Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Quando dá jeito...

por Olympus Mons, em 31.03.21

Capture black health.PNG

https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMms2031080

Este também é um estudo interessante.  Primeiro pelas cambalhotas que os autores do estudo têm que dar para justificar escrever este artigo. Depois porque só é possível porque eles se autoidentificam como médicos de cor.  … Ao que isto chegou.

Uma das coisas que casais mix-race descobrem se o infortúnio lhes bater à porta e um dos filhos precisar de um transplante de órgão,  é como é quase impossível encontrar um doador.
Depois, há muito que se avisa que muitas das terapias e medicamentos que são produzidos não tem em conta as diferenças raciais. Logo, se raças não existem porque diabo se deveria ter esse cuidado, não é? – Pois. No mundo real, como a esmagadora maioria dos medicamentos são testados em Europeus a sua eficácia e efeitos secundários depois não são exatamente iguais em pessoas de outras raças. 

As raças são feitas de pequenas diferenças genéticas. Mas as pessoas esquecem que as pessoas têm 1,60m ou 1,90m por pequenas diferenças em SNPs. A expressão de dois ou três genes definem se és um gigante ou um pequenote.  A Cor branca nos caucasoides, que veio com os agricultores do neolítico que vieram da Anatólia é dada por dois genes. O gene que faz com que sejas tolerante à lactose é novamente 1 gene (!). E mais curioso é que ainda o início da idade do Bronze não se encontrava esse gene em ninguém e agora é prevalecente em todos os europeus (um grupo pequeno de homens teve os filhos todos).

Já aqui escrevi dos problemas de pessoas como David Reich de Harvard porque num dos seus livros ele escreveu que se identifica movimentos de pessoas e culturas inteiras por aparecimento de SNPS (snips) em determinado sítio e que será normal que se estude essas diferenças e o que significam pese embora ele não tenha interesse nenhum no assunto. Escreveu e quase se tramou.  O que como também expliquei na altura, é bem feito porque ele foi uma das pessoas que ajudou a enterrar James Watson, um dos descobridores do ADN, que viu toda a sua vida e carreira destruída. Prémios retirados, memberships canceladas… tudo. Tornou-se um dos primeiros e mais proeminentes casos de cancel culture e vive fechado em casa. No caso de David reich, tudo porque um dia Watson lhe perguntou quando é que vocês judeus Askanazim vão assumir que são mais inteligentes que os outros todos? – Por isto? David Reich queimou-o?

Seja como for e voltando a este artigo, já era óbvio que em muitas circunstancias as mesmas pessoas que se mostravam horrorizadas por se falar em diferenças genéticas entre raças no segundo depois estavam a vociferar porque os testes de medicamentos não tinham em conta essas diferenças entre raças.  O mundo é mesmo dos maluquinhos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.03.2021 às 13:00

[Parte II de II]

P.S.:
Eu estou a estudar o muito bom trabalho de outro doutor da ciência. Um alemão, cujo nome é Dr. rer. nat. Markus Blietz. E ele é muito melhor do que o Reich e Watson em conjunto. E porquê? Ele prova onde Watson e Reich erraram.

E ele, aprende, desenvolve-se para a frente e mudou de escola de pensamento. Quer dizer. Ele mudou de máquina de interpretação. Os tais dados.

A ciência profissional distingue SEMPRE entre os dados (científicos, claro) e a sua interpretação correcta.

O problema enorme de Watson e Reich é que, a casa da ciência é gigante. E ambos só querem ver uma pequena parte do quadro. Mas a verdadeira ciência obriga todos a ver a imagem toda. E isso é mais duro e difícil e desagradável.

Um doutoramento raramente chega, nos dias de hoje, seriam preciso mais quatro? Sim, mas para muitos nem isso vai ajudar. Eles não querem ver o óbvio.

O mundo não é só maluquinho, vai ser ainda um pesadelo para Watson e Reich e muitos outros. Porque as mentiras têm todas pernas curtas. É tudo crença, a maior parte. E a maioria escolhe a crença falsa.


P.P.S.:
Mas, eu tenho muito mais testemunhos. E se eu falasse sobre o director do instituto da faculdade de química da universidade de Basileia, na Suiça?

Quem é que decide, qual testemunho é inteligente?

O director do tal instituto descobria a chamada "água pesada" e recebeu um prémio famoso.

Esse director provou ser um cientista bom, dos melhores. Correcto?

Ele viu, estudou muito bem, e mudou mais tarde também a sua máquina de interpretação de dados. Ele mudou de escola de pensamento.

Esses não interessam?

Não é só o sr. Reich que faz "cancel culture". Muitos outros já o fazem automaticamente, sem o notar.

Um erro grave e mortal.

Sartre também o fez mais tarde.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs