Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

barradeferro

barradeferro

O debate da moção de censura do partido CHEGA ao Governo foi revelador.

A irritação do Sebastião Bugalho contra o modo como o debate tinha decorrido foi provavelmente a melhor confirmação de que aquilo tinha corrido muito bem ao partido de André Ventura.  - Sebastião não conseguia esconder a irritação com o facto de o PSD ter sido uma nódoa durante o debate, obviamente atirando-se ao partido CHEGA por ter feito tal desfeita.

Nunca até este momento tinha tido a noção que o PSD está mesmo em risco de perder ainda mais eleitorado correndo mesmo o risco de baixar a barreira dos 20% e ter um CHEGA a 5% de distância de si um destes dias.  – Muito irá depender da atuação de Montenegro, porque a ver por aquela bancada do PSD era só cheiro a mofo, a pequininês, a has-been! Incrível. Aquilo foi verdadeiramente patético.

Das intervenções do CHEGA chegou e sobrou para durante aquele bocado, aquelas 3 horas, o CHEGA ser o rei e senhor do palco político Português. E todas as tentativas de esconder o CHEGA do povo português (fascistas, racista, xenófobo!) não vai resultar se o partido continuar a ter aquele tipo de Palco. O problema do Gossip, da maldicÊncia, é que quando se conhece o "bicho" fica mais dificil impedir a deserção das pessoas à meta-norma e alistarem-se no CHEGA  – Grandes fatias do povo Português revêm-se nos discursos dos deputados do CHEGA e da eloquência controlada do André Ventura.

Fico com mixed feelings relativo às linhas vermelhas do PSD.  Se por um lado afasta o tal centro politico que define quem ganha mais para a Direita quando hoje em dia está ridiculamente muito à esquerda, por outro lado só por o afirmar essas linhas pode estar a restringir todas as suas opções de futuro não é? – Ter o deputado do CHEGA a perguntar-lhes se nos Açores estão aliados a um partido racista e xenófobo é devastador para quem acabou de lhes chamar isso. Aquele ar de perdidos dos deputados da Bancada do PSD, um partido com mais de 70 deputados, foi assustador.  Os deputados que falaram pelo partido foram de um atavismo verbal do PSD de Rui Rio de todo o tamanho. -  Percebi a irritação do Sebastião Bugalho… Melhores dias virão puto, melhores dias.

Já em relação à IL…

Há dias o Alberto Gonçalves, que é um cronista do Observador dizia que pessoas que conhecia junto do partido Iniciativa Liberal, lhe diziam que havia preocupação no partido porque cada vez mais uma facão obcecada com causas fraturantes tal como o Bloco de esquerda ganhava protagonismo no partido.

Eu bem vos disse que eles se encontram todos à porta dos colégios privados de Lisboa, Porto ou Braga. Todos eles.

Nesta imagem de um estudo de 21 países, que muita coisa poderia ser dita, só quero alertar para o último quadro que é HE-HI – High Education e Hi Income. Podem ver que ao longo das décadas as pessoas de High Education e High Income (HE-HI) foram passando para a esquerda, sendo que em quase 50% são de esquerda (é o que mostra o último quadro).
Que o Socialismo como sempre seja alimentado por pessoas e High Education e Low Income (que é o quadro anterior -HE-LI) dava um post por si só.
Neste caso quero só usar esta imagem para demonstrar que é mesmo verdade que eles se encontram todos á porta do valsassina, do S Joao de brito, dos Salesianos, D. Diogo de Sousa em Braga ou o Nossa Senhora do Rosário do Porto, etc… ou até betinhos da Católica como o Sebastião.

O facto de pessoas de HE-HI serem nesta altura quase em 50% de esquerda (ui, e ninguem lhes pergunta onde está o spread the health) faz com que haja destas coisas e se encontram todos amenamente naqueles sítios. Volto a dizer especialmente os do IL.Tudo a mesma gente cuja pirâmide de Maslow sempre esteve, desde a infância, completamente preenchida.

Especialmente nos sítios onde o IL teve melhor performance, não é? - toda esta gente de High Education e High Income, da IL, do BE, do PS e do PSD se encontram ao nascer do dia nessas bolsas de privilégios onde a inflação a 8% e o aumento dos combustíveis não vai mesmo, mesmo, ter impacto, certo?

1 comentário

Comentar post