Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Robespierre_zinhos…

por Olympus Mons, em 20.03.21

Capture poetiza.PNG

Pois é. Haveria de chegar. Havíamos de chegar aqui. Nem sei se esse é o tom do artigo que faz capa, e que grande capa, mas só o facto de o ser e de levantar a questão indica que estamos a chegar aquele momento.
E qual o momento?  - Aquele em que a esquerdalhada acaba sempre por chegar. São peritos em atear fogos, mas é inevitável que alguns desses fogos, e são muitos, acabem para, nas suas perspetivas, ficar demasiado grandes.  E nessa altura, viram-se para a audiência e perguntam, “mas os fogos não é uma coisa má”?

Achar que só uma pessoa de determinada cor pode traduzir a poesia de determinada pessoa de determinada cor faz soar alarmes.  Começa a queimar muito perto das suas casas. - A seguir vai-se exigir que só pessoas de determinada cor poderá tocar determinados géneros de música porque de outra forma será apropriação cultural.  Que história é essa de bandas de Jazz sem ser de negros a atuar? Quem permite tal apropriação?
Para quem não sente fundamentações morais que são descritivas, que são supostas unir-nos a todos sem estar na lei ou sequer escritas a não ser nas representações que nos identificam como por exemplo a literatura ou folclore, o fogo só é mau quando sentem o calor na pele. E mais curioso agora que poderá chegar a profissões que lhes estão perto, como literatura, música e cinema, vão ver a velocidade com que até a nova legislação vão começar a apelar. Esperem só mais um bocado…

Isto tudo lembra-me que para muitas pessoas cancel culture é algo recente. Mas eu sigo cancel culture desde o início do século aplicado aquilo que eu acho foi a primeira vitima. Questionar as alterações climáticas.  Pielke (pai e fiho), Judith Curry, Richard Lidzen, Christy, só para mencionar alguns que questionaram não a formulação mas meramente os métodos. Estas pessoas perderam empregos, sofreram perdas de reputação tremendas e muito acabaram por se afastar e desligar completamente do assunto – E estamos a falar de pessoas que eram os pilares, eram os faróis, do estudo não da climatologia (porque era nova) mas por exemplo da meteorologia. Lindzen, no MIT, era considerado o decano dos decanos, o professor de professores, até ao dia em que abriu a boca contra as ofensas que estavam a fazer à ciência. E muita gente que hoje se horroriza com a cancel Culture, achou muito bem que se fizesse deplatform aos maldosos climate deniers, não foi?  Pois é. Era nessa altura que tinhas que ter aberto a boca porque o problema são os precedentes que é nessa altura que tem que se levantar a voz em defesa dos que até podemos discordar, mas cujo direito a ter e verbalizar a sua dita opinião é sagrado.  Qual o quinto pilar da moralidade de Haidt? – Sagrado e puro. Sim, como o direito a liberdade - De ser, interiorizar e de expressão.

Contudo com o passar do tempo, e o sucesso acima descrito a esquerdalhada foi ateando mais fogos, cada vez mais fogos e com a permeabilidade de professores nas universidades foram começando não a contestar mas a negar mesmo totalmente alguns tenets que nós tínhamos como sagrados. Tu não mudas os axiomas sem ter a certeza! E estes miudos das faculdades começaram a entrar no mercado de trabalho e não têm medo de nada. Vão ter medo do quê? - Em qualquer altura voltam para casa dos pais de classe média alta com o quartinho deles ainda todo arranjado e dinheiro para passarem weekends onde quiserem.

Pois Maximilien Robespierre, o pai do terror da revolução francesa acabou na guilhotina por não ser revolucionário suficiente não foi?

Autoria e outros dados (tags, etc)


7 comentários

Imagem de perfil

De Zé Onofre a 20.03.2021 às 03:15

Olá

Desculpe mas dizer esquerdalhada é ofensivo para toda a gente e em toda a parte.
Mas só diz mal da pessoa que assim escreve.
Zé Onofre
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.03.2021 às 12:32

Sinceramente, um indivíduo de esquerda quer tirar-me o meu dinheiro, via impostos, para sustentar os outros.

Porque é que hei de me coibir de ser ofensivo para invejosos?

Zé Manel Tonto
Imagem de perfil

De Zé Onofre a 20.03.2021 às 14:20

Olá
Se o senhor vê a política como estando de um lado os "invejosos" e do outro os "invejados"?
Pensei que a política era um debate de ideias e não como a história da Vaquinha que tirava água à nora dizia, no Livro Único da minha 2ª classe, "Quem tem, tem; Quem não tem, não tem".
E mesmo sendo debate de ideias, ou uma questão de ter ou não ter, o civismo fica bem em toda a parte. E isto já não é uma questão política, é uma questão de educação que, como dizia a Vaquinha, quem tem, tem; quem não tem, não tem.
Zé Onofre
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.03.2021 às 15:16

«o senhor vê a política como estando de um lado os "invejosos" e do outro os "invejados"?»

Talvez não seja essa a teoria, mas foi para aí que a esquerda levou a prática.
A política está resumida, nos dias de hoje, a uma maioria de beneficiários do sistema, a votar por mais serviços do Estado para eles, pagos por uma minoria de contribuintes líquidos.
E o pior é que nunca chega. Querem sempre mais.

Sobre ser uma questão de educação, não me parece que a esquerda seja propriamente muito educada quando se refere a qualquer pessoa à direita de Che Guevara.

Não vou tratar estas pessoas com paninhos quentes.

Zé Manel Tonto.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.03.2021 às 18:06

No idioma alemão existe um termo, uma palavra, que explica muito bem esta e toda a esquerda burra e malvada.

A palavra é Blender. Tal igual ao software holandês, de modelação e animação em 3D (open source).

O termo explica um ser humano altivo, que nada sabe, e finge saber, parecer mais que é. Substância ZERO.

Haha!

Jornaleco

A gaja em cima precisa só um pontapé no cu, como todos na esquerda e umas chapadas boas na cara. Só tenho desprezo pelos vigaristas todos da esquerda. Conheço milhare e milhares dessa canalha. Nem um vale alguma coisa, digno do nome.

E o jornal "Público" é queimar o mesmo. Haha.
Imagem de perfil

De Olympus Mons a 20.03.2021 às 20:05

@Zé Onofre

"Desculpe mas dizer esquerdalhada é ofensivo para toda a gente e em toda a parte."

E...?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.03.2021 às 16:10

O ser humano não consegue influenciar o clima, o tempo. Nenhum ser humano consegue. Não existe uma única prova que assim seja.

Pelo contrário, existem milhares e milhares de provas, que a esquerda mente descaradamente, sem qualquer vergonha na cara.

E a maneira como os asnos da esquerda (a tal esquerdalhada) reagem, diz tudo e muito mais.

Isto leva-nos à questão, porque é que os burros se arrogam querer uma coisa dessas? Porque é que esses parvos, cretinos mal-educados "pensam" que isso é possível?

1. A ciência exacta, profissional, separa SEMPRE entre os dados e a interpretação.

2. Como existem mais dados que o ou qualquer ser humano consegue processar, existem as tais "escolas de pensamento". Elas dão respostas rápidas e interpretam tudo como a tal escola o quere. Com a procura da verdade a maior parte destas "escolas" nada tem que ver. É enganar a eito.

E depois, quando a escolas se contradizem é que é bonita.

3. Pensar correcto é a coisa mais difícil no mundo.

4. Toda a canalha da esquerda quer retroceder na própria evolução. O ídolo da esquerdalhada é o animal da selva. Comparando-se com esses animais bem-educados, eles "pensam" ser uma espécie de deuses humanos.

5. Gastam toda uma vida a portarem-se como se fossem deuses, superior aos outros. Mas todos morrem e pimba.

6. Adolfo Hitler, Goehring e Himmler usaram o ocultismo a seu favor, para derrotar o Reino Unido. Para tentar, mas falharam.

O Reino Unido com Churchill usaram também o ocultismo para derrotar Hitler, que tentou conquistar a ilha, com o foguete V2, por exemplo, que só se ouvia, dizem, após detonar no alvo.

Churchill usou também bruxas contra Hitler. Só que não há bruxas boas, o erro estúpido de Churchill (e de outros) foi e é este.

7. A grande parte da ilusão de hoje é através da linguagem. Bruxas por todo o lado, só que o homem moderno está cego e inculto. O homem moderno continua a mentir como se não tivesse consequências. Justiça? Haha, não existe, diz ele todo contente. Não a precisamos, diz o asno.

8. Esses da esquerda, que mentem como querem, manipulam como querem, tem muito a perder. Já perderam tudo, se não mudaram de rumo.

O erro fatal está nas (falsas) premissas no pensamento desses asnos da sociedade moderna. As coisas não são assim, como eles pensam. E pensar eles não sabem, não querem e já não querem aprender. O diabo anda a dizer-lhes, que eles um dia serão todos deuses. Mas isso e uma mentira malvada, que eles, as vítimas adoram ouvir. A morte ensina a quem quer ver e ter ouvidos.

Jornaleco

Eu lembro-me duma ligação entre o MIT e o fdp do Club of Rome, que odeiam o ser humano e querem acabar com ele.

Quem tem inteligência e cultura sabe, quem foi o primeiro a odiar o ser humano e porquê. Isto é verdadeira ciência. Um ser humano tem que ir SEMPRE à fonte (do saber).

A Eva já ouvi a mesma cantiga de hoje. Nada de novo.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Links

Blogs