Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A suécia e Kymlicka

por Olympus Mons, em 08.02.21

Suécia...

Tanto quanto a curiosidade de perceber onde vão acabar os EUA também surge a curiosidade relativo à evolução da suécia.

Primeiro, para perceber porque não se pode falar de ciganos, ou imigrantes, sendo logo acusado de racismo ou xenofobia é importante perceber a experiência da suécia e a lição que deram à europa na segunda metade do século XX.
Com 18% da população imigrante a suécia vai ser um case study interessante.

A Suécia, hoje em dia tem estatísticas como, 90% das pessoas nas prisões por homicídio ou tentativa de homicídio são imigrantes ou filhos imigrantes, das 44 condenações no último ano por gang rape de miúdas40 são imigrantes ou filhos de imigrantes; Na suécia livre os ataques às miúdas nas piscinas (eles não vão propriamente à praia) são uma verdadeira praga, 50% da população imigrante recebe fundo de desemprego
Não é muito diferente ali ao lado, na Dinamarca onde 70% dos presidiários em Copenhaga são imigrantes ou filhos de..

A suécia vai ser interessante de seguir a sua evolução. Porque mais do que em qualquer outro sítio, andou na cantiga do agora multiculturalismo sim agora multiculturalismo não, como talvez poucos ou nenhum outro país europeu.

Nos anos 60 começou por decretar que iria assimilar os ciganos na sua sociedade e no seu Wellfare state… rapidamente perceberam que não resultou.

Imediatamente mudaram de tom e levantaram-se vozes que tinha que parar de tentar assimilar e sim promover a aceitação e até promoção dessas outras cultura. A literatura mostra que o movimento foi liderado por pessoas descendentes de imigrantes que estavam bem integradas na sociedade Sueca e seguiu o caminho tradicional do uso do megafone da academia e grupos de promoção sociológica da elite do país.
Esta experiência do multiculturalismo falhou redondamente e em 1986 deram meia volta e perceberam tinham que reduzir estes direitos culturais das minorias. Minorias que eram de países como a Jugoslávia ou Portugal, onde a diferença cultural era obviamente muito pequena no contexto do milieu Europeu. Mas mesmo assim aprenderam uma lição muito importante:

Era ai, desde os anos 70, que os suecos já sabiam, seguindo a tese de Kymlicka, que o multiculturalismo era sempre implementável, não porque as pessoas o desejavam mas sim porque: poderia contar sempre com a “passive acquiescence” da maioria desde que não fosse associado a grandes riscos ou custos para si.
Intelectualmente os suecos já sabiam que desde que a mensagem fosse construída de forma a não parecer ter qualquer risco ou custo para as populações autóctones era para o lado que o povo dorme melhor. Para um lado ou para o outro.

Nesta altura, anos 90, a suécia mandava o multiculturalismo ir às urtigas e coisas como ensino da língua materna dos imigrantes foi grandemente mandado para o lixo.
Mas foi neste processo intelectual bastante evoluído que a suécia abriu as suas portas à imigração vinda de outros países que não os europeus e acabou com os números acima descritos. - No passado as preocupações… intelectuais, com essa imigração europeia era meramente no contexto da sua participação nas atividades sociais, identidade e promoção do nacionalismo. Nada comparado com o que a suécia vive hoje em dia. Uma coisa é português que não participava no Kräftskiva (festa da lagosta) outra é sírio e afegão que violam em bando miúdas loiras…

Vai ser curioso seguir o comportamento dos suecos. Será que ainda se estão a marimbar para o assunto como a tese de Kymlicka nos ensinou?

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs