Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


E  porque a esquerda a ODEIA!

 

Recent studies have documented that self-determined choice does indeed enhance performance. However, the precise neural mechanisms underlying this effect are not well understood. We examined the neural correlates of the facilitative effects of self-determined choice using functional magnetic resonance imaging (fMRI). Participants played a game-like task involving a stopwatch with either a stopwatch they selected (self-determined-choice condition) or one they were assigned without choice (forced-choice condition). Our results showed that self-determined choice enhanced performance on the stopwatch task, despite the fact that the choices were clearly irrelevant to task difficulty. Neuroimaging results showed that failure feedback, compared with success feedback, elicited a drop in the vmPFC activation in the forced-choice condition, but not in the self-determined-choice condition, indicating that negative reward value associated with the failure feedback vanished in the self-determined-choice condition. Moreover, the vmPFC resilience to failure in the self-determined-choice condition was significantly correlated with the increased performance. Striatal responses to failure and success feedback were not modulated by the choice condition, indicating the dissociation between the vmPFC and striatal activation pattern. These findings suggest that the vmPFC plays a unique and critical role in the facilitative effects of self-determined choice on performance.

 

How Self-Determined Choice Facilitates Performance: A Key Role of the Ventromedial Prefrontal Cortex  -- Kou Murayama1Madoka MatsumotoKeise Izuma3,4

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Of mice and man

por Olympus Mons, em 01.12.13

 

Aliás!  A utilização no post anterior da imagem do último livro de Al Gore pode ser enganador. Mas só para quem não estiver atento. É que após praticamente fechar as suas actividades relacionadas com as alterações climáticas ( the climate reality project está praticamente fechado) este novo livro de Al Gore é nem mais nem menos o senhor a mudar de ramo de actividade devido á redução drástica na actividade anterior (alterações climáticas).

 

 

 

 

 

 

O que dizem dos capitães dos navios? - O capitão, à boa maneira do costa Concordia, está a abandonar o barco.

 

De qualquer das maneiras, benvindos ao novo Al Gore. 

Com certeza mais alguns milhões a caminho... tudo em prol do bem estar dos outros, claro!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Água mole...

por Olympus Mons, em 01.12.13

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quem já leu alguns dos meus posts já sabe que pese embora as pessoas possuam as diversas áreas de Brodmann no cérebro e as usem (a não ser que tenha uma lesão numa delas) a verdade é que não da mesma maneira e intensidade, algo parecido com o facto de toda a gente ter dois membros superiores mas a verdade é que uns são canhotos e outros destros.  As pessoas de direita vivem plenamente a sua AOV (amygdala, OFC e VMPFC) e as pessoas de esquerda adoram marinar na IAD (insula, ACC e DLPFC).

 

Para entender esta ligação da “ausência” da VMPFC nos processos de aferição do postular político das pessoas de esquerda basta…

 

“People with damage to the ventromedial prefrontal cortex still retain the ability to consciously make moral judgments without error, but only in hypothetical situations presented to them. There is a gap in reasoning when applying the same moral principles to similar situations in their own lives. The result is that people make decisions that are inconsistent with their self professed moral values.[3]

 

 

Mas agora, após os meus últimos posts, lembrei-me de um estudo do ano passado  “

 damage to ventromedial prefrontal cortex increases credulity for misleading advertising” onde se traduz essa insuficiência para algumas avisos…

 

Applying the findings to real-life situations, people with damage to the vmPFC:

 

1 - are more vulnerable to fraud schemes or financial scams

 

2 - have “compartmentalized minds” where discordant ideas are able to be held in mutual agreement

 

3 - are prone to believe their own assertions even in the face of contradictory evidence

 

4 - lack the ability to detect signals that normally steer people away from inappropriate decisions

 

In summary, the authors suggest that damage to the vmPFC, which helps to regulate doubt versus belief processes, may result in an increase in a person’s vulnerability to be deceived.

 

O VMPFC é a parte do cérebro que (conscientemente) avisa que algo não está bem, que a bota não bate com a perdigota, que determinado assunto não passa o smell test! – Aqui inicia-se um estado latente de cepticismo até que o numero de positivos  vença o tal cepticismo.

 

Isto em contraste com quem instintivamente prefere outro caminho. Sim, meus caros, você ou vai por aqui ou pela ACC (anterior Cingulate) e vai dar ao outro lugar. Algo como … Upon detection of a conflict, the ACC then provides cues to other areas in the brain to cope with the conflicting control systems… que no caso da esquerda demasiadas vezes é ao DLPFC para ajudar a resolver a dissonância cognitiva. Aliás, por isso a esquerda é tão verbalmente articulada, muito por força do DLPFC, assim como elaborada no conteúdo, muito pela força dessa troca entre o DLPFC (que cria a treta) e a ACC (que faz a monitorização dessa treta detectando os erros) ou se quiser  whereas ACC and DLPFC interact with each other to resolve conflict through attentional modulation (chamado assobiar para o lado) .  Com alguém de esquerda mesmo quando se tratam de dissonâncias cognitivas novas é só dar um tempinho que após algumas interacções entre a ACC e o DLPFC ela vai ser resolvida – Sim, chama-se hipocrisia.

 

Com o ataque que hoje em dia se assiste ás diversas formas de cepticismo, voltando a denominação de por exemplo denier a quem se atreve a duvidar da severidade das alterações climáticas,  significa que estamos mesmo no mundo da submissão do AOV ao IAD.

 

enfim…

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eles...!

por Olympus Mons, em 28.11.13

Conferência organizada pelo Bloco Esquerda. 

Vê muita diversidade étnico-cultural nesta foto?

 

 

No seguimento do meu post  “Reality is a bitch e sobre o que já tinha escrito em  “A esquerda e a dissonância cognitiva… ou a cara da hipocrisia”  convém lembrar o que Eric Kaufmann descobriu recentemente (como se fosse a maior surpresa do mundo).  Como esclareço num destes meus Posts a esquerda (pela ACC) tem uma capacidade invejável de resolver dissonâncias cognitivas. Ou seja é tremendamente hipócrita.

Ora o que Kaufmann agora descobriu para espanto geral (desde que esse geral não seja de pessoas de direita, porque esses já o sabem há séculos!) que as pessoas de esquerda tem exactamente a mesma tendência para fugir da diversidade étnica-cultural que as pessoas de direita.  Pegando nas pessoas que se auto-identificavam como de esquerda /direita ele descobriu que 61% de “liberals” e 64% de “conservatives” fugiram de zonas que registaram aumentos de diversidade cultural nos últimos anos.  Aliás, passada a barreira dos 10% de multiculturalidade subitamente mudam-se para zonas mais brancas. É mesmo assim: Mais brancas. Chama-se white flight.

 

A questão de fundo será: como lidar com as pessoas que nesta altura controlam a agenda política mundial, controlam aquilo que serão as percepções e formação pedagógica, imagística nos media e terminologia comunicacional e até conseguem impor normativos morais (prescritivos para os outros) do que é correto dizer … e depois quando se concretiza o que postulam não o vivem, procurando viver precisamente no espaço e tempo que são o oposto daquilo que exigem que os outros vivam. Como lidar com isto?  

 

A questão não é: como é possível que os meninos do BE vivam em zonas tradicionais de Lisboa em vez de viver em zonas de elevada diversidade étnico-cultural. Porque não vivem na Damaia e zonas onde essa diversidade é mais acentuada.

 

A questão é: porque nós, os outros, deixamos! -   “If you’re not angry, you haven’t been paying attention.”

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ele há momentos...!

por Olympus Mons, em 27.11.13

I often think it’s comical
How nature always does contrive
That every boy and every gal
That’s born into this world alive
Is either a little Liberal
Or a little Conservative

W. S. Gilbert  - século XIX

 

 

Convém lembrar onde começou a derrocada da visão do mundo que a esquerda tentou vender durante muito tempo. A visão de que acima de tudo o resto é o ambiente que forma as pessoas, neste caso a sua visão política. 

Se tivéssemos que escolher um momento escolhíamos o início dos anos 90 quando Thomas Bouchard munido de uma lista de 10,000 pares de gémeos decidiu investigar se era o meio ou os genes que essencialmente determinavam a opção política. A Bouchard sai-lhe a sorte grande quando reparou que tinha no lote 88 gémeos idênticos e 44 fraternos que tinham sido criados em ambientes completamente diferentes. Aí entrou o gráfico abaixo:

 

 

 

Se nos dois primeiros eixos o ambiente poderá ter sido o vector determinante nas últimas duas barras não. Aqueles 130 tinham sido criados em ambientes díspares e mesmo assim, os que eram geneticamente iguais mantinham uma correlação brutal. Contava Bouchard que um deles até tinha sido criado pelo líder do partido democrata local e desde cedo tinha estado envolvido no ambiente do partido mas ao atingir a maturidade virou republicano. Era algo que o jovem não conseguia explicar. Hoje em dia, como aqui tantas vezes explico, até já está perfeitamente estabelecido por FMRI (ressonância magnética) estes fenómenos.

 

Conhecido como a experiencia de Colin firth.  Em 2010 o actor fez um repto para os cientistas descobrirem o que havia de errado com o cérebro  das pessoas que discordavam politicamente dele (quem não é de esquerda... tinha um problema no cérebro!):

 

"I took this on as a fairly frivolous exercise: I just decided to find out what was biologically wrong with people who don't agree with me and see what scientists had to say about it and they actually came up with something".

 

 

O resto da história já sabe quem leia os meus posts.  Investigadores da  University College London aceitaram  o repto e começaram por descobrir as diferenças entre Amygdala e ACC , depois Ryota  Kanai deu mais forma a essas diferenças e schreiber e outros seguiram com trabalho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A REALIDADE É UMA “BITCH”

por Olympus Mons, em 22.11.13

 

E os falhanços da esquerda são um given da vida moderna.

 

 

 

 

 

Relação entre diversidade de um bairro e sua coesão e relacionamento interpessoal.

 

 

Hoje em dia assiste-se muito ao falhanço de variadas áreas da esquerda. Como a psicologia. Seja a psicologia social ou agora da, pasme-se, psicologia comunitária (!?). Sim, tinham que criar uma disciplina que estudasse formas de se tornar as comunidades mais diversas, mais multifacetadas e simultaneamente mais coesas e inclusivas.

O problema é que todo o output desta disciplina vai no sentido contrário aos objectivos da própria disciplina. Desde os trabalhos de Steve Sailer até Robert Putnan todos, para espanto total das suas mentes politicamente correctas descobrem que não se consegue de todo ter o melhor dos dois mundos. Ou tens uma comunidade coesa ou tens uma comunidade diversificada.  Diversificar étnico-culturalmente determinada comunidade leva invariavelmente à redução da confiança (mesmo dentro de pessoas da mesma raça), do altruísmo, cooperação, etc.  – Agora até andam ás voltas com modelos computorizados que invariavelmente retornam resultados perfeitamente óbvios:

 

These findings are sobering. Because homophily and proximity are so ingrained in the way humans interact, the models demonstrated that it was impossible to simultaneously foster diversity and cohesionin all reasonably likely worlds.” In fact, the trends are so strong that no effective social policy could combat them, according to Neal. As he put it in a statement, “In essence, when it comes to neighborhood desegregation and social cohesion, you can't have your cake and eat it too.

 

 

Eu bem vos tenho dito… este pessoal anda todo iludido. E o problema é que não vai desistir.

Daí que seja importante explicar estas coisas. Explicar o que é elevada diversidade biológica (HBD) nas populações humanas e que esta implica que as pessoas (pelo menos uma parte considerável) tem o direito de viver com pessoas que tenham o mesmo estereótipo que elas próprias e desse modo até, porque não, promover que independentemente da raça ou  cultura, desde que confortáveis com determinadas normas descritivas (descriptive vs Normative) do grupo possam viver no mesmo “bairro”. Como sabemos (se lerem os meus posts) até o mais empedernido direitolas aquilo que o perturba será sempre o Norm violations, independentemente da cor ou cultura de quem pratica a violação.  São estes “Bairros” de pessoas que se reconhecem e identificam umas com as outras  que verdadeiramente promovem a visão do desenvolvimento humano.

 

“Human development is the expansion of people’s freedoms to live long, healthy and creative lives; to advance other goals they have reason to value; and to engage actively in shaping development equitably and sustainably on a shared planet. People are both the beneficiaries and the drivers of human development, as individuals and in groups.”

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Já sabíamos, não era?

por Olympus Mons, em 15.11.13

“was commonly associated  with both types of deception (pretending to know and

pretending not to know), whereas activity of the anterior cingulate

cortex (ACC) was only associated with pretending not to know.

Regional cerebral blood flow (rCBF) increase in the ACC was

positively correlated with that in the dorsolateral prefrontal cortex

only during pretending not to know. These results suggest that the

lateral and medial prefrontal cortices have general roles in

deception, whereas the ACC contributes specifically to pretending

not to know.”

 

 

 

Toda a gente mente.

E por mais que os estudos associem o DLPFC (e como aqui vamos ver a ACC) à mentira e ao engano (deception)   de outros, não faz sentido dizer a mentira está unicamente ligado á esquerda IAD (insula-ACC- DLPFC).  Aquilo que se sabe é que estando mais ligados à AOV, as pessoas de direita sofrerão uma penalização emocional maior. Até prova em contrário fico-me por aqui nesse assunto.

A onde não paro é na crença que a esquerda tem uma predilecção para um tipo específico de mentira. E é um tipo de mentira que me irrita. Irrita e irrita: O modo como reescreve os eventos. Nos estereótipos da esquerda está aquela coisa do apagar pessoas das imagens, reescrever descaradamente eventos históricos. Nos debates tudo é rescrito ao momento actual. Por isso este estudo de Abe et al é tão interessante.

 

A Mentira da esquerda não é fingir que sabe alguma coisa. A especialidade da esquerda é fingir  que não sabia, que não viu, que não foi assim.

 

Elucidativo!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não esquecer...

por Olympus Mons, em 10.11.13

 

Para a Tina por nao ter respondido ao tina a 03.11.2013 às 15:18




“The Role of the Ventromedial Prefrontal Cortex in Abstract

State-Based Inference during Decision Making in Humans

Alan N. Hampton,1 Peter Bossaerts,1,2 and John P. O’Doherty1,2

1Computation and Neural Systems Program and 2Division of Humanities and Social Sciences, California Institute of Technology, Pasadena, California 91125

Many real-life decision-making problems incorporate higher-order structure, involving interdependencies between different stimuli,  actions, and subsequent rewards. It is not known whether brain regions implicated in decision making, such as the ventromedial

prefrontal cortex (vmPFC), use a stored model of the task structure to guide choice (model-based decision making) or merely learn action  or state values without assuming higher-order structure as in standard reinforcement learning. To discriminate between these possibilities,

we scanned human subjects with functional magnetic resonance imaging while they performed a simple decision-making task with higher-order structure, probabilistic reversal learning. We found that neural activity in a key decision-making region, the vmPFC, was more consistent with a computational model that exploits higher-order structure than with simple reinforcement learning. These results suggest that brain regions, such as the vmPFC, use an abstract model of task structure to guide behavioral choice, computations that may underlie the human capacity for complex social interactions and abstract strategizing.”





Sempre gostei deste estudo de Hampton de 2006. Penso que descreve bem o estereótipo da ideologia de esquerda e da Direita.  Descrimina muito bem os pathways da IAD (esquerda) e da AOV (Direita).  No fundo o que este estudo nos diz é que na AOV (Amygdala, Orbifrontal cortex e ventromedial prefrontal cortex) está muito mais do que meramente RL (reiforcement learning como os macaquinhos) e existem modelos abstractos bem mais complexos. E nessa complexidade da AOV está uma estruturante, inexorável, inabalável atenção, uma expectativa do positivo, à ocorrência dos expected outcomes que se concretizam e em última análise aos sucessos da vida e das escolhas. Simultaneamente mostra os caminhos da IAD (Insula, ACC e Dorsolateral prefrontal cortex) e a relação que tem com as expectativas de insucesso, com uma expectativa à priori do incorrecto, do insucesso e uma continua activação (que naturalmente pode ser útil) de mecanismo de mudança.

 


Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs