e não têm uma ACC (Anterior Cingulate) hiperativa que os faz adotar como verdade qualquer treta estapafúrdica que “do the trick”.

Carregando no acelerador, você, onde quer que viva no planeta só está vivo devido a whitness e à bolha tecnológica que o whitness criou.
Bata as palmas mágicas e pufff estamos em Nairobi: Olhe á volta e tudo á sua volta é produto de um Velho Homem Branco Europeu. Olhe o chão, os edifícios, o que está no pulso das pessoas, nos pés, os veículos que e onde se movem, os mecanismos pelos quais não morreram aos 5 anos de idade,  o até o que comem e bebem… tudo aquilo foi criado e dado ao mundo pelo Whitness.
Bata as palmas mágicas e estamos em Shangai, China, novamente olhe á volta e tudo aquilo tal como em Nairobi é uma criação da Whitness que chega até ao framework jurídico-legal que garante os mais básicos direitos dos chineses é uma criação do whitness, porque é uma cópia do direito alemão.

Batemos palmas e vamos a Mumbai?... Não vale a pena, não é?

Novamente a palmas e salta para Singapura e até o próprio pais, tal como todos os países em africa ou na américa Latina, é uma criação do whitness e as pessoas daquele local não trocariam esse whitness por nada do mundo.

E, Já agora, esta criatividade whitness começou em Varna com a roda e vai até ao novo mundo digital. Podemos falar depois da carroça ou da domesticação do cavalo (que provavelmente foi com os Yamnaya e não em botai), ou da pouco valorizada Caravela Portuguesa como marco civilizacional, e daí para a frente toda a bolha que distingue a humanidade para além da idade da pedra se deverá em grande parte se não quase na totalidade a essa whitness.

Mas… que há para não estar orgulhoso do whitness ? Quando alguém pergunta, diga lá algo de bom que o whitness já fez pelo mundo, a reação correta é olhar para pessoa com se tivesse distúrbios cognitivos…. Ou fosse o produto do sistema educativo americano (a mesma coisa).  

E este, meus caros, é o problema que nas próximas gerações teremos que resolver no tal planeta que se vai de Lagos na Nigéria a Londres no Reino Unido em 7 horas. 

Mas não fico por aqui.
E a solução, na minha opinião, passa por perceber que grupos populacionais tem temperamentos que se ajustam de forma diferente ao momento civilizacional mas que este momento civilizacional também deve ser definido por nós todos, porque ao final do dia o significado de tudo poderá ser redefinido por nós, desde que não seja por petas e tretas sem aderência à realidade. -  Se for para gerir o meu dinheiro eu quero que seja um Judeu ashkenazim como preferência cega e primeira e instintiva opção, mas se for para ir comer uma Moamba como deve ser vou com o Carlitos que é de Angola e sabe por o óleo de dendém e os quiabos na conta certa.
E onde acham que eu vou ser mais feliz? Ao telefone com o investidor ou a comer a moamba com o meu amigo?

 E o facto de se possuir características mais produtivas e eficientes para as exigências de produtividade por parte de determinado grupo populacional, a solução Judaica não vai resultar. A Solução ashkenazim resulta para 0,5% da população não resulta com 20% da população, não é?  Aliás, ainda não está bem assertado se resulta porque o antissemitismo já graça por esse mundo fora novamente.

O que é a solução ashkenazim? – Diga a um judeu ashkenazim, “eh pá, vocês em média têm uma inteligência tão elevada que tem um desvio standard sobre o resto da população mundial….” E ele entre em pânico. A solução ashkenazim resulta para 0,5% da população mundial que o é, que assim consegue ter mais de 50% dos prémios Nobel da ciência, mais de 60% dos prémios científicos, ter uma percentagem elevada da riqueza do mundo todo (porque tem um desconto hiperbólico do futuro baixíssimo) e não ter sido ainda completamente dizimados, apesar das tentativas ao longo da história, pelos outros 99,5%.
Pois, ao final do dia não considero que isso resulte para os 20% da população mundial que não se vai poder esconder dessa forma como, até estranhamente, a comunidade Judaica se gosta de esconder para não ser alvo.
Estamos tão perto de atingir um nível económico médio no planeta inteiro, nessa bolha do capitalismo e globalização que meteu 6 mil milhões  de pessoas na bolha protetora e que está em vias de colocar todos os 8 mil milhões de pessoas deste século lá dentro, que poderíamos redefinir os tais termos de significado e criar premissas de valor em que se aceita toda a gente como ela é mesmo reconhecendo que grupos populacionais possuem características diferentes e que ao final do dia, tal como numa equipa, todos conseguem contribuir para um mundo melhor.
Que valorizamos nós no dia a dia? Não é a amizade o bem-estar o riso e afetos de momentos bem passados seja connosco próprios seja com outros? Alguém mede se gosta de estar com outra pessoa pelo seu QI ou pelo seu desconto hiperbólico do futuro?
Estes malucos da esquerdalhada, ressabiados e complexados, incapazes de reagir positivamente ao trigger do seu cérebro ao saliente (que muitas vezes a raça o provoca), no cérebro deles e não no seu, pese embora depois reajam aos berros e histerismos contro o racismo sistémico ou inferido dos outros, marcados acima de tudo pela inveja e schadenfreuder a guinchar equality, equality a toda a hora...

Fuck that! … eu vou comer Moamba de galinha com o Carlitos outra vez no sábado e quero que essa esquerdalhada doente se F**A!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Para esquecer?

por Olympus Mons, em 03.07.22

 

São 17.30 e começam agora a passar noticias sobre o tiroteio no maior centro comercial de Copenhaga.
Nada de detalhes ou grandes destaques. Aguarda-se ansiosamente que se saiba se é um extremista de Direita para que se torne noticia viral, sejam feitos textos reflexivos durante dias.

Como a probabilidade é de ser um extremista islâmico, vamos então prosseguir com cautela, não é?
Qual era mesmo o país do outro há dias? Já ninguém se lembra…

Já de Buffalo ou Miami, ainda hoje em dia encontro pessoas que se lembram, pelo menos do sítio.

Conseguirem aplicar estes truques dia sim dia sim, e as pessoas aceitaram ser tão bem manipuladas, é o Hallmark dos dias de hoje.

Já agora, após semanas de conteúdos, quando houve mais um tiroteio  nos EUA.

Denmark has one of the strictest – possibly the strictest – gun ownership laws in Europe. The only type of weapon that civilians may own without a licence are air rifles of a calibre of 4.5 mm or less. All other firearms, including gas pistols, alarm weapons and deactivated weapons, require a licence.

 

UPDATE:
Este vai ser dos bons. Pelo que li...
...Police have arrested one suspect who they described as a 22-year-old ethnically Danish man, in connection with the shooting.

Como se pode ver, quando é da etnia correta já se pode divulgar essa etnia sem problema nenhum, não é?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bolhas inseguras

por Olympus Mons, em 03.07.22

Capture.PNG early.PNG

https://www.youtube.com/watch?v=B1I5XC1Khr8

Em algumas coisas o Machine Learning do tensorflow da google vai funcionando. De vez em quando vai-me sugerindo coisas que se aparentemente não consigo perceber que raio me está a sugerir ao ver o conteúdo percebo.

Esta jovem, pelo que percebi, tem um canal de sucesso no Youtube e vai falando com convidados sobre relações românticas e atitudes em geral dos jovens perante a sociedade. Os vídeos que passei os olhos são cheios de diversity, cheios de pessoas de várias raças sendo que na maioria os seus convidados são de raça negra, as pessoas que analisa e admira são de raça negra por isso sempre se terá sentido, como bem aqui explica, em segurança e até compreendo que para quem faça coisas com estas características estará reservado  um grau de liberdade que não será de todo ao alcance de quem não seja tão savy. – Ela claramente sabe o que faz.

Ora passados tantos anos a fazer os tais vídeos em que confesso ela consegue dizer um número invulgar de verdades à geração Z e Y, esta jovem acabou estar a falar sobre o aborto no seu país, sobre a Roe Vs Wade.
O mais giro é que ela não queria falar mesmo sobre o aborto mas sim o ponto de conversa que como digo pelos que vi são sempre muito… bem pensados. - Neste caso o que ela queria tentar perceber é porque os homens não tinham o direito de abortar financeiramente? E esse era o ponto. Se as mulheres podem abortar os fetos então os homens deviam poder “abortar financeiramente” e a partir daquele ponto não ter nada a ver com o gravidez da mãe. Pronto, era esse o tema controverso da conversa dela.     

No entanto este vídeo é sobre ela ter percebido que em 2022 basta caíres do lado errado da woke mob num único tema passas a estar em perigo.
Ela pela primeira vez disse que teve medo.  - Porque quando as pessoas à volta começaram a dizer que ela era pro-life, era contra o aborto e que estava a fazer entrevistas… percebeu, com grande estranheza, que se começaram a juntar à volta dela ameaçadoramente e que  sentiu que verdadeiramente estaria a entrar numa zona de perigo, algo que nunca tinha sentido ou achado que estaria no realm das opções que sempre foi tão diversity e tão inclusiva . Até pelo que expliquei em cima.

Fica este relato de uma jovem que percebeu que em 2022 ser percecionada como sendo contra o aborto ( que pelo que percebi ela nem é) em público pode colocar a tua integridade física em perigo…  Viva para as tais democracias liberais não é?  Tão antifascistas que são.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lucas...Claro!

por Olympus Mons, em 02.07.22

https://observador.pt/opiniao/a-grande-substituicao/

Capture.PNG claro.PNG

Durante a semana escapou-me este artigo do observador e a polémica que daí resultou.
Durante o dia de ontem, num dos podcast do Observador, dei-me conta do ruido que provocou este artigo.  Consternação pelo conteúdo, consternação pelo facto do Observador o ter publicado, consternação pela audácia. No conteúdo diziam-me os comentadores que o referido artigo tinha fatos xenófobos e partes até racistas.

Assim, ainda antes de ter lido o artigo, já notava uma coisa e tinha a clara expectativa de outra. -  Primeiro notava nas críticas que li que não havia um único argumento exposto, uma única perspetiva, que contestasse o artigo o que por si próprio é intrigante, e a expectativa é que iria ler no Observador então um artigo idiota, cheio de inferências e patetices de inferências e mentalidade redutora escrito por algum velho desbocado e desfasado no tempo.

Depois li o artigo. – E desafio todos os que ainda não fizeram a ler o artigo no link acima.
O jovem que escreve o artigo não se deixa cair em grandes ilações que o possam trair. Nesse aspeto nota-se a precaução, meramente aflora as questões e apela a que haja também em Portugal um debate sobre o assunto como ocorre em tantos outros países. Pode ter tido cautela mas não se safou. Fascismos são assim. Redutores.

O rapaz limita-se a dar os factos mais básicos, transcreve algo que se observa diariamente em zonas de lisboa e constata que estamos a falar de eventos em curso no Ocidente sobre os quais nunca ouve um debate entre a população portuguesa.
Isto, assim simples.

Como sabem já aqui escrevi sobre o great replacement várias vezes. O que me espanta é que talvez como o jovem que escreveu aquele artigo, ninguém contesta os factos ou apresenta uma outra via que tenha qualquer aderência à realidade. - Quer dizer se nos EUA em 30 anos a população aumentou um terço, aumentou em 100 milhões de pessoas e a população que se identifica como White passou de 85% para 60% e se as projeções nos informam que em 2050 (dentro de 28 anos?!) serão 47% da população… se não é um substituição populacional então é o quê?

E existem partes de, por exemplo, frança ou Suécia onde a grande substituição ocorreu não só na etnia das pessoas, mas até na cultura e praxis legal ao ponto de haver receio até das forças policiais em entrar nessas zonas… estamos sob ao processo de substituição da law of the land nesses sítios ou não? – É a substituição da população ou não?

Eu apanho o metro no cais do Sodré e vou passando no Intendente, Martim Moniz e os personagens na minha carruagem que depois saem aos magotes naquelas estações em nada serão adjetivados como portugueses.  Aliás, entre eles nem falam português.

E, reparem, não me suscita qualquer reação emocional, nem positiva nem negativa. Vivo sob a égide da decência humana e por isso se alguém idoso dou o meu lugar, se um jovem indiano afasto as pernas educadamente para que passe e se sente… Sem qualquer emoção como acho que deve ser, porque o individuo é soberano na sua vivencia no espaço e no tempo. 
Mas uma coisa é um facto, como diz o jovem no artigo, que qualquer alfacinha de gema que por ali ande não reconhece nada daquele ensamble como português ou lisboeta e isso eram identidades que existem, mas tem que fingir que não o observa. Logo legitimamente se dirá que houve ou está em curso uma grande substituição da população… quer dizer, pelo menos ali, não?

Se partes da Austrália a população já é em 20% de outras etnias que não a original….

E sim, eu sei, o argumento aí vem – Mas, mas…. a população da autóctone da austrália são os Aborígenes -- NÃO, não são!

A população autóctone e endógena da Austrália é a população que criou o país AUSTRÁLIA e implementou todas as milhares de circunstâncias que se convencionou chamar de Austrália. A população Aborígene é uma população indígena da região, mas não são os Australianos Originais, mas sim uma população que habitava uma terra que hoje se chama Austrália,  o tal país criado por imigração Europeia.
Não a população india não é a população americana autóctone, a população ameríndia é a população da idade de Pedra que habitava uma região onde a América foi criada. A América é aquela coisa que se tornou na superpotência mundial devido ao temperamento e ética de trabalho da sua população Alemã, do Völker gemütlich, do die Gemütlichkeit embrenhado na cultura europeia e após o hard day work que embora um bocado a contrapeso do maior flamboyant dos britânicos, originou uma combinação que criou essa cultura eficaz que fez a ‘Merica, a superpotência… E sim, essa população, temperamento e cultura já só representa (etnicamente) 60% da população e dentro de pouco tempo será 40% da população.

Tanto quanto eu entendi das publicações sobre o tema, após 20% de diversidade já não tens hipótese nenhuma de continuar a ser o que eras. Zero. E não estou a dizer que isso é bom ou mau. Tenho a minha opinião e podíamos falar nisso, caso isto fosse um livro e não um mero post.

E, entendam, ao final do dia os Deuses da História don’t give a fuck se a Europa e o mundo ocidental desaparecer. – Nobody gives a fuck nos ventos da história. Que se trama és tu ou melhor a representação do “tu” que serão os teus filhos e netos, os teus pares e concidadãos de identidades. Esses, como se nota nos últimos 8 mil anos…. upa, upa. -  olhem, os Jomon viviam descansados na terra que hoje conhecemos como Japão durante longos e intermináveis milénios e em questão de séculos sofreram a “grande substituição” pelos imigrantes do norte da China e logo depois pelos han da Coreia. Quem deu um fuck? Ninguém.  E quando os Europeus lá chegaram no século 7 nem perceberam que era um povo novo, fresquinho criado pela imigração e que os originais já eram. E isso não foi num mundo me que vais da Lagos na Nigéria a Londres em 7 horas, não é?   

Aliás e muito bem nota-se que na Europa após o desvaneio de alguns anos este assunto já é levado a sério no continente. Desde as leis anti-imigração brutais na Suécia e Dinamarca, aos voos de repatriamento do Reino Unido, à conversa consistente na França de canditados (e não só  a Le pen) de cessar toda a imigração de fora do continente… já aprenderam que é chegada a altura de observar o que se vai passar nos EUA nas próximas décadas. Isso antes de ir cegamente atrás de uma decisão de alterar a sua população que os EUA conscientemente, tanto Democratas como Republicanos, tomaram com premissas económicas. Agora é calar a boca e comer. Mas nós temos a oportunidade de observar antes de saltar como eles, não é?


Mas, acima de tudo, uma coisa é certo… Este assunto da tua substituição por um outro admix cultural e genético, tendo em conta que em muito se ultrapassa os tais 8% da carrying capacity de uma sociedade para a diversidade, era algo que as pessoas que se identificam com uma identidade nacional deviam poder discutir livremente  -  Lucas Claro…que SIM!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs