Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



É aquela coisa...

por Olympus Mons, em 27.11.21

Capture nc.PNG

Quinta feira, sentei-me com um amigo a jantar umas tapas em cascais. O meu amigo é muito comunicativo e após termos terminado os assuntos não tardou a meter conversa com o casal na mesa ao lado que estava a ter uma lição de vinhos dada pelo escansão do restaurante.  Aliás, naquele sítio nunca escolhi um vinho. É o que ele traz para mesa e é de ir ao céu.

Mas dizia eu, o meu amigo meteu conversa. - Americanos da Carolina do Norte.
Fomos falando sobre vários assuntos e claro a situação política nos EUA. Não levou muito tempo a perceber que eram democratas, bastante liberal típicos nos EUA hoje em dia. Ele Médico e ela também com um bom emprego, vivendo num County (sim fui ver) em que Biden teve 75% dos votos num Estado em que Trump até ganhou.

Cedo surgiu aquela coisa que o meu cérebro infelizmente me faz amiúde de começar a tocar alertas de dissonância cognitiva. – Porque raio pessoas, como este casal, que vivem num local em que até a sua versão política da realidade está na administração, que cada vez mais as causas do seu sentimento politico ganham predominância em vastas zonas do seus pais nativo… contemplam ser expats em Portugal??
Por que carga de água querem sair dos EUA e vir viver para Portugal?

Percebi que o aumento da criminalidade era preocupante para eles, o aumento da tensão e polarização cultural nos EUA está ao rubro e querem sair de lá. - Eu só pensava… Mas o aumento da criminalidade é uma consequência do que vocês defendem ou que, como mostram os estudos, a polarização é essencialmente alimentada por pessoas politicamente como eles e não pelas pessoas que eles desprezam, os tais apoiantes de Trump.

Mas por que raio dois americanos com natural ancestralidade europeia querem vir para a europa e não emigram para um sítio onde possam viver a multiculturalidade que celebram?  Porque não existe um fenómeno de emigração desta gente para a América do Sul, sendo que é isso que estão a defender para o seu país? – Ou porque não ficam na porcaria da cama que fazem?

E, como tenho aqui escrito vezes sem conta, este é o maior problema. O problema que eu pessoalmente não encontro solução. Como Eric Kaufmann já nos tinha demonstrado ou sem grande esforço qualquer pessoa pode observar no mundo, são as pessoas mais à esquerda as primeiras a abandonar os locais ou ambientes no momento que as consequências nefastas das suas ideias lhes chega à porta do bairro.
Como dizia o outros, assim que a carrinha de mudanças chega ao seu bairro com a tão amada multiculturalidade são sempre os primeiros a trocar de casa…

E o que fazer? – Nos EUA as pessoas abandonam os estados mais liberal e emigram para locais mais tradicionalistas como Austin Texas, ou partes do nevada ou até para o norte da califórnia, emigram para a Flórida, fogem da Califórnia e cidade de Nova Iorque e para ser honesto a verdade é que não existe sequer os mecanismos culturais, já para não dizer legais, de manter esta gente a viver nas fossas sanitárias que criam com as suas ideias e versão do mundo em que todo o status quo é instintivamente para ser destruído.

Não existe lógica que permita alguém sequer levantar essa questão. Como dizer que se devia impedir esta gente de abandonar os seus projectos societais assim que o cheiro a esturro lhes chega às narinas?

E ao final do dia não medimos (pelo menos se fores de direita) as pessoas pelas suas opções políticas e por isso ao final do dia não temos ferramentas intelectuais ou morais para defender que estas pessoas não são bem vindas porque trazem a bagagem politica consigo. Não vejo mesmo forma de resolver isto. Eles acabam por ser pessoas da nossa família, são nossos amigos ou até, um simpático casal americano genuinamente fascinado por ter descoberto um país onde as pessoas são simpáticas, atenciosas e amigáveis e têm um gosto pela vida como eles nunca tinham visto.

Enfim, aguardo ajuda em resolver este conundrum.

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs