Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A suécia e Kymlicka

por Olympus Mons, em 08.02.21

Suécia...

Tanto quanto a curiosidade de perceber onde vão acabar os EUA também surge a curiosidade relativo à evolução da suécia.

Primeiro, para perceber porque não se pode falar de ciganos, ou imigrantes, sendo logo acusado de racismo ou xenofobia é importante perceber a experiência da suécia e a lição que deram à europa na segunda metade do século XX.
Com 18% da população imigrante a suécia vai ser um case study interessante.

A Suécia, hoje em dia tem estatísticas como, 90% das pessoas nas prisões por homicídio ou tentativa de homicídio são imigrantes ou filhos imigrantes, das 44 condenações no último ano por gang rape de miúdas40 são imigrantes ou filhos de imigrantes; Na suécia livre os ataques às miúdas nas piscinas (eles não vão propriamente à praia) são uma verdadeira praga, 50% da população imigrante recebe fundo de desemprego
Não é muito diferente ali ao lado, na Dinamarca onde 70% dos presidiários em Copenhaga são imigrantes ou filhos de..

A suécia vai ser interessante de seguir a sua evolução. Porque mais do que em qualquer outro sítio, andou na cantiga do agora multiculturalismo sim agora multiculturalismo não, como talvez poucos ou nenhum outro país europeu.

Nos anos 60 começou por decretar que iria assimilar os ciganos na sua sociedade e no seu Wellfare state… rapidamente perceberam que não resultou.

Imediatamente mudaram de tom e levantaram-se vozes que tinha que parar de tentar assimilar e sim promover a aceitação e até promoção dessas outras cultura. A literatura mostra que o movimento foi liderado por pessoas descendentes de imigrantes que estavam bem integradas na sociedade Sueca e seguiu o caminho tradicional do uso do megafone da academia e grupos de promoção sociológica da elite do país.
Esta experiência do multiculturalismo falhou redondamente e em 1986 deram meia volta e perceberam tinham que reduzir estes direitos culturais das minorias. Minorias que eram de países como a Jugoslávia ou Portugal, onde a diferença cultural era obviamente muito pequena no contexto do milieu Europeu. Mas mesmo assim aprenderam uma lição muito importante:

Era ai, desde os anos 70, que os suecos já sabiam, seguindo a tese de Kymlicka, que o multiculturalismo era sempre implementável, não porque as pessoas o desejavam mas sim porque: poderia contar sempre com a “passive acquiescence” da maioria desde que não fosse associado a grandes riscos ou custos para si.
Intelectualmente os suecos já sabiam que desde que a mensagem fosse construída de forma a não parecer ter qualquer risco ou custo para as populações autóctones era para o lado que o povo dorme melhor. Para um lado ou para o outro.

Nesta altura, anos 90, a suécia mandava o multiculturalismo ir às urtigas e coisas como ensino da língua materna dos imigrantes foi grandemente mandado para o lixo.
Mas foi neste processo intelectual bastante evoluído que a suécia abriu as suas portas à imigração vinda de outros países que não os europeus e acabou com os números acima descritos. - No passado as preocupações… intelectuais, com essa imigração europeia era meramente no contexto da sua participação nas atividades sociais, identidade e promoção do nacionalismo. Nada comparado com o que a suécia vive hoje em dia. Uma coisa é português que não participava no Kräftskiva (festa da lagosta) outra é sírio e afegão que violam em bando miúdas loiras…

Vai ser curioso seguir o comportamento dos suecos. Será que ainda se estão a marimbar para o assunto como a tese de Kymlicka nos ensinou?

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.02.2021 às 19:42

A esquerdalha, defensora de serviço nacional de saúde grátis, educação grátis a todos os níveis, segurança social, etc, são tão burros, que nem para eles são bons.

Li por alto as conclusões de um estudo do Ministério das Finanças da Dinamarca, em que analisavam três grupos: Dinamarqueses, e seus descententes, Imigrantes Europeus, e seus descendentes, Imigrantes extra Europeus, e seus descendentes, relativamente a impostos pagos, e serviços do Estado que recebiam.

Os Dinamarqueses davam lucro ao Estado. Quando se descontava o que o Estado gastava com os filhos deles (crianças não trabalham), mesmo assim o lucro era confortável.

Imigrantes Europeus davam menos lucro que os Dinamarqueses (isto era lucro bruto, pelo que não é de estranhar, são muito menos). Quando se descontava os filhos, mesmo assim a coisa ainda era marginalmente positiva.

Imigrantes extra Europeus davam prejuízo. Quando se contava com os filhos, comiam o lucro todo dos outros dois grupos.

Mas a esquerda prefere afundar o barco do que dizer ao tipo com ligeiramente mais melanina que se continua a abrir buracos no casco vai borda fora.

O Olympus tem todos esses estudos sobre o cérbero funcionar diferente. Eu, que sou um básico, chamo-lhes estúpidos.

Imagem de perfil

De Olympus Mons a 08.02.2021 às 21:46

Viva, estúpidos não são... se calhar nós é que somos que aturamos as loucuras que lhes passa pela cabeça.

Agora... que há algo de disfuncional naqueles cérebros, há!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.02.2021 às 09:49

Tem por acaso presente esse estudo? Eu gostava de o ler pois gostaria de o mostrar a um amigo que ainda há uns dias , e "encostado" a um "artigo" no Público veio dizer-me que os imigrantes em Portugal dão lucro À Segurança Social.

Rui SIlva
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.02.2021 às 20:42

Este artigo faz um resumo.

https://www.gatestoneinstitute.org/13876/denmark-collapse

Tem links para as fontes, mas estão em Dinamarquês.

Zé Manel Tonto
Sem imagem de perfil

De frar a 10.02.2021 às 08:42

O case-study da Suécia é absolutamente revelador:
---»»» A COBARDIA DOS IDENTITÁRIOS.
(cobardes de alto nível não se podem queixar que lhes caguem em cima)
Adiante.
.
.
.
.
O EUROPEU-DO-SISTEMA DO SÉCULO XXI NÃO GOSTA DE TRABALHAR PARA A SUSTENTABILIDADE... E É UM VENDIDO A MAFIAS.
.
.
Olha a «««maravilhosa»»» herança/legado universalista/multiculturalista que o europeu-do-sistema tanto gosta:
-» tendo em vista negociatas de índole esclavagista/colonialista: em vários continentes, povos autóctones Identitários mais teimosos foram alvo de holocaustos massivos... territórios roubados a povos autóctones estão a ser vendidos a chineses, multinacionais, etc... este roubo/venda é, de facto, uma «««maravilhosa»»» herança/legado universalista/multiculturalista.
.
.
O europeu-do-sistema (é o pessoal das negociatas de índole esclavagista: negociatas de abundância de mão-de-obra servil)... que se entenda com ... os seus fornecedores de abundância de mão-de-obra servil, ou seja, os boys e girls da supremacia demográfica (africanos e outros).
.
.
O europeu-do-sistema está perfeitamente identificado:
--»» trabalhar para a sustentabilidade demográfica [média de 2.1 filhos por mulher] -» népia (pois: interessa é ir gerindo a entrada de salvadores da demografia).
--»» trabalhar para a sustentabilidade laboral [sem igualitarismos, no entanto, todavia, todas as profissões necessárias à sociedade, incluindo a mão-de-obra servil, devem ser valorizadas socialmente] -» népia (pois: interessa é ir gerindo a entrada de mão-de-obra servil).
--»» mais: ir vendendo tudo aquilo que puderem a estrangeiros/naturalizados endinheirados.
--»» etc.
Ora, como não gosta de trabalhar para a sustentabilidade... o europeu-do-sistema, para além de ser um Testa-de-ferro da elite financeira, é também um boy-toy dos nazis da supremacia demográfica.
.
Mais, este europeu é um vendido à mafia de tráfico humano:
--» eles acusam de «racistas» os trabalhadores que protestam afirmando o óbvio:
- "num planeta aonde mais de 80% da riqueza está nas mãos dos mais ricos, que representam apenas 1% da população, quem deve pagar a ajuda aos povos mais pobres é a Taxa-Tobin e não a degradação das condições de trabalho da mão-de-obra servil de outros povos";
.
Mais, este europeu é um vendido à mafia do armamento:
- eles acusam de «racistas» (que devem ser alvo de sanções!) os povos 'dissidentes', ou seja, povos que afirmam: "os grupos rebeldes não têm fábricas de armamento, pois não, logo quem tem de pagar a ajuda a refugiados têm de ser os países fabricantes das armas usadas pelo grupos rebeldes!"
{ nota: a mafia do armamento fornecem armas a ««grupos rebeldes»», não só para, no caos da guerra, lucrar com o acesso a recursos naturais (petróleo, etc)... mas também para... deslocarem refugiados para locais aonde existem investimentos interessados em abundância de mão-de-obra servil }
.
POIS É: o problema do europeu-do-sistema não é Identidade... mas sim... dispor de um território aonde possa exercer saque.
.
.
.
.
Anexo:
---»»» Identitário, não sejas cobarde, reivindica liberdade, reivindica o Separatismo identitário.
.
Os Separatistas Identitários:
-» não estão interessados na herança/legado dos nacionalistas, nem no tique-do-império-450 milhões (vulgo europeístas).
-» estão interessados, isso sim, é em liberdade (a liberdade dos povos autóctones possuírem tempo de, no seu espaço, prosperar ao seu ritmo: IDEAL IDENTITÁRIO), isto é:
– todas as Identidades Autóctones devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no planeta -» inclusive as de rendimento demográfico mais baixo, inclusive as economicamente menos rentáveis.
Os 'globalization-lovers', EU-lovers, etc, que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa.
-»»» blog http://separatismo--50--50.blogspot.com/.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs