Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O próximo estágio

por Olympus Mons, em 04.01.22

Não comentei aquando do debate entre André Ventura e Catarina Martins. Esperei pelo debate com Rui Rio.
Queria ter a certeza.

E tenho a certeza que à exceção de uma hecatombe nas performances de AV, o objetivo está alcançado. 
Confesso que tive algum receio que se registasse desde o início, por muito pequenos que fossem, deslizes no discurso do líder do CHEGA que fossem deteriorando as bases do partido e se revertesse nos valores das sondagens. Não aconteceu. De todo.

Chega a ser patético assistir, tanto num caso como no outro, comentadores durante as horas seguintes e até dias seguintes a dizer o que Rui Rio devia ter dito, o que Catarina não disse, etc., etc., como se fosse um de-briefing do canto de um pugilista depois da derrota. – Esta gente, gente das televisões e rádios, nem se apercebe do ridículo que isso é!
 E isso ajuda o CHEGA porque as pessoas, as pessoas que poderão votar no CHEGA pelo menos, conseguem ver para além do truque. Quer se queira quer não o chega vai de certeza fazer uma racha na barragem do FCE, do fascismo cultural de esquerda, que vigora em Portugal. Aliás, como  no 25 de Abril e na democracia seremos meramente os últimos a faze-lo quando por toda a europa já existe este segmento por vezes há décadas.

Para mim é claro que a grande vitória do CHEGA será manter os valores que tem nesta altura nas sondagens. 7% ou 8% é muito bom porque consegue criar um grupo parlamentar e consegue colocar um conjunto de pessoas na ribalta dos media. Esse será o estágio 2 do CHEGA que é garantir que essas pessoas tenham acesso a debates, tenho poder para ter impacto nas atividades parlamentares que só o grupo parlamentar tem e não os deputados únicos.

Este estágio 2 terá que ser acompanhado pelo mais importante nos chamados estágios 2 da afirmação política para passar aos estágio 3.  - Agora vão-se chocar: O CHEGA tem que começar a colocar pessoas com tachos. Sim tachos. Se o Chega não conseguir colocar pessoas em cargos de administração publica que depois, pagas as contas do supermercado lá para casa deles, se possam dedicar ao combate político, não terá a capacidade de ter voz, nem unidade, nem lealdade. Quem tiver uma visão romântica do mundo ficará chocada, quem souber como o mundo funciona sabe que ou é assim ou nenhum partido vai lá, nenhum partido passará da cepa torta.
O PS, e em parte o PSD mas em menor dimensão, obtém o seu poder porque possuem um mar de gente que faz o trabalho politico que dá dimensão. E todas elas têm cargos na administração pública. Também não é por mero acaso que os partidos vão adquirindo imóveis e património para gerar receitas. bem atirou AV à cara de Catarina Martins sobre o património do BE, não foi? – Tem que ser assim!

Após o dia 31 de janeiro veremos até que ponto o CHEGA conseguirá criar esta forma essencial ao acesso ao poder. No início, durante os próximos 2 anos basta ter os deputados e manter a coluna vertebral. Coluna vertebral neste caso é manter as vértebras todas no lugar sendo que no lugar é a não cair no que se assistiu no PAN e no LIVRE com os deputados a trair o partido seja por invejas, ciúmes ou meramente narcisismo.  – garanto-vos que é bem mais difícil do que pensam. Leva anos a separar o trigo do joio.
Mas depois, aos poucos, tem que criar pessoas cuja função é morder e criar conteúdos sem ter de se preocupar como vão pagar as contas lá de casa. Essencial. Porque o CHEGA, como o VOX em Espanha, só consegue vencer os debates se tiver gente que não faz mais nada que não seja preparar-se para vencer decididamente esses debates!

Mas fiquemos por aqui, por hora este estágio 2 parece, parece, estar atingido.

Parabéns ao André Ventura.

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Zé Manel Tonto a 05.01.2022 às 22:41

Vai ser dificil o Chega meter essas pessoas com tachos por um motivo simples: a generalidade das pessoas de Direita não quer trabalhar num emprego a empurrar papeis numa repartição qualquer. Faz se não tiver alternativa, mas quando tem, não quer ser uma pequena parte de uma máquina gigantesca, e em grande medida inútil.

É também por isso que a Esquerda tem o poder que tem. Porque as pessoas de esquerda não se importam de passar 40 anos num trabalho inútil se isso puder ajudar a mover a sociedade um bocadinho mais perto dos amanhãs que cantam.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs