Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Aquilo que fingem não entender mesmo!

por Olympus Mons, em 07.11.20

Muito do que está errado, aquilo que faz valas comuns futuras, passa por coisas como esta capa do expresso.

<== sim, aqui mesmo, começa a bolha, a tanga, a narrativa... O keyfabe dos próximos 4 anos.

Diz alí. "O centrista que perdeu a mulher, a filha, o filho, teve um aneurisma e não desisitiu" .... oh, tão fofinho. Devemos começar a idolatrar já ou é para esperar um pouco mais? 

 

 

Joe biden, não é o homem que cheira meninas de 14 anos, que agarra inapropriadamente mulheres, que tem acusações de assédio sexual, cheio de bagagem racista, que votou todas as coisas que no essencial a esquerda hoje em dia tem como anátemas da história recente dos EUA, que diz mentiras como que foi preso a caminho de ver Mandela, que lutou ao lado do civil rights movement e ninguém o viu lá… Não.  Joe Biden é o menino de coro que singrou apesar das agruras da vida. Oh, tão fofinho.

O kayfabe inicia-se assim, como aconteceu com Clinton ou Obama.

Acabámos (e quando escrevo isto Biden ainda não é presidente) de sair de 4 anos da mais inacreditável resistência a um presidente dos EUA. Foram os 4 anos em que os democratas rasgaram discursos do estado da nação do presidente, gabavam-se de mesmo sendo liders do congresso não falar com o presidente durante mais de um ano, assim que adquiriram a maioria e controlo do congresso começaram imediatamente o processo de impeach mesmo sem provas de nada (primeiro era a Rússia, depois a Ucrânia), governadores democratas estavam á vontade para dizer que o presidente só devia visitar o seu estado com um exercito de guarda-costas, que o presidente não era bem-vindo ao seu estado, democratas eleitos chamaram todo o tipo de nomes e adjetivos ao presidente em pleno mandato .

Jornalistas,  que desde o inicio escreveram editoriais a dizer nunca permitir a normalização de Donald Trump, escreveram as maiores barbaridades sobre o presidente e quando na sua presença deram-se ao luxo de fazer todo o tipo de perguntas “loaded” e carregadas de insidiosas sugestões e até se deram ao luxo de o afrontar e chamar todo o tipo de adjetivos.

Contudo, assim que uma aproximação à sua ideologia chega ao poder passam a exigir imediatamente a normalização da vida política e social.

Cant we all get along?! – Desta vez acho que vão ter uma surpresa.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs