Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Elites

por Olympus Mons, em 14.08.21

Capture Afega.PNGTudo o que tu podes dar a uma população num beco aparentemente sem saída como uma ditadura é uma oportunidade. Isto é verdade no Iraque, no Afeganistão ou noutro sítio qualquer.

A ideia que uma potência como os EUA derrotam uma ditadura seja com que motivo seja e tentam implementar uma democracia, forçam ao máximo a ereção de instituições de todo o tipo, mas que depois são responsáveis pelo falhanço desse povo em aproveitar a oportunidade dada é ridículo.
Amigo eu dou-te uma oportunidade, ajudo-te, mas o que tu fazes com essa oportunidade é problema teu. Se o povo afegão que escolhe as suas elites, como sempre, sempre o povo é que faz, e essas elites não conseguem encontrar em si próprios um caminho que não seja uma ditadura ou extremismo religioso é um problema deles.  Se os afegãos são Talibãs pois que seja. Os talibãs só podem ter este domínio sobre o país sem ter muito, muito apoio popular. 
Os EUA, NATO tiveram demasiado tempo no Afeganistão.  O tempo de estabilização não poderá passar de um período razoável de algo como 10 anos. Após esse período…. Problema teu!

Acho que fazem muito bem em sair. O último que apague a luz.
Com uma vantagem em ser agora. Assim, como temos um presidente americano “dos bons” não vamos ter que aturar imagens de queda de Cabul durante um período interminável e com imagens alternadas e interligadas a Trump, Trump, Trump.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.08.2021 às 10:32

A ideia de que se podia transformar um país com um povo como o Afegão numa democracia falha por dois motivos:
1. As pessoas acham que os seus valores são superiores, e se aplicados em qualquer outro lado melhoram a vida dos outros.
2. Os Afegãos, mesmo que quisessem democracia, não têm, na sua maioria, inteligência, cultura, responsabilidade individual.

Falar de povo Afegão quando uns são pashtuns, outros são tadjiques, outros são uzbeques é uma tolice. Aquilo é um país que não existe, e devia ser retalhado e entregue aos países vizinhos cujas etnias e culturas correspondem a partes do Afeganistão.

A democracia funciona mal e porcamente em países como Portugal e Europa de Leste, com maior QI médio, e sem ódios internos. Como é que poderia funcionar ali?

A piada negra no meio disto tudo é que os que lutam contra os talibã não são muito diferentes dos talibã, e todos eles têm uma sueca loira e estúpida, a mostrar um cartaz "refugees welcome" quando estes bárbaros do século VII chegam à Europa.

Zé Manel Tonto
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.08.2021 às 20:55

1.
Essa coisa, essa vaidade com o QI, eu sou mais inteligente que tu, porque o meu QI dizem ser maior, é uma farsa, uma vigarice. O Inventor desse QI já se distanciou claramente, faz muitos anos, desse falso modelo.

Ele reconheceu não saber nada sobre o que é e como nasce a inteligência. E que a tal inteligência é composta por muitas vertentes. E um teste de QI nunca na vida é capaz de reflectir todas.


2.a
A coisa com o Afeganistão é muito simples. Sem espingarda nada a fazer contra os talibãs.

Os burros, sem qualquer QI, são a tal esquerda corrupta, incompetente.

O negócio da droga da muito dinheiro a ganhar. E o Afeganistão é um dos tais centros da droga.

A esquerda dá-se muito bem com os talibãs. Foi sempre assim.


2.b
Pena é daqueles muitos, que ajudram os inimigos dos talbãs. A esquerda putana e fascista, não os quere ajudar e prefere que eles sejam mortos pelos talibãs. Um crime, dos piores que se pode imaginar. Traição total. Graças ao porco Biden.


3.
E aqui, pelos nossos lados é na mesma. Sem espingarda, nada a fazer contra os nossos porcos (talibãs) da esquerda, que fornicam com tudo, que quiser.



4.
O que agora dá mais dinheiro a ganhar, mais que a droga, é o negócio com as falsas vacinações.


Jornaleco


A Grã-Bretanha está a despachar-se da vigarice com o Covid/Corona. E outros países também.

Só a Alemanha é que não quer. E os porcos em Lisboa?

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs