Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Urheimat

por Olympus Mons, em 28.06.21

Convém, porque ao longo do tempo isto vai ser importante para perceber o epílogo da velha América.
E, se calhar, o fim da velha América vai ser uma coisa boa significando o nascimento de uma América nova que vai ensinar algo de novo ao mundo.
Pelo meu lado espero sentado, com um balde de pipocas e atribuindo uma probabilidade de  5% disso se transformar realidade. - 
Os 95% atribuo à realização, à consumação, dos capítulos uns atrás dos outros desse grande livro How to fuck up…” por Olympus Mons.

Este mapa demonstra bem aquilo que já referi em diversos posts anteriores que é que a América foi construída por alemães. A América era germânica. Este azul clarinho, essa mancha dominadora no mapa, representa a América onde a ancestralidade germânica ainda é dominante. E para dizer a verdade chegou a ser a América praticamente toda.
Ainda nos dias de hoje 17% da população americana tem ancestralidade Germânica. Isto comparado com 8% inglesa e 9% irlandesa.
Quando junta os Svensk-amerikaner Suecos e Noruegueses que se juntam aos Evangelical Lutheran Church in America percebemos melhor esse substrato que construiu a américa do “honest days work” acima de tudo. É daqui que vem a religiosidade, a rule of law e o protestantismo laboral, a moralidade como responsabilidade pessoal e austeridade como forma de viver a vida. Isto é a ‘merica!

Como os irlandeses se concentraram para os lados da Califórnia acabaram por dominar o mediatismo de Hollywood e por isso ficámos todos com essa imagem dos cowboys de ancestralidade inglesa e irlandesa quando na verdade eram os alemães que dominaram e acima de tudo construíram a superpotência EUA.

Foi a multiculturalidade, a perca da homogeneidade dos 90% que levou os EUA ao sítio a que chegou agora. Estava nos livros e foi opção tomada. Por isso paga o preço. -  100 milhões de pessoas em 30 anos, acrescentar 1/3 de outro stock de pessoas à sua população, tem este efeito. 40% da população também quer o seu naco de carne, também quer a sua identidade representada no estado, na cultura e na nação. Dois corpos sólidos não podem ocupar o mesmo espaço. -Só partindo tudo.

A nova américa será construída agora, após ser arruinada e quebrada em pedaços pequeninos nesta segunda vaga do hippieism sob a forma bem mais nefária do Wokism.  Uma américa contra tudo o que aquela América de cima foi, uma América que rejeita de vez e totalmente o seu europeísmo branco, uma américa cheia de ódio aos criadores disto tudo: um Homem Velho Branco Europeu.

Curioso como foram estes HVBE que criaram uma geração em que não há adultos em casa, um mundo em que cada vez que cada um deles abre a boca, e eles estão agora a chegar a todo lado, só dá vontade de perguntar e “…e onde está a tua mamã? Está algum adulto em casa?”. 

E não tem que ser assim em todo o lado. Europa não é os EUA. Mantém ainda a sua identidade e homogeneidade. Não tem que imitar os EUA! 
 Resta-me a esperança que pelo menos a Europa consiga manter intacta a sua identidade dentro do possível apesar da tentativa de um esquerdismo cheio de “Need fo chaos” que, tal como na américa, anseia pelo seu suicídio.

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.06.2021 às 20:10

Citação:

Following a citizen's petition, a Lisbon court was forced to provide verified COVID-19 mortality data, reports AndreDias.net.

According to the ruling, the number of verified COVID-19 deaths from January 2020 to April 2021 is only 152, not about 17,000 as claimed by government ministries.

All the "others" died for various reasons, although their PCR test was positive.

"We live in a fraud of unprecedented dimensions," wrote Dias.


Fonte:
https://www.americanthinker.com/blog/2021/06/shocker_lisbon_court_rules_that_only_09_of_verified_cases_attributed_to_covid_in_portugal_actually_died_of_it.html
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 28.06.2021 às 22:15

Essa América por si aqui desenhada não existe.

E o seu método não funciona, porque confunde efeito e causa.

Generalizações são a morte de todo o pensamento e o fim de qualquer ciência.

Você quer explicar o mundo todo, a partir da cabeça duma agulha. Isso é sempre um beco sem sáida. O fracasso total.

O homem branco vai ganhando.
Quem diz homem branco, diz o pensamento do homem branco.
Seja em qual pelo for, amarela, preta, cor de rosa, igual.
O homem branco ganha sempre.

E depois há muitos, muitos dados, que o contradizem, caro Olympus.

Jornaleco

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Links

Blogs