Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Na realidade...

por Olympus Mons, em 27.05.22

Ficou-me na memoria. Ficou-me a irritação.

Lembram-se de ter comentado o programa “Mundo sem muros” que ouvia na rádio e achava uma coisa sem profundidade e que agora passa na RTP3?

O programa é peculiar porque consegue dizer disparates a uma velocidade maior que a média e tendo em conta que a média já é estratosférica é dizer muito.

Como escrevi foi aquela coisa da “supremacia branca” a torto e a direito, quando na verdade aquilo que estes malucos falam é relativo ao “Great Replacement” que não é supremacia coisa nenhuma é sim o “a minha gente está a ser substituída” por pessoas que eu não reconheço como sendo das minhas, mas em momento algum elicitam supremacia seja de que género for.   

Depois dizia um deles (o Miguel alguma coisa) que 40% do nosso ADN vinha dos romanos que tinham passaram pela península ibérica… uma coisa assim disparatada, descabida e sem nexo ficando eu a pensar onde este maluco terá ido buscar esta ideia!  Esta inteligência não percebe que quando se diz que os Hispano-Romanos tinham um perfil autosomal muito parecido com as atuais populações portugueses não é que os centuriões romanos o tinham mas sim que os hispânicos no império romano tinham um perfil autosomal igual ao dos atuais portugueses, não ao contrário… Enfim.

Mas, e mais importante, era o que ele verdadeiramente tentava dizer naquela alocução  que de forma muito clara é uma das mantras do kayfabe autodestrutivo e suicidário que se instalou no ocidente: Querer convencer-nos que ninguém é autóctone do sítio onde vive logo o “great replacement” em curso é natural.

Diversidade! - E pronto, assim, a europa se deve tornar em bar aberto porque sempre terá sido assim ao longo da história e do tempo e virão outras pessoas de outros pontos do globo levando a que os europeus, como está a acontecer nos EUA, se tornem uma minoria e sendo uma minoria serão diluídos no todo. Diversidade é a nossa força…
Que as pessoas não têm mesmo noção da realidade ou das realidades do passado é uma evidencia. Que esta resulta deste passar de informação falsa, deste reescrever e recriar a história, mesmo perante evidencias modernas (como o ADN) que o contradizem só é possível pelo estado avançado de fascismo em que nos encontramos.

https://www.biorxiv.org/content/10.1101/2022.05.15.491973v1

Ancient DNA research in the past decade has revealed that European population structure changed dramatically in the prehistoric period (14,000-3,000 years before present, YBP), reflecting the widespread introduction of Neolithic farmer and Bronze Age Steppe ancestries. However, little is known about how population structure changed in the historical period onward (3,000 YBP - present). To address this, we collected whole genomes from 204 individuals from Europe and the Mediterranean, many of which are the first historical period genomes from their region (e.g. Armenia, France). We found that most regions show remarkable inter-individual heterogeneity. Around 8% of historical individuals carry ancestry uncommon in the region where they were sampled, some indicating cross-Mediterranean contacts. Despite this high level of mobility, overall population structure across western Eurasia is relatively stable through the historical period up to the present, mirroring the geographic map. We show that, under standard population genetics models with local panmixia, the observed level of dispersal would lead to a collapse of population structure. Persistent population structure thus suggests a lower effective migration rate than indicated by the observed dispersal. We hypothesize that this phenomenon can be explained by extensive transient dispersal arising from drastically improved transportation networks and the Roman Empire’s mobilization of people for trade, labor, and military. This work highlights the utility of ancient DNA in elucidating finer scale human population dynamics in recent history.

Em cima temos um higlight do abstract , tirada de um paper que está em pre-print para ser publicado mas que não traz nada verdadeiramente de novo, é se alguma coisa faz é o reafirmar que não, os FCE (fascistas cultural de esquerda) que por aí andam, uns por vocação outros por cobardia, não estão nada corretos.

Capture pop moving.PNG

Seguindo o que está em cima esta imagem é muito curiosa. No fundo mostra que durante os últimos 3000 anos encontramos uma percentagem relativamente elevada e normal de pessoas de outro lado, imigrantes, mas que estas pessoas não alteraram em nada o perfil autosomal das pessoas dos sítios onde foram encontrados (enterrados).   Esta média de 8% de pessoas com ADN diferente dos locais é aquilo que muitos estudos sociológicos apontam como a capacidade de “diversidade” sem destruir os locais onde foram encontrados. E o estudo afirma, que mesmo estes 8% não tiveram verdadeiro impacto no ADN local. Volto ao que já aqui escrevi, que parece ser aos 20% que já não tens hipóteses de sobreviver enquanto identidade. Estes 8% parecem ter sido a norma até agora.  A europa estará neste limite ou até ligeiramente acima, os EUA já o ultrapassaram há muito e por larga escala.

E já agora, a China, a India, a Rússia (incrivelmente homogéneo) o Vietnam, o Burundi, o Quénia e a Nigéria têm mesmo que nível de diversidade? – Pois...praticamente zero nao é? -  Diz a lógica que estes sobreviverão enquanto identidade e que a Europa com os seus pelo menos 3000 anos de incrível estabilidade populacional está em risco de morrer. Simples. Ah, os EUA já estão mortos, só que ninguém lhes disse ainda.

Não descarto que possamos estar perante um novo estágio e se calhar algo de diferente possa ocorrer, mas de certeza que não é forma de ter uma conversa séria mentir sobre o passado. Não é forma de preparar o futuro enfiando petas a toda a gente sobre um passado que nunca existiu.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Zé Manel Tonto a 27.05.2022 às 18:20

O que me chateia mais nesta história da escumalha de esquerda no partido democrata e nos media de esquerda (mas repito-me) é virem dizer que "great replacement" é uma teoria de conspiração de extrema direita, quando eles não só dizem abertamente que a população branca se vai tornar uma minoria na América, como que isso é bom, e que as suas politicas levaram a isso.

Há videos de 2013 de um hispanico membro do governo Obama a dizer que o Texas irá votar democrata e que isso se deve ao aumento do número de hispanicos.

Há videos de 2015 do Biden a dizer que a população branca se vai tornar uma minoria.

Quem se der ao trabalo de ir aos arquivos dos media de esquerda americanos, e eu não vou porque evito locais mal frequentados, pode ver reportagens umas atrás das outras sobre o assunto.

Era verdade quando a esquerda falava disso sob um ponto de vista favorável, e é mentira e teoria da conspitação se a direita falar sobre isso de um ponto de vista desfavorável?

E a carneirada come, e pede mais...
Imagem de perfil

De Olympus Mons a 27.05.2022 às 19:40

Sim. Ainda me lembro da primeira vez que vi essas imagens... por momentos achei que fosse deep fake, ou alguma montagem sobre outro assunto. Mas era mesmo verdade.

E os republicanos conservadores também não estão isentos. Durante muito tempo o cheap labor soube-lhes muito bem. money, money!

Agora nao gostam? quando já foram? - Pois, é a vida.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs