Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



pormaior

por Olympus Mons, em 27.12.21

Obviamente não vou escrever sobre o man of the year Elon Musk.
Deve haver milhares de artigo sobre o senhor nesta altura.
Nem sempre fui admirador do Elon, mas ao longo do tempo fui-lhe percebendo o génio.

Uma das coisas que obtive de Elon foi sobre as alterações climáticas. Estão a ver, na mente dele as coisas são simplesmente simples e cruamente funcionais. -  Para ele não interessa para nada as narrativas, as ideologias e tangas adjacentes a determinado assunto. Funcionalmente ou o são ou não são.

Lembro-me da resposta dele em relação às alterações climáticas dizendo simplesmente que os combustíveis fosseis são finitos. Então nada mais lógico que deixar de usar assim que possível.  E se ainda por cima os cientistas dizem que afeta o clima… Porque raio alguém quer fazer a experiencia de risco?

Nesta reposta dele está o alfa e o ómega desta conversa das alterações climáticas. Sim, os combustíveis fosseis são finitos.

Mas primeiro convém sempre lembrar : Nós vivemos numa super-bolha de privilégio e conforto providenciado pela energia barata e transportável que emite CO2. Nós somos os filhos do privilégio do CO2. Fora desta bolha, onde ainda vivem 1.3 mil milhões de pessoas a vida é curta e brutal.
Os outros 6 mil milhões vivem dentro dessa bolha onde tem um nível de vida, um índice de desenvolvimento humano superior ao de todos os reis e imperadores da história da humanidade. O problema é que essa bolha que abençoou 90% da população mundial foi conseguida através de capitalismo e globalização e não através de comunismo.  Fosse esse milagre mil vezes superior aos de Jesus Cristo feito através de comunismo e só colocar em dúvida o comunismo como sistema económico-social seria razão suficiente para ser metido numa gulag ou até numa vala comum.

Contudo claro que conseguir manter esta bolha viva e mudar para uma forma de energia que a sustente que não seja finita é uma boa ideia. Na verdade, a transformação que vai ocorrer durante este século será o equivalente a obra faraónicas ou em par com as maiores construções civilizacionais que a história assistiu.  Nós vamos conseguir manter a bolha intacta, rapidamente vai incluir 100% da população mundial e nada de cataclismo está verdadeiramente em questão aqui. Mas a manutenção da bolha de vida criada pelo CO2 intacta é a força transformacional deste século.

Então porque não entrar no barco?   
Porque a verdade conta!

E à boleia desta necessidade os malucos de sempre, os maluquinhos da engenharia social, irão tentar o que tentam sempre e que qualquer leitor sabe o que é porque eles tentam, pelo menos visivelmente, nos últimos 100 anos.
O resultado final pode ser das melhores obras humanas (manter a bolha) mas a verdadeira luta que deve ser travada é por que sociedade viverão os nossos descendentes à pala disto tudo no final deste século.  Se os deixar à solta os seus descendentes viverão numa distopia baseada na recorrência das que falharam até hoje.

Nunca se esqueçam deste pormaior.
Tudo parece ser uma luta política e nessa luta só a verdade nos poderá libertar.

Autoria e outros dados (tags, etc)


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.12.2021 às 20:03

"... alterações climáticas dizendo simplesmente que os combustíveis fosseis são finitos ..."

Não percebi a relação entre os combustíveis fósseis e o clima, até porque existem cientistas renomeados que contariam essa narrativa, minimizando os efeitos do uso dos combustíveis fósseis na natureza e no clima.
Mas, será que se pode inferir dessa declaração que "os combustíveis fosseis são finitos" mas o lítio, o cobre, os metais raros que a tecnologia que nos estão a impor (que usa em muito maior quantidade para construir um veículo eléctrico), são infinitos?. Não me parece!.
Será que ainda não perceberam dos efeitos da corrida a esses metais, vai fazer ao preço deles?.
Será que ainda não percebemos que a propaganda que nos estão a injectar, não vai resolver nada em relação ao uso dos combustíveis que nos estão a impingir, mas, que vai beneficiar os Chineses e Russos, que (por acaso) se anteciparam na corrida aos referidos metais?. Que foi feito ao sentido estratégico Ocidental?.
Imagem de perfil

De Olympus Mons a 28.12.2021 às 21:40

tudo certo.
Mas com todo o investimento feito, toda a propaganda e esforço, as energias alternativas só representam 15% do consumo energético mundial, retire a biomassa (CO2) e passa a 9%. Se os combustiveis fosseis acabarem em 20 aos, 30 anos, metade da populaçao mundial morre. Pelo menos.
Por isso é bom que haja "outras" formas de energia. Até para poupar os combustiveis fosseis... para que dê até que haja alternativas que gerem 100% das necessidades futuras...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.12.2021 às 23:17

Claro,

Mas não tenho dúvidas que os combustíveis fósseis vão acabar, (desde o início dos anos 70 que ando a ouvir que irão acabar nos próximos 20 anos), mas não me parece que as energias alternativa sejam na realidade alternativas, o que me parece é que são um bom negócio para os amigos dos que estão no poder, são energias que são alimentadas a 10% pelo sol/marés/vento e 90% de subsídios dos contribuintes/consumidores.

Todos os estudos sobre as as referidas estão inquinados pelo politicamente correcto verde, estou-me a lembrar dos painéis solares que sofrem "escaldões do sol" e que ficam inoperacionais, as pás dos geradores eólicos que têm 1/3 de vida útil dos que estava previsto, etc.etc., com custos de exploração muito superiores ao inicialmente calculado.
Sem dúvida que precisamos de alternativas aos combustíveis fósseis, mas, políticas estúpidas como a que têm sido tomadas por esta administração de desactivar as centrais térmicas onde o custo do kW fica a uma pequena fracção do da chamada energia verde, quando a Alemanha, a Índia e a China ainda as utilizam, será que somos mais ricos que os referidos países?. O caminho segundo parece são as centrais nucleares de nova geração, mais pequenas que as anteriores, os EU, os Ingleses, os Franceses segundo parece estão a ir por aí, neste momento os chineses têm em construção 17 centrais, será que são parvos?.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs