Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



LUGs e GUGs

por Olympus Mons, em 19.02.22

A aceitação das opções sexuais da pessoas, homossexualidade e bissexualidade já é aceite há bastante tempo. Não se pode usar a discriminação e pressões como sendo uma constante na vida de qualquer pessoa que tenha opções sexuais diferentes da norma. Há muito tempo que essas opções te impedem em génese de rigorosamente nada.

Diria a lógica que se esbateria ao longo destas últimas décadas essa brutal diferença de doenças mentais, depressões e tendências suicidárias das pessoas dessas minorias sexuais quando comparado com as pessoas heterossexuais. – Contudo isso não acontece!

  
Passeie num dia de sol nos jardins de lisboa e percebe que vivências e manifestações de homossexualidade são comuns e na verdade ninguém sequer repara ou indicia desconforto perante essas exteriorizações. Passeie-se pelas artérias mais centrais de Lisboa e o número de pessoas do mesmo sexo de mãos dadas é revelador de liberdade que felizmente estas pessoas já gozam. A prova disso é todo uma geração, a geração do tik-tok que se assume em valores consideráveis como BI ou homossexual… aos 15 anos, claro.

E… e, e tudo tem consequências.
Eu temo, ou tenho uma suspeita, que esta nova geração vai pagar um preço por essa moda. - Primeiro vai pagar um preço social porque as marés, tal como as modas viram, e nada é verdadeiramente eliminado do mundo digital

Mas mais importante um preço psicológico.

Já aqui escrevi no passado que por um lado considero errado alguma da pressão sexual que era exercida sobre os adolescentes, especialmente sobre as adolescentes, para que assumissem o seu papel na sociedade. Considero que os jovens crescem a um ritmo muito mais lento hoje em dia e isso deve ser tido em conta. Até prova em contrário considero que muito dos Homo e Bi-sexuais da gerações mais novas o são só até à primeira experiencias homossexual mais intensa e um número ainda maior na esmagadora maioria será nada mais nada menos de LUGs e GUGs. Termos que eu não conhecia e que significam Lesbian until Graduation ou Gay until Graduation.

Sim, a maioria será brincadeiras de LUG e GUGs!  - Mas num mundo bem diferente do período universitário das gerações anteriores.

E, especialmente as jovens que se assumem como lésbicas ou BI que como sabemos na sua quase totalidade acabam com vidas heterossexuais irão, no entanto, no futuro ter que lidar com a insegurança dos rapazes e homens que irão entrar na sua vida. Estes registos digitais, tiktoks, instagram,  etc  ficarão para sempre e legitimamente, e muito legitimamente diria eu, irão em números mais elevados do que seria de esperar perder parceiros românticos com quem tinham profundos sentimentos e expectativas de relação duradoura . – E escrevo estes parágrafos todos sobre um assunto destes, porque esses jovens heterossexuais também terão todo o direito do mundo, após os primeiros encontros sexuais (especialmente se foram do sexo masculino) ou um período relativamente curto não querer aprofundar uma relação com alguém que se assume (ou assumiu) como ambivalente sexualmente. Perfeitamente legitimo que o façam! É uma valorização do direito destas pessoas a terem também as suas inseguranças e atuar no sentido do melhor dos seus interesses que passará sempre por minorar as ditas inseguranças sexuais.

Viver com outra pessoa já e suficientemente difícil sem haver esses fantasmas.

Que fique claro, como já aqui demonstrei diversas vezes no passado, o número de homossexuais é muito pequeno quando comparado com chamemos-lhes jovens ambivalentes ou não definidos. Estes jovens que se identificam como Não-100% hétero ou bissexuais, que aliás a maioria acaba por não ter qualquer relação homossexual, mas quando avaliados passados 10-20 anos esmagadoramente identificam-se como heterossexuais e vão viver o resto da sua vida como heterossexuais. Ou seja, o tal fenómeno LUG e GUGs é o que é! -  Os grupos e identidades que serão gerados no futuro também serão o que é!

E, curiosamente e ao final do dia, se isto tudo criar um número inusitado de pessoas com graves dificuldades com doenças mentais, graves depressões e um número impressionante de suicídios será notado:

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/acps.13405?campaign=wolearlyview

E qual o problema que resultará do fomentar destas indefinições que até ao suicídio podem levar? -  Nenhum!   
Já nesta altura, ninguém gives a shit!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs