Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A ver vamos

por Olympus Mons, em 24.04.22

Capture map politcal france.PNG

Este mapa é  das eleições francesas de 2017. Tudo aquilo que me interessa nesta eleição é arranjar dentro de alguns dias um mapa similar para perceber que ventos sopram. Pode também ser um mapa de quem ganhou onde, mas o intuito será o mesmo.

As cidades, onde Macron ganha, são obviamente importantes. -  Mas também são os sítios que a seu tempo implodem. Também Roma, após a sua implosão, nunca mais foi nada de especial. Ainda hoje outros pontos no que é Itália tomam precedência sobre Roma mesmo sendo a sua capital. A implosão de muitas das cidades europeias está para acontecer.
Parece infrutífero apostar tanto na Província, depopulada e sem poder, mas sempre foi ai que as identidades sobreviveram.  Aliás a genética mostra-nos que a imperial Roma foi feita pela genética das suas províncias e quando o cosmopolitismo Romano caiu pelo peso da sua multiculturalidade, novamente foi a Província que sobreviveu e voltou a povoar a cidade.

Como um jornalista português notava, os jovens apoiantes de Macron juntavam-se em tertúlias de apoio ao seu candidato nem bares posh nas Gares de Paris onde se amontoavam sem abrigo por todo o lado numa imagem dantesca. O jornalista percebeu a dissonância que aquilo tudo era, com os tais jovens de classe média alta de Paris que nem notavam o ambiente que os rodeava. São imagens do novo cosmopolitismo, da tal cosmopolidade modernaça.

Marine Le Pen, personagem que nunca consigo sequer ouvir ou aturar, terá tido 42% dos votos em França.
Aquilo que poucos repararam nesta noite em que as televisões nos vão deleitar com laudas e emocionada páginas a essa vitória dos “bons” sobre os “maus”,  ficará contudo a nota que 42% de maus é muito maus para uma nação. 
Tenho para mim ainda o tal número mágico dos 20% de uma sociedade acima dos quais os restantes 80% estarão tramados. Isso funcionará para o mal, mas obviamente também para o bem.
E não nos podemos esquecer que somente 38% dos franceses votaram em Macron. os restantes 62% ou votaram em Le Pen ou nem se deram ao trabalho de sair de casa... 

Especialmente quando os “bons” provavelmente logo amanhã de manhã vão começar a preparar os cartazes de protesto contra o “super bom” que acabaram hoje de eleger.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs